Sonhos Iluminados

OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM
Série da Liberdade


SHOUD 6: “Sonhos Iluminados” 
Apresentando o AMADO SAINT GERMAIN/ADAMUS/YHWH*
Canalizados por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim
2 de março de 2013



Eu Sou o que Sou, o Amado Saint Germain.


Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain (Adamus do Domínio Soberano).


E Eu Sou o que Sou, o Eterno YHWH* de mim mesmo.


Eu Sou todas essas coisas.


Venho até vocês normalmente como a faceta de Adamus, uma faceta criada especificamente para os Shaumbra, para aqueles que estão se tornando Mestres despertos encarnados. É apenas uma parte da minha expressão.


Eu Sou o Amado Saint Germain. Saint Germain, a faceta que viveu muitas existências na Terra, que passou por experiências similares as de vocês, que reuniu todas essas experiências sob o nome de Saint Germain.


Eu Sou o Eterno YHWH de mim mesmo, um nome que não pode ser falado. Não por ser sagrado, mas por ser um nome que é, na verdade, uma vibração, uma ressonância, o coração. Não pode ser colocado em palavras humanas, nem mesmo sons humanos. Eu Sou esse YHWH, cuja palavra não pode ser falada, mas pode ser sentida.


Eu sou todas essas coisas, assim vocês são.


O que vocês vivenciam em nossos encontros regulares é essa faceta chamada Adamus, apenas uma parte da minha condição de Eu Sou. [Ele pega uma esfera de vidro lilás com formas de bolhas em seu interior.]


Imaginem um instante que este globo represente a alma e imaginem que a luz atinge determinada parte dela, iluminando apenas uma parte. Essa parte iluminada seria como Adamus, quando venho falar com vocês todo mês ou muitas vezes em seus sonhos ou muitas vezes quando estão aflitos. Essa parte é Adamus.


Se olharem mais de perto, existe outra faceta, uma outra luz brilhando nesse globo e é Saint Germain. Saint Germain, aquele com quem vocês viajaram em muitas, muitas existências. A energia de Saint Germain levou-os, inicialmente, a esta coisa chamada Shaumbra, Círculo Carmesim. Mesmo que Tobias tenha falado com vocês por dez anos, foi a energia de Saint Germain que os trouxe até aqui.


E, então, neste globo, se olharem para sua plenitude, ela é o Eterno YHWH, o Eu Sou que não pode ser falado, mas que sempre está presente. E assim são vocês também. Isto é o belo vocês e, neste momento, há um aspecto que brilha, um raio de luz iluminando um aspecto, o nome que vocês levam no crachá ou na carteira de motorista que perderam. [Algumas risadas, pois ele está se referindo a uma história contada mais cedo por Linda.] A luz está brilhando lá, mas sabiam que vocês têm outro nome? É o auge de todas as suas existências terrenas, que é ainda um outro aspecto.


Agora, eu uso os termos “aspecto” e “faceta” de maneira diferente. Eu digo que sou uma faceta; Adamus é uma faceta do Eterno YHWH da minha alma. Mas, quando me refiro a vocês, eu digo “aspecto”. Eu digo que essa expressão humana que vocês são neste momento, essa expressão humana que está aqui para despertar e integrar todas as experiências passadas de suas existências, esse é o aspecto humano. Eu o chamo de aspecto, porque até que esteja integrado no todo, na alma, ele não passa de um aspecto. Uma vez integrado, torna-se uma faceta. Está completo.


Então, como alguém vai de ser um aspecto até reconhecer suas facetas, as expressões de sua alma? Falamos sobre isso em nosso encontro passado – a compaixão. Psicologia compassiva. O amor por si mesmo. Amar-se.


Vocês podem estudar. Podem trabalhar duro, mas, no final das contas, é só o amor por si mesmos que levará vocês para a sua condição de Eu Sou. Não tem a ver com o quanto vocês sabem, quanto dinheiro têm, quantos rituais espirituais já fizeram, que levará vocês pra essa totalidade. É simplesmente a aceitação, a compaixão e o amor por si próprio. Ponto final. Nada mais precisa ser estudado. Nada mais precisa ser alcançado. Nada precisa ser comprado ou barganhado. Simplesmente amar-se, mas talvez esta também seja a coisa mais difícil que virão a fazer.


Receptáculo da Alma


A alma é muito parecida com este lindo globo. A alma vem vazia – inicialmente vazia. É um receptáculo. É um receptáculo esperando receber a si mesma, esperando realizar todos os potenciais. Os potenciais são como as bolhas vistas nesta bola. A alma, um receptáculo vazio, simplesmente espera se conhecer; então, ela cria essas coisas chamadas aspectos que, por fim, se tornarão facetas. E os aspectos, através de suas experiências, começam a encher o receptáculo vazio com experiências e informações, sabedoria e amor.


O receptáculo vazio, quando ele primeiro começa, está de fato cheio de potenciais, mas potenciais que ainda serão realizados ou vivenciados. Então, é como se estivesse vazio e o desejo da alma é encher a si mesma com seus potenciais e suas experiências, conhecer o Eu Sou de si mesma. E não pode fazer isso através do Espírito. Não pode fazer isso através de outro ser, mesmo que tenha tentado. Ela só pode fazer isso através da experiência de seus potenciais.


E, quando esse receptáculo estiver cheio, quando tiver sentido seus potenciais e vivenciado o máximo que escolher vivenciar, tiver sentido mesmo os que nunca foram vivenciados na realidade física, a alma se torna completa, pura, cristalina, realizada. Isso é o Eu Sou.


E nesse estado de Eu Sou, esse receptáculo, essa alma, conhece a si mesma além do conhecer; nunca duvidando, nunca questionando. Ela conhece todas as suas facetas, todos os seus ângulos e vocês perguntam: “Será que ela continua a ter experiências?”. Sim, continua, mas não como um humano as vivencia. Continua a vivenciar seu amor por si mesma e isso é tudo de que ela precisa, tudo que ela quer, tudo que deseja.


Quando o receptáculo estiver cheio, completo, ela continua a se apaixonar por si mesma a cada respiração, a cada momento, sem condição, sem dúvida e certamente sem sentir vergonha. Ela continua a se apaixonar por si mesma, porque é a maior coisa de todas.


Eu Sou o que Sou, me apaixonando por mim mesmo a cada dia.


E, meus caros amigos, que honra é ter estado – e ainda estar – com vocês! Observando como vocês estão pegando os seus aspectos, os seus desafios, as suas experiências e destilando-os em sabedoria, trazendo-os para a alma, transformando-os nas facetas do Eu Sou que será eterno. Eterno.


Eu passo isto [o globo] adiante para cada um e todos vocês o sentirem, o contemplarem. [O globo vai passar por todos na plateia.]


Uma Revisão


Vamos começar com uma revisão hoje. Precisaremos do quadro.


LINDA: Onde quer que eu o coloque? [Ele aponta o lugar.]


ADAMUS: Vocês vão reparar ao longo do dia a mudança – graciosa, espero – entre Adamus, Saint Germain e o Eu Sou o que Sou.


Vamos fazer uma revisão. Agora, muitos de vocês dizem... Vocês dão uma olhada nos Shouds, vão a um workshop e dizem: “Não aprendi nada novo desta vez”. Então, quando digo revisão, vocês dizem: “Ah, pensei que fôssemos aprender algo novo”. E Adamus diz: “Por que faríamos uma revisão?”. [Algumas risadas] Até assimilarmos, vamos ficar revendo.


Fazemos uma revisão, porque é muito fácil – muito fácil – se perder de vista. Vocês estão aqui nesta tremenda gravidade física. Gravidade – a gravidade física da Terra. Nada como a gravidade física desta realidade. É muito fácil se perder no caminho, esquecer por que estão aqui; muito fácil entrar em seus padrões, entrar em suas probabilidades em vez de em seus potenciais.


~ Famílias Espirituais (Angélicas)


Assim, vamos voltar ao início hoje. O início. Vamos começar com suas Famílias Espirituais. Gostaria de escrever, minha querida?


LINDA: Com prazer.


ADAMUS: Item número um da lista – Famílias Espirituais, Famílias Angélicas, voltando éons de tempo atrás. Há tanto tempo, que vocês já esqueceram. Vocês nem se lembram mais do nome de sua Família Espiritual, mas cada um de vocês veio de uma Família Espiritual. Se não fosse por elas, vocês não estariam aqui.


Vocês vieram pra cá por causa de sua Família Espiritual. Vocês vieram pra cá para ajudar a resolver, digamos, a energia emperrada. É por isso que vocês ainda estão resolvendo a energia emperrada. Vocês vieram pra cá em nome de suas Famílias Espirituais para alcançar a sabedoria de algo que, depois, seria compartilhado com elas, para libertá-las.


Estamos falando de liberdade aqui neste Shoud – liberdade do humano – mas, na realidade, é verdadeiramente a liberdade para as suas Famílias Espirituais. Pode-se dizer que, no momento, de volta à casa, elas estão esperando, suas energias e sua consciência estão aguardando. Estão esperando que vocês – sim, que vocês – vivam as suas vidas para aprenderem a esclarecer a energia, movimentar energia, amarem a si mesmos. Daí, vocês se tornarão os verdadeiros Standards.


Em sua Família Espiritual, pode-se dizer que vocês receberam – estou usando termos humanos aqui – os títulos de maior prestígio. Voltando para a Família Espiritual, não era os que vocês chamariam de líderes de grupo, que eram os mais exaltados. Certamente, não era os líderes religiosos, porque as Famílias Espirituais não tinham isso. Os mais exaltados de todos foram os que ficaram conhecidos como professores. Professores – mais elevados do que os líderes, do que as cortes e toda a hierarquia – os professores no topo. Por que isso? Porque professor, em sua definição verdadeira, é aquele que se permite entrar na experiência desconhecida em que nenhum outro humano ou anjo jamais entrou. É aquele que entra na criação que ainda não foi criada ou sequer imaginada. O professor entra nisso para vivenciar o novo, para vivenciar a si mesmo, trazer a energia de força de vida, trazer a Presença Eu Sou para o Nada.


O professor entra fundo e vivencia isso dentro de si, não fora de si mesmo. Então, o professor emerge dessa nova experiência, tendo plantado as sementes da divindade, da força de vida, da condição de Eu Sou, trazendo ainda potenciais realizados, de modo que outros venham para esse playground em outro momento.


O professor emerge dessa experiência e, então, compartilha com os outros o que aprendeu através de palavras e através de histórias, através de sentimentos, através do coração, através da expansão de sua consciência e da nova radiância de sua alma.


Cada um de vocês – um professor. Não como um professor humano, não do modo como um professor humano é tratado, mas cada um de vocês é um professor, os verdadeiros líderes e é por isso que vocês estão aqui. Cada um de vocês. Não importa o que vocês achem do aspecto que está sentado aqui hoje, não importa qual é o seu trabalho, não importa o quanto achem que estão espiritualmente avançados ou não, vocês todos são professores. Vocês todos deixaram suas Famílias Espirituais pra vir pra cá aprender algo a ser compartilhado com eles.


~ Ordem do Arco


Próximo item. Desenhe uma seta apontando pra baixo, por favor [falando com Linda]. Uma seta pequena.


Próximo. A jornada de vocês os levou pra esse lugar chamado Ordem do Arco. Sei que isso não é novo, mas precisa ser revisto. A Ordem do Arco era a assembleia de representantes de todas as Famílias Espirituais, incluindo vocês. Cada um de vocês se unindo para estabelecer, criar, organizar a Ordem do Arco. Das 144.000 Famílias Espirituais elas vieram. Muitas de cada família, incluindo vocês.


Houve um consenso pela primeira vez na criação fora do Espírito. Um consenso, um reconhecimento de ser com alma para ser com alma que nunca existiu antes e um consenso de que cada ser com alma tem uma centelha do Espírito, cada ser com alma tem determinados direitos inalienáveis e cada ser com alma é eterno.


Vocês chegaram à Ordem do Arco e nessa Ordem do Arco ficou decidido que haveria um lugar estabelecido na realidade física em que representantes, professores, iriam e teriam a experiência, a experiência de vida em uma forma física – a experiência mais profunda jamais conhecida pelos seres angélicos – dentro da criação, vivendo dentro dela, em parte, carregando a essência agora conhecida como sua biologia. Vivendo bem no fundo da criação para ajudar a entender a consciência e ajudar a entender a energia e como ela funcionava com consciência. E, mais que tudo, ajudar a entender os verdadeiros potenciais para cada ser com alma na criação.


E, quando veio o chamado da Casa de Gabriel para aqueles que viriam para a Terra, vocês, meus amigos, disseram seus nomes espirituais. Não seus nomes humanos, mas o nome de suas almas. Vocês o disseram bem alto. Repito, por isso estou sempre pedindo que falem com sua voz real, sua voz de alma.


E, então, foi um contingente de seres angélicos que vieram para este lugar que agora chamam de Terra. Ela não tinha nenhuma força de vida. Não tinha árvores, animais, mas eles imaginaram – imaginaram esta pedra chamada Terra – abundante, com vida, seres dinâmicos e, assim, ela se tornou. Quanto tempo levou, não importa. Se foram sete dias, se foram milhões de anos, não importa nem um pouco.


E, então, chegou o momento de vocês irem, de fazerem a jornada a partir dessa coisa chamada Ordem do Arco. Foi talvez a primeira vez em que essa coisa agora conhecida como lágrima foi vivenciada. Lágrimas dos seres angélicos assistindo vocês enquanto vocês partiam, sem saber o que vocês se tornariam, sem saber se vocês sequer retornariam, porque vocês estavam agora se aventurando para um lugar verdadeiramente desconhecido, de profundezas tão profundas, que ninguém sabia onde terminavam. Sua família espiritual, nesse momento, recebeu essa coisa chamada coração, que nunca tiveram antes, e vocês seguiram, assustados, ansiosos, agitados, sem saber o que aconteceria depois.


Vocês vieram pra este lugar chamado Terra. Uma Terra agora repleta com o reino animal, o reino vegetal, cheia de árvores e flores e um céu com o próprio sol, repleta de morte e renascimento, do ritmo constante e do constante ciclo de vida. Um constante lembrete a cada um e todos vocês de que nada realmente morre. Um lembrete que vocês plantaram nesta Terra antes de sequer virem pra cá. Um lembrete de que, não importa o que aconteça, realmente não existe morte.



~ Humanidade


Vocês entraram na Humanidade. Próxima seta – Humanidade [falando com Linda]. Vocês chegaram na Humanidade agora, se juntando aos outros, como os pioneiros que vieram pra este lugar chamado Terra e, imediatamente, se juntando nessa coisa chamada consciência de massa. Inicialmente, ela era pura. Não era distorcida. Não era de modo algum deformada. Era pura, a representação do puro desejo do coração dos seres angélicos da Ordem do Arco que vieram pra cá.


Vocês se juntaram nessa coisa chamada Humanidade – Humanidade – e passaram a usar esse crachá desde então. Vocês têm orgulho da Humanidade e também têm vergonha da Humanidade. Vocês encontraram grande alegria na Humanidade e, especialmente agora, sentem certa vergonha pela Humanidade, porque sabem que fizeram parte da criação destas novas espécies.


Vocês vivenciaram a si próprios dentro da Humanidade, dentro desta dimensão muito dinâmica. Uma dimensão tão repleta de gravidade física, que fica puxando vocês cada vez mais fundo. Sim, a Terra tem uma gravidade física – seguramente, quando vocês atiram algo no ar, isso volta pro chão, mas não há nada, nada comparado à gravidade psíquica.


A gravidade psíquica vai envolvê-los. A gravidade psíquica vai puxá-los cada vez mais fundo pra dentro dela. Particularmente, se houver buracos naquilo que vocês chamam de seu próprio equilíbrio ou sua própria consciência – dúvidas, obscuridades, questões não realizadas – essa gravidade psíquica dominará e preencherá esses buracos com ela mesma, puxando-os cada vez mais fundo pra dentro dela, até o ponto em que vocês fiquem tão perdidos, que esqueçam quem são, por que estão aqui, os recursos e as ferramentas de que dispõem. Vocês se esquecem de sua Família Angélica, da Ordem do Arco e mesmo do Espírito – talvez a maior tristeza de todas. Mesmo do Espírito.



~ O Humano Desperto


Depois de muitos, muitos ciclos ou encarnações na Humanidade, então, vocês chegam ao próximo ponto – o Humano Desperto. O Humano Desperto. Algo aconteceu ao longo do caminho em sua experiência humana. Parte de vocês disse: “Isto não é real. Chega. É hora de sair. Isto não é mais o eu verdadeiro”. Vocês ficaram tão perdidos ou tão imersos nisso, que disseram que era hora de sair. Esse é um verdadeiro atributo de um professor. Do professor que sabe quando sair, sabe que pode pedir, de dentro de si mesmo, pra sair de qualquer experiência em que tenha entrado. Esse é o professor que diz: “Eu vou me unificar novamente”.


Vocês se tornaram Humanos Despertos, começando o que considerariam como uma jornada muito longa de volta pra si mesmos, mas, o tempo inteiro, na tentativa de despertar, nunca antecipavam as forças da gravidade psíquica. E parece que, a cada passo dado em direção ao despertar, vocês foram puxados dois passos mais fundo e isso é uma realidade.


É uma realidade brilhante do ponto de vista de que, diferente de outras experiências que vocês tiveram na criação, como professores, não é tão fácil simplesmente sair daqui. Fica buscando as fraquezas. Fica buscando as partes não realizadas de vocês. Vai se segurar firme e afundar vocês. Mesmo que vocês estejam subindo pra pegar ar, mesmo que estejam clamando por ar, mesmo que estejam determinados a deixar a Terra, ela vai segurá-los firme. Mesmo quando gritam para Deus, rezam para os anjos, essa gravidade psíquica vai puxá-los mais fundo – por uma única razão. Até que conheçam o amor dentro de si, até que conheçam a completude, a aceitação, a compaixão por si mesmos, ela não vai deixá-los sair. Não vai deixá-los emergir. Vai puxá-los de volta para o que vocês chamam de lições. Vai puxá-los de volta para todas as coisas não resolvidas e não finalizadas. Não importa quem vocês chamem, não importa que truques tentem usar, não importa quanta força mental e força de vontade utilizem, ela os puxará de volta. Vocês a projetaram assim. Vocês estabeleceram que o jogo seria esse e disseram: “Não vou encontrar o caminho de saída até eu me encontrar”.


Assim, vocês chegam ao ponto do Humano Desperto, uma das coisas mais difíceis, desafiadoras, belas e realizadoras que jamais vivenciaram, e o que vocês têm passado nesses muitos anos de sua vida são coisas que vocês jamais esquecerão. Nunca serão apenas uma série de fatos, números, datas e momentos. Isso pelo qual estão passando como Humanos Despertos é profundo e comovente e tem um efeito bem aqui, na sua Família Espiritual. A sabedoria que vocês extraem dessa parte de sua jornada é a mais profunda e comovente de todas as coisas que jamais fizeram em nome de suas Famílias.


Eu, como Saint Germain, derramei muitas lágrimas pelas experiências pelas quais vocês passaram e ainda passam, sabendo que não precisam ser assim tão difíceis, sabendo que não precisa ser como uma prisão, sabendo que não precisa levar a coisas como depressão, raiva, sentimento de que não resta mais nada. O que muitos de vocês, não, todos vocês têm passado, perguntando-se o que, perguntando-se quem são vocês, tentando se agarrar ao poder, tentando se agarrar ao poder de outra pessoa, tentando se agarrar a qualquer coisa pra saírem desta experiência infernal de não saber ou se lembrar de quem vocês são.


Uma coisa, queridos amigos, uma coisa irá libertá-los: o amor por si próprios.


Perguntou-se outro dia: “Como alguém se ama? Cadê o livro? Quais são as regras? Diga-me como posso me amar pra que eu possa sair daqui”. Amar a si mesmo é a coisa mais difícil que farão. É a aceitação. É a quietude. É não olhar mais pra fora de si. É escutar a pequena voz tranquila interior – a sabedoria. A sabedoria.


~ Mestres Encarnados


Próximo item. Vocês se tornam Mestres Encarnados com essa sabedoria. Sim, Mestres Encarnados. Eu olho pra isso – olho pra todos vocês – quase como se fosse o dia da formatura. Vocês não se levantaram totalmente, não se permitiram totalmente receber esse diploma de graduação, mas é o dia da formatura. Vocês acordam, estão empolgados, estão nervosos. Vocês pensam em como será esse dia da formatura – a cerimônia, a festa depois. Vocês olham pra trás, nesse dia de formatura, pra todas as suas experiências que os trouxeram até este ponto. Vocês riem de algumas, choram de outras. Vocês se perguntam se poderiam ter feito isso melhor ou mais rapidamente. Vocês se perguntam se aqueles a quem prejudicaram ainda estão magoados. Vocês enviam uma oração pra eles, uma liberação pra eles.


É onde estamos – no dia da formatura. Sem receberem o diploma ainda, sem receberem o reconhecimento ainda. E há uma surpresa esperando por vocês. Quando ouvirem seus nomes serem chamados lá na frente, a voz que vão ouvir é a de vocês mesmos, é claro. E o palco estará vazio, só esperando por vocês. Olhos estarão voltados pra vocês – os olhos de sua Família Espiritual, os olhos dos outros que compartilharam de sua jornada, com quem se encontraram em suas aulas espirituais, workshops, viagens. Estarão todos olhando pra vocês enquanto vocês se aproximam do palco.


O palco está vazio. Não tem diploma. Não tem troféu nem prêmio. Mas o palco é de vocês pra criarem o que quiserem receber pra si. São vocês que dão esse reconhecimento e esse diploma pra vocês mesmos. Ninguém mais pode fazer isso por vocês. Eu não vou estar no palco, mas estarei na primeira fileira. São vocês sendo capazes de dizer a si mesmos: “Eu Sou o que Sou”. Com uma voz que pode ser ouvida por toda a criação. “Eu Sou o que Sou”. Uma voz que vem de sua alma, uma voz que vem da realização, preenchendo aquele cristal, aquele lindo cristal, ao dizer: “Eu Sou o que Sou”.


Dia da formatura – e todos vocês pararam. A pergunta, enquanto vocês contemplam a chegada à própria completude: “Será que estou pronto? Será que faltou alguma coisa? Será que deixei pra trás uma trilha de lágrimas e corações partidos e contas não pagas?". [Algumas risadas] "Será que estou pronto?”. Vocês pensam nas energias arquetípicas que vieram antes de vocês – Yeshua, Buda, muitos outros e dizem: “Será que mereço estar na companhia deles?”. Ah, sim, eu esqueci – Adamus. [Algumas risadas] “Será que mereço estar na companhia deles? Se vou receber esse diploma de mim mesmo, será que eu não deveria estalar os dedos e criar um buquê de flores? Será que eu não deveria ser capaz de nunca mais precisar comer novamente? Será que eu não deveria poder curar milagrosa e instantaneamente as pessoas? Não é isso de que preciso pra me declarar um Mestre?”. Só se for isso que vocês acharem que precisam.


O verdadeiro Mestre sábio não se importa. Não importa. Não tem a ver com quantos milagres ele pode realizar. Não tem a ver com ser capaz de fazer mágica ou truques. Não tem nada a ver com habilidades, poderes nem nada disso. Tem a ver, simplesmente, simplesmente, com a capacidade de se aceitar. Só isso.


Agora, com isso, com esse amor verdadeiro por si mesmo, todas as coisas são possíveis. Com esse amor verdadeiro por si, nunca se tem dúvida com relação a dinheiro. Dinheiro é só um jeito rude de mostrar que vocês não estão se amando – ou melhor, a falta de dinheiro. Ou a saúde. É só um jeito doloroso de mostrar que vocês ainda têm que se amar totalmente. Uma vez que há aceitação, a verdadeira mágica começa. Mas o Mestre entende que ele não precisa mais de mágica, de poder nem de energia que venha de qualquer lugar fora dele. Tudo se torna insignificante e, então, o verdadeiro Mestre começa a rir e continua rindo até brotarem lágrimas, maravilhado em como tudo foi simples e também maravilhado em quanta experiência ele se deu.


O Mestre Encarnado é a próxima etapa. O Mestre Encarnado também entende que não está mais aqui em serviço – no velho serviço, eu diria – para os outros, porque neste período, particularmente como Humanos Despertos, vocês passaram um tempo sendo detentores de energia, samaritanos da energia, salvando o planeta, fazendo tudo em serviço dos outros. Foi uma parte importante de seu despertar o fato de estarem em serviço. Houve vezes em que vocês detiveram a energia dos antigos, as energias de Gaia, as energias de Ísis e as energias do feminino ou do masculino, das vítimas ou dos deuses e das deusas. Detentores de energia. Vocês fizeram isso existência após existência. Mas vocês não são mais detentores de energia. Não se preocupem, meus caros amigos, existem muitos, muitos outros dispostos a se levantar, a deixar a consciência básica da Humanidade e assumir a posição de detentores de energia que uma vez vocês tiveram. Não são funções que ficarão vagas só porque vocês saíram.


O verdadeiro Mestre é soberano, é pra ele mesmo, não fica mais tentando salvar o mundo nem detém a energia por coisa alguma. O verdadeiro Mestre não sai por aí tentando curar as pessoas. Por quê? Simplesmente porque sua presença é toda a cura de que alguém poderia precisar. É isso. Sem forçar. Sem tentar. As histórias de Yeshua trabalhando com os outros, curando-os, eram muito imprecisas. Tudo que Yeshua tinha que fazer era ficar diante dos outros, olhar nos olhos deles, ver o Eu Sou dentro deles, desencadear algo dentro deles. É tudo que precisa ser feito.


O Mestre, o verdadeiro Mestre na Nova Energia, caminha por ele mesmo. O verdadeiro Mestre é totalmente soberano. Não fica alimentando a necessidade de energia dos outros. Não fica com histórias. O verdadeiro Mestre aceita a Terra, os humanos a Família Espiritual e todas as coisas como elas são, reconhecendo que está tudo perfeito, reconhecendo que nada pode dar errado. Nada. Vocês não podem tomar decisões erradas, vejam bem. Não podem. Vocês só podem ter experiências.


O verdadeiro Mestre, o Mestre Encarnado, simplesmente caminha na Terra sabendo que não precisa mais estar aqui. Não tem mais nenhum termo de serviço ou obrigação com os outros. O verdadeiro Mestre caminha na Terra simplesmente para brilhar a sua luz. Simplesmente para brilhar a sua luz.


Sim, o verdadeiro Mestre – o Mestre Encarnado que em breve vocês se tornarão – ainda tem os desafios da dualidade, ainda sente a dureza desta realidade, mas sabe que não está preso, sabe que a qualquer momento ele pode simplesmente ir embora.


A coisa mais difícil para se passar de Humano Desperto para Mestre Encarnado é a pergunta, nas eternas palavras de Metatron: “Vocês estão prontos?”. Será que vocês estão prontos?


Vocês Estão Prontos?


Eu olho as energias e a consciência de vocês e sei que vocês gostariam de estar prontos, mas sei que existem coisas que ainda seguram vocês. Aqui estão vocês no dia da formatura sem terem certeza se vão realmente se levantar e receber o diploma. Vocês sonham com coisas desse tipo, nunca se formarem realmente na faculdade, mas é simbólico para a pergunta que fazem de se estão realmente prontos pra esta próxima etapa. Estarem prontos.


Estar pronto é algo como saber, saber com certeza as respostas – vocês sabem, mas fingem que não sabem. Saber que existem certas coisas na vida que precisam ser liberadas, mas que ainda não estão dispostos a liberá-las – relacionamentos, carma, aspectos. Vocês plantam essas dúvidas na sua frente, bem aqui no dia da formatura. Vocês colocam essas dúvidas bem diante de vocês, quase como para provocar a si mesmos, quase como para testar a si mesmos. E vocês sabem o que acontece quando as dúvidas aparecem. Repito, um passo pra frente, dois pra trás, até que estejam totalmente, positivamente, definitivamente certos de que estão prontos.


Mas isso levanta questões. Como os outros ficarão sem vocês – vocês, os Mestres Encarnados? Hum. E os negócios inacabados, os relacionamentos desfeitos e todo o resto? E eu digo pra vocês que vocês podem deixá-los ir só com uma respiração. Só isso. Todo o carma, toda a dúvida, todas as ligações que têm com os outros e eles têm com vocês. Vocês podem deixar ir tudo isso com uma respiração. É a maior respiração que vão dar e a melhor de todas.


Quando nos reunimos assim, com Adamus distraindo vocês. Eu amo vocês. Nós nos reunimos assim; nós sacudimos e provocamos vocês. Nós perturbamos vocês. Nós irritamos vocês, intencionalmente. Nós fazemos vocês rirem. De vez em quando, fazemos vocês chorarem. Mas tudo como uma forma de dizer: Que negócio inacabado é esse que os impede de darem essa respiração, que os impede de serem professores da Terra, Mestres Encarnados? O que os impede de andarem como Mestres Encarnados? Não é mais preciso ter experiências a fim de crescer ou expandir, mas apenas ter experiências porque vocês as escolhem. Sabendo que a qualquer momento podem ir embora, mesmo que escolham não ir.


Assim, aqui estamos nós, no dia da formatura. Dúvidas às pencas. Perguntas, muitas. Querendo que alguém pegue vocês pela mão e os puxe ou, ao menos, lhes entregue o diploma.


Sabedoria


Hoje, quero tratar de uma coisa chamada sabedoria. A sabedoria de vocês. Algo que já está aí. Vocês são sábios o suficiente. Há muito, muito tempo, sábios o suficiente – mesmo antes de sua Família Espiritual – sábios o suficiente para colocar essa sabedoria bem dentro de vocês pra que ela nunca pudesse ser arrancada, extraída, removida ou reduzida de vocês. Só poderia ser escondida de vocês por vocês mesmos. Mas a sabedoria está aí. A sabedoria com relação a qualquer questão. A sabedoria com relação a qualquer confusão. A sabedoria que dissipa instantaneamente o nevoeiro. A sabedoria do Eu Sou. Ela já está aí. A sabedoria com relação às preocupações espirituais, preocupações da vida, preocupações com dinheiro, com a saúde, tudo – já está aí. Não é mágica. Não é algo tão esotérico que vocês não possam trazer pra esta realidade. Não vem de outro lugar. Já está aí. Mas não está na sua mente. Não está aqui [na cabeça]. Está aqui [no coração] e aqui [em todo lugar] e nesse lindo globo [que está passando de mão em mão na sala].


A sabedoria. A sabedoria que vai ajudá-los a entender quais as dúvidas, quais as preocupações que vocês têm neste exato momento e por que estão permitindo que elas estejam presentes. A sabedoria que lhes mostrará como cruzar essa ponte que vai do Humano Desperto para o Mestre Encarnado. Está aí.


Vocês procuram nos outros – Tobias, Adamus, eu, qualquer um que possa captar ou prestar atenção – pra dar as respostas a vocês. Mas, ainda assim, embora outros pudessem dar as respostas aqui [mostrando no quadro], enquanto vocês são Humanos comuns ou Humanos Despertos, agora, ninguém mais pode dar essas respostas. Ninguém. Vocês têm que mergulhar na sua sabedoria.


Vocês vão me dizer que não sabem onde a sabedoria está e isso é parte do jogo. E eu vou olhar diretamente em seus olhos e dizer: “Não minta pra mim de novo”. Como se fossem vocês dizendo pra vocês mesmos. Vocês sabem, sim; vocês só fingem que não sabem. Vocês entendem, sim; vocês só fingem que não entendem. Já está aí e eu gostaria de tratar disso agora mesmo, tendo uma música de fundo. Com um merabh de sabedoria.


~ Um Merabh de Sabedoria 


Respirem fundo. Vamos reduzir as luzes um pouco.


[A música começa; Spiritual, de Charlie Hayden e Pat Metheny, do álbum “Beyond The Missouri Sky (Short Stories)”] 




Respirem fundo.


Eu começo fazendo a pergunta: Por que vocês fingem que não sabem?


Qualquer Mestre Ascenso dirá pra vocês que a sabedoria já está aí. A sabedoria com relação a qualquer questão. A sua sabedoria.


Neste doce espaço, quando entramos no terceiro mês da nova era no planeta Terra, chegando à formatura, um grupo elevado de professores angélicos que fingem ser humanos, eu peço a vocês que entrem na sua sabedoria.


Não é encontrada em nenhum lugar do seu corpo.


[Pausa]


Até agora, vocês tentaram encontrar sabedoria na sua mente. Ela nunca esteve lá.


[Pausa]


Vocês tentaram achar as respostas com os outros. Como eles poderiam saber o que só vocês podem saber por si próprios?


[Pausa]


Há muito tempo, vocês plantaram a sabedoria dentro de seus aspectos que viriam para a Terra. Vocês, enquanto alma, deram sabedoria aos aspectos humanos de si mesmos. Os humanos deixaram a sabedoria de lado, dizendo: “Vou acessá-la no momento certo”.


É a sabedoria de vocês.


A mente diz: “Onde, ah, onde ela está?” E o coração diz: “Está aqui.”


[Pausa]


Os seus aspectos correram tentando encontrá-la, entrando em cada porta, olhando nos armários, nas gavetas e despensas de suas histórias, perguntando: “Onde está escondida? Onde está essa sabedoria?”. Não vão encontrá-la. É um presente da sua alma pra vocês. Não foi um presente dado aos aspectos. Não foi dado para a mente nem para o corpo. É o seu presente pra vocês.


[Pausa]


Respirem fundo e recebam esse presente de si mesmos.


A sabedoria não pode ser compreendida, avaliada, dissecada, aprimorada ou destruída. É inata. Sempre esteve aí.


Inspirem a sua sabedoria sem pensar nela.


[Pausa]


A sabedoria é como o Grande Sol Central do Eu Sou – o seu eu.


E, embora ela tenha estado coberta pelas nuvens, pelo nevoeiro denso, no despertar, vocês respiram e sopram essas nuvens, clareiam o nevoeiro e deixam a iluminação de sua sabedoria brilhar, permitindo que seu corpo a receba, permitindo que a sua mente a receba, pois ela vai muito além da mente, permitindo que cada um de seus aspectos sinta o calor dessa sabedoria. 


[Pausa]


A sabedoria – ela acaba com a busca. A sabedoria – tão gentil e compassiva. Ela é de vocês.


[Pausa]


Se houver alguma parte de vocês que duvide disso, perguntando se vocês realmente a têm, declarem a partir do Eu Sou de vocês que a sabedoria é de vocês. Ela está aí e sempre estará.


É a sabedoria que os ajuda a entender por que vocês colocaram as dúvidas bem diante de si mesmo no dia da formatura, só pra serem sugados novamente pela gravidade psíquica espiritual. É a sabedoria que também os ajuda a entender como dissolver, instantaneamente, essas dúvidas. Sem lutar contra elas, sem negociar com elas, mas simplesmente dissolvendo-as.


[Pausa]


É a sabedoria que os lembra de que vocês não precisam de poder. Não há conflitos, não há batalhas; trata-se apenas de declarar o seu Eu Sou.


[Pausa]


Respirem a sua sabedoria.


Sintam a sabedoria preenchendo o seu abdômen... preenchendo o seu peito...


Deixem que ela irradie pra todos os seus aspectos... aqueça os lugares frios de suas memórias.


E fiquem com essa sabedoria fazendo alguns minutos de silêncio aqui, escutando a música... abraçando a sua sabedoria.


[Pausa longa]


A sabedoria é muito pura. Não tem agenda. Não tenta arrastá-los nem pra um lado nem pra outro.


É tão tranquila, que vocês se esquecem de ouvi-la. Tão gentil, que vocês nem mesmo a reconhecem. Mas ela está aí.


A sabedoria é uma bênção. Ela responde às perguntas antes de sequer serem feitas. É assim bela a sua sabedoria. Ela já sabe. Portanto, não existem realmente perguntas.


Vamos respirar fundo. Respirem fundo em sua sabedoria.


[A música vai acabando.]


Agora, vocês vão achar que a mente começa a perguntar: “Será que realmente vivenciei isso?”. Se derem permissão a si mesmos, sim. A mente vai dizer: “Isso realmente funciona?”. A resposta vem apenas de dentro de vocês; se escolherem que funcione... A mente vai querer testar isso, realizar um teste humano e são vocês que têm que dizer: “Não. Isso não precisa ser testado, porque, se fosse, acabaria sendo enterrado, perdendo-se de vista novamente”.


A mente vai dizer: “Isso é mais poderoso, mais sábio e mais forte do que eu?”. A mente, a coisa em que vocês confiavam... E só é assim, se assim permitirem. A partir de agora, são vocês que escolhem ser a sabedoria.


Vocês podem se permitir duvidarem e podem, mais uma vez, serem puxados pela gravidade psíquica. Ou podem fazer a escolha de que a sabedoria está aí. Está brilhando, está irradiando em cada parte de si mesmo, em cada aspecto que, em breve, se tornará uma faceta. Depende totalmente de vocês. Se a mente fizer seu joguinho e vocês entrarem nele, que pena pra vocês. Se a mente fizer seu joguinho e vocês entrarem no equilíbrio do Eu Sou, em seu ser, a mente vai parar com os joguinhos. É simples assim.


Podem aumentar as luzes.


Assim, eu seguro esta linda bola, que representa o receptáculo da alma, que agora está preenchido com muitas experiências. Ela foi tocada com tantos potenciais, que permaneceu inerte dentro de si mesma e vivenciou ela mesma. Esta bola passou pela sala, cada um de vocês a sentiu, colocou nela a sua energia, imaginando a alma completa, realizada, preenchida, sem ter mais aquelas necessidades das velhas experiências humanas, dizendo: “Já basta. Já basta”.


Mas o que eu sinto aqui nesta bola, tocada por cada uma de suas energias? O que eu sinto? Uma coisa interessante. É interessante. Eu a ouço dizer, com as palavras de vocês: “Será que eu tenho permissão? Será que eu tenho permissão para ser um Mestre Encarnado? Será que tenho permissão de algo, de alguém, até mesmo da minha alma? Tenho permissão? Será que tenho?”. E, agregado a isso, ouço: “Será que estou realmente pronto? Estou realmente pronto?”.


Sim, vocês dizem. Vocês são seres espirituais. Vocês estudaram a espiritualidade, mas aqui, no dia da formatura de vocês, vocês estão se perguntando: “Será que estou realmente pronto e será que tenho permissão?”. Assim, vou devolver a pergunta pra vocês, pra que vocês respondam a si mesmos, agora, que têm sabedoria. [Algumas risadas]


O Fundo Mundial Livre Iluminado


Seguindo. Falamos em nossa última reunião sobre o Banco Mundial Livre Iluminado. Vamos continuar com essa conversa. Banco Mundial Livre Iluminado [falando com Linda pra que ela escreva no quadro].


Há uma confusão no momento com essa coisa chamada St. Germain Trust (Fundo Fiduciário de Saint Germain). Vocês poderiam dizer que, em parte, é uma distração, como costumávamos causar distrações. Nós provocávamos distrações pra afastar aqueles que não eram puros de coração ou mente. Causávamos distrações.


A alquimia foi uma das maiores distrações que já inventei. Era fácil. Era a mais fácil de todas. Eu divulgava que aprendíamos a transformar pedras simples em belos diamantes. Isso distraía aqueles que não eram puros de coração, de modo que podíamos trabalhar com aqueles que eram, porque a verdadeira alquimia é, simplesmente, permitir que um estado de ser, uma estrutura ou uma experiência evolua pra outro, sem esforço e graciosamente.


A verdadeira alquimia original era, de fato, chamada de merabh. Era simplesmente a permissão pra sair de um estado e entrar em outro estado de ser, de experiência, de entendimento, de qualquer coisa. Uma vez que aprendiam a fazer um merabh de si mesmos, indo de uma determinada definição até outra – sem qualquer esforço ou pensamento, graciosamente – uma vez que aprendessem a fazer isso, sim, transformar pedra em ouro era brincadeira de criança. Mas provocávamos uma distração, divulgando, promovendo o fato de que estávamos trabalhando com enxofre e fogo e todas essas outras coisas, pra que iluminássemos o caminho para aqueles que realmente, realmente, fossem puros de coração, para aqueles que não estavam indo apenas se distrair com ouro ou diamantes.


Assim, meus caros amigos, estamos causando uma distração novamente, com toda essa coisa de Fundo de Saint Germain e está funcionando de maneira brilhante. [Algumas risadas] Como alguns de vocês podem ter visto, Sart, está funcionando de maneira brilhante. Porque aqueles que só estão buscando uma ajuda de custo, aqueles que só estão buscando o poder, aqueles que só estão permitindo que seus egos gananciosos tentem pôr as mãos num punhado de dinheiro ou numa barra de ouro, estão ficando distraídos, são enviados pra outro lado, pra que possamos fazer o trabalho real.


Agora, vocês dizem: “Bem, mas por que estamos falando sobre isso aqui? Todo mundo não sabe disso? Não é mais segredo, é?”. Meus caros amigos, eles estão tão ocupados se distraindo com a riqueza instantânea, lá, que não precisamos sequer nos preocupar com isso.


O Fundo Mundial Livre Iluminado, como foi chamado, é um conceito muito simples, que está bem relacionado com o que estamos fazendo aqui hoje com a sabedoria. E vou dizer de antemão que este fundo está disponível. É um fundo energético. Não é dinheiro, nem peso nem dólar... [Risadas quando ele puxa dinheiro do bolso de Cauldre.] No bolso. Não é como apostar em corrida de cavalo. Não é como ganhar na loteria da noite pro dia, porque é muito mais valioso. Muito mais valioso.


Esse fundo se tornou disponível na data de 22 de dezembro, nem um momento antes. E, sim, adoro distrações e criamos – fiz parte disso – criamos uma incrível distração com o fim do mundo, o calendário maia, pra desviar a atenção daqueles com intenções não muito boas pra outro lugar. Ah, eles estão tão deprimidos agora, porque nada aconteceu... [Algumas risadas] O mundo não acabou. Então, o que eles estão fazendo? Estão procurando pelo próximo fim do mundo.


Assim, agora, podemos focar esse Banco Mundial Livre. O que ele é? É um reservatório de energia que estava sendo contida. Ele estava aguardando o momento certo, vocês diriam, rendendo juros, ficando cada vez maior nesse tempo todo, só esperando. Ele estava esperando pela convergência daqueles humanos que realmente estão prontos pra se dar permissão de serem Mestres Encarnados, seres iluminados neste planeta. Esperando por este momento, porque sabia-se, o tempo todo, que eles precisariam de recursos tremendos para os seus sonhos – seus sonhos reais. Não os velhos sonhos mentais, limitados e poluídos, mas os sonhos verdadeiros.


É para aqueles de vocês que ultrapassaram 22 de dezembro. Aqui estamos nós e esse fundo está agora se tornando disponível. Mas eu darei a vocês os pormenores de antemão. [Algumas risadas] Porque... [Ele ri.] Porque isso é potente, extremamente potente. Não é para aqueles que estão em busca de poder. Para os que buscam o poder nesse fundo ou apenas riqueza para o que vocês chamariam de uso limitado da Velha Energia, ele... É garantido, já foi incluído nisso, já é parte da matriz desse fundo... Isso vai deixá-los malucos. Vai. Vai, sim.


Foi desenvolvido dessa forma, porque não queremos aqueles que vão abusar desse tipo de energia, desse vasto reservatório de prosperidade. Queremos apenas aqueles que são puros de coração. Por isso, eu perguntei a vocês, em nossa conversa hoje: Estão prontos? Estão dando permissão a si mesmos? Têm dúvidas? Porque se entrarem nesse fundo e tiverem dúvidas, se entrarem e só estiverem procurando manipular outras pessoas ou se tornar o maior ser do universo, isso vai, deliberadamente, deixá-los malucos. Projetamos isso dessa forma. Assim, nunca poderá ser danificado.


Agora, isso levanta algumas questões. Instantaneamente, vocês puderam sentir a mudança de energia aqui. “Haah! É melhor eu nem tentar. [Risadas] Vamos deixar o Garret tentar primeiro. [Muitas risadas] E depois a Aandrah. Daí, a gente vê o que acontece”.


Agora, sentiram a ansiedade que certamente surgiu? “Haaah! Eu não sei”. Esse é um exercício interessante. Na verdade, vocês sabem, sim, e essa é a parte divertida. Vocês já sabem e eu sei; do contrário, não estaria falando sobre isso. Vocês não vão danificar esse fundo. Vocês já sabem que não vão usá-lo pra prejudicar ninguém. Vocês não vão usá-lo pra se tornarem líderes do mundo. Vocês não vão usá-lo pra obter favores sexuais da pessoa ao lado. [Risadas]


Vocês já sabem que não vão manipular ninguém ou coisa alguma com isso. Então, por que a pergunta surge? Por que sinto vocês recusando o maior dos presentes que vocês já criaram pra si mesmos? Oh! Sim, vocês o criaram muuuuuito tempo atrás, quando vieram pra Terra pela primeira vez. Quando passaram pela Ordem do Arco, quando entraram nesta coisa chamada Humanidade, vocês incluíram um presente pra si mesmos.


Quando a Terra foi preenchida de energias cristalinas puras para dar a ela a força vital – e que depois se transformaram em cristais reais da Terra, as pedras que vocês seguram, que forneceram energia para os lemurianos e os atlantes – vocês incluíram essa coisa chamada Fundo Iluminado. Tinha um nome meio diferente antes, mas agora chamamos de Fundo Iluminado. E vocês disseram que, quando chegasse o momento certo na Terra, vocês seriam capazes de usufruir dele. Existem vinte e uma cavernas, grutas, bem no fundo da Terra, que mantêm um reservatório ou um saldo de cristais, de cristais valiosos – alguns dos quais vocês chamariam de joias valiosas, no momento, mas algumas nunca foram vistas por humanos neste planeta, nunca. Vinte e uma locações ao redor da Terra e um cristal básico central no núcleo da Terra. Não é lava derretida. Vamos deixar os cientistas se distraírem com isso, pra que possamos fazer nosso trabalho real. Eu adoro as distrações. Eu já disse isso? [Algumas risadas]


Assim, vinte e uma cavernas ao redor do mundo. Elas não podem ser penetradas por ninguém. Nenhum governo pode ir até lá roubá-las. Nenhum caçador de tesouros jamais vai encontrá-las – os Indiana Jones que têm por aí – é impossível pra qualquer um deles. Eles morreriam bem antes de sequer se aproximarem dessas cavernas. Vinte e uma ao redor da Terra, mais aquela no centro, vinte e duas.


Vocês não vão lá. Não existe um mapa pra mostrar a vocês o caminho até elas e não deixem ninguém tentar vender um a vocês. [Risadas] Sart! [Muitas risadas]


SART: Ei! Não tem graça!! [Mais risadas]


SAINT GERMAIN: Ele já estava planejando seu novo empreendimento enquanto eu falava – “Trabalho Sujo e Mapas do Tesouro de Sart”. [Risadas, inclusive de Saint Germain.] Uma nova camiseta.


Vocês não vão lá; vem até vocês. [Alguém diz: “Que bom!”] Que bom! Sim, é bem mais fácil assim. Bem mais fácil. Virá até vocês, quando vocês estiverem prontos. Virá até vocês, quando vocês tiverem certeza de seus sonhos e o sonho precisa ser pra vocês apenas. Só pra vocês.


O sonho pode, no final das contas, envolver outras pessoas, mas não pode ser um que exija isso de antemão. O sonho não tem a ver com salvar a Terra. Apagarei esses instantaneamente. Vocês não vão sequer ter direito ao fundo. É o seu sonho. Por isso, falamos de sonhos recentemente. Não é um sonho pra salvar todas as crianças, curar todo mundo ou qualquer coisa desse tipo. Nem um sonho pro seu cônjuge ou pros seus filhos. Nem mesmo um sonho, aproveitando o momento, pro Círculo Carmesim, pros Shaumbra. É o seu sonho, pra vocês.


Uma das partes mais difíceis deste exercício é escolher qual é o seu sonho. O sonho não é pra acabar com governos ruins ou desequilíbrios de qualquer espécie. O sonho não é pra trazer de volta unicórnios nem coisas assim. [Algumas risadas] Já ouvi esse; fisicamente, já ouvi. Podem acreditar.


Seu sonho, pra vocês mesmos. É uma responsabilidade muito, muito grande, pode-se dizer, uma questão muito grande. É por isso que fizemos esta experiência da sua sabedoria. Você já sabe, Pete. Vocês já sabem. Vocês fingem que não sabem. Joanne, você já sabe. O sonho já está aí. Vocês suprimem o sonho. Vocês fingem que ele não está aí. Vocês o cobrem com um monte de outras coisas. Mas o seu sonho, Linda Hanson, o seu sonho é pra você. Isso é que é difícil, porque, quando vocês sonham os seus sonhos, vocês dizem: “Qual é o meu sonho? Qual é o meu sonho?”. Vocês não têm certeza de qual é.


Vocês se perguntam, então: “Talvez seja algo grande demais? É demais?”. Talvez por causa do seu condicionamento como detentores de energia – sempre servindo aos outros – o sonho precise ser para os outros primeiro e depois pra vocês. De jeito nenhum. Este fundo é apenas para o seu sonho, Lawrence. O seu sonho. E só. É a primeira exigência – pra terminar – o seu sonho.


Este fundo é cristalino, brilhante, extenso. Ele contém mais energia do que vocês jamais conseguirão, possivelmente, consumir. É ilimitado. É literalmente apoiado pelos cristais na Terra. Vocês poderiam dizer que eles têm um valor monetário, mas nunca vão virar dinheiro, jamais. Estamos utilizando esses cristais para equilibrar e fazer fluir a energia.


Estamos pegando algo que está na Terra, que é agora da Terra, e usando pra fazer as energias fluírem, incluindo o que vocês chamam de Nova Energia. Pode-se dizer que este é o portal primordial, agora, para a Nova Energia, energia que vocês ajudaram a imaginar e criar que vem de outras esferas, através desses vinte e um portais, cavernas.


Está disponível pra vocês bem agora. Então, o que vai ser, Dave? O que vai ser? O sonho é um novo equipamento de filmagem? Por que não? Por que não?


O sonho é algo intangível, como a integração de todos os seus aspectos? Por que não?


O sonho é viajar por este planeta Terra e ver todos os seus países incríveis e todas as suas maravilhas naturais antes de concluírem esta última existência no planeta? Por que não?


O sonho é criar uma abundância financeira pra si mesmo, de modo que nunca mais tenha que se preocupar com dinheiro novamente? Por que não? Por que não?


Podem ser múltiplos sonhos? É com vocês mesmo. Não está limitado só a um sonho, mas é preciso que seja para vocês.


Agora, se seu sonho, sua felicidade, for verdadeiramente montar uma escola pra ensinarem – porque vocês são professores de coração – pra realmente ensinarem a consciência... Se essa é a sua paixão e isso for feito por vocês, não por ninguém mais, então, está qualificado. Mas, no momento em que disserem: “Preciso fazer isso pra ajudar outros”, esquecendo-se de si mesmos, não funcionará. Não dará certo. Vocês nunca encontrarão esse fundo ou ele nunca encontrará vocês.


Mas, se esse sonho for a sua paixão como professor, que são os maiores de todos os seres em toda a criação, que são mais exaltados do que os políticos – bem, qualquer um é; ou do que os advogados, a mesma coisa; os banqueiros, qualquer um desses, cientistas, pesquisadores, qualquer um... Os professores são os mais elevados de todos. Se a sua paixão é ensinar neste planeta, ensinar como alguém encontra a sua soberania, porque é a sua paixão, então, vai funcionar. Mas, se fizerem isso porque ainda estão aqui como detentores de energia, nos estágios iniciais de Humanos Despertos, e ainda precisam ficar mantendo a energia, não funcionará. Precisa ser algo pra vocês. Tem que ser.


Agora, isso é óbvio que vai levar a um monte de perguntas, a um monte de conversas e a um monte de... makyo. [Risadas] Vocês disseram isso. Vai ter tanto makyo, que os camelos do Egito vão cheirar como um doce perfume. [Mais risadas] Vai ter gente alegando já saber a resposta e querendo ajudá-los a encontrá-la e ninguém pode fazer isso. Vai ter gente alegando que, ou esse fundo não existe ou é outro Fundo de Saint Germain. Mas Eu Sou o que Sou, Saint Germain e Adamus e as palavras que não podem ser ditas – hummm – e estou aqui pra dizer que o fundo existe – o fundo – e está disponível agora.


Quando vocês aprenderem a sonhar o seu sonho, o sonho real, e trazê-lo pra esta realidade, pra vocês, o seu sonho produzido... Podem imaginar por um instante? O seu sonho real, enfim? O sonho real apoiado por energia real, apoiado por cristais reais nesta Terra real, enfim? É um pouco assustador, de fato. Enfim? Quando vocês aprenderem a produzir essa energia que tem estado à espera de vocês, então – mas só então – vocês podem começar a combiná-la com outros que sejam Shaumbra.


O sonho pode ser um Centro. O sonho pode ser algum tipo de aplicação em conjunto em que vocês reúnam seus recursos soberanos. Recursos soberanos. Não de grupo, mas em que você, enquanto ser soberano, David, se junte com você, Michelle, enquanto ser soberano, e digam: “Vamos criar isso juntos. De ser soberano pra ser soberano, vamos criar isso juntos.” Assim também está qualificado pra esse fundo.


Ele é real, se assim quiserem que seja. Ele é e sempre esteve aí pra apoiar os seus sonhos. Por favor, não sonhem pro planeta, pros seus filhos, pras suas Famílias Espirituais, pros seus aspectos. Apenas pra vocês. É o fundo mais fácil ao qual terão acesso e talvez o mais difícil. Não tem juros. Vocês não têm que devolver. Não vão telefonar pra vocês dizendo: “Você atrasou seus pagamentos ou seus cristais este mês”. [Algumas risadas] Ele se torna seu. A realidade é que, uma vez que vocês o concretizam, enquanto Mestres, a radiância que vocês têm, literalmente, o expande para as futuras gerações daqueles que estiverem prontos pra aceitar sua soberania.


O sonho, agora, sobre estar apoiado pela energia, pela Velha Energia e pela Nova Energia. O sonho, trazido à vida. É monumental. É inacreditável. É gracioso. É com essa tranquilidade e graça que será incrível.


Mas, vocês vão duvidar dele. Vão questionar. Vão ficar se perguntando se são merecedores. Vão ficar se perguntando se têm permissão. Vão ficar se perguntando qual é o truque. Não tem nenhum. Esse é o truque. Não existem truques. São vocês, prontos pra aceitar. Só isso. Simples assim. Um sonho, um ser soberano e a energia pra apoiar esse sonho.


Merabh da Alquimia


Vamos respirar fundo e entrar agora em nosso próximo merabh alquímico. Alquímico. Merabh da Alquimia.


Vamos respirar fundo, com uma música leve de fundo, se possível. Obrigado.


[A música começa; Lemurian Home Coming, de Anders Holte, do álbum “Lemurian Home Coming”.] 



Quais são seus sonhos, meus queridos amigos? Vocês têm um sonho de vocês? Reduzam as luzes, por favor. Vocês têm um sonho de vocês? 


[Pausa]


O humano sempre tem muitos, ah, desejos e necessidades, mas que não são sonhos, de forma alguma. O humano sempre tem muitas perguntas que exigem respostas, mas não são sonhos.


A alma? Ela sonha em se preencher, mas ela sabe que já está preenchida, então não se preocupa com isso. Não existem noites sem descanso para a alma, só para o humano. A alma ama a experiência de se preencher, de se realizar. Só o humano que questiona tudo.


O sonho. Quanto tempo, quantas existências esse sonho já está dentro de vocês, de você, David, sendo incubado, em gestação? A mente diz: “Não tenho certeza se sei qual é o sonho”. Mas, seu coração já sabe. É por isso que fizemos nosso exercício anterior ou experiência da sabedoria.


O sonho. A mente diz: “O quanto preciso ser específico? Quais são os detalhes? Quanto tempo vai levar?”. Mas a sabedoria já está aí. Os detalhes são insignificantes, porque os sonhos reais não têm tempo nem medida.


Os sonhos, os sonhos reais, já estão aí.


Quando vocês começaram esta longa jornada deixando suas Famílias Espirituais, passando pela Ordem do Arco e vindo pra este grande planeta Terra, quando começaram seu Despertar, prontos pra entrar na sua Mestria estando encarnados, o sonho já estava aí e vocês sabem o que ele é. Agora, prestem atenção a ele. Sintam o sonho.


Um sonho verdadeiro não pode realmente ser pensado. Vocês não podem defini-lo com a atividade mental. Vocês descobrirão que o sonho verdadeiro é um sentimento. É a sabedoria.


Qual é o sonho?


O sonho, quando vocês vieram para este planeta. O que é o sonho pra vocês, pra você, Mary? Qual é o sonho?


As energias estão prontas, estão aqui pra apoiar esse sonho, energias que vocês colocaram aqui.


A mente se precipita, dizendo: “É melhor eu encontrar meu sonho logo antes que seja tarde demais”. E ainda pergunta: “Será que esse é o sonho certo? Será que esse é o sonho de outra pessoa? Será que é real?”.


Respirem fundo. Voltem pra sua sabedoria.


[Pausa]


O sonho não é apenas desse aspecto que se chama de humano ou dos aspectos ou da compilação de todas as suas existências, porque o sonho é também da alma.


A Alma, a Humanidade, o Mestre Encarnado, todos sonhando juntos, sonhando agora em uníssono, em harmonia, em equilíbrio. O sonho da Alma, dançando com o sonho do Humano, dançando com o sonho do Mestre.


Respirem fundo.


[Pausa longa]


O sonho é pra ser sentido, não pensado.


[Pausa]


O sonho é como o nome da sua alma. Não pode ser falado, não porque seja sagrado, mas porque não precisa ser definido.


Mas o sonho pode ser conhecido para vocês.


[Pausa]


Quando vocês permitem a sua sabedoria e a essência do seu sonho se unirem, isso atrai as energias, as cavernas cristalinas que mantêm o fundo mundial livre, iluminado e soberano.


É a sabedoria, o sonho do humano e da alma se realizando juntos, o que abre, destranca e permite que essas energias das vinte e uma cavernas ao redor do mundo apareçam agora.


Essas energias são atraídas por vocês, pelo amor por si próprios.


[Pausa]


Quando vocês se dão permissão, isso traz essas energias. Vocês se perguntarão indefinidamente se estão prontos, se podem lidar com isso, se talvez devessem esperar. E só vocês podem responder a tudo isso.


Vocês vão se perguntar se merecem. Vocês vão se perguntar que força precisa ser exercida, que mantra precisa ser entoado, que cerimônias precisam ser realizadas. Não é preciso nada disso. A menos que vocês se vejam assim.


Esse fundo é livre. Está disponível agora. Não é um projeto futuro. Ele mudará a sua vida, porque vocês ficaram sem sonhar por um longo tempo. Vocês estavam pensando, mas, verdadeiramente, não estavam sonhando.


E, quando a alma e todas as suas facetas sonharem novamente, as energias surgirão em serviço divino. A vida como vocês a conhecem mudará, mas a vida como vocês a conhecem é uma vida sem sonhos.


E, agora, o sonho pode começar, as energias se irradiam... 


Pra, agora, começar a preencher esse sonho, como as experiências de seu aspecto preencheram a sua alma.


Respirem fundo e recebam...


[Pausa longa]


Sim, vocês sabem, sim. É, vocês sabem, sim.


[Pausa longa]


Vinte e uma cavernas ao redor do mundo se abrindo bem agora, iluminando, irradiando, vindo encontrar seus sonhos.


Muitas cores...


Cheias de bênçãos...


No momento do Agora.


[Pausa]


O Fundo Iluminado apoiado por cristais de verdade.


Respirem bem fundo e recebam. Recebam os seus sonhos; recebam o que vem livremente pra vocês.


Respirem bem fundo.


[Pausa]


Mais tarde, hoje, depois do Shoud, quero que vocês observem toda a atividade mental que tiveram e não tentem afastá-la ou bloqueá-la. Ela é natural. Vocês terão muita atividade mental neste momento, porque qualquer duvidazinha, qualquer parte de si mesmo que não se ame vai surgir de vez em quando dessa forma. Não é pra lutar com essas dúvidas ou com essas perguntas que surgirem. Alguns de vocês continuaram dizendo pra si mesmos: “Não estou sentindo nada. Não estou sentindo nada”. E, assim, não sentirão nada. 


Vocês estão sentindo. Vocês todos estão.


As dúvidas estão aí e é uma coisa natural porque, quando a luz brilha nesses espaços não realizados, os lugares dentro de vocês que não estão preenchidos ainda com amor, eles virão à tona. Não briguem com eles, não argumentem nem questionem. Apenas amem-se. Não amem eles. Não amem esses aspectos ou esses buracos. Amem a si mesmos. Amem vocês. Não tentem banhar todos esses aspectos incômodos com um punhado de amor doce. Amem vocês. É simples assim.


Vamos respirar fundo.


Vou pedir à minha cara Aandrah que passe cinco minutos – não menos de cinco minutos; John vai marcar o tempo – não menos de cinco minutos com uma respiração profunda pra integrar as energias deste dia.


Espero que vocês sempre se lembrem desta linda ocasião que tivemos juntos com esta energia cristal da alma – a alma, a estrutura, esperando ser preenchida com as experiências. E agora que ela já está quase completa, agora que está pronta pra receber isto [apontando, no quadro, as palavras “Banco Mundial Livre Iluminado”], disponível a cada um e todos vocês.


Continuaremos nossa conversa no mês que vem, mas, nesse ínterim, esperem muitas experiências este mês. [Risadas]


Tudo está bem em toda a criação. [Aplausos da plateia]


Respiração com Aandrah


AANDRAH: Assim, eu convido vocês a ficarem bem confortáveis na cadeira, confortáveis em seu corpo. Com os pés no chão e prontos. Estejam prontos. Prontos pra receber, verdadeiramente, verdadeiramente, receber como nunca antes.


Permitam, porque vocês estão se apaixonando por vocês mesmos, penetrando bem fundo, bem fundo nesse grande lago de amor compassivo no âmago de vocês. Mergulhem. Permitam que os ombros se soltem e relaxem, que seu peito se solte e relaxe, pra permitir o fluxo, bem no âmago, de todo esse amor. Ele está no âmago de vocês, irradiando e enchendo-os com muito amor.


Vocês vão permitir que ele flua, numa respiração de cada vez, numa respiração de cada vez?


É como descer uma linda escadaria, numa respiração de cada vez, numa respiração de cada vez. A respiração é como um degrau que vai levando cada vez mais ao fundo. Numa respiração de cada vez, com alegria, conhecendo essa vibração compassiva milagrosa de vocês. Indo cada vez mais fundo e mais fundo...


A plenitude está esperando por vocês. Respirem uma respiração de cada vez, uma respiração de cada vez, entrando nesse júbilo de amor.


Lembrem-se de que o amor compassivo não é como o amor humano. Ele é a perfeição que só vê a sua perfeição. Entrem mais fundo, mais fundo. Inspirando e expirando. Inspirando e expirando.


Vão cada vez mais fundo e mais fundo, permitindo, permitindo o fluxo, permitindo o fluxo. Em cada respiração, fluindo mais e mais fundo, nesse lago de amor compassivo, puro, que brilha de forma magnífica e está esperando por vocês, esperando que vocês voltem pra casa. Voltem pra casa.


Cada vez mais fundo e mais fundo, vocês podem sentir enquanto fluem, fluem. Uma respiração profunda de cada vez. Uma respiração profunda de cada vez. Cada respiração permite o fluxo.


Sim. Um júbilo de amor. Uma respiração de cada vez, uma respiração de cada vez. Um júbilo de respiração. Uma respiração envolvente e amorosa. Sim. Sim. Sim.


Obrigada.


* NOTA << Houve um tempo, não tão distante – e muitos de vocês se lembrarão das existências, incluindo talvez esta –, em que o nome de Yahweh não podia ser proferido em voz alta, tinha que ser encoberto, precisavam ser usadas as iniciais YHWH. Não se podia nem mesmo dizer a palavra Deus, não porque Deus ficasse zangado e atirasse raios, não porque fosse considerado um mistério. Mas houve um tempo, não tão distante, que o eu humano não conseguia nem mesmo reconhecer e dizer a palavra “Deus”. Tiveram que pensar em todas essas outras palavras. Não se podia dizer a palavra “Espírito”. Não se podia dizer “Ser Eterno

E, agora, aqui está um grupo de humanos que não precisa se esconder por trás de quatro letras que representam uma capa ou um disfarce, que não precisa usar a palavra Yahweh. Agora estamos no ponto em que vocês podem dizer: “Eu sou Deus também. Eu sou Deus de Verdade. Eu Sou o que Eu Sou.” >>. 




Tradução de Inês Fernandes – mariainesfernandes@globo.com

Os materiais do Círculo Carmesim com Tobias, Adamus Saint-Germain e Kuthumi lal Singh têm sido oferecidos gratuitamente desde agosto de 1999.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Essas reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público e todos são bem-vindos.

Se você estiver lendo isto e sentir um sentido da verdade e conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia para os humanos e os anjos também. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você neste momento e por todos os tempos que virão. Você nunca está sozinho, pois existe a família que está por todo o mundo e os anjos que estão ao seu redor.

Você pode distribuir livremente este texto em uma base não-comercial, sem nenhum custo. Por favor, inclua as informações na sua totalidade, incluindo as notas de rodapé. Todos os outros usos devem ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Ver contatos página no site: www.crimsoncircle.com

© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403