As Histórias de Tobias: Crie em Graça

(...) Havia um anjo chamado Taylor. Ela havia caminhado pela Terra muitas, muitas vidas. Numa vida, Taylor foi uma guerreira de um país ganancioso, de um reino ganancioso. Ela não ligava para compromissos. Ela simplesmente queria ser uma guerreira. Queria sentir sangue e lutar em batalhas. Queria experimentar dualidade e raiva. Ela trouxe para sua alma estas experiências, e elas permaneceram por um longo, longo tempo.

E, em sua vida seguinte, Taylor foi uma mãe não muito boa para seus filhos ou marido. Ela gostava da companhia de outros homens. Ela gostava de estar longe da família. Sentiu-se culpada e a culpa foi um peso muito grande sobre ela. Ainda assim, continuou a sair, causando muita dor e dificuldades para as crianças, e fez com que seu marido cometesse o suicídio e partisse. Tudo isso ficou na lembrança em sua alma e foi carregado, colocado em seu livro de vida.

Em outra vida, Taylor foi um homem de negócios que possuía uma fábrica de couro. Taylor tirava vantagem de gente jovem e das pessoas pobres como mão de obra barata. Ela não ligava muito para eles, apenas para seu bolso e sua riqueza. Taylor não partilhava sua riqueza com os outros. Não fazia doações para caridade, dava apenas para si e queria construir um monumento à sua imortalidade através do ganho em riqueza.

E isso se tornou um fardo pesado em sua alma e em seu ser, mas ela não ligou e seguiu adiante.

Nesta vida, Taylor foi uma criança maltratada pelos pais. Cedo, em sua adolescência, tornou-se alcoólatra. E assim continuou, bebendo todos os dias, diminuindo suas vibrações a tal nível que mesmo para nós é de difícil compreensão. Ela bebia e entrava na escuridão. Suas vibrações eram tão baixas que esqueceu o que era amar. Ela não teve uma vida verdadeiramente feliz. E culpava seus pais. Culpava as pessoas com as quais trabalhava. A bebida lhe causou problemas. E isso criou mais amargura nela.

Taylor agora está no Círculo Carmesim e não bebe mais, porque ao longo do caminho ela leu um livro inspirador. Ela esteve em encontros parecidos com este. Outras pessoas lhe deram uma mão. Pessoas a abraçaram e disseram amá-la. Outras pessoas dispensaram tempo para ajudá-la a compreender que todos estes sentimentos de culpa em seu ser precisavam ser liberados, que era necessário que os deixasse ir.

Agora vocês veem, contamos a história de Taylor neste dia para ajudá-los a compreender, cada um de vocês. De fato, esta é uma história verdadeira. Nós a contamos para ajudá-los a entender que é muito importante que cada um olhe para sua própria vida e a vida de cada pessoa por quem passam, para ver em seus próprios olhos e nos olhos de todas as outras pessoas. Vocês percebem, Taylor escolheu estas vidas difíceis. Ela as escolheu há muito tempo. Ela sabia que o Espírito precisava de alguém que fosse às profundezas mais inferiores.

Alguém tinha que pular na grande piscina da dualidade para explorar as partes mais profundas e inferiores dela. Oh, é fácil ser alguém que simplesmente põe apenas o dedo e diz: "Estou pleno de luz porque não afundo. E reúno e coleto a luz do sol, e portanto sou especial." É difícil, queridos amigos, quando vocês tomam o caminho do desafio. Vocês pulam nas profundezas quando escolhem ser um alcoólatra, a fim de ter o pior pesadelo dos pesadelos, para ter o maior desafio.

E vocês pensavam que fosse apenas carma. Pensavam que estavam pagando débitos para si mesmos. Queridos amigos, isto sequer parece lógico pagar débitos a si mesmos. Vocês e outros Taylors que são da família, que são Shaumbra, e que são profundamente amados por todos nós... vocês escolheram experiências difíceis em suas vidas para ajudar na exploração das profundezas da luz e da escuridão. Deram muito em serviço para fazer estas coisas. Ajudaram a re-encenar as experiências energéticas que aconteceram no limite do primeiro círculo e, ao fazer isso, ajudaram o Espírito a verdadeiramente compreender algo novo.

Sabemos que isso vai trazer inúmeras questões, como: "É correto matar outras pessoas, para que verdadeiramente eu ajude o Espírito?" Queridos amigos, vocês aqui neste grupo e lendo isto jamais deveriam estar inclinados a realizar tal ato no ponto em que estão. Vocês fizeram o suficiente no passado. Honrem a si mesmos pelo que realizaram. Honrem a si mesmos pelo difícil caminho que tomaram. E, em especial, quando olharem nos olhos de outra pessoa e, talvez, não vendo a luz que agora veem em si mesmos, lembrem-se de que eles ainda estão ajudando a explorar esta grandiosa coisa chamada dualidade. Há dois lados nela, uma luz e uma escuridão, um positivo e um negativo. Alguém tem que explorar as profundezas de ambos.

Vocês, que estão pensando em seus filhos agora mesmo e a dificuldade por que estão passando: compreendam o que eles estão realmente fazendo. Isso é compaixão, quando vocês podem compreender. Queridos amigos, o que estão experimentando aqui na Terra está auxiliando a compreender e auxiliando a definir aquela experiência que tiveram no limite da criação. E vocês realizaram aquilo bem.

Como mencionamos anteriormente, muitos dos sonhos que vocês têm agora, muitos dos terrores e pesadelos em sua vida não estão relacionados a esta vida. Sequer se relacionam com as outras vidas. Vocês imaginam de onde vêm esses terrores? Queridos amigos, muito do que lhes está chegando agora tem a ver com as experiências que tiveram antes de deixar o primeiro círculo. Vocês estão experimentando de uma outra maneira - em seus sonhos - para ajudar a criar a fábrica do que chamamos de segunda criação. Este é seu universo, sua Terra, uma extensão de Tudo o que É.

Então, ao longo do caminho, Taylor desistiu da bebida, e veio a aprender que havia uma divindade em seu interior, mas muito disto era psicológico. Ela não entendia tão bem com seu coração, porque ainda sentia culpa. Você sabia que ela ainda sentia culpa por ter deixado a primeira criação? Sentia culpa pela escolha destas tantas vidas e tantas experiências de dificuldades. Ela começou a ter uma nova sabedoria como uma borboleta saindo do casulo.

Taylor ainda tinha problemas em sua vida. Ainda tinha desafios. Leu muito material do Círculo Carmesim. Ela estava começando a compreender como aceitar todas as coisas. Começando a compreender como aceitar seu eu humano, embora isto fosse bem desafiante. Ela sentia que sua parte humana era algo para se envergonhar. Ainda não tinha compreendido que sua humanidade era divina, que sua humanidade deu tanto ao Universo. Taylor começou a ficar em seu momento divino, embora eles fossem difíceis, poucos e apenas ocorriam de tempos em tempos. Ela começou a tomar um tempo cada dia para ficar na divindade. E ela adorava isso, fazia-a sentir-se aconchegada e dourada. Mas então a culpa tomava conta. Ela então sentia que não merecia este momento divino, e ele desaparecia.

Mas Taylor deu intenção para aprender e crescer. Ela continuou a ter desafios em sua vida, alguns em relação a dinheiro e relacionamentos e saúde e confiança em si mesma. Eram muito difíceis e havia momentos em que amaldiçoava o Espírito. Havia momentos em que ela dizia que ia pular fora desta história de nova energia da Terra porque não via qualquer grande diferença em sua vida. Havia momentos em que ela dizia: "Isto tudo são apenas palavras. São apenas mais palavras de mais uma crença de outras pessoas da Terra. Tudo não passa de palavras. É apenas um apaziguar." Havia momentos em que se sentia muito frustrada.

Ela se encontrava em um ponto de sua vida onde queria acreditar muito profundamente. Queria prosseguir para o próximo nível, mas não sabia como. Tornou-se tão confusa e tão perdida e tão transtornada, mas mais do que tudo se sentia tão traída, que uma noite ela simplesmente teve um colapso e caiu no chão, começando a soluçar e disse: "Não posso seguir adiante. Espírito, não sei o que fazer. Eu o chamei para pedir direção. Eu tenho chamado meus anjos. Chamei meus guias, e não sei mais o que fazer." Bem, Taylor não tinha lido muito bem as palavras que diziam que o Espírito não pode fazer por vocês, e que seus guias haviam partido [risadinha amorosa].

Havia algo em seu interior que estava tentando sair à tona, tentando falar com ela, mas não conseguia quando ela ficava fora de seu momento divino. Não conseguia quando ela ficava se preocupando com todas estas coisas. Mas, ao sucumbir soluçando, algo aconteceu. Algo veio à tona. Era como uma voz e não vinha de fora, mas de seu interior. Apareceu e conversou com ela, e disse: "Eu sou a graça. Eu sou a graça divina que existe dentro de você. Cuidarei de todas as coisas. Vou equilibrar todas as coisas. Resolverei todas as coisas, e venho de seu interior, e meu nome é graça."

Ela ficou ali deitada por um longo tempo, sentindo esta energia da graça divina dentro de seu ser. E de alguma maneira sentiu-se bem. Ela não tinha se entregado e entregado seus problemas a uma entidade outra, a alguma imagem de Deus que não conhecia ou compreendia. Ela se virou para a graça que veio do interior de seu ser. Deste dia em diante, ela começou a entender. Começou a entender a força da graça divina.


Leia a mensagem completa aqui


Tobias é canalizado por Geoffrey Hoppe, P. O. Box 7392, CO, 80403. E-mail: Cauldre@aol.com <mailto:Cauldre@aol.com> - O Círculo Carmesim se reúne mensalmente em Denver, Colorado, para partilhar amor, informação e risos. Para maiores informações sobre o Círculo Carmesim, envie mensagens a Michele Machale em Mmachale@aol.com <mailto:Mmachale@aol.com> - Partes desta mensagem foram editadas a partir da versão original gravada em viva voz para maior clareza e compreensão. Por favor, distribua livremente este texto em material não comercial. - Visite o site do Círculo: www.crimsoncircle.com <http://www.crimsoncircle.com/> para maiores informações. - Agradecimentos especiais a todas as maravilhosas almas no Círculo Carmesim, mais Kryon, Lee Carroll, Jan Tober, Dra. Melanie Wolf, Tobias e o amor do Espírito. - Agradecimentos especiais a Dra. Mindy Reynolds por seu amor e paciência na transcrição de muitas e muitas horas de fitas de Tobias. - Direitos autorais Y2000 Geoffrey Hoppe, Golden, CO, USA. Todos os direitos reservados.
Tradução para o Português: Sonia Gentil - Bahia, novembro de 2001