Caminhando: A Vida Sem Poder 10

OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM

“Série Caminhando: A Vida sem Poder”

SHOUD 10: "Caminhando: A Vida sem Poder 10”
 Apresentando ADAMUS
Canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim (excepcionalmente em Munique, Alemanha)
4 de junho de 2016


NOTA IMPORTANTE: 
Esta informação provavelmente não é para você,
a não ser que você tome total responsabilidade 
pela sua vida e suas criações.


Música tocada ao vivo por Yoham no início do Shoud


Eu Sou o que Sou, o Amado Saint Germain na atuação consciente de Adamus.

Bem-vindos, queridos Shaumbra. Bem-vindos. [Aplausos da plateia] Obrigado.

Vamos respirar bem fundo juntos, enquanto começamos este Shoud que é um marco. Um marco. Será épico. Será incomum. Será algo que vocês lembrarão como um marco por um bom tempo.


Eu Vejo Vocês

Ahhhh! Eu ando por aí. Adoro fazer essa caminhada e ver seus lindos olhos. Sim. Olhar pra cada um e todos vocês. Eu olho pra vocês, [dá um suspiro], e às vezes isso me faz rir, às vezes, me faz chorar. [Risadas] Porque vocês não percebem quem vocês realmente são. É este jogo, é a gravidade, talvez, que os impede de realmente perceber. Mas eu posso olhar no olho e ver quem vocês são. Muito, muito especial, realmente, por várias razões, o assunto que trataremos hoje.

Eu vejo o ser que esteve nas Escolas de Mistério comigo, muito tempo atrás. Vejo o ser a quem perguntei, a quem eu disse: “Você está pronto. Você está pronto pra sua iluminação.” Há muito tempo, eu disse isso pra vocês e vocês disseram: “Não ainda. Não ainda.” Não que vocês não estivessem prontos, mas vocês queriam voltar nesta época muito especial, muito especial. Vocês disseram: “Quero esperar. Estou deixando a Escola de Mistério.” Vocês disseram: “Mas quero esperar pela iluminação até que seja o momento certo no planeta.” E aqui estão vocês agora. [Ele olha pra câmera.] Adoro fazer isso com o pessoal que está acompanhando pela Internet. Ah!

Mas aqui estão vocês agora, pode-se quase dizer, escolhidos a dedo. Muitos eu expulsei das Escolas de Mistério. Ah, foram muitos. Eles realmente não estavam prontos. Estavam numa viagem de poder ou numa viagem de ego. Não estavam nem física nem emocionalmente prontos ainda. Mas todos vocês, todos vocês aqui estão prontos. E, então, eu disse: “Vamos voltar juntos daqui uns 100 anos”. [Algumas risadas] Não é muito tempo; só parece ser. Eu disse: “Vamos voltar juntos daqui uns 100 anos neste momento épico do planeta.” Vou explicar depois o que quero dizer com isso.

“Vamos nos reunir e, primeiro, vamos passar um tempo com meu caro amigo conhecido como Tobias. Vou deixar vocês passarem um tempo com ele, que vai ajudar a curarem algumas feridas, ajudar a fazê-los se amarem novamente, tratar alguns danos causados por estarem na forma humana.”

Iluminados e brilhantes como são, voltar pra Terra, especialmente nesta existência, tem sido muito desafiador, tem levantado questões. Alguns vieram tão rapidamente nas velhas famílias, nos velhos carmas; outros voltaram pros velhos relacionamentos, que viraram casamentos ou parcerias e trouxeram muitas feridas. Então, eu disse: “Passem um tempo com meu querido amigo Tobias.” E muitos fizeram isso, se lembraram de quem eram com Tobias.

Ele fez um trabalho magnífico. Alguns de vocês ainda se lembram dele muito afetuosamente, dos momentos de ternura. Outros vieram depois de Tobias, mas vocês passaram um tempo com Tobias e, então, quando ele estava pronto pra encarnar novamente na Terra, eu cheguei.

Vim para ficar aqui com um grupo muito pequeno e seleto de humanos – vocês – que se autodenominam Shaumbra, que vêm de todos os estilos de vida, de todas as diferentes profissões possíveis, de países de todo o mundo. Não há outro vínculo real em comum além de sua realização nesta existência.

Então, eu voltei pra trabalhar com cada um e todos vocês, e eu vejo quem vocês são, quem vocês realmente são. Eu sei quem vocês são. Eu só quero que vocês vejam isso agora. Quero que vocês vejam esse mesmo verdadeiro anjo, esse humano iluminado, aquele que não fica mais preso na mente, aquele que não fica mais preso em suas questões emocionais. E onde, diabos, está o meu café?! [Risadas] Eu trabalho pelo café. Não sou pago, nem nada, só café. Um simples café. Onde está Sandra quando preciso dela? [Mais risadas] Onde está Edith quando preciso de alguém pra atormentar? [Mais risadas]

Mas, sendo um Mestre, respiro bem fundo e percebo que virá até mim. Estará aqui. É. Vocês podem ter tido dificuldade pra arranjar café no intervalo, mas ele virá até aqui. [Mais risadas]

Assim, eu percebo quem vocês são. Eu sei por que vocês estão aqui. Eu sei, generalizando também, quando vocês vão fazer esse incrível avanço pelo qual esperam. Vocês sabem o que ele representa, mas não sabem como chegar lá. Vocês podem senti-lo como uma parte iminente e clara de sua vida, mas não sabem quando vai acontecer.

Vocês acordam de manhã e se perguntam: “Será que é hoje? Será que vai acontecer?” Vocês passam o dia se perguntando: “O que estou fazendo de errado? O que tenho que fazer agora? Quando virá essa realização?” E é frustrante, muito, muito frustrante.

Mas duas coisas aqui. Primeiro, pode-se dizer, no seu nível divino, vocês, de fato, ainda estão esperando. Vocês não estão fazendo nada de errado. Mas tem algo dentro de vocês que fica dizendo: “Ainda não. Ainda não.”

Eu sei que muitos de vocês discutem comigo sobre isso. Vocês ficam zangados comigo. “Dane-se! Dane-se, Adamus! Eu quero agora! Estou pedindo que seja agora. Onde, diabos, está?!” Vocês estão esperando. Esperando. Vocês aprenderam muito. Vocês ainda estão limpando velhas questões, o que é bom, mas vocês estão esperando pelo momento certo.

Eu sei quem vocês são. Eu trabalhei com vocês antes. Eu vejo quem vocês são. Vocês não são simples humanos se esforçando pra dar sentido à vida, tentando ter essa coisa chamada iluminação espiritual, que vocês não têm certeza do que seja ou de quando acontecerá. Vocês só estão esperando.

Então, vou guardar esse assunto um instante e vamos voltar a ele mais tarde. Mas eu olho e, às vezes, tenho que rir, às vezes, tenho que chorar. Eu rio porque sei que vocês vão perceber como tudo foi simples, como vocês meio que decidiram, de um jeito estranho, esperar, e vocês vão perceber que, de fato, não foi uma luta tão grande. De fato, foi muito simples. E eu choro, às vezes, por causa do que vocês se obrigam a passar física e emocionalmente, e sem necessidade. Sem necessidade.

Vocês dirão: “Mas, Adamus, eu não tenho controle sobre o que acontece com meu corpo. Adamus, minha mente, ela está enlouquecendo. Não tenho controle sobre isso.” Mas vamos apenas respirar fundo e ir além disso. É, por favor. [Algumas risadas quando o café é entregue pra ele.] Vem até mim. Não sou eu que vou até ele.

MULHER SHAUMBRA 1: Está quente.

ADAMUS: Está quente.

MULHER SHAUMBRA 1: Tome cuidado. Está quente.

ADAMUS: Quente! Quente não me incomoda. Eu sei o que é quente! Então, obrigado. [Adamus dá um gole no café.] Muito bom... Sandra. [Algumas risadas] Ohh! Ohh! Oh! Acabei de receber aquela olhada dela pela Internet. [Mais risadas]

Tudo bem. Então, onde estávamos? Ah, eu sei onde estávamos. Eu vejo quem vocês são. Eu quero rir. Eu quero chorar, às vezes. E, se não houver mais nada pra dizer, vou pedir apenas que relaxem a caminho de sua iluminação. Simplesmente, relaxem. Não tornem isso uma batalha. Não se esforcem pra isso. Não é pensando que vocês vão encontrar um caminho pra chegar lá e vocês não vão forçar esse caminho. Então, simplesmente, relaxem. É por isso que estamos aqui.


Pergunta do Dia

Seguindo. Linda com o microfone. Sim, sim. É a sua vez. É a sua vez.

Linda com o microfone. Linda vai levar o microfone para a plateia e entregá-lo a um voluntário. Ela pode ver a mão de vocês levantada mesmo quando não está, de fato. Ela vai entregar a um voluntário. E a pergunta com que vamos começar este Shoud é: Como vocês estão diferentes hoje do que estavam há quatro anos? Como estão diferentes agora do que estavam quatro anos atrás? Sim, minha cara?

MULHER SHAUMBRA 2: Oh, Adamus! Eu Sou, Aqui!

ADAMUS: Oh, Adamus. Sim. [Eles riem.]

MULHER SHAUMBRA 2: Está tudo diferente.

ADAMUS: Está tudo diferente. Cite três coisas que estão diferentes.

MULHER SHAUMBRA 2: Eu estou muito consciente.

ADAMUS: Você está muito cons... Ótimo.

MULHER SHAUMBRA 2: Eu Sou, Aqui.

ADAMUS: Ha-hamm. Ham-hamm.

MULHER SHAUMBRA 2: E eu amo.

ADAMUS: Você...

MULHER SHAUMBRA 2: Eu amo.

ADAMUS: Ama o quê?

MULHER SHAUMBRA 2: Tudo isso. [Ela ri.]

ADAMUS: Tudo?

MULHER SHAUMBRA 2: Não tudo, mas eu amo a vida.

ADAMUS: Sei, sei.

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Ama a vida. Tudo bem.

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Sem grandes desafios na sua vida, no momento?

MULHER SHAUMBRA 2: Sim. Existem grandes desafios, mas está bom. Está tudo bem.

ADAMUS: Você gosta de grandes desafios.

MULHER SHAUMBRA 2: Não! Mas... Sim. [Adamus ri.] Não. De certa forma, eu adoro os desafios, porque... Eu gosto de conseguir lidar com eles.

ADAMUS: Sei. Você está se sentindo melhor com relação a si mesma na vida agora do que estava há quatro anos?

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Você tem mais clareza agora do que há quatro anos?

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Ótimo. Está mais feliz agora?

MULHER SHAUMBRA 2: [hesitando ligeiramente] Sim.

ADAMUS: Está mais abundan... Eh... “Sim, mais ou menos. O que é felicidade?” Você está mais abundante agora?

MULHER SHAUMBRA 2: Sim. Sim.

ADAMUS: Ótimo. Ótimo. E está mais saudável, fisicamente?

MULHER SHAUMBRA 2: Ehh, não muito.

ADAMUS: Não muito. Por quê?

MULHER SHAUMBRA 2: Porque tenho alguns probleminhas no corpo.

ADAMUS: Sei, sei. É, tá. Mas tenho que dizer que pra onde estamos indo, é importante estar saudável.

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: É importante levar o corpo junto.

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Será que você consegue se dar permissão pra ter o corpo equilibrado novamente?

MULHER SHAUMBRA 2: Sim.

ADAMUS: Já fez o Ancestral Freedom (Liberdade Ancestral)?

MULHER SHAUMBRA 2: Não ainda. [Algumas risadas]

ADAMUS: Me dê esse microfone! [Mais risadas] Dê... Tenho ou não tenho razão? [Algumas risadas] Você vai entender depois. Por favor, faça. Linda vai lhe dar de presente. Ela vai enviar pra você o link, de graça. É por minha conta. Sim. Sim. Nunca é demais enfatizar. Vou falar sobre isso daqui a pouco.

Próximo. Próximo. Como você está diferente agora de quatro anos atrás?

LINDA: Hummm.

ADAMUS: Oh, não dá pra se esconder. [Algumas risadas] Olá, minha cara. Bom vê-la novamente.

MULHER SHAUMBRA 3: Estou muito feliz de estar aqui. Eu estava ansiosa pra vir, mas não esperava ter que me levantar e falar.

ADAMUS: Por quê?

MULHER SHAUMBRA 3: Eu só não esperava. [Ela ri.]

ADAMUS: Bem, o que você esperava, ficar sentada na cadeira quietinha durante um Shoud?

MULHER SHAUMBRA 3: Sim! [Eles riem.]

ADAMUS: Tá bom.

MULHER SHAUMBRA 3: Eu esperava. Eu esperava.

ADAMUS: Já repararam que sempre que esperam ficar sumidos, sem ninguém reparar em vocês, é quando recebem o microfone? Há uma dinâmica muito interessante aí. Vou explicar mais tarde no Shoud. Como a sua vida está diferente de quatro anos atrás?

MULHER SHAUMBRA 3: Quando olho pra minha criatividade, ela está muito diferente.

ADAMUS: Ótimo.

MULHER SHAUMBRA 3: Muito diferente.

ADAMUS: Ótimo.

MULHER SHAUMBRA 3: Quando examino meu trabalho, a relação com os pacientes está ficando mais familiar, muito profunda. E, quando considero meus seminários, a energia anda perfeita.

ADAMUS: Ótimo.

MULHER SHAUMBRA 3: Realmente perfeita.

ADAMUS: Como está a sua saúde?

MULHER SHAUMBRA 3: Minha saúde está... Eu fiz o Ancestral Freedom (Liberdade Ancestral). [Risadas]

ADAMUS: Bem, não vou deixar você de garota propaganda! Como está a sua saúde?

MULHER SHAUMBRA 3: Não muito bem.

ADAMUS: Por quê?

MULHER SHAUMBRA 3: Não muito bem. [Ela suspira.] Eu não sei. Digo, eu andava melhor antes.

ADAMUS: Sei.

MULHER SHAUMBRA 3: Eu estava melhor antes.

ADAMUS: Com mais energia.

MULHER SHAUMBRA 3: Sim.

ADAMUS: Sei. Menos dor?

MULHER SHAUMBRA 3: Sim.

ADAMUS: Certo. Por que isso? [Ela dá de ombros.] Hum. Não diga isso. Não diga: “Eu não sei.” Invente qualquer coisa, minta pra mim, alguma coisa. Só não diga: “Eu não sei.” Tá.

MULHER SHAUMBRA 3: Eu quase disse que não sei, mas não disse.

ADAMUS: É. [Mais risadas]

MULHER SHAUMBRA 3: Bem, eu tenho a sensação... Eu fui ao Threshold (Limiar), e desde aquele momento tenho sentido... Digo, sim, talvez seja normal... tudo está vindo. Toda a velha coisa do corpo... é só com o corpo, porque o resto está perfeito.

ADAMUS: Sei. Ótimo. Só com o corpo. Interessante.

MULHER SHAUMBRA 3: É.

ADAMUS: Tudo bem. Ótimo. Obrigado, e agradeço também por querer falar hoje. [Algumas risadas]

Próximo. Como você está diferente hoje do que há quatro anos? Oh, cara.

Meus cumprimentos, Mestre.

HOMEM SHAUMBRA 1: Olá.

ADAMUS: É.

HOMEM SHAUMBRA 1: Oh, você se refere a eu estar diferente ou a vida em geral?

ADAMUS: Como está hoje... Como você está hoje diferente de quatro anos atrás? O que mudou em sua vida?

HOMEM SHAUMBRA 1: Ah, tipo tudo. Mudei do país em que vivia. Mudei de emprego. Mudei... Sou muito mais abundante, muito mais criativo.

ADAMUS: Ótimo.

HOMEM SHAUMBRA 1: Eu faço o que adoro fazer.

ADAMUS: Ótimo. Tem mais clareza?

HOMEM SHAUMBRA 1: Sim, sim. Muito mais clareza.

ADAMUS: Certo. Você gostaria de voltar pra quatro anos atrás?

HOMEM SHAUMBRA 1: Não.

ADAMUS: Não. Não. Tudo bem. Ótimo. Obrigado.

HOMEM SHAUMBRA 1: Só isso?

ADAMUS: É, só isso. Não foi muito doloroso. É, só seria se você me desse a resposta errada. [Algumas risadas] Ótimo.

LINDA: Mais?

ADAMUS: Ah, claro, claro. Sim? Como você está hoje em comparação a quatro anos atrás?

GUDRUN [mulher]: Eu estive pensando nisso. É difícil me lembrar, mas o que posso dizer é que eu me sinto bem menos como vítima.

ADAMUS: Ah, ótimo, ótimo. Menos como vítima.

GUDRUN: Sim, isso era muito forte.

ADAMUS: Sei.

GUDRUN: E eu me sinto bem mais calma interiormente.

ADAMUS: Sei.

GUDRUN: E muito, muito, muito mais abundante. Isso não é mais um problema.

ADAMUS: Ótimo.

GUDRUN: E isso é realmente uma coisa básica para muitas outras coisas. E...

ADAMUS: Como está a sua energia?

GUDRUN: Minha saúde é algo que está começando a me incomodar um pouco. Meu coração e algumas outras coisinhas, que eu acho que talvez estejam ligadas à mudança como um todo, à transformação em geral. Então, não vou a um médico há anos. Sim. Sim. Essa é – se você me perguntar –, essa é a única coisa que me vem à mente de vez em quando de que talvez eu tenha que me conscientizar.

ADAMUS: Como está o seu sono à noite?

GUDRUN: Oh, praticamente não durmo.

ADAMUS: Sei. Tudo bem.

GUDRUN: Falando sério. Eu desisti de me incomodar muito com isso, porque eu acho que, tudo bem, eu tenho tempo. Posso ficar talvez mais relaxada com relação a isso. Não preciso acordar às seis horas todos os dias. Mas é o que acontece. Às vezes, eu acho que é por causa de algum barulho em volta da casa, no quarteirão onde moro.

ADAMUS: Ah, tem barulho, mas não vem necessariamente do lado de fora.

GUDRUN: Sim. Sim.

ADAMUS: É, sim.

GUDRUN: Bem, às vezes eu gostaria, veja, de pôr a culpa nisso. Mas sinto que, depois de uma hora de sono – que é algo que eu tenho reparado; é só uma hora –, eu sinto como se tivesse dormido pelo menos dez horas, às vezes.

ADAMUS: Certo.

GUDRUN: Entre meia-noite e uma da manhã ou por volta das três ou antes das três, e essa é virtualmente, realmente, minha hora de sono. E eu olho pro despertador e não acredito que são só duas ou uma da manhã.

ADAMUS: Certo.

GUDRUN: Foi isso que eu reparei.

ADAMUS: Tudo bem. Ótimo.

GUDRUN: É. E eu sei que você disse antes que pensar que precisamos de determinada quantidade de sono não faz mais sentido.

ADAMUS: É irrelevante.

GUDRUN: Então, é algo que ajuda a validar isso.

ADAMUS: Ótimo. Obrigado.

GUDRUN: Certo, obrigada.

ADAMUS: E, a propósito, para aqueles que estão aliviados porque a pessoa sentada ao seu lado recebeu o microfone e acham que a Linda vai embora, ela não vai. [Algumas risadas] Vocês ficam: “Ah! Que bom! Que bom! Estou tão feliz que a Gudrun recebeu o microfone porque agora eu não vou recebê-lo.” Oh, não, não, não, não. É. [Mais risadas] Ótimo. Obrigado.

E como a sua vida está diferente de quatro anos atrás?

MULHER SHAUMBRA 4: Bem, eu pedi demissão do meu antigo trabalho, há um ano, e, bem, estou mais satisfeita com minha vida agora.

ADAMUS: Ham-hamm. Como está a atividade mental, a conversa no cérebro?

MULHER SHAUMBRA 4: Está acontecendo menos, bem menos.

ADAMUS: Sei. Bem menos?

MULHER SHAUMBRA 4: Sim, bem menos.

ADAMUS: Certo.

MULHER SHAUMBRA 4: É.

ADAMUS: Ótimo. Você está mais feliz?

MULHER SHAUMBRA 4: Sim.

ADAMUS: Qual é a sua maior reclamação?

MULHER SHAUMBRA 4: [suspirando] Eu preciso de um carro novo, talvez. [Ela ri.]

ADAMUS: Então, permita isso!

MULHER SHAUMBRA 4: É!

ADAMUS: É.

MULHER SHAUMBRA 4: Vou permitir.

ADAMUS: E eu sei que eu digo isso e, aí, alguns de vocês ficam: “Ughhh, é, ughhh!” Tipo: “Não, pode parar. Basta permitir. É, sim. Tudo bem. Que tipo de carro você teria?

MULHER SHAUMBRA 4: Um Audi.

ADAMUS: Audi. Qual modelo? Cauldre quer saber. Eu não ligo.

MULHER SHAUMBRA 4: O 380, acho eu.

ADAMUS: Tá. É.

MULHER SHAUMBRA 4: É?

ADAMUS: Ótimo, ótimo.

MULHER SHAUMBRA 4: É?

ADAMUS: Ótimo. Belo carro. Ele está dizendo. Eu não sei. Eu ainda tenho meus cavalos e minhas carruagens. [Risadas] Eu gosto deles. Tá. Ótimo. Obrigado. Mais duas pessoas, Linda.

LINDA: Sem problema.

ADAMUS: Como a sua vida está diferente agora de quatro anos atrás?

LINDA: A senhora de óculos. Obrigada.

ADAMUS: Olá.

EDITH: Olá.

ADAMUS: Sim. Como a sua vida está diferente?

EDITH: Eu me amo muito mais do que antes.

ADAMUS: Você se ama. Ótimo.

EDITH: E isso é...

ADAMUS: Você teve um problema com isso antes, se amar?

EDITH: Sim. Sim. Sim.

ADAMUS: Por quê?

EDITH: Eu não me achava boa o suficiente pra nada.

ADAMUS: Sei. E agora você está bem com isso.

EDITH: Estou.

ADAMUS: Ótimo. Ótimo. E o que mais está diferente de quatro anos atrás?

EDITH: Humm. Estou bem mais relaxada.

ADAMUS: Bem mais relaxada.

EDITH: Sim.

ADAMUS: Ótimo. Como está a sua abundância? [Ela faz uma careta.] Hummm. Você escutou meu curso de Abundância – meu curso gratuito Abundance (Abundância)?

EDITH: Sim.

ADAMUS: Ótimo. Escute novamente. [Risadas]

EDITH: Escutei há poucos dias.

ADAMUS: Ah, tá. Há poucos dias.

EDITH: Ha-hamm.

ADAMUS: Tudo bem.

EDITH: Ontem, na verdade.

ADAMUS: Oh, que você escutou.

EDITH: Sim.

ADAMUS: Ah, certo. Bem, leva... o quê? Talvez uma semana, veja, pra trazer todas as riquezas. [Risadas] Então, não fique impaciente. Foi de graça, afinal.

EDITH: Ha-hamm.

ADAMUS: Sei. Como está a sua saúde?

EDITH: Ótima.

ADAMUS: Muito boa. Certo.

EDITH: Sim.

ADAMUS: Nenhuma dor incomum?

EDITH: Não.

ADAMUS: E o nível de energia?

EDITH: Está bom.

ADAMUS: Certo. Ótimo. Obrigado. Você está preenchendo o lugar da Edith?

EDITH: Sim.

ADAMUS: É. O nome dela é Edith. [Risadas] Edith, o que eu faria sem você? [Aplausos da plateia] Mas você não me infernizou como faz a Edith. Você não me deixou em dificuldade.

EDITH: Não.

ADAMUS: E, então, você diz: “Ohhh! Adamus!” E, então, eu digo um palavrão e você fica: “Ohhhh! Você tem que xingar, Adamus?!” [Mais risadas] Certo. Mais duas pessoas, Linda.

LINDA: Tudo bem.

ADAMUS: Como a sua vida está diferente do que era há quatro anos? Bem-vinda.

THERESA: Obrigada. Muito interessante.

ADAMUS: Muito interessante.

THERESA: É.

ADAMUS: Esse é um comentário interessante.

THERESA: Porque eu não sei quando tenho que tomar uma decisão e é muito complicado pra minha mente, e eu digo: “Esqueça. Que diabo! Eu permito.” E tudo parece dar certo o dia inteiro. Eu não planejei fazer isso nem aquilo e, de repente: “Oh! Oh! Obrigada. Obrigada. Obrigada. Obrigada.” E é isso que está acontecendo agora comigo e eu fico desmotivada de vez em quando com as coisas. Não faço ideia do que seja isso.

ADAMUS: Você está entediada?

THERESA: Me desculpe, como é?

ADAMUS: Você está entediada? Entediada, sabe, tipo...

THERESA: Sei, sei, sei. Não tenho certeza, porque eu sou muito ativo. Eu sou muito ativa.

ADAMUS: Muito ativa.

THERESA: Isso.

ADAMUS: E como está o seu nível de energia?

THERESA: No momento, talvez uns cinco ou seis.

ADAMUS: Cinco ou seis. Certo. Então, meio que...

THERESA: De dez. De dez.

ADAMUS: Certo.

THERESA: É.

ADAMUS: Tá, de dez. Certo.

THERESA: No momento. É.

ADAMUS: E a sua saúde?

THERESA: Minha saúde, é... Foi uma surpresa, porque eu nunca fiquei doente antes. E resolvi remover minhas cataratas e, de algum modo, fiquei meio pra baixo, fora de equilíbrio. E foi a primeira experiência pra mim, essa, de perceber, quando se está doente, como as coisas funcionam.

ADAMUS: Ah, sim, sim.

THERESA: E eu nunca tive isso antes. E eu disse: “Uouuu!”

ADAMUS: Sei, sei.

THERESA: Éééé! [Algumas risadas]

ADAMUS: Não é bom! Não é bom!

THERESA: E, então, eu disse: Oh! Estou permitindo!” Mas, depois... [Mais risadas e alguns aplausos] Mas essas idiotices estão voltando de novo e dizendo: “Woo hoo! Uau! Ei! O seu médico não é muito bom. Você tem que descobrir o que fazer.” E tudo mais. Foi uma loucura. E é por isso que minha energia está assim, cinco, seis ou o que for. Mas permitir...

ADAMUS: Permitir.

THERESA: ... eu permito, não sei. Estou dirigindo e digo...

ADAMUS: Quantos anos você tem?

THERESA: Oh, minha nossa! Uau! [Risadas] Que lindo! Vou fazer 73 daqui a alguns dias.

ADAMUS: Setenta e três. [Aplausos da plateia] E eu chamo atenção pra isso...

THERESA: Obrigada.

ADAMUS: ... porque a sua vitalidade é de alguém bem mais jovem do que 73 anos.

THERESA: Bem, obrigada, Adamus.

ADAMUS: Você tem uma energia jovial.

THERESA: Obrigada. Obrigada.

ADAMUS: Obrigado.

THERESA: Obrigada.

ADAMUS: Mais alguns, querida Linda.

LINDA: Mais um?

ADAMUS: Mais um.

LINDA: Mais um.

ADAMUS: Mais um.

LINDA: Humm. Hummm.

ADAMUS: Todo mundo está nervoso. [Algumas risadas] Linda adora o papel dela. Linda adora ser o anjo do microfone. [Mais risadas]

Sim? Como está a sua vida?

HOMEM SHAUMBRA 2: Está bem, na verdade.

ADAMUS: Está bem. Parece que está uma droga! [Risadas] Como está em comparação há quatro anos?

HOMEM SHAUMBRA 2: Primeiro, toda essa história de ascensão parece que foi levada embora, de fato, mas, ao mesmo tempo, parece também que tudo está bem mais claro do que lá atrás. É sério, em tudo.

ADAMUS: Como está a sua energia?

HOMEM SHAUMBRA 2: Depende. Às vezes, muito boa e, de repente, muito baixa.

ADAMUS: Sei. Como está o que chamam de alegria de viver, como um todo?

HOMEM SHAUMBRA 2: Agora, nós caminhamos muito na natureza e isso é realmente, realmente, muito agradável. Na verdade, eu não me preocupo mais tanto como há quatro anos. Era uma coisa extrema, antigamente, e agora eu posso realmente curtir as pequenas coisas e...

ADAMUS: Sei.

HOMEM SHAUMBRA 2: Sim. Sim.

ADAMUS: Ótimo. Então, no geral, está melhor do que há quatro anos? Pior? Ou...

HOMEM SHAUMBRA 2: Diferente.

ADAMUS: Com problemas diferentes.

HOMEM SHAUMBRA 2: Diferentes. É, a minha mente não funciona mais. Isso também é uma coisa diferente.

ADAMUS: Ah! Sua mente não está funcionando! [Eles riem.]

HOMEM SHAUMBRA 2: Isso!

ADAMUS: Ótimo. Ótimo. Ótimo.

HOMEM SHAUMBRA 2: Isso também foi uma coisa diferente.

ADAMUS: Sei. É. Ótimo. Muito obrigado.

HOMEM SHAUMBRA 2: Obrigado.

ADAMUS: E obrigado, Linda, por carregar o microfone.

LINDA: Com prazer.

Vamos respirar bem fundo com isso.

Vida, há quatro anos – muitos de vocês estavam pensando, enquanto outros estavam respondendo às perguntas –, o que aconteceu nos últimos quatro anos? O que aconteceu nos últimos quinze, vinte anos ou no ano passado, por exemplo?

Este não é um processo fácil. Toda essa coisa de despertar e de iluminação pode ser muito, muito desafiadora. Vocês podem ter tido expectativas, um tempo atrás, do que aconteceria em sua vida, e o que aconteceram foram coisas diferentes. Vocês liberaram grande parte do que eu chamaria de velhas questões, mas vocês se depararam com outras coisas pela frente. Uma delas, provavelmente, a maior delas, que eu vejo na maioria de vocês é o nível de energia.

Vocês não têm mais, não chegam nem perto do conflito interno que tinham antes. Vocês não travam mais aquelas grandes batalhas. Vocês não ficam mais se atormentando demais com a mente. Ainda fazem isso algumas vezes, é claro. Mas uma das maiores coisas que tenho reparado é o nível de energia. Alguns dias lá em cima, outros dias, lá embaixo, mas, no geral... E isso não tem nada a ver com estar ficando mais velho. É só um, bem... é um fenômeno pelo qual vocês estão passando e que nós vamos resolver hoje. Mas vejo que, em geral, vocês têm se amado mais. Vocês estão mais contentes consigo mesmos agora do que estavam há quatro anos e, definitivamente, mais do que há dez anos – contentes no sentido de sem muitas questões mentais –, mas é a coisa da energia. É meio como se tentassem arrumar energia pros seus negócios, pros seus projetos criativos, mesmo pra sua vida, pro seu relacionamento, e houvesse uma energia presa aí. Nós vamos resolver isso hoje.


O Ano que Passou

Mas deixem-me falar agora do ano que passou, do ano anterior. Foi um ano tremendo e incrível pros Shaumbra e pra mim. E preciso dizer que eu estava falando bem sério quando eu disse, mais cedo, que vocês estavam nas Escolas de Mistério; vocês podiam ter escolhido a iluminação naquela época, sozinhos, partido direto pro Clube dos Mestres Ascensos, e vocês não fizeram isso. Vocês disseram: “Eu quero esperar. Quero esperar, por agora.”

No último ano, nós realmente aceleramos as coisas. Antes disso, eu pedi às pessoas que deixassem o Círculo Carmesim. Eu disse que, se não estivessem aqui para a iluminação encarnada, nós as convidávamos a se retirar. Podem voltar quanto estiverem prontas, mas este não é um lugar pra pessoas que estão tateando na espiritualidade. Este não é um lugar pra pessoas que estão se aproveitando da energia. Eu simplesmente não permitirei isso.

Este é um lugar pra pessoas como cada um e todos vocês que escolheram esta existência para a realização. Ponto final. Não vou tolerar e não acho que vocês vão tolerar aqueles que só estão, vejam bem, bisbilhotando pela janela, aqueles que só estão aparecendo pra testar, talvez sentir a energia. Por exemplo, hoje, há uma tremenda energia aqui na sala, que é um ótimo lugar para os aproveitadores de energia virem. Vocês vão reconhecê-los, assim que eles colocarem os pés na porta. Eles estão no drama. Têm um monte de makyo. Mas, basicamente, nós os deixamos, energeticamente, fora daqui, pra que vocês pudessem fazer o trabalho que vieram fazer aqui nesta existência.

Eu sei que vocês não querem deixar isso pra outra existência. Vocês não querem esperar. Vocês querem que seja nesta existência. Então, isso é exatamente o que estamos fazendo aqui juntos, eu e vocês.

Não tenho um programa de estudos todo definido no meu lindo escritório palaciano no Clube dos Mestres Ascensos. Não planejei tudo isso previamente. Estamos fazendo juntos, à medida que vocês permitem a sua iluminação, à medida que expandem a sua consciência. É por isso que é muito difícil... Eu nunca digo realmente aos queridos Cauldre e Linda, e à equipe do Círculo Carmesim, o que vai acontecer em seguida. Às vezes, supostamente, vamos fazer um tipo de workshop e, na hora, mudamos e fazemos algo diferente, porque tudo é adaptado, personalizado, desenvolvido pra vocês e pra sua iluminação encarnada.

Quando eu digo que vejo quem vocês são, e que vocês ainda não percebem isso, é porque vejo vocês realmente assumindo o compromisso com uma coisa com a qual se comprometeram existências atrás, mas que vão realizar nesta existência. É muito diferente de qualquer outro grupo de humanos, qualquer outro grupo religioso, espiritual ou nova era. Eu não sei se vocês reconhecem a diferença. Se não reconhecerem, só por diversão, vão a um encontro geral nova era, alguma hora, ou a um retiro de final de semana sobre qualquer dessas coisas metafísicas. Vocês, de repente, vão perceber o quão longe vocês chegaram e também o quão longe nós estamos.

No ano passado, nós seguimos numa... não quero usar o termo “velocidade quântica”... mas passamos por um processo quântico de aceleração de energia. Começamos isso um ano atrás quase, até hoje, há um ano, na Conferência de Kryon, em Sedona. E eu trabalho bem próximo de Kryon às vezes, particularmente quando compartilhamos o palco, e conversei com Kryon antes daquele evento. Eram o quê? Novecentas pessoas lá. Foi um evento enorme e eu sabia que era o momento de dizer algo importante àquele plateia, mas especialmente pra vocês.


~ Além da Nova Era

Falei com o Kryon antes e disse: “Eu vou falar sobre isso aqui.” Só pra garantir que estava tudo bem com toda a consciência daquele encontro. E fiz uma declaração, uma declaração muito forte, onde eu disse: “A nova era já era. Acabou.” Aquele não é exatamente o melhor locar, o melhor lugar pra fazer essa declaração. [Algumas risadas] Sedona é a central da nova era pros Estados Unidos e, de fato, pra muitos ao redor do mundo. É também a central do makyo. Não é meu lugar favorito. Mas fiz essa declaração. Eu disse: “A nova era acabou.” Querendo dizer que é hora de parar de falar sobre ela. É hora de parar de explorar todas as diferentes modalidades e métodos. É hora de encerrar isso. [Ver a mensagem de Adamus chamada “End of the New Age” (Fim da Nova Era).].

Blavatsky, Jung, Steiner e alguns outros foram instrumentos para o início da nova era 140 anos atrás. Era uma época em que o mundo precisava de um novo pensamento e uma nova abordagem, mergulhar no misticismo e na espiritualidade, de uma forma que nenhuma igreja proporcionava e realmente nenhuma outra religião proporcionava.

Mas chegou o momento de encerrar a nova era e, basicamente, ao encerrá-la, dizer: “É hora de voltar pra vida regular, comum, de humano ou entrar na iluminação. É hora de ser um Mestre encarnado na Terra.”

Assim, isso deu início a um processo muito rápido. E eu percebi que não seria convidado de novo este ano, então... [Risadas] Então, no verão passado, fizemos o workshop Liberdade Ancestral. Sei que muitos de vocês escutaram ou viram. Não é um programa agradável. Não é uma cloud class agradável, acho que diriam. É difícil. Não é muito longa, mas é muito difícil, porque eu sabia que era o momento de liberar essa última conexão cármica desequilibrada com a velha família.

Muitos de vocês que tiveram essa experiência passaram, posteriormente, por semanas ou mesmo meses de desafios, desafios no corpo e nos relacionamentos; tristeza, porque estavam deixando ir os velhos relacionamentos que não estavam mais equilibrados com vocês, que estavam segurando vocês. Não significa que é pra se afastarem da família, se divorciarem do cônjuge ou mandarem os filhos porta afora pro mundo. Significa dizer que vocês têm uma linhagem muito, muito longa com a biologia e a estrutura mental de uma família que podem amar – ou podem odiar, realmente não importa –, mas que é hora de liberar isso. Vocês não podem arrastar isso pra iluminação. Vocês podem amá-los. Vocês podem ter compaixão por eles. Mas eu pedi a todos vocês que examinassem seu histórico ancestral. Foi difícil pra muitos, e eu sei que tiveram problemas físicos, mas esse foi o próximo passo que demos.

Então, começamos a Série Caminhando. Este é o Shoud número 10 da Série Caminhando e, por alguma razão, parece ser o número três, parece que acabamos de começar, porque está indo rápido. E nós nos aprofundamos, mergulhamos em muito material este ano. Entramos em muitas questões nos últimos nove Shouds.

Então, veio a hora da Aventura BON no Havaí. A Aventura BON foi um workshop maravilhoso, mas o que aconteceu lá foi realmente muito importante. Eu disse ao grupo, acho que no segundo dia, eu disse que era a primeira vez como Shaumbra que nós nos encontrávamos sem ter uma camada de energia relacionada a questões e problemas. Tivemos centenas e centenas de encontros ao longo dos anos, mas, em geral, o que acontecia era que os Shaumbra chegavam com seus problemas, e tudo bem. Seus problemas silenciosos. Eles não chegavam chorando na porta. Não chegavam solicitando respostas para as questões, mas isso estava lá. Era como uma nuvem pairando toda a reunião.

Eu tinha que trabalhar isso, Tobias tinha que trabalhar isso também, mas estava energeticamente no caminho de vocês. As questões humanas, as básicas – abundância, saúde, relacionamentos e autoestima. Alguns realmente lutavam com isso, particularmente com os relacionamentos. E é por isso que o Liberdade Ancestral foi tão importante. Mas, nesse encontro, foi a primeira vez que não houve uma grande questão, primordial. Foi um avanço enorme, não só para o grupo, mas como um indicativo de todos os Shaumbra. Foi uma representação de todos vocês.

E aconteceu de novo, recentemente, quando estivemos na Itália, tanto no Threshold (Limiar) como no Ahmyo Retreat (Retiro do Ahmyo). Em ambos, a energia primordial não era de problemas na vida de vocês – vejam, aqueles humanos, lutando, com problemas quase insolúveis. Agora, nós realmente podemos caminhar. Realmente podemos fazer muito progresso. A coisa vem acelerando, literalmente, num nível quântico. É uma das razões pela qual muitos de vocês estão se sentindo exaustos no corpo.

Vejam, a coisa da mente vai e vem, mas o que eu realmente reparei aqui, neste Shoud, hoje, é o nível de energia, as questões físicas. Teve um efeito, essa velocidade da luz no corpo. Teve um efeito. A boa notícia é que não é permanente e não vai continuar piorando. [Algumas risadas] Mas posso dizer que teve um efeito.

Assim, o ano tem passado muito, muito rápido. Muitas coisas estão acontecendo este ano. E, quando olharem pro que falamos, o que abordamos, este ano, parem um instante e [sintam] a magnitude da coisa.


~ Além da Escuridão

Este ano, nós pegamos a escuridão e dissemos que ela é uma ilusão. Isso, por si só, é suficiente pra valer cerca de duas existências de trabalho, e fizemos isso recentemente. A escuridão é totalmente uma ilusão. Se acreditarem nela, então, ela vai estar lá, vai afetar a sua vida e vai deixar as coisas muito desequilibradas. Vocês sempre vão ter medo da escuridão ou precisar lutar com ela.

Quando vocês se elevam acima dessa ilusão e percebem que realmente não há escuridão, vocês podem, particularmente em sua vida, seguir além de todas essas batalhas. É verdadeiramente uma ilusão. Existem pessoas que lutarão por causa da escuridão, que insistirão nessa coisa de luz e escuridão, de anjos e demônios. Deixem que façam isso. Deixem. É o jogo que querem jogar. Mas nós, nós seguimos além disso.


~ Além da Morte

Estamos seguindo além da morte, em si. Falamos sobre isso, exaustivamente, outro dia, no Ahmyo Retreat (Retiro do Ahmyo). Todo mundo chegou querendo a boa vida e o que eu fiz? Falei da morte. [Algumas risadas]

Mas a morte é uma questão para os humanos, a crença na morte. Não existe morte, mas ainda assim os humanos insistem que existe. Eles olham para um corpo num caixão e dizem: “Bem, é óbvio que Adamus está enganado.” Eles veem os amigos, os parentes, os pais, os irmãos e as irmãs morrendo e dizem: “Bem, isso é o que vai acontecer comigo.” Todo mundo diz: “Mais cedo ou mais tarde, você vai morrer.” Isso, de fato, não é verdade. Há uma transição do corpo físico, e o Mestre entende que, um dia, ele vai realmente se integrar por completo, trazer o corpo físico pra seu Corpo de Consciência, mas não existe morte. Não existe morte. É uma transição.

Vocês passam a estar mais vivos do que nunca, particularmente com o entendimento do “Eu Existo”. Vocês percebem que o que era chamado de morte é realmente uma transição da biologia – transição da biologia – e não precisa ser a morte feia que as pessoas têm vivenciado. Mas vocês vão perceber que estão mais vivos do que nunca quando fazem a transição.

Eu disse ao grupo no Ahmyo, outro dia... Muitos Shaumbra disseram: “Esta vai ser minha última existência no planeta.” Eu aproveito pra dizer que é a última existência passando pelo processo que tiveram que passar até agora. A última existência em que vocês passam pelo nascimento. A última existência em que vocês se esquecem de quem são. A última existência em que vivem na nuvem, no lado sombrio, de fato, da consciência de massa e de todas as suas coisas desagradáveis, como falta de abundância, doenças, guerras, carência e todo o resto.

Mas eu disse ao grupo outro dia que vocês terão a opção ou a escolha de serem os primeiros a voltar, se quiserem, sem passar pelo nascimento. Vocês podem escolher se integrar num corpo impresso, um “nano-corpo”. Ou simplesmente manifestar seu corpo de luz por alguns dias em determinado momento. Mas, quando se fala de nunca mais voltar, significa voltar da velha maneira.

Existem novas maneiras de voltar e ter experiências neste planeta sem passar pelo velho sistema. Existem meios de vivenciar a beleza da natureza deste planeta e os relacionamentos bons e saudáveis neste planeta sem ter que fazer isso pela velha maneira. Vocês serão os primeiros que vão fazer isso.

Agora, os Mestres Ascensos vieram, mas foi um pouco diferente. Eles, em geral, passaram pelo processo de nascimento, com poucas exceções, como Tobias, com o corpo concha. Mas ainda assim ele passou pelos padrões humanos pra voltar. Se assim escolherem, vocês serão os primeiros que realmente transcenderão o significado de morte.

O significado de morte é que seu corpo morre, normalmente com uma doença ou um acidente, e vocês voltam pra outra existência, mas se esquecem de quem são. Vocês serão os primeiros que têm o potencial pra realmente desafiar a morte, porque vocês voltarão sem nascer. Vocês voltarão e saberão exatamente quem vocês são. Vocês voltarão e não terão a gravidade da consciência de massa puxando vocês pras coisas que vocês sabem que não são certas – os dramas de outras pessoas, as questões de abundância, uma ampla variedade de coisas.

Assim, quando ouvi vocês e Tobias sempre ouviu vocês dizerem “Não volto nunca mais”, nós meio que sabíamos que vocês estavam dizendo: “Não da velha forma. Nós vamos criar a nova forma. Nós vamos mudar a consciência de morte neste planeta.” E vocês estão fazendo isso. Vocês, definitivamente, estão fazendo isso. E cada um e todos vocês terão essa oportunidade. Vocês têm tudo de que precisam pra iluminação encarnada nesta existência e pra transcendência da morte pra quando quiserem voltar pra cá, do modo que quiserem, sempre que quiserem, aproveitando verdadeiramente a vida do modo que deve ser.

Então, este ano, nós, em nossa abertura de consciência quântica, estamos indo além da morte.

Nós estamos indo além de Deus. Isso foi difícil, porque a Linda ficava sempre dificultando pra mim. Como posso falar isso de Deus e de Jesus? Falamos sobre Deus e observamos... Falamos sobre ele em muitos outros anos, mas neste ano realmente dissemos: “Esse velho Deus não vai mais funcionar.” E não ficamos com medo de dizer isso. Não nos preocupamos, vejam bem, com raios nos atingindo.

Deus é uma piada, uma piada humana ruim. É um reflexo da consciência humana. Não tem nada a ver com o divino nem com espiritualidade. As pessoas que criaram essa Deus-homem não tinham uma experiência divina, porque, daí, não existiriam livros toscos sobre ele. [Algumas risadas]

Falamos das igrejas. Falamos das religiões. Falamos até da nova era, com um monte de makyo, e dissemos: “Isso não é Deus. Isso não é o Espírito. Espírito, Deus estão bem aqui [dentro de si]. Eu Sou Deus Também.”

Dissemos “chega” pra esses velhos sistemas de crenças assustadores, pro carma, pro pecado, pra penitência e pro sofrimento. Não é pra ser assim. E está na hora de mudarem essas coisas no planeta. E elas não vão mudar através de palestras nem de livros. Elas vão mudar por causa de alguns humanos como vocês, que vão além, criando todo um novo modelo pra este planeta.


~ Além do Poder

Neste ano que passou, falamos de poder. Poder. A maioria dos humanos acredita no poder. Não questionam o poder – “A vida é um jogo de poder. Ou você o tem ou não o tem. Se você o tiver, você sempre terá medo de perdê-lo. Então, você tenta obter mais. Se você não o tem, você sempre quer obtê-lo e tem medo das pessoas poderosas.”

Poder é uma ilusão. É uma ilusão absoluta. Não existe além da consciência humana e da mente humana. Fora isso, não existe. E dissemos: “Vamos caminhar. Vamos entrar na vida sem poder.” Porque, numa vida com poder, sempre há força, há esforço, sempre há medo. A vida com poder é olhar pra fora em vez de olhar pra dentro. Não há necessidade de poder, mas as pessoas não entendem a energia e a consciência. Então, em vez disso, elas vão atrás de poder.

O poder está em todo lugar do planeta. Está nos negócios, é claro. Está nas religiões e nas igrejas. Certamente, no governo. Está na terapia. Está na indústria farmacêutica. Está em tudo. Este mundo opera com o poder. Poder.

E é, de fato, interessante, porque toda a dinâmica com o combustível fóssil, o velho combustível, é um reflexo da consciência do poder como um todo. É preciso explodir as coisas pra se andar pra frente. É preciso ter força e dinâmicas. E, basicamente, o planeta não vai encontrar a verdadeira solução pra energia enquanto acreditar no poder.

Falamos sobre isso e as palavras vieram por meio de Cauldre, mas é a consciência de vocês que está trazendo isso. É o fato de vocês dizerem “chega” pra morte, “chega” pra essa crença na escuridão, “chega” pro velho Deus. Nós mudamos, vocês mudaram num único e curto ano.


~ Além do Espaço e do Tempo

Falamos do espaço e do tempo. É uma grande questão. Dissemos que o espaço e o tempo é que se passam por vocês. Não são vocês que passam por uma projeção linear, pelo espaço e pelo tempo. O espaço e o tempo passam por vocês. É física muito simples. É quase difícil pra mim imaginar que os cientistas e os físicos não entendem isso. É muito simples. É revolucionário. E, quando enfim isso passar por seus cérebros humanos, mudará toda a compreensão de ciência, de Deus, de poder e de tudo mais. Mas, neste momento, eles estão empacados.

Mas vocês estão mudando isso. Alguns certamente estão sentindo isso. Outros têm esse saber de que o espaço e o tempo estão passando por vocês. Vocês são Mestres. Vocês não estão à mercê do espaço e do tempo.

Por falar nisso – no tempo, particularmente – a história. História é uma sequência de tempo. Falamos sobre... De fato, estamos desafiando a história. História é, basicamente, uma narrativa linear humana. “Estes eventos aconteceram nestas datas.” E as pessoas acreditam nisso sem questionar. Dizem: “Bem, é doido se não acredita no que está escrito nos livros.”

Estamos começando a entender que a história é um aspecto do tempo e que esse tempo é flexível – vocês não precisam mais ficar presos ao tempo linear – e que, quando vocês dão uma olhada no seu passado, na sua história, isso, de fato, não é, necessariamente, do jeito de que sua mente se recorda. Não é necessariamente o que estava escrito nos livros. E as pessoas vão desafiá-los, dizendo: “Bem, você é doido. Foi isso que aconteceu.” Mas o Mestre descobre que isso é muito flexível, que o que aconteceu no passado pode ser mudado, bem como a perspectiva da coisa e o entendimento de todas as dinâmicas que ocorreram. Vocês não estão presos no tempo. Vocês não estão mais presos em sua história.


~ Mais

E, mesmo outro dia, falamos de amor no Ahmyo Retreat (Retiro do Ahmyo). Falamos detalhadamente sobre o amor. Agora, muitas vezes, quando ouço as pessoas falarem de paz, amor e alegria, eu quero vomitar. [Algumas risadas] É um clichê de makyo. E eu digo isso porque elas realmente não entendem o que essas coisas são. Elas falam a partir de um ponto de vista quase hipnótico – “Paz, amor e alegria.” Falamos detalhadamente sobre o amor e sobre o verdadeiro amor profundo, o que ele é realmente. Tratamos dessas grandes questões no ano que passou e vocês são parte integrante de todas essas coisas.

Nós seguimos na velocidade da luz, e vocês sabem que, nos últimos dois anos, falei quase que exaustivamente, até ficarem cansados, sobre os cinco sentidos humanos e a mente, dizendo que essas coisas criam a perspectiva de sua realidade. A mente, os sentidos humanos trazem a perspectiva da realidade, mas isso não é tudo que há. Vamos seguir em frente. Vamos expandir isso. Vamos entrar no Sentido do Mestre, que é muito, muito diferente dos sentidos humanos e da mente. Vamos começar a explorar o que mais já está aqui.

Assim, neste último ano, com tanta coisa que se falou sobre os sentidos e sobre ir além da mente, nós fizemos isso. Nós começamos a abrir – vocês começaram a abrir – o Sentido do Mestre. Ele ainda está chegando. Vocês ainda estão... Alguns questionam se ele está lá ou se estão fazendo direito. Ele vai vir. Não se esforcem. É sério. Não se esforcem. Apenas o sintam e permitam.

Abordamos uma incrível quantidade de coisas este ano e tem muito mais pela frente. Uma boa parte pela frente. Muito mais está por vir, e o que eu quero falar hoje é algo, de fato, muito, muito especial, algo que reparei há cerca de 10 dias na avaliação, olhando a energia dos Shaumbra. Eu percebi que, pela primeiríssima vez – foi uma revelação –, pela primeira vez, as energias de vocês se transformaram de uma forma tremenda.

E vou pedir que Linda escreva isso no quadro. No nosso quadro virtual. [Algumas risadas porque não tem quadro; mas Adamus pega um quadro físico atrás de um painel no palco; alguns aplausos.] Só pela Linda.


Um Avanço

Houve um avanço incrível, recentemente, uma transformação na consciência de vocês. Alguns, provavelmente, notaram mais isso do que outros, mas foi uma transformação na consciência que é o primeiro avanço real no “e”. Falamos sobre isso durante um tempo, sobre o fato de que vocês são humanos e são Mestres, mas, de repente, observei essa transformação.

Observando seu campo de energia, sua consciência, sua energia, era quase, pode-se dizer, do tamanho de um ovo, e vocês estiveram nesse ovo por um bom tempo. Vocês sentiram muitas coisas, vivenciaram... digo, a sua vida está mudando; por um lado, ficando melhor, por outro, um pouco mais difícil. Mas, de repente, há cerca de 10 dias, uma radiância foi emitida daquele velho ovo de casca dura em direção ao “e”. Não aconteceu com alguns poucos. Aconteceu com muitos de vocês, o que é um indicativo de que, então, acontecerá com o restante.

A maioria, provavelmente, nem percebeu. Vocês não acordaram nove dias atrás e disseram: “Oh! Subitamente, estou no ‘e’.” Mas houve uma transformação perceptível. E vou escrever de determinada forma, porque é difícil colocar em palavras. Mas vou dizer que reparei que vocês estavam livres do poder e ricos em energia. [Linda escreve.] Ricos em energia. É por isso que eu perguntei, mais cedo, qual a diferente que vocês notaram em sua vida. Como está o seu nível de energia?

O nível de energia de vocês... Vocês têm consumido muita energia nestes últimos quatro anos. Vocês consumiram muita energia no último ano, particularmente. Isso está afetando o seu corpo. Não tanto os seus pensamentos, mas realmente está afetando o corpo, a vitalidade como um todo. Mas, de repente, com essa transformação ocorrendo e por saírem da velha consciência de poder, fazendo essa transformação para o “e”, de repente, há uma nova riqueza de energia.

Eu gostaria que sentissem um instante aqui. Imaginem, novamente: aqui estão vocês enquanto humanos, a mente, os cinco sentidos, e há um desejo profundo tamanho de ir além dessas coisas, mas, às vezes, é muito difícil. Vocês não conseguem avançar. Vocês ouviram minhas palavras, ficaram frustrados comigo, porque isso não estava acontecendo na vida de vocês. Vocês ouviram sobre o “e” ou falarmos sobre abundância, ou o Sentido do Mestre, mas vocês ficam: “Diabos, quando vai acontecer?” E, então, eu reparei que começou a acontecer, repito, há cerca de 10 dias.

O que isso representará, o que isso acarretará é vocês estarem, enfim, no estado consciente do “e”. Não apenas pensarem nisso intelectual ou filosoficamente, mas realmente estarem no estado consciente do “e”. Vocês são o humano; nunca se planejou que fôssemos aperfeiçoar o humano. Nunca se pretendeu que o humano fosse aquele que ascenderia pelo seu eu humano. Nunca se pretendeu que fôssemos criar o humano ideal perfeito. Jamais.

O humano é o humano. O humano tem suas biologias. Tem suas formas interessantes de fazer as coisas. Trata-se apenas de se abrir para o “e”, e para o Mestre também. E é isso que, de fato, vocês estão fazendo.

Quando isso acontece, há uma tremenda liberação da necessidade de poder. Vocês têm usado o poder na maior parte da vida. Vocês ainda usam o poder muito regularmente na vida, mas, de repente, estão percebendo que não é isso que querem. Isso não vai levá-los para o que é realmente o seu desejo do coração. Então, vocês, de fato, estão liberando o poder. E, enquanto liberam, o caminho para a energia se abre – uma energia muito rica entra em sua vida.

É um marco, porque, no passado, se vocês tinham grandes quantidades de energia, vocês as usavam em alguma forma de poder. Então, vocês meio que permaneciam afastados disso intencionalmente, tipo: “Não estou pronto ainda, então, vou ficar longe disso.”

Mas, agora, vocês estão à vontade e com confiança suficiente em si mesmos. Vocês estão num ponto em que dizem: “Tudo isso vai se integrar em breve. É hora de entrar numa vida rica de energia.”

Há quatro anos, vocês teriam dito: “Posso abusar dessa energia ou usá-la de maneira incorreta.” E a chamariam de poder. Há quatro anos, vocês teriam dito: “Vai me tirar do equilíbrio essa riqueza de energia.” Mas agora? Agora, isso mudou. E foi uma coisa linda de se observar. Eu estava pensando em fazer um Shoud totalmente diferente, mas, depois disso, agora, podemos realmente, realmente, caminhar.

Quero que sintam, um instante, toda essa expansão. Aqui está o humano, como eu disse, quase num ovo, lutando, se esforçando muito pela iluminação, pela consciência e, então, de repente, realmente, quando vocês desistem da luta, quando param de tentar tanto, de repente, isso se abre, se expande. O ovo ainda está lá. O ovo de energia ainda está lá, mas, de repente, há uma outra camada, e não pertence ao ovo humano. É o que chamam de Mestre, de divino, e que traz uma riqueza de energia; energia que não é desagradável.

Uma das razões para muitos de vocês permanecerem afastados da energia é porque, quanto tinham uma grande questão na vida, a última coisa que queriam fazer era colocar mais energia nessa questão. Se tinham um problema com abundância, vocês traziam a energia e ficavam com um problema ainda maior de abundância ou um problema maior de saúde ou de relacionamento. Então, vocês evitavam a energia de um jeito interessante, porque era uma energia de poder. Era a Velha Energia. Mas vocês, enfim, disseram: “Chega. Vou transformar isso agora.” E vocês permitiram que acontecesse.

É o “e”. Isso é o Mestre. “Eu sou humano e eu sou Mestre. Sou inteligente e sou meio burro também. Tenho um tremendo senso de humor e sou muito sério. Sou um corpo de luz e sou um corpo físico.”

Vocês podem se perguntar por que levou tanto tempo pra chegarem aqui. Havia muitas questões. Havia muitas coisas a que vocês ainda se prendiam. E vocês diziam: “Na verdade, não estamos bem prontos. Não estamos prontos. Algumas outras coisas estão acontecendo no planeta. Ainda não estamos prontos. Queremos que na hora seja algo muito lindo.” E agora isso está se abrindo.

Assim, agora, vamos parar de falar nisso e vamos vivenciar isso nessa coisa que chamamos de merabh. Vamos reduzir as luzes da plateia. Por favor, acomodem-se confortavelmente.


Um Merabh

Livres do poder e ricos em energia.

Durante este merabh, eu gostaria que vocês realmente vivenciassem a riqueza de energias. Sintam. Sintam essa riqueza em seu corpo físico. Mas quero que reparem numa qualidade muito, muito importante que essas energias têm.

Elas não são como as velhas energias a que estavam acostumados e que eu chamo de energias de força, desagradáveis, às vezes, quando vocês só queriam... É como se precisassem tirá-las de sintonia, suavizá-las.

Estas são energias diferentes. São ricas em sua graça. São ricas em sua facilidade. Não serão duras com seu corpo nem com sua mente.

Assim, respirem bem fundo e vamos iniciar este merabh. É hora de transformarmos a consciência, passarmos de um estado pra outro.

[Yoham começa a música.]


Esta música é nossa sugestão - tocada em um evento no Colorado em 2015


Falei muito sobre o “e” no Keahak, começando no ano passado e entrando este ano. Falei sobre isso com os Shaumbra. Vocês captaram intelectualmente. Vocês entenderam. Não é muito difícil. E.

E vocês puderam senti-lo, mas havia uma resistência, eu diria, ou uma relutância talvez. Havia um foco muito grande no eu humano, em vocês, em se tornarem melhores. É meio difícil imaginar, agora, estarem entrando no “e”, um outro vocês. [Adamus ri.] Mas não é.

É muito lindo de ver quando vocês saem do conceito intelectual, filosófico, espiritual e, começam a vivenciar isso no corpo e na realidade. É o que aconteceu há cerca de 10 dias.

Há vocês, o humano e há esse outro – Mestre, acho que vocês diriam, Eu Livre, divino –, e vocês não disseram: “Bom, tudo bem se esse Mestre está aqui. Preciso ficar rico e preciso estar saudável.” Vocês não disseram isso, porque perceberam que é, oh, muito humano.

Vocês não tentaram aplicar poder a esse Eu “e”. Vocês não tentaram fazer com que ele viesse e consertasse o humano. Vocês apenas o sentiram. “E há muito mais pra mim. E por que eu teria que tornar o humano melhor? Agora, eu sou divino e humano.”

Houve uma enorme transformação pra longe do poder e, quando aconteceu, isso abriu a porta para a energia, a Nova Energia, do tipo sobre o qual temos falado há anos – energia rica, energia simples.

Ela não carrega os velhos atributos da dualidade ou do poder.

Há uma riqueza nela e ela não vem e vai. Vocês não precisam se preocupar se vão perdê-la. Vocês não precisam forçá-la a entrar em seu corpo pra curá-lo nem forçá-la para as questões de abundância. Ela é a riqueza em si.

Livres do poder e ricos em energia.

Respirem bem fundo.

Oh, nossa, como o ano tem passado rápido. Com turbulências, às vezes. É como sair pra dar um passeio divertido, e andar mais rápido do que se imaginava. Que emoção! É um pouco assustador, mas cumprimos um longo caminho este ano, até agora. Mesmo antes de terminarmos esta Série Caminhando, podemos falar da riqueza da energia.

Eu sei que alguns estão dizendo por aí: “Quem eu? Está se referindo a mim?” Sim, eu me refiro a cada um e todos vocês.

Escutem a música um instante e sintam isso, esse caminhar em direção ao “e”. Não apenas o pensamento com relação ao “e”, mas a experiência do “e”.

Respirem bem fundo, enquanto a música toca.

[Pausa longa]

Algo mudou, recentemente – e foi o começo, acredito eu, de muitas mudanças. A verdadeira realização do “e”, do Mestre e do humano; o afastamento da necessidade de poder em sua vida. Isso trouxe uma energia rica.

Como ela vai se manifestar em sua vida humana? Vocês verão ao longo do próximo mês ou ano, mas, definitivamente, algo vai mudar. Eu fiz a pergunta hoje – como sua vida está diferente? Se eu a fizesse daqui a quatro anos, ou daqui a um ano, vocês olhariam pra trás maravilhados. Houve realmente uma grande transformação.

Agora, a energia está aí, é rica e não é desagradável. Vocês não têm que lutar com ela. Agora, o humano singular, o humano linear é agora “e”, muitos. Houve uma grande transformação.

E vocês fizeram isso permitindo.

Se há algo que eu gostaria que vocês lembrassem, quando chegar a hora de eu partir, que vocês lembrassem de mim por estas duas simples palavras: permitir e “e”.

Permitir. Isso é o que vocês fazem. Vocês permitem a sua iluminação. Vocês permitem seu Eu, Vocês, o Eu Sou.

Não dá pra pensar como fazer isso. Vocês não conseguem sair da mente, usando a mente. Não há truques. Não há passagens secretas. Trata-se apenas de permitir – permitir o que é natural, em primeiro lugar.

E, depois o “e”. O fato de nunca se ter pretendido iluminar o humano; era pra realizar a iluminação do Mestre e ainda sendo o humano e muito mais. Nós nem começamos a falar sobre isso.

Mas, neste momento, vamos respirar bem fundo. Não há nada pelo que se esforçarem aqui.

Às vezes, falo pra onde estamos indo, mas, hoje, estou falando do que acabei de ver acontecer – livres de poder e ricos em energia.

Conseguem sentir isso em seu próprio Eu? Não a sensação de estresse mental, mas conseguem sentir isso dentro de si um instante, enquanto a música toca?

É como se estivessem, há muito tempo, passando fome de energia. Agora, há uma riqueza de energia.

[Pausa longa]

Está acontecendo neste momento na sala. Está acontecendo neste momento com aqueles que estão acompanhando online. Uma transformação natural, saindo do poder e entrando na riqueza de energia em sua vida.

Está acontecendo, porque vocês estão permitindo isso. Está acontecendo, porque estamos aqui reunidos. Não por causa das palavras que estou dizendo, mas porque vocês estão permitindo.

Quero que realmente sintam essa riqueza de energia, entre hoje e nosso próximo Shoud. Sem pensar nela, mas realmente sentindo como ela toca cada parte do humano em vocês e cada parte do Mestre em vocês. Vocês fizeram essa transformação realmente histórica.

Assim, vamos respirar bem fundo juntos, aqui, no Shoud 10.

E, como sempre, meus caros amigos, como sempre, lembrem-se que tudo está bem em toda a criação. Obrigado.


[Yoham continua tocando.]


Este vídeo foi de um evento no Colorado, 
mas esta música foi tocada por Yoham no final do Shoud


LINDA: Obrigada por estarem aqui, pra este Shoud muito especial, repetindo, o primeiro que realizamos fora de Colorado, neste espaço incrível com humanos incríveis, em Munique. Vocês podem sentir esta energia no mundo todo, eu sei. Obrigada por acompanharem online. Obrigada pela plateia presente; vocês são ótimos e incríveis. E estaremos de volta com o Shoud em quatro semanas. Esperamos ver todos vocês, então. Sempre sentiremos vocês. Obrigada. Obrigada. Obrigada a Adamus. Obrigada ao Yoham. E a todos os voluntários. Obrigada a todos. Obrigada. Obrigada. Obrigada. Uau. Obrigada. Obrigada. Obrigada.


Tradução de Inês Fernandes – mariainesfernandes@globo.com


Os materiais do Círculo Carmesim com Tobias, Adamus Saint-Germain e Kuthumi lal Singh têm sido oferecidos gratuitamente desde agosto de 1999.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Essas reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público e todos são bem-vindos.

Se você estiver lendo isto e sentir um sentido da verdade e conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia para os humanos e os anjos também. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você neste momento e por todos os tempos que virão. Você nunca está sozinho, pois existe a família que está por todo o mundo e os anjos que estão ao seu redor.

Você pode distribuir livremente este texto em uma base não-comercial, sem nenhum custo. Por favor, inclua as informações na sua totalidade, incluindo as notas de rodapé. Todos os outros usos devem ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Ver contatos página no site: www.crimsoncircle.com

© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403

www.novasenergias.net/circulocarmesim Site Oficial do Circulo Carmesim. Todos os direitos reservados.