Ferramentas para 2011 e Além

OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM
A Série (SEGUINTE):
                                                                           

SHOUD 6: 
“Ferramentas para 2011 e Além” 
Apresentando ADAMUS, canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim
8 de janeiro, 2011




 
Eu Sou o que Sou, Professor Adamus Saint-Germain, a serviço de vocês. Que ótima maneira de começar o ano novo! Até que enfim, um bom chá. [Risadas quando ele comenta após dar um gole no chá.] Uma gravata colorida e bem produzida [Geoffrey está com uma gravata violeta] e uma canção decente pra variar (Makyo, de Yoham). [Risadas] Embora eu tenha ficado surpreso por não incluírem a palavra “besteira”. [Mais risadas] Como vocês têm makyo sem toda aquela besteira? A canção é tão doce, tão meiga...
 
Assim, queridos amigos, vamos respirar bem fundo juntos. Temos muitos que abordar hoje. É um prazer estar aqui.

Cauldre não conseguia me encontrar mais cedo, embora eu estivesse aqui. A maioria de vocês sentiu, mas ele não. O chapéu, Patty. Você sabia que isso ia acontecer. [Risadas quando Patti entrega a ele um enorme chapéu branco.]
 
Então, para os que estão ouvindo online hoje pela primeira vez, isto não é... [Alguém tira uma foto dele.] Obrigado. Isto não é uma reunião espiritual típica, ainda bem, porque as reuniões espirituais típicas, ah, elas têm uma porção de makyo, um monte de distorção e distração. E, se isso incomodar vocês, podem se desconectar agora mesmo, porque isto foi apenas a ponta do iceberg daquilo que vamos abordar hoje.
 
Se vocês estão... [Ele olha sua imagem no telão e se admira; muitas risadas e aplausos.] A plateia está... falo com aqueles que só estão ouvindo e não vendo... as pessoas estão aplaudindo o visual delas que está extraordinário hoje. [Adamus ri.]
 
Assim, queridos Shaumbra... [Risadas quando ele atira o chapéu de volta para Patti.]
 
MULHER SHAUMBRA: Quase.
 
ADAMUS: Vou experimentar este. [Ele pega a boina de outra mulher.]
 
SUSAN: Eu sabia.
 
ADAMUS: Então... Dave? [Risadas quando ele faz pose para que Dave tire uma foto.] Obrigado.
 
SHAUMBRA: Muito francês.
 
ADAMUS: Muito francês. Assim, meus queridos, se esperam uma reunião espiritual tradicional, esta não é assim.
 
LINDA: Não chega com esses chapéus aí?
 
ADAMUS: Não, não, não, não. Vai continuar por toda... E aproveito pra dizer também que Linda me negou dinheiro além desta nota de cinco dólares amassada. Então, vou dá-la de uma vez. Está abençoada. Está purificada. Soprei a nota antes. E... você, meu caro... é pra você. [A plateia aprova e aplaude quando ele entrega a nota a um menino.]
 
Agora, uma vez que não tenho mais, vocês é que vão me dar dinheiro hoje. É, sim. Abram as bolsas. Abram as carteiras. Só...
 
LINDA: Eu tenho prêmios de Adamus.
 
ADAMUS: Ah, você estragou tudo. [Adamus ri.] Não é uma reunião espiritual comum.
 
Shaumbra, este grupo, quem estiver ouvindo, vocês não são seres espirituais comuns. Por quê? Porque vocês vivenciaram muita retórica, vivenciaram muitas disciplinas, e elas funcionaram até certo ponto, mas, enfim, não está aí fora. Vocês não vão encontrar isto em nenhum sistema de crenças, em nenhuma estrutura ou organização. Vocês não vão encontrar em nenhum livro, e vocês já descobriram isso. É a razão pela qual vocês estão aqui. Vocês estão aqui porque sabem que está aqui dentro. Elizabeth, está dentro de você. Está dentro de você, Kathleen. Está aqui dentro.
 
Vocês estão aqui, reunidos nesta comunidade de seres divinos, pra deixar que isso aflore, se abra. Vamos começar nosso dia de hoje exatamente assim. Vamos começar nosso dia com ahmyo. Com ahmyo.
 
Ahmyo é a total aceitação e confiança em si, sabendo que vocês são Deus também, mas deixando de lado o conceito intelectual, algumas palavras clichês e realmente sentindo isso, integralmente, cada um de vocês. Vocês não querem se tornar Deuses. Não são Deuses em treinamento. Talvez sejam Deuses que se escondem do fato de que são Deuses, mas, na verdade, vocês são.
 
 
Já Está Aí Dentro
 
Tudo de que precisam, tudo que querem, tudo que escolhem criar, cada potencial de cada momento já está dentro de vocês. Não estou falando do corpo físico, embora esteja lá também. Estou falando da consciência de vocês. Consciência é percepção, mas grande parte dessa percepção consciente permaneceu trancada, de propósito, mas houve uma razão pra isso.
 
Não foi um engano, Laughing Bear. Não foi um erro de jeito nenhum. Fez parte do aprendizado, do crescimento, da expansão e da sensação do que era ser um humano. A sensação do que era ser um humano passando por uma situação muito difícil. E, veja bem, Laughing Bear, dá certo, não dá? Você está descobrindo isso. Ainda há o desafio e a dificuldade, mas será que você percebe a bênção que é liberar um relacionamento muito próximo e muito querido pra você, mas que talvez estivesse impedindo você, impedindo essa pessoa, de seguir em frente? E será que você percebe, Laughing Bear, quanto amor ainda existe, um amor que é tão profundo que ambos, num nível espiritual, se desconectam, no nível humano, pra que possam descobrir o Eu Sou, esse Deus interior que estava escondido por um longo tempo? Isso é incrível.
 
É amor, quando duas pessoas, que ficaram juntas por muitas, muitas existências, que fizeram juramentos e que assumiram compromissos uma com a outra, possam se amar tanto que deixam ir. Ah, é doloroso, eu sei. É difícil liberar essas coisas que têm feito parte de seus padrões, da sua vida e da sua história, e deixá-las ir com total amor. Conseguem... bem, vamos fazer isso. Vocês conseguem imaginar o amor que seu espírito tem por vocês pra permitir essas coisas? Não há punição em nenhuma dessas coisas. Não há erros em nada disso. E se eu pudesse passar essa mensagem a cada um de vocês aqui hoje e a cada um que está escutando... Não há erros.
 
O que vamos fazer... o que vocês já estão fazendo... é começar a entender a sinergia entre o aspecto humano e a alma, entre seu espírito e sua condição humana, e a entender as dinâmicas, agora que eles estão entrelaçados, agora que estão dançando juntos, de como tudo isso funciona. Ah, este vai ser um ano incrível pra isso. Um ano incrível.
 
 
 Um Momento Ahmyo

Mas, bem agora, vamos ter um momento ahmyo. Sei que vocês todos estiveram ocupados, passaram por desafios, imaginando, duvidando, ou apenas ficaram envolvidos em suas atividades diárias, mas vamos ter um momento ahmyo agora.
 
O momento ahmyo é quando vocês simplesmente confiam no amor por si mesmos. É a epítome da graça. É quando vocês deixar ir essa dúvida. É quando vocês se amam. Nesse momento ahmyo, vocês percebem que tudo já está aí, apenas precisa ser convocado. Cada parte de seu DNA... ah, grande parte do DNA ficou escondido ou esquivou-se, esperando surgir no momento certo, esperando abrir-se, e muitos de vocês estão passando por isso agora mesmo – mudando seu DNA, mudando sua biologia, mudando o magnetismo. Que tal simplesmente permitir em vez de lutar contra isso? Que tal, em vez de ficar se perguntando o que está errado, aproveitar um pouco pra entender a perfeição deste momento.
 
Vamos respirar fundo em nosso momento ahmyo...
 
[Pausa]
 
Será que vocês conseguem imaginar... ah, sim, vocês conseguem, eu sei que conseguem... será que conseguem imaginar-se sabendo que não há uma curva errada sequer, que nada que fizeram foi errado, que não há erros em sua biologia, nada de errado? Simplesmente não há a consciência sobre a verdadeira perfeição de todas as coisas.
 
Quando o humano e o Espírito se fundem, como estão fazendo agora, vocês passam a confiar em si, nessa parte que vocês chamam de Espírito – de Deus interior – mas que é, na verdade, muito esquiva. Quando o humano e o Espírito se misturam, vocês percebem que não precisam ficar na defensiva, se proteger ou resistir em relação a coisa alguma. Vocês não precisam se preocupar com germes. Não têm que se preocupar com o que chamam de pensamentos ruins. Não têm que se preocupar com a autodestruição. Não têm que se preocupar com... certamente não com irem pro inferno. Vocês já estão lá. [Risadas] Não é essa coisa toda.
 
Vocês não precisam se preocupar com o mundo ao redor. Muitos acumulam preocupações se preocupando com o mundo. Ele vai ficar bem. Vocês, de certo modo, explodiram o mundo quando Atlântida acabou. E, vejam, vocês ainda estão aqui! Mágico. Inacreditável. [Risadas] Porque a parte do Espírito que está em tudo e em vocês está sempre rejuvenescendo, está sempre expandindo, está sempre se reequilibrando.
 
Mas, entendam, o aspecto humano, em algum momento da trajetória, deixou de confiar nesse equilíbrio natural que ocorre e parou de contar com ele. Houve muita lavagem cerebral, hipnose e todas essas outras coisas que aconteceram e os fizeram deixar de confiar.
 
Tem sido uma experiência interessante: Como é não confiar em si mesmo? Como é acordar de manhã assustado? Como é ir pra cama à noite com medo de fechar os olhos, porque, às vezes, é mais desafiador do que ficar com eles abertos? Muitos de vocês vão pra cama, ou iam, realmente paralisados, apagando as coisas totalmente, sem permitir que elas acontecessem, quando, na verdade, os sonhos que vocês têm à noite são campos potentes de criatividade, entendimento e sabedoria. Mas essa lavagem cerebral fez com que vocês deixassem de confiar em si e temessem sair por aí à noite. Vocês foram programados pra ter medo das partes verdadeiras de si mesmos. Isso já acabou agora. Já acabou – pelo menos neste grupo.
 
Vamos ter um momento ahmyo. Respirem fundo.
 
Confiem em si mesmos. Vocês são Deus também, e estão maravilhados com isso.
 
[Pausa]
 

Vida para Dentro da Vida

E vamos aproveitar o momento também pra soprar vida dentro da vida de vocês. Nada mais de se conterem. Nada de ficarem apenas imaginando como as coisas poderiam ser, mas realmente soprando vida pra dentro de sua vida, realmente se permitindo curtir a vida. Ah, ela tem tanto a oferecer. Tanto a oferecer...
 
[Ele está bisbilhotando a comida no fundo da sala.] Continuem respirando. Eu estou... hummmm, hummmm, hummmm. Vocês deveriam estar “Sha-dharando” neste momento; eu estou comendo. Sha-dhar, Shad-har. [Risadas quando ele diz isso de boca cheia.] Estou com fome. Tenho trabalhado muito ultimamente, e muitas energias estão em volta, se vocês não repararam...
 
Então, vamos respirar fundo, soprando vida dentro de sua vida, soprando vida dentro de seus potenciais. Os potenciais estão todos em volta. São como bolhas. [Ele olha como se procurasse algo em volta.] O que aconteceu com minha máquina de fazer bolhas?
 
LINDA: Suzy se livrou dela.
 
ADAMUS: Oh, bom, então, tudo bem, mas... Sim, nós teríamos uma máquina de fazer bolhas aqui pra demonstrar os potenciais de vocês. Eles são como bolhas de sabão, bolhas de Ano Novo.
 
Então, soprem vida nesses potenciais. Bilhões de potenciais em sua vida, todos alinhados pra vocês, criados por vocês, para vocês, esperando por vocês. Vocês só não estavam conscientes deles. Vocês têm ficado conscientes de um conjunto limitado de potenciais. Ele é vasto. Falaremos sobre isso daqui a pouco.
 
Simplesmente, respirem fundo, soprando vida pra dentro de sua vida.
 
Entendam, a maioria dos humanos não vai nem pode fazer isso. É. Tentem isso com alguns de seus... como vocês chamam?... amigos “trouxas”. (N. da T.: Adamus refere-se aqui à terminologia da série de livros Harry Potter, onde, na tradução em português, trouxas são aqueles que não são bruxos.) [Risadas] Digam a eles pra soprarem vida dentro da vida deles. Ah, primeiro, eles vão intelectualizar, vão ficar mentais com vocês. Vão tentar prendê-los mentalmente. Digam: “Não, não, não. Apenas sopre vida pra dentro de sua vida.” E, então, eles vão ficar imaginando o que vocês estão querendo vender. Ar.
 
A maioria dos humanos não consegue fazer isso, porque não confiam o suficiente em suas vidas. Eles não sabem se podem lidar com uma vida maior, mais grandiosa. Por quê? Eles mal conseguem lidar com o que já têm no momento. Vocês sabem como é. Ficar por aí, fazendo isso, fazendo aquilo. Então, eles não conseguem soprar vida pra dentro da vida. Vocês conseguem soprar vida pra dentro da vida e pra dentro de todos os potenciais.
 
Você percebe o quanto tudo é perfeito? Bom ver você aqui fora em vez de lá atrás. [Adamus está falando com Sandra, que costuma ficar na cozinha.] Eu ia pegar você e arrastar cá pra fora desta vez. Você não pode mais se esconder. Você e eu temos um acordo. Bem, eu tenho, você vai cumpri-lo. [Risadas] Você não pode se esconder este ano.
 
Será que podemos ter, ao menos, fogo na lareira? Não temos bolhas, mas talvez fogo na lareira. Vocês têm lenha natural aí. [Alguém se prontifica a acender a lareira.]
 
Então, a maioria das pessoas não consegue soprar vida em sua própria vida. Não querem fazer isso, têm medo de fazer isso e, francamente, se fizessem, causariam uma tremenda onda de mudança com a qual teriam dificuldade de lidar sem deixar o planeta. Mas vocês, queridos Shaumbra, conseguem soprar vida pra dentro da vida. Chama-se Sha-dhar. [Adamus inspira e expira.] Humm, alho no tempero. Tudo bem. [Risadas quando ele começa a soprar em direção às pessoas.] Sei quem foi que preparou. [Muitas risadas quando ele vai soprar em Garret, que se levanta e sopra de volta em Adamus, e ambos se enfrentam.] Pensei, por um instante, que você fosse me beijar! Seria algo pra anotar em minha experiência de vida.
 
 
Energias Provenientes de Outro Grupo

Assim, queridos Shaumbra, Cauldre não me sentiu antes e, provavelmente, foi por uma boa razão. [Adamus está no fundo da sala, olhando o equipamento e está sendo enxotado.] Oh, você não quer que eu sopre em você, Jean? Ah, claro que não. Eu sopraria se quisesse. Implore pra mim! [Risadas quando ele provoca Jean.]
 
Cauldre não me sentiu. Por quê? Porque outras energias estão aqui hoje. Acho que vocês devem ficar orgulhosos disso, de certa forma, mas essas outras energias não são as que vocês normalmente teriam aqui num encontro como o nosso. Ficamos bastante isolados por um bom tempo, fazendo nossas coisas de maneira quieta, pacífica, sem muita interferência externa. Mas é difícil permanecer escondido. Nós atraímos – vocês atraíram – atenção externa.
 
Literalmente, na forma humana, existe um grupo que se autodenomina espiritual, acreditem ou não – muito espiritual, arrogantemente espiritual, convictamente espiritual. Talvez vocês também se lembrem de como era isso. Mas eles assumiram a responsabilidade de determinar que grupos são bons e que grupos são ruins. E esse não é aquele grupo que me convidou, é um grupo diferente.
 
Uma pista aqui: eles usam a palavra matriz. Não como denominação, mas em muitos trabalhos que fazem. Bem, esse grupo decidiu que é o juiz e o júri e que vocês são pessoas do mal. [A plateia vibra e aplaude.] É. Inspirem isso.
 
Então, eles têm feito suas reuniões, suas meditações pra vocês, como dizem, porque sentem que este grupo está gerando muita energia escura e criando um desequilíbrio. Bem, vocês estão. [Risadas] A energia escura que vocês estão criando é, de fato, o que vocês estão liberando que não serve mais pra vocês em sua vida – as coisas que vocês não gostavam com relação a vocês mesmos, que não aceitavam com relação a vocês mesmos e as coisas que vocês temiam – e vocês estão liberando isso. Então, pra quem vê de fora, pode parecer que vocês estão soltando muita fumaça, fumaça escura. Mas vocês e eu sabemos que, quando vocês liberam isso, isso volta para um estado natural puro.
 
Eles também acham que vocês são um culto, que estão recebendo alguma mensagem a ser seguida. Eu diria que é justamente o contrário do que nós fazemos aqui. Se há algo que nós encorajamos vocês a fazerem é descobrir, conhecer e vivenciar o Deus que vocês são. Sem regras. Sem regras. Sem métodos. Na verdade, vocês se tornaram exterminadores de métodos e é aí que mora o problema.
 
Esse grupo, em particular, não entende como alguém pode ser espiritual sem ter métodos e sistemas. É claro que, lá no fundo, eles precisam continuar vendendo seus métodos e sistemas, mas eles acreditam mesmo que não é possível um grupo não ter essas coisas. Como vocês não têm disciplina na vida? Vocês devem se disciplinar. Vocês devem meditar durante X minutos por dia e acender velas, comprar novos sistemas e tudo mais. Assim, eles estão fazendo um ataque energético a nós hoje, um ataque energético geral, deliberado e consciente.
 
Além disso, quando fazem esse ataque, eles atraem energias das outras esferas, não necessariamente associadas a esse grupo, mas outras energias que são atraídas pelo drama, que dizem: “Ótimo, vamos assistir a uma velha e boa luta psíquica.” Alguns de vocês sentiram isso mais cedo. Minha querida.
 
LINDA: Eu sei.
 
ADAMUS: Alguns de vocês devem ter tido alguns sentimentos ontem, ou a caminho daqui, mas uma coisa engraçada acontece quando nos reunimos assim. Nós não criamos um escudo, porque, de fato, é isso que eles gostariam que vocês fizessem. Nós não criamos um invólucro de luz branca ao nosso redor, porque não há necessidade. Na verdade, vocês, Shaumbra, vocês que estão escutando, que estão sintonizados, mesmo que pela primeira vez, entendem que vocês apenas inspiram isso com compaixão. O ataque psíquico não é mais uma batalha ou algo que tenha que fazer com que vocês se escondam. Vocês inspiram isso; é apenas energia.
 
Agora, eles estão atirando a energia na direção de vocês, na forma de um ataque, mas vocês não precisam aceitá-la desse jeito. É apenas energia; inspirem. [Adamus respira fundo.] No momento em que inspiram, vocês – como alquimistas em corpos humanos – transmutam essa energia. Vocês nem precisam conservá-la. Vocês deixam ela ir. Vocês deixam ela fluir para seus potenciais, para o resto do mundo ou o que for. Assim, é interessante o que está acontecendo hoje.
 
Mas aqui estão vocês, apenas inspirando isso. Aqui estão vocês, fazendo com que essa energia ajude vocês. Esse é um ponto importante, um ponto muito importante pra este ano que se segue. Bem, pro resto da vida de vocês, pro restante da eternidade. Vocês atraem essas energias com o trabalho que estão fazendo... obrigado pelo fogo. Com o trabalho que vocês estão fazendo... por que será que eu quis fogo? [Algum Shaumbra diz: “Pra transmutar.”] Ah, adoro vocês! Quem disse isso primeiro?
 
PATTI: Eu disse.
 
ADAMUS: Temos um prêmio aqui? [Risadas quando ele mexe na carteira.] Ah, está certo. Você é que me dá o dinheiro.
 
LINDA: Aqui, aqui, aqui, aqui.
 
ADAMUS: Estou brincando.
 
LINDA: Você tem prêmios. Prêmios.
 
ADAMUS: Sim, sim. Lá vai.
 
LINDA: Você recebe um prêmio de Adamus.
 
ADAMUS: Lá vai, um prêmio de Adamus. Sim, sim.
 
PATTI: Susan disse ao mesmo tempo.
 
SUSAN: Tudo bem, eu tenho um.
 
ADAMUS: Você só tem um?
 
SUSAN: Eu só tenho um, e preciso de um pra minha casa.
 
ADAMUS: Ah, aqui está, minha querida. Sim. Sim, a transmutação das energias é muito importante.
 
Assim, queridos Shaumbra, vamos respirar fundo, e tenham isso em mente.
 
De fato, vocês estão atraindo isso pra vocês, e o curioso é que é porque vocês estão começando a se mostrar. É muito diferente do que acontece com a maior parte dos grupos espirituais.
 
EDITH: Não brinca.
 
ADAMUS: Não brinca, ela diz! Você me chamou de Mestre do Óbvio? [Risadas] Esse é meu segundo nome, obrigado.
 
É importante porque vocês meio que estavam se escondendo, contidos, reservados nesses últimos dez anos. Não mais. E vão se mostrar cada vez mais este ano, estejam preparados. Outros vão ficar atirando contra vocês. Vocês não têm que se defender de nada. Vocês não têm que lutar contra nada. É apenas energia. Vocês apenas respiram fundo.
 
Vão ter aqueles dizendo que o Círculo Carmesim, os Shaumbra, estão fazendo tudo errado, todas essas coisas maléficas. Vão acusá-los de tudo quanto é tipo de coisa, e isso vai exercer uma pressão, individualmente e enquanto grupo. Vai tocar em questões centrais.
 

Questões Centrais

Quais são as questões centrais? Quais são algumas das questões centrais? O que alguém poderia lhes dizer enquanto grupo, ou mesmo indivíduos, sobre o que vocês estão fazendo? Sim?
 
MULHER SHAUMBRA: Dinheiro.
 
ADAMUS: Dinheiro, exatamente. É, vocês devem se preparar pra isso [voltando-se pra Linda]. Dinheiro. Vão acusar o grupo, a empresa aqui, de estar visando o dinheiro. E a resposta é? Sim! [Risadas e aplausos] E o que tem de errado nisso? É claro, a menos que isso seja feito com abuso, ou de forma desequilibrada, mas isso nunca seria permitido, e esse nem mesmo é um potencial que vocês escolheriam. Mas é uma grande questão. Dinheiro.
 
Mas, lembrem-se, isso vai surgir por uma boa razão, porque ainda existe uma questão com dinheiro nos Shaumbra. Acho que ouvi Linda dizer que já programou meu seminário sobre abundância?
 
LINDA: Já! Mal respiramos de ansiedade.
 
ADAMUS: Ah! [Adamus sopra seu hálito de alho novamente.] É, mal respiram. [Risadas] Então, eu respiro! Alho e chá. Não sente ao lado de Cauldre no jantar de hoje, já vou lhe dizendo.
 
Assim, dinheiro é uma questão. O que mais é uma questão?
 
MARY: Controle.
 
ADAMUS: Ótimo. Onde? Quem falou? Mary, por favor. Controle, com certeza.
 
LINDA: Por favor, o quê?
 
ADAMUS: Um prêmio de Adamus.
 
LINDA: Ah, certo.
 
ADAMUS: Deixe-me abençoá-lo primeiro.
 
LINDA: Ah, aqui. Abençoe a bolsinha. Aqui está.
 
ADAMUS: Já está abençoado pela Mary, para a Mary.
 
Então, sim, poder e controle. Vocês todos foram acusados disso no passado. Vocês todos lideraram grupos no passado. E num grau ou noutro, vocês... bem, poder e controle são atraentes. Ah, é como refresco num dia quente de verão com vodca dentro. É muito sedutor. Faz parte da dinâmica das energias sexuais, e aqueles que têm poder sempre querem mais. Nunca se tem poder suficiente. O que Tobias falou sobre poder anos atrás?
 
KATHLEEN E OUTROS: É uma ilusão.
 
ADAMUS: É uma ilusão. Obrigado.
 
LINDA: Ela recebe um prêmio?
 
ADAMUS: Podemos começar a arremessá-los... Sim, sim, Kathleen recebe um.
 
KATHLEEN: Obrigada.
 
ADAMUS: É uma ilusão. Não existe esse negócio de poder. É algo artificial, criado nas esferas angélicas, muito tempo atrás, trazido para a Terra como um dos grandes pilares de como a vida é estruturada, mas não existe necessidade de poder. Poder é uma dinâmica de força, e vocês estão aprendendo, nesta Nova Energia, que não há necessidade de se forçar nada. Há, sim, um fluxo natural que se pode aproveitar, mas não há necessidade de força. Não existe negativo, não existe positivo. Tudo isso é uma velha ilusão. Então, onde eu estava?
 
EDITH: Questões centrais.
 
ADAMUS: Questões centrais. Obrigado. Obrigado. Adorei o roxo. [Ele comenta com relação à roupa de Edith.] Então, outras questões centrais? O que vai exercer pressão sobre vocês?
 
LARRY: Julgamento.
 
ADAMUS: Julgamento, as pessoas julgando vocês. Certamente. Certamente. Por que isso é uma questão central? Por que isso machuca? É fácil.
 
LARRY: Eu não quero ser diferente.
 
ADAMUS: Vocês se julgam. Larry ganha um prêmio de Adamus. É, porque vocês sabem... [Larry fala algo que ficou inaudível e Adamus ri.] Sim. O professor. Com certeza! Mas não tem erro aí. Tem uma boa razão pra vocês fazerem isso... tem uma razão. É. Há um jeito diferente de fazer isso, por sinal, mas vocês fazem por uma razão. Julgar a si mesmos, a natureza crítica. Em algum ponto da trajetória, vocês disseram que queriam ser o Deus incorporado e, em algum ponto da trajetória, vocês confundiram isso com ter que ser um humano perfeito, pra começar. Não existe esse negócio de humano perfeito. É uma meta que vocês nunca podem, jamais, em tempo algum, jamais alcançar. Por quê? Porque, no momento em que chegam perto disso, vocês vão estabelecer um novo critério pra ser perfeito. Vocês nunca serão perfeitamente espertos, graças a Deus. Vocês não querem ser espertos. Não. Vocês querem ser sábios, intuitivos. Vocês não conseguem ter o corpo perfeito por mais de três a cinco anos. Depois, ele deixa de ser. [Risadas] De acordo com a sociedade. Vocês nunca terão o emprego perfeito, o companheiro perfeito e, ah, definitivamente, não terão a família perfeita – preciso dizer mais? Mas essa é uma caçada em que as pessoas se metem. É um jogo do qual participam. Nunca vai acontecer. Mais uma questão central. O que “eles” podem dizer?
 
EDITH: Propósito. Você odeia essa questão.
 
ADAMUS: Que questões centrais outros podem dizer pra vocês este ano, porque vão dizer. O que realmente vai tocar vocês?
 
KERRI: Fazer o que você mesmo diz que é pra ser feito.
 
ADAMUS: Fazer o que diz. Quase isso. Quase isso.
 
HOMEM SHAUMBRA: Que eu sou Deus.
 
ADAMUS: Que...
 
JEAN: Que você enlouqueceu.
 
ADAMUS: Obrigado. Jean leva o prêmio. Que você enlouqueceu! Sim, tudo isso está relacionado, mas “você enlouqueceu”, provavelmente, vai afetá-los mais do que qualquer outra coisa. Vocês estão iludidos. Ficaram malucos. Vocês ainda entram naqueles programas, têm acessos de raiva, saem pela tangente ou coisa do tipo. Particularmente, quando dizem que vocês estão malucos. Por que incomoda?
 
MULHER SHAUMBRA: Porque é verdade.
 
ADAMUS: Porque é verdade. [Muitas risadas] Eu sabia que esse outro grupo ia conseguir se infiltrar. Só não achava que seria tão depressa!
 

Além da Mente

É, isso realmente incomoda vocês lá no fundo, porque vocês, às vezes, ficam imaginando essas coisas de si mesmos. Porque, de fato, é algo que está se tornando verdade, mas vou colocar em termos diferentes; vocês estão saindo da mente, e é uma coisa boa. Vocês, literalmente, estão saindo da mente, porque percebem que a mente é uma coisa linda, mas é como um hard drive que foi programado. Tem limites e há muito mais coisa... e cada um de vocês pode sentir isso. Vocês sabem com o coração.
 
Não tem a ver com ser inteligente ou esperto. Tem a ver com ser o Eu Sou. A natureza intuitiva são saltos quânticos à frente da mente. O saber que chega, a capacidade de, simplesmente, utilizar, energeticamente, os Registros Akashicos, que são apenas uma pequena parte de tudo, a capacidade de aproveitar a consciência de massa. E os potenciais futuros nunca virão da mente; virão do Corpo de Consciência, que é o corpo físico, a mente, o espírito, a gnose – cada parte de vocês reunida.
 
Então, quando alguém diz “você está ficando maluco”, há essa preocupação... é colocado como se vocês estivessem equivocados ou perdendo o rumo... que bela maneira de botá-los pra baixo, porque vai imediatamente para a mente e vocês começam a se perguntar: “Será eu devia continuar tomando aqueles medicamentos?” [Risadas]
 
Os pensamentos de vocês estão mais estranhos do que nunca. Não é verdade? [Algum Shaumbra diz: “Sim.”] Mas vocês começam a criticar esses pensamentos. Vem acontecendo há algum tempo. [Adamus volta-se para Garret.] Mas olhem pra ele agora! Olhem pra ele, que exemplo brilhante!
 
Seus pensamentos estão mais malucos do que nunca. Mas vocês ainda lutam com eles, tentando corrigi-los, tentando imaginar de onde vieram ou o que está errado com vocês. Nada. É que vocês simplesmente estão se abrindo. Estão saindo da sua mente.
 
A base total de todo o seu pensamento muda e, se vocês não estiverem dispostos a permitir ou cooperar com essa mudança que está, naturalmente, ocorrendo agora, o que acontece é que as energias que fazem parte desse processo, literalmente, vão quebrar com seus velhos processos de pensamento. Vocês não precisam fazer desse jeito, embora seja um percurso e tanto! Mas vocês não precisam fazer assim. Basta entender que a velha mente está mudando, está expandindo. E vocês estão indo além. Seus pensamentos estão ficando mais malucos do que o normal. Vai ser mais difícil defini-los agora do que era antes. Vai ser mais difícil captar ou compreender seus pensamentos. Seria a melhor forma de colocar isso.
 
O que está fluindo no momento é muito difícil de entender. E, então, vocês se perguntam: “O que é tudo isso? Eu sei que tem algo acontecendo. Estou tendo esses pensamentos loucos, mas existe algo maior acontecendo que eu não compreendo.” Por que vocês não compreendem?
 
KATHLEEN: Porque ficam mentais.
 
ADAMUS: Porque ficam mentais. Vocês tentam usar a mente pra conceber o que está além da mente.
 
A propósito, vocês querem usar a mente pra tentar conceber Deus desde que conheço vocês, e já faz um bom tempo. Vocês usam uma mente pra tentar conceber algo que... A mente não consegue sequer fazer uma ideia de Deus. Daí, o que ela faz é colocar Deus do lado de fora de si mesma pra tentar entendê-lo. Ela o coloca no céu ou em qualquer outro lugar. Ela o coloca do lado de fora pra que possa analisar, dissecar e tentar conceber Deus.
 
Vocês têm feito isso ao longo de existências, mas ainda não funciona. Ainda não dá certo. Já tentaram apresentar algumas definições, mas elas não se encaixam muito bem. É um dos problemas da consciência hoje. As pessoas não estão mais comprando o velho conceito de Deus. Elas costumavam prosseguir, com fé, sem questionar, porque lhes diziam: “Bem, do contrário, você vai queimar no inferno.” Então, elas simplesmente seguiam com isso. Agora não é mais assim, o que está causando um enorme rompimento da consciência. Um terremoto... será que eu senti um terremoto em algum lugar do mundo? Acho que sim. Eu não deveria falar isso... um terremoto de mudança está acontecendo na consciência.
 
Então, a mente coloca Deus do lado de fora de si e ainda não consegue defini-lo. Daí, em determinado ponto, a mente começa realmente a implodir ou a se atacar, porque ela está zangada, está frustrada. Se ela não entende, então, ela começa a se voltar pra si mesma. E é quando vocês pensam que estão ficando malucos, mas vocês realmente não estão. Vocês estão apenas se desestruturando e evoluindo, na verdade. Evoluindo para a nova mente.
 
Estou muito entusiasmado com este ano e o próximo, em particular. São os primeiros anos importantes em que estamos juntos, porque nunca houve tanta oportunidade e nunca houve tanto caos. Eles seguem de mãos dadas, não é? É, e é apenas energia. Pra alguns, vai parecer que é caos, tudo desmoronando; pra vocês, é oportunidade.
 
Assim, vamos respirar fundo e entrar nesse sentimento.
 

Estabelecer Metas Versus Permitir

Pete, você tomou alguma resolução de Ano Novo?
 
PETE: Não.
 
ADAMUS: Você tomou uma resolução de Ano Novo?
 
SUSAN: Sim.
 
ADAMUS: E qual foi? Bem, vamos trazer o microfone pra cá.
 
SUSAN: Não ter medo de nada.
 
ADAMUS: Não ter medo. Ótimo, excelente. Você tomou uma resolução de Ano Novo?
 
SHAUMBRA: Não.
 
ADAMUS: Você tomou uma resolução de Ano Novo?
 
MULHER SHAUMBRA: Tomei.
 
ADAMUS: E qual foi?
 
MULHER SHAUMBRA: Viver intencionalmente.
 
ADAMUS: Viver intencionalmente. Certo. Mais alguém? Mais alguém? [Ele fala com alguém da plateia que apenas balançou a cabeça.] Sem resolução? Sem resolução. Vamos até a Mary.
 
MARY: Parar de me esconder.
 
ADAMUS: Parar de se esconder. Certo. Ótimo. Quantos tomaram uma resolução de Ano Novo? [Poucos levantam a mão.] Quantos não tomaram? [Muitos] Uau! Ótimo! Adoro este grupo. Adoro! [Risadas] Adoro. Se você tomou uma resolução de Ano Novo, jogue fora, Mary. Jogue fora. Não. É o velho jogo. Você coloca algo lá adiante...
 
MARY: Eu tomei essa resolução hoje.
 
ADAMUS: Jogue fora de qualquer jeito. Você vai jogar fora quase tudo, de qualquer maneira. Porque não importa, não se aplica. Se tomaram uma resolução de Ano Novo, vão perdê-la antes mesmo de começarem. Certo? Quantas vezes tomaram essas decisões e elas não aconteceram? Siga a dica de quase todo mundo aqui – chega de metas. Chega de metas. Elas são um saco. Não dão muito certo. Sinto muito, mas não dão.
 
Eu me dirijo a você, já que está me dando esse olhar duvidoso, Linda de Eesa. Então, houve alguma meta para essa nova iniciativa de vocês, A Zona do Despertar? Como ela aconteceu?
 
LINDA: Nós apenas permitimos.
 
ADAMUS: Não ouvi direito.
 
LINDA: [falando mais alto] Nós apenas permitimos.
 
ADAMUS: Acho que ainda não ouvi.
 
LINDA: Nós apenas permitimos!
 
ADAMUS: Permitiram. Vocês apenas permitiram. O que fizeram foi, de fato, trazido num potencial e se tornaram conscientes disso. Vocês trouxeram os potenciais... porque houve algum... ah, eu poderia dizer... estresse que criou a necessidade de procurar fazer algo diferente. Não é verdade?
 
LINDA: É.
 
ADAMUS: Claro. Então, devido a esse estresse, vocês quiseram mudar e, daí, permitiram. O que acontece? Os potenciais que vocês nunca viram antes... eles sempre estiveram aí, sempre estiveram aí; vocês os criaram... esses potenciais, de repente, entraram no campo de visão. E, por estarem conscientes, por terem recebido alguma orientação, por terem um desejo, de repente, eles aconteceram. Nunca houve uma meta. Nunca houve um plano empresarial pra essa nova iniciativa. O que houve foi uma conexão dentro da consciência de todos os Shaumbra, de todos os que se tornarão Shaumbra e de todos os Shaumbra que ainda não nasceram. [Risadas e a plateia diz: “Éééé!”] Que gracinha!
 
Então, vocês conectaram tudo isso e, de repente, o potencial estava lá, e vocês devem ter ficado um pouco temerosos, mas inspiraram, aceitaram e permitiram, porque sabiam que esse potencial era seu e de todos vocês. Daí, de repente, ele começa a se manifestar e é quando fica divertido, porque é quando... não é isso, Michelle? É quando fica divertido... passar longas horas de trabalho com as Velhas Energias rondando... mas aprender a trabalhar com elas de maneira eficaz... aprender que cerrar o punho, ficar com raiva e culpar os outros não dá muito certo, mas respirar fundo e perceber que tudo é apenas energia, sim. [Adamus olha para um homem da platéia.] Respire fundo e perceba que a energia está aí pra servir ela [Michelle]. É, você, você está aí pra servi-la. [Agora, ele fala com Alain.] Você, você estava aí pra servi-la, lá atrás...
 
Respirem fundo e percebam isso. Depois, começa um outro fluxo. Vai além do que vocês sequer pensaram que poderiam ter feito, porque justamente vocês pensavam no que poderiam ter feito. De repente, percebem que realmente funciona.
 
Tem, sim, um certo grau do que chamam de desafios, mas logo, logo, esses desafios não são mais desafios; são como baldes, barris, vagões de energia, apenas esperando por vocês. Daí, fica divertido. Daí, fica incrível. E, por vocês não terem uma agenda com relação ao resultado, em outras palavras, não terem predeterminado como deveria acontecer no final, vocês simplesmente deixam sua criação ganhar vida, e vocês se infundem nela. Vocês não tentam controlá-la, dirigi-la, administrá-la; vocês apenas se infundem nela, permitindo que ela se expanda.
 
A alegria da condição de criador é quando vocês liberam sua criação. Pensem nisso... não, não pensem nisso. Odeio quando pensam. Sintam isso por um instante. A alegria de estar na condição de criador é quando criam algo e o deixam ir. Esse algo ainda é de vocês, mas vocês não precisam controlá-lo. Isso é a glória: apenas observar e senti-lo crescer; abrir mão da agenda ou da expectativa e apenas deixar ir.
 
Ah, é isso que vocês chamam de Deus, de Eterno. A maior alegria do Eterno sempre foi deixar vocês irem. Deixá-los ir. Deixar que você vivencie o que quiser vivenciar, Edith, e encontrar uma completa alegria nisso, sem tentar controlá-la. Deus não ia querer controlá-la.
 
EDITH: Não, não ia.
 
ADAMUS: E você também não deixaria Deus controlá-la. [Risadas] Não, não, não, não.
 
EDITH: Esse Deus gostaria que fosse assim.
 
ADAMUS: É, sem controle. Não existem regras que venham do Espírito. Não existe destino. Deus não tem uma agenda com relação ao resultado. Na verdade, o Espírito não quer saber. Ele não dá a mínima. Falaremos disso daqui a pouquinho. Quero fazer uma música. Começamos quando Hannibal esteve aqui antes, mas o Espírito não dá a mínima.
 
Agora, quando falo isso, energeticamente, esse outro grupo vai dizer... esse que está aqui: “Viu, eu disse. Viu? Eles falam coisas assim. Deus não quer saber.” Ah, daria uma ótima manchete. Sim. ‘Grupo Acredita que Deus não Quer Saber. Nada importa.’ “Que grupo estranho. Sim. Devem estar loucos, e atrás do seu dinheiro.”
 
LINDA: Você precisa mesmo dar a manchete de bandeja pra eles? [Risadas]
 
ADAMUS: É claro! Com certeza. Por quê? Bem, eu vou escrever as manchetes. Eu vou escrever a droga da história toda pra eles, porque é apenas energia e vocês podem ficar aguardando. Podem desfazer o embrulho feio que está sendo encaminhado a vocês, pois é só energia. Dizem coisas ruins sobre você, David – e dirão mais – beba isso. É, coma isso. [Risadas quando David finge que está bebendo com satisfação.] É. É, você faz assim agora, mas... [Mais risadas] Oh!
 
DAVID: É verdade...
 
ADAMUS: Então, queridos Shaumbra, esperem por isso este ano. Esperem que digam: “Você perdeu a cabeça. Está maluco. Não sabe o que faz. Prove. Me dê suas credenciais. Quem é você?” Kathleen, quais são suas credenciais?
 
KATHLEEN: Apenas ser eu mesma.
 
ADAMUS: Obrigado. Com certeza. “Eu Sou o que Sou.” É isso que deve constar do seu cartão de visitas.
 
KATHLEEN: E, portanto, eu sempre serei.
 
ADAMUS: Exatamente... mas não comece com makyo. Eu Sou o que Sou. [Risadas] Por que não coloca só uma sujeira bem grande no seu cartão de visitas! Não, deixe ele limpinho. “Eu Sou o que Sou.” 
 
Então, queridos Shaumbra, vamos ver isso neste próximo ano. Antes, porém, quero fazer um comentário. Um novo sintoma dos Shaumbra, um novo sintoma do despertar, o maior deles... [Alguém levanta a mão.] Sim?
 
CHRIS: Na verdade, eu tenho algumas perguntas sobre coisas que disse Adamus. Você é Adamus, certo? [Risadas] Bem, algumas citações feitas por Adamus... digo, esta é minha primeira vez aqui, mas...
 
ADAMUS: Eu Sou o que Sou. Eu sei... Quem eu sou... é muito confuso.
 
CHRIS: Minha... Bem, quero dizer... estou familiarizado com...
 
ADAMUS: Sim. Eu poderia ser uma força escura trabalhando...
 
CHRIS: ... Arcanjo Rafael. Você valida isso? Por favor, diga que é legítima essa minha aproximação com o Arcanjo Rafael.
 
ADAMUS: Sim. Sim.
 
CHRIS: Certo.
 
ADAMUS: Claro.
 
CHRIS: Verdade? Você valida isso?
 
ADAMUS: Não importa.
 
CHRIS: Importa, sim.
 
ADAMUS: Não importa.
 
CHRIS: Pra você, não importa? Tudo bem, então, enfim, o ponto é que me pareceu que existem novas Terras além desta.
 
ADAMUS: Sim.
 
CHRIS: E estão em algum lugar no espaço?
 
ADAMUS: Não.
 
CHRIS: Não?
 
ADAMUS: Não.
 
CHRIS: Tá. Então, todas as novas Terras estão sobrepostas a esta Terra?
 
ADAMUS: Não.
 
CHRIS: Então, você não está me dando uma resposta direta.
 
ADAMUS: Estou.
 
MULHER SHAUMBRA: Sim, ele está!
 
ADAMUS: As novas Terras não são necessariamente físicas, mas têm atributos energéticos deste planeta físico. Elas têm alguns dos atributos da consciência. Não são...
 
CHRIS: Então, são novas esferas para esta criação, como a Terra que existe nesta forma física?
 
ADAMUS: As novas Terras não estão no seu universo físico, que é apenas uma fatia fina entre todas as dimensões. Então, existem...
 
CHRIS: Então, lá, existem aqueles, que se referem à Terra como lar, que estão partindo?
 
ADAMUS: Sim.
 
CHRIS: E se eu não quiser partir... e não parece... soa como uma ideia maluca...
 
ADAMUS: Certo.
 
CHRIS: ... e como se você estivesse manipulando as pessoas...
 
ADAMUS: Ah, eu estou.
 
CHRIS: ... pra acreditarem em coisas que são boas, quando, na verdade, você está suprimindo-as e/ou suprimindo seus antepassados da [criação da Terra. – Nota: Estas palavras não ficaram claras].
 
ADAMUS: Oh, meu Deus!
 
CHRIS: Então, quando você... quando você...
 
ADAMUS: É. Não, espere um pouco.
 
CHRIS: Quando você fala de credibilidade...
 
ADAMUS: Sim, nós vamos suprimir todos os antepassados.
 
CHRIS: ... e as pessoas chamam essas outras de malucas...
 
ADAMUS: Enquanto eu estiver aqui, eu vou suprimir os antepassados. Essa é a grande...
 
CHRIS: Bom, não, isso não está bem pra mim. Você não tem autoridade sobre mim nem sobre meus antepassados.
 
ADAMUS: Ah, não, não, não. Eu não, mas vou lhe dizer que seus antepassados estão totalmente...
 
CHRIS: Porque eu os conheço. Eu falo com eles. Eu me harmonizo com eles. Então, estou em pé de igualdade com você no que se refere a sentir o outro lado.
 
ADAMUS: Certo, certo.
 
CHRIS: E algumas coisas que você está falando, Adamus...
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: ... são preocupantes.
 
ADAMUS: Sim!
 
CHRIS: E estas pessoas estão meio perdidas na ilusão.
 
ADAMUS: Com certeza. [Muitos aplausos da plateia]
 
CHRIS: Então, estou tornando isso válido...
 
ADAMUS: Sim. Sim. Sim. E estou, de fato...
 
CHRIS: ... a partir... bem, a partir de uma frase inteira, e sendo direto com você quanto a isso.
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: Só que não entendo por que os aplausos diante desse entendimento ou comentário de que você está iludindo e, veja, enganando com coisas que são prejudiciais pra essas pessoas e seus antepassados...
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: ... porque este é o lar delas e você sugeriu, ou insinuou, que seres angélicos o estavam tomando.
 
ADAMUS: Vamos fazer... vamos fazer...
 
CHRIS: Eu discordo disso.
 
ADAMUS: O que é excelente. Vamos fazer um levantamento. Todos... Bom, vocês não têm livre arbítrio. Vocês vão recuperá-lo. Sinto muito, mas eles não têm. Isso realmente vai incomodar você.
 
CHRIS: Bem, isso é falso.
 
ADAMUS: É. [Risadas]
 
CHRIS: Você pode tê-los amaldiçoado enquanto seres humanos verdadeiros...
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: ... mas, quando você não é um ser humano de verdade, no sentido do ser humano que herda sua vida, você está do outro lado, perdido na degradação de seres que lhe dizem o que é certo e coisa e tal.
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: Quero dizer, é o que eu vejo.
 
ADAMUS: Sim, e eu espero que... eu espero que irrite você o fato de você não ter livre arbítrio.
 
CHRIS: Eu estou meio... meio... Talvez eu esteja me iludindo, mas sou condizente com um ser que...
 
ADAMUS: Ah, não, não, não.
 
CHRIS: ... que nasceu neste corpo.
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: E, basicamente, você afasta ele [Geoffrey] da vida dele e você a vive por ele. Por que ele mesmo não pode aprender e revelar a sabedoria pra nós?
 
ADAMUS: Vou dizer uma coisa pra você, Chris. No momento em que esta canalização termina, eu saio do corpo.
 
CHRIS: Digo, é como...
 
ADAMUS: Eu não desejo...
 
CHRIS: Nunca canalizei, mas me harmonizo com muitos seres, através de um constante walk-in. (N. da T.: O termo walk-in significa a transferência de uma individualidade em seus diversos níveis.)
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: Então, eu tenho informações que fazem as suas soarem como maléficas.
 
ADAMUS: E são! E são!
 
CHRIS: É como se...
 
ADAMUS: Com certeza, elas são, dependendo de como se vê.
 
CHRIS: Então, de certo modo, você vai se responsabilizar e identificá-las, precisamente, como sendo maléficas, Adamus.
 
ADAMUS: Sim.
 
CHRIS: Quero dizer, a menos que você apenas...
 
ADAMUS: O que é mal? O que é mal? E antes de responder, soletre mal (em inglês, evil).

CHRIS: Pode ser qualquer coisa... muitas coisas com base no processo das circunstâncias de evolução. Mesmo que seja um desenvolvimento evolutivo, onde o mal é apenas um equilíbrio no martírio.
 
ADAMUS: Olhe as origens do mal (evil). Leia mal (evil) de trás pra frente. O que é? [A plateia diz: “Vivo” (em inglês, live).] O que é energia do mal ou energia escura?

CHRIS: Então, você está confundindo a verdade. Você está manipulando a realidade, através...
 
ADAMUS: Não, Chris, o que eu estou fazendo é...
 
CHRIS: Você está [expandindo] o leque da [inspiração]...
 
ADAMUS: Eu gostaria de incitar, estimular, inspirar, irritar as pessoas. Elas todas já estiveram zangadas comigo antes. A maioria ainda está.
 
CHRIS: Não responder a pergunta é aceitável, mas...
 
ADAMUS: Sim.
 
CHRIS: ... eu não preciso continuar dialogando com você.
 
ADAMUS: Sei. 
 
CHRIS: Eu só quero inquirir...
 
ADAMUS: É, porque podemos intelectualizar demais isso. Vou encerrar por aqui.
 
CHRIS: Não comigo. Não comigo. Já fiz minha pergunta. Você é que não respondeu.
 
ADAMUS: Ah, não, não, não.
 
CHRIS: Parece que você está evitando isso.
 
ADAMUS: Isso é... ahhhh, não, não, não, não, não.
 
CHRIS: Eu fiz uma pergunta. Você não me respondeu.
 
ADAMUS: Como eu disse no início, há uma energia se mostrando aqui. É amada e aceita. Não há um sentimento de agressão. Há um sentimento de querer entrar numa discussão intelectual. Nada disso importa. A única coisa que... eh... [Adamus não permite a interrupção.] A única coisa que importa é o Eu Sou o que Sou. Vocês são Deus também. Você é Deus também.
 
CHRIS: Ilusão. Você está falando de ilusão e enganação.
 
ADAMUS: Estão vendo como, ultimamente, a gente manifesta num instante? [A plateia diz: “Sim.”] Assim. Então...
 
CHRIS: Então, eles estão todos com você?
 
ADAMUS: Espero que não.
 
CHRIS: Ou foram enviados pra outro lugar?
 
ADAMUS: Espero que não!
 
CHRIS: Eles podem chamar a Terra de lar depois de morrerem? É isso?
 
ADAMUS: Eles podem voltar quando quiserem. Quantos querem voltar? [Alguém diz: “Eu não.”] Alguns. Alguns. Totalmente por escolha própria. Por escolha deles, sim. Ou eles podem se tornar... não gosto muito do termo, Chris, mas... Mestres Ascensos. E tudo que isso significa é a aceitação de sua soberania, do Eu Sou o que Sou. Sem dever nada a ninguém, sem estar preso a nenhum sistema de crença, a nenhum desejo.
 
Deixo você com isto: propósito é makyo. Qualquer propósito, qualquer paixão, qualquer meta é Velha Energia. É uma maneira velha de pensar. Agora, na minha opinião...
 
CHRIS: Você é um alienígena do espaço, não é? [Muitas risadas] Este não é o seu lar.
 
ADAMUS: Eu vivi muitas, muitas existências na Terra. E, não, na verdade, não sou muito chegado a alienígenas do espaço.
 
CHRIS: Mas é isso que você é.
 
ADAMUS: Já tive alguns encontros.
 
CHRIS: Você veio do espaço sideral, certo?
 
ADAMUS: Assim como você, se quiser colocar nesses termos.
 
CHRIS: Não é a sua vida que você está representando.
 
ADAMUS: Ah, não, é a minha vida, sim.
 
CHRIS: Não. É do ser humano que herdou a vida e que está, você sabe, vivo como ser humano, mas impedido de ter a própria vida, de vivê-la por conta própria...
 
ADAMUS: Você teria que perguntar à companheira dele.
 
CHRIS: ... como um ser humano de verdade.
 
ADAMUS: Você teria que perguntar isso à companheira dele. Na Nova Energia, Chris, quando uma entidade vem falar...
 
CHRIS: E quanto a moral e a ética?
 
ADAMUS: ... chega muito rapidamente e, depois, vai embora.
 
CHRIS: Se energia é energia, sem a moral e a ética associadas com o comportamento humano, então, energia é uma questão de quem é o maior criminoso. Quem pode considerar isso melhor, não ter moral e ética, se isso fosse algo livre e apenas energia?
 
ADAMUS: Ótimo. Certo, agora, segure esse pensamento. Como mencionei... ah, você pode ignorar isso aqui.
 
CHRIS: Não, não. Não vou ignorar.
 
ADAMUS: Certo. Como mencionei antes, esperem por isto este ano. E vão ter aqueles que chamam vocês de maléficos, aqueles que dizem que vocês estão nisso pelo dinheiro...
 
CHRIS: Não são eles. São as pessoas que estão [fazendo dinheiro para si mesmas].
 
ADAMUS: Eh, minha vez, não sua. Não sua. Aqueles que dizem que vocês estão nisso pelo dinheiro e pelo controle. O que leva de volta ao ahmyo. Ahmyo é o estado de aceitação de si e de ninguém mais. Ninguém mais. Confiança em si.
 
CHRIS: Confiar em quê?
 
ADAMUS: Chega. Chega.
 
Confiar em si mesmo. Inspirar o Eu Sou.
 
Então, pronto, vamos continuar.
 
 
Energias Atuais e Vindouras
 
2011 será um ano de muito caos. Muita desestruturação vai acontecer no mundo. Vocês já estão lendo isso nos jornais. Cauldre me pediu que falasse sobre esta questão. Pássaros estão caindo do céu, peixes estão morrendo na água. E isso vai continuar acontecendo. Vai continuar acontecendo.
 
Tobias falou sobre isso muitos, muitos anos atrás quando disse que muitas espécies deixariam a Terra. Vão ficar preocupados que seja o aquecimento global, uma conspiração alienígena ou coisas desse tipo. Muitas teorias de conspirações vão surgir por aí afora. Cauldre me pediu pra falar sobre isso. O que está acontecendo?
 
Bem, algumas espécies vivem na Terra há éons de tempo, têm feito parte da energia de Gaia e serviram a um propósito: manter um equilíbrio da energia. O tempo delas acabou. Elas não estão escolhendo ficar aqui e, o mais importante, estão abrindo espaço para novas espécies.
 
Sendo assim, o que está acontecendo? Novas espécies estão vindo das outras esferas, não apenas do espaço sideral, mas de outras esferas. São, literalmente, Novas Energias, nada parecidas com as energias vibracionais que vocês conheceram no passado. Então, não é só um volume maior de Velha Energia. São Energias Novas em folha. Literalmente, elas chegam nas frequências de luz, mas num espectro que vocês não conseguem ver, necessariamente, com os olhos físicos, na maioria das vezes. Mas tenho falado há um tempo que vocês vão começar a ver luzes no céu, tanto de dia quanto de noite, luzes que parecem surgir do nada. Não serão como luzes de espaçonaves alienígenas. Não serão pequenos objetos se movendo no céu, mas vão iluminar o céu. Já existem alguns exemplos dessas luzes, e também não são as Luzes da Aurora Boreal. Terão uma aparência diferente.
 
Quando essas Novas Energias surgem, essencialmente se reestruturando pra navegar em ondas de luz, tendem a provocar um choque nesses seres, porque mudam as propriedades magnéticas do ar e da terra, as propriedades magnéticas que mantêm o equilíbrio do que acontece no planeta, que preservam as coisas. Sendo assim, quando vem um desses raios de energia, ou ondas de energia, literalmente, ele acaba, na mesma hora, com as forças magnéticas – as quais, particularmente, os pássaros e os peixes são muito sensíveis, pois as ondas magnéticas são responsáveis por grande parte de sua orientação, de sua memória, pode-se dizer. Acaba com elas, criando um trauma devastador que os mata. Vocês vão ver mais disso ocorrendo e não será só com pássaros e peixes. E, por sinal, não vai acontecer num único ponto do planeta. Esses raios vão chegar em momentos diversos e em lugares diferentes. E também vão atingir outras espécies, o que vai fazer com que comecem a dizer que é o fim do mundo, o Apocalipse. Vão começar a jogar a culpa em todo tipo de conspiração, mas entendam que é tudo apropriado. Faz parte da Nova Energia chegando.
 
Será que vai afetar vocês? Vai exterminá-los? Provavelmente, não, porque, na verdade, o sistema magnético humano, o modo como o DNA se relaciona com o magnetismo, não é, de fato, tão sensível como os dos animais. No entanto, já foi dito, o DNA de vocês é muito mais complexo do que sabem os cientistas e pesquisadores. O DNA de vocês é muito complexo. Está desabrochando agora como uma flor, se abrindo pra revelar partes de si, partes da codificação de vocês que sempre estiveram aí, mas desativadas.
 
Assim, num certo sentido, o momento é perfeito, porque essas ondas de Nova Energia chegam e não vão, realmente, afetar as velhas partes de vocês, ou as partes de vocês que são Velha Energia; na verdade, vão estimular e inspirar as novas partes, ou as partes reveladas, do DNA de vocês. É quando vocês devem inspirar. Em vez de se preocuparem com os peixes, as galinhas, os pinguins e tudo mais, vocês devem inspirar isso. Em vez de colocar algum tipo de roupa protetora ou correr atrás de cristais, gemas ou bugigangas que alguém queira vender pra combater ou afastar essas ondas, vocês apenas respiram isso. Essa energia é de vocês. Vocês a criaram. É Nova Energia, que não é vibracional, mas expansional; está aqui pra vocês.
 
2011 vai ser um ano muito intenso – falamos sobre isso em nossa sessão da semana passada (2011 – Um Ano Intenso e Pessoal) – muito intenso; coisas fora do normal surgindo em suas vidas, exercendo pressão. Vai ser muito intenso, mas, ainda assim, familiar, porque essas são as coisas pelas quais vocês têm passado.
 
2011, e também 2012, será a melhor época pra qualquer um de vocês, a melhor época pra fazer algo novo. Dissemos isso muitas vezes. Tem mais energia disponível do que nunca pra vocês fazerem agora o que quiserem na vida. Mais energia chegando, que vai acabar com os velhos sistemas, mas vocês já passaram por isso. Vocês já vivenciaram isso, então, agora, podem inspirar esses potenciais. É a melhor época para vocês.
 
Tobias começou a falar sobre isso há vários anos. Ele disse: “Não se escondam nesse momento.” Sim, embora pareça que tudo esteja se desestruturando ao redor, na verdade, é apenas energia, apenas energia. Quando alguém brigar com vocês, quando alguém acusar vocês de algo, quando alguém largar vocês, é apenas energia e é tudo apropriado, tudo apropriado.
 
É a melhor época pra ser criativo. A melhor época pra rir e se divertir na vida.
 

O Grande Sintoma do Despertar

Vou voltar para uma coisa que eu estava falando antes. Qual é o maior sintoma dos Shaumbra no momento – sintoma do despertar – que as pessoas vão sentir? O maior.
 
KERRI: Falta de dinheiro. [Muitas risadas]
 
ADAMUS: É bem por aí. Mas isso já foi dito, já foi dito, minha querida. Você e eu temos conversado muito. Você é bem-sucedida. Você tem sucesso comprovado. Você não precisa só ficar imaginando isso, você tem sucesso comprovado. Você seguiu alguns caminhos diferentes por razões muito boas, e você fica com a percepção de estar sem dinheiro. Na verdade, não está. Na verdade, você está muito bem. Mas, minha querida, você tem um talento incrível. Você é... não quero dizer forte. Você é determinada, determinada. Que oportunidade você vai ter agora – neste ano e no outro – de fazer isso!
 
KERRI: Será que você pode me segurar embaixo d’água...
 
ADAMUS: Eu vou.
 
KERRI: ... um pouco mais?
 
ADAMUS: É, um pouco mais, uns 12 minutos ou mais.
 
Assim, é um tempo inacreditável, mas está ligado ao sintoma mais comum dos Shaumbra – sintoma do despertar – que vamos ouvir bem agora. E qual é? [Muitas respostas, incluindo “confiança”, “mentiras”, “espelhos”, “confusão”, “são tantos...”, “adiamento”.]
 
O que mais ouvimos... adiamento foi o mais próximo que ouvi... O que mais ouvimos os Shaumbra perguntar é: “O que eu devo fazer agora?” O que ouvimos em primeiro lugar: “O que eu devo fazer?” E depois é: “Bem, não tenho dinheiro, então, não posso fazer nada mesmo.” Mas essa é uma questão do momento. “O que eu devo fazer?” E a maioria que está aqui se pergunta isso. Não todos, mas muitos. “O que eu devo fazer?”
 
2011 é um bom ano pra descobrir. Vocês não precisam pensar sobre isso, de fato. Vocês não têm que analisar nem fazer nada disso. Virá pra vocês, se estiverem dispostos. É um potencial que está aí.
 
Vocês fazem essa pergunta o tempo inteiro: “O que eu devo fazer? Qual é a minha paixão? Qual é a minha verdade?” Todas essas coisas estão se dissolvendo e evoluindo, porque vocês estão passando de uma consciência de Velha Energia para Nova. Essas coisas precisavam ficar nesse estado de dissolução. Este ano, tudo isso virá pra vocês. Virá. E toda a energia para apoiá-los virá até vocês.
 
Este ano é quando – como diriam – vocês preparam o terreno. Vocês colocam... Este é o ano pra vocês...
 
MULHER SHAUMBRA: Meterem o pé no acelerador.
 

O Ano dos Aplicativos

ADAMUS: Sim, digo que este é o ano dos... [Ele começa a escrever.] Roubando um termo popular – porque gosto de roubar –, este é o ano dos aplicativos. É um termo social que está se usando no momento. A coisa mais quente nos computadores são os aplicativos. Aplicativos. Os aplicativos de vocês são diferentes. Primeiro, vêm de “aplicar”. Aplicar. Aplicar algo.
 
Outra coisa, existem – usando uma metáfora – aplicativos da Nova Energia, um depósito de aplicativos disponíveis pra vocês; aplicativos que, literalmente, vão tirar vocês da mente e expandir o modo como vocês percebem, pegam e utilizam as informações; aplicativos que, literalmente, vão fazê-los ultrapassar a consciência da pobreza. Eles são os aplicativos de vocês. Vocês os projetaram, vocês os desenvolveram; eles são seus.
 
Aplicativos que permitem que vocês... Um belo aplicativo que permite que vocês estejam em ahmyo e possibilitem que seu corpo se cure sozinho. Conseguem imaginar isso, seu corpo se curando sozinho? Sem ajuda externa, sem intervenção. Seu corpo pode se curar sozinho. E o aplicativo que permite que vocês simplesmente respirem um pouco, bebam um bom chá –normalmente, eu ganhava café ou refrigerante, agora, tenho chá. [Adamus toma um gole.] Um aplicativo que permite que vocês simplesmente respirem fundo e digam: “Querido corpo, se rejuvenesça. Não vou interferir a partir daqui [da cabeça] porque, enfim, é tudo makyo. Rejuvenesça. Aproveite a energia que serve a você.” Toda energia serve a vocês. A energia quer servir o Mestre. A energia quer servir cada um e todos vocês.
 
Há um aplicativo – um aplicativo deste ano – que possibilita que vocês façam isso. A propósito, vocês o projetaram. Vocês o criaram. O aplicativo possibilita que vocês, enfim, deixem que a energia sirva a vocês, em vez de afastá-la, em vez de dizer que não a merecem. O aplicativo diz: “A energia serve o Mestre.” Sim.
 
Então, este é o ano dos aplicativos, de modo que seria um prazer pra vocês compartilhar seus aplicativos com os outros – seja de forma gratuita, coletiva ou educativa. Mas este é o ano em que vocês começam a aplicar tudo isso, começam a aplicar a Nova Energia em sua vida. Vocês têm feito essa transmutação de sair do velho e trazer o novo.
 

Quatro Novas Camisetas

Agora, já que somos um grupo altamente espiritualizado e evoluído, quero apresentá-los ao próximo tópico, imitando um pouco Kuthumi aqui – Kuthumi lal Singh, outro de nossa linha de personagens que é muito espiritual. Eu gostaria de quatro camisetas este ano. Quatro novas camisetas. Sim, ou adesivos de automóvel ou... quatro novos.
 
A primeira [ele escreve], e você é bom nisso, Sart. Você pode inventar algumas... Vejo você radiante aí. Vocês dois estão tramando uma jogada comercial! [Risadas] Já estão encaixando as peças. Vão anotar os pedidos antes de sair daqui hoje. [Adamus escreve “Eu Sou”.] Vou receber comissão?
 
SART: Não sei, não. [Risadas]
 
ADAMUS: [continua escrevendo, “o Potencial”.] Eu Sou o Potencial. Aah! Vocês vão deixar algumas pessoas irritadas, o que é bom. Irritação é uma coisa boa. Vocês vão movimentar energia. “O que significa ser o potencial?” “Eu sou o potencial.” “Eu sou o potencial” da própria vida de vocês... da própria vida.


Bolhas de Potenciais

Muitos potenciais estão flutuando ao redor. Queria que minha maquininha de bolhas estivesse aqui... Mas imaginem uma máquina de fazer bolhas aqui. Imaginem que estou ligando a máquina e as bolhas estão por todo lugar agora. Conseguem imaginar? Parece bom, não? Bolhas por toda parte. Ah, sabão no chão. Tudo bem, são bolhas de sabão virtuais. [Risadas]
 
Então, potenciais, mais do que jamais viram antes. Como vocês atraem potenciais pra sua vida? [Alguém diz: “Respirando.”] Respirando. É bom. É bom. Mas sendo um pouco mais pragmático... normalmente, sem medo, desespero e sofrimento, querendo mudar.
 
É verdade. Isso é o que estimulou muitas mudanças na vida de vocês. Vocês ficaram cansados da velha maneira, então, foram até os potenciais do tipo Rede do Despertar do Círculo Carmesim. Não foi uma coisa ruim; foi só a empresa dizendo: “Como nos difundimos? Como expandimos? Como compartilhamos?” E isso levou aos potenciais que já existiam, mas que não estavam saindo da máquina aqui, se entendem o que quero dizer. Estavam presos –  vocês precisam usar a imaginação na Nova Energia – nesta máquina. Não estavam borbulhando como estão todas estas bolhas aqui e agora preenchendo a sala, certo?
 
E assim acontece com muitos dos potenciais de vocês. Ficam presos na máquina. É apenas sabão lá dentro, que não se transforma em potencial. Haverá mais potenciais do que nunca – ou, dizendo de maneira diferente, vocês vão estar conscientes de mais potenciais.
 
Essas são as boas novas. As ruins é que os potenciais que estão surgindo, e dos quais vocês estão começando a ficar conscientes, vão parecer diferentes de outros potenciais. Não possuem características da dualidade. Dualidade – a velha luta entre a luz e a escuridão. Os novos potenciais não contêm dualidade. Não precisam conter. Não contêm bom/mau, masculino/feminino. Isso está tudo integrado. Por isso, podem parecer, talvez, um pouco estranhos pra vocês, um pouco assustadores. Vocês vão querer se prender às velhas maneiras. Haverá uma tendência pra recuar, esperar.
 
Peço a vocês que, ao menos, sintam os novos potenciais. Vocês os criaram. São de vocês. Estão em seu campo de potenciais desde que vocês existem. Agora eles vão existir, mas vocês vão ficar, talvez, um pouco aflitos com eles. Vão ter mais potenciais do que nunca.
 
Não existe certo nem errado, por sinal. Muitas vezes, Shaumbra, vocês tendem a ficar paralisados. Vocês dizem: “Estou com medo de tomar a decisão errada.” Vocês são Deus também. Vocês são seres divinos. Vocês não tomam decisões erradas. Ufa!
 
Tudo bem, então, mais potenciais do que nunca. Voltando à pergunta, como vocês atraem potenciais? Como vocês atraem potenciais? Grande parte através do desejo pela mudança, porque vocês estão cansados da velha maneira. Através do que mais? [As respostas da plateia incluem: “Escolha”, “Imaginação”.] Ouvi a palavra por aqui.
 
SUSAN: Imaginação.
 
ADAMUS: Imaginação. Ah, você vai encher seu chapéu de prêmios antes do fim do dia. Imaginação.
 
Imaginação é a capacidade de sair da mente, de ir além da mente. A imaginação nem mesmo é, necessariamente, compreendida pela mente. Quando usam de verdade a imaginação, vocês vão tão além da mente que não conseguem mais interpretar, compreender ou analisar. Isso é muito assustador, porque vocês estão se deixando levar, se deixando levar. Mas não estão, porque vocês podem sentir essas energias e esses potenciais. Vocês não precisam pensar neles. Vocês não precisam analisá-los como luz e escuridão, o que é certo ou errado. Vocês sentem a essência deles e entendem que é apenas uma experiência. Agora vocês estão prontos pra captá-los. Vocês estão prontos pra viajar com eles.
 
Assim, vocês atraem potenciais através do desejo pela mudança ou através da imaginação, levando-a além do que jamais foi levada, além do espetro de cores, além dos atributos físicos. Vocês levam a imaginação para o que chamamos de esferas cristalinas. Isso torna vocês mais conscientes dos potenciais e atrai potenciais.
 
Um ponto muito importante, enquanto estou aqui na frente da máquina de fazer bolhas – elas estão vindo de todos os lugares agora. Todos os potenciais estão saindo e uma grande pergunta surge para os Shaumbra: “E se eu perder um potencial? E se fosse pra eu ganhar na loteria?” Vocês poderiam dizer: “E se fosse pra eu receber uma ligação de um parente desconhecido que quer me enviar dinheiro, mas eu perdesse isso, por não estar em casa e a secretária eletrônica estar quebrada?” – porque a maioria dos aparelhos eletrônicos está pifando ultimamente. Então, o que acontece? Vocês perderam os potenciais.
 
DAVID: Eles voltam.
 
ADAMUS: David leva um prêmio de Adamus, e...
 
LINDA: Você está com medo da minha bolsa?
 
ADAMUS: ... e um abraço. E um abraço. [Adamus abraça David.]
 
DAVID: Obrigado. [Aplausos da plateia]
 
ADAMUS: Eles voltam. Vocês nunca perdem os potenciais. Então, digamos que uma bolha saia da máquina e acabe se esborrachando no chão, supostamente, virando só sabão. Ela não se perde, meus caros. O potencial pode ter ido, temporariamente, para uma outra dimensão, ter deixado a existência. A propósito, é bem parecido com física. Existem partículas que entram e saem da consciência ou do que parece ser a realidade física, mas depois elas voltam. Todas elas voltam.
 
Vocês não conseguem perder um potencial. Vocês costumam temer isso: “E se eu perdê-lo? E se for preciso eu estar no lugar certo, no momento certo?” Vocês estão no lugar certo e no momento certo. Então, relaxem. Fiquem calmos. Respirem fundo. Esse potencial, com certeza, voltará. Os potenciais não podem ser destruídos. Não são destruídos.
 
Isso leva a uma interessante discussão filosófica de makyo. Novos potenciais podem ser criados?
 
DAVID: Sim.
 
ADAMUS: Sim. Sim.
 
DAVID: Mais um. [Ele quer outro abraço.]
 
ADAMUS: [rindo] Temos um homem insaciável aqui! [Risadas] Até pouco tempo, eu teria dito que não, que vocês não poderiam criar novos potenciais, mas vocês tinham tantos dentre os quais escolher que não importava realmente. Eram subutilizados. Mas, recentemente, vocês começaram, sim, um processo de criar novos potenciais. Vocês precisaram criar, porque todos os potenciais que vocês tinham antes – com exceção de um – eram, basicamente, provenientes da dualidade de Velha Energia – luz versus escuridão, masculino/feminino. Cada potencial que vocês tinham fora criado a partir disso.
 
Havia um potencial, uma pequena bolha de sabão aí, que foi chamada de Nova Energia, e sempre esteve com vocês. Pois a história de sua alma tem estado aí, mas não aparecia até recentemente. Esse potencial para a Nova Energia lhes deu agora, basicamente, o potencial para mais potenciais. É tipo um gênio; vocês fazem três pedidos, mas, no caso, vocês realizam quantos quiserem. Vocês os criam. Esses são os potenciais de vocês. É a vida de vocês; vocês fazem com ela o que quiserem. Esses são os potenciais de vocês.
 
Com isso, vamos respirar fundo.
 
Vocês são os potenciais. Vocês são os potenciais do Eu Sou.
 

A Próxima Camiseta

Então, a próxima camiseta. Pronto, Sart? [Adamus escreve “Eu Sou o que Sou”.] Eu Sou o que Sou. [Ele continua escrevendo, “Porque não Ligo a Mínima”.] Eu Sou o que Sou Porque não Ligo a Mínima. Agora, muitas pessoas realmente vão ficar de cabelo em pé se virem vocês usando esta camiseta, mas vão em frente e usem assim mesmo. “Eu Sou o que Sou, porque não ligo a mínima.”
 
Queridos Shaumbra, quando vocês ligam, vocês literalmente bloqueiam o Eu Sou. É difícil pra muitas pessoas aceitarem quando vocês fazem declarações do tipo: “Eu não me importo. O Espírito não quer saber.” Ahhh. “Bem, nós temos, sim, que nos importar...”
 
LINDA: Só para as traduções, “eu não ligo a mínima” significa o mesmo que “eu não me importo”?
 
ADAMUS: É semelhante. Elas podem ser agrupadas na mesma categoria. “Não ligo a mínima.” “Não me importo.” Olá, gente, as palavras favoritas de Tobias desde a Grande Pirâmide: “Não importa.” Não importa. Não importa. Os humanos se prendem em ligar pras coisas. Na verdade, isso se torna parte da razão de viver deles. Eles precisam se importar com alguma coisa. Precisam ter uma paixão. Precisam ter uma missão, uma causa e um propósito. É isso que os move, que os torna íntegros.
 
No fim das contas, na verdadeira Presença Eu Sou, não importa. Realmente, não. Eu não ligo a mínima. Não importa, porque tudo está em perfeição. Tudo funciona. Vocês são Deus também. Parem de lutar com isso. Parem de se importar com isso.
 
Agora, repito, isso vai chatear muita gente, mas “eu não ligo a mínima se os peixes morrem, se os pássaros despencam do céu.” De verdade! Vocês não precisam carregar isso nos ombros. Vocês não precisam salvar os golfinhos, as baleias nem as formigas de fogo... ah, é, pobres formigas de fogo... ou as traças. [Risadas] Essas causas não são de vocês. Não são de vocês. Na verdade, quando vocês abraçam uma causa, quando vocês acham que precisam assumir todas as causas, vocês se sentem bem. Faz com que se sintam importantes. Vocês estão salvando o mundo – é, vocês e Lancelot, salvando o mundo. Mas, na verdade, isso só contribui para a dualidade, contribui para as velhas questões.
 
LINDA: Geoffrey está ouvindo o que você está dizendo?
 
ADAMUS: Ah, está, sim. Está.
 
Então, Eu Sou o que Sou, porque não ligo a mínima. Eu Sou o que Sou, porque aceito todas as coisas como elas são; todas as coisas como elas são, em seu perfeito estado de ser.
 
Que camiseta chocante pra se usar em público. As pessoas dirão: “Bem, sabe, você deveria se importar. Você deve se importar com política. Você deve se importar com o meio-ambiente.” Não, porque, de fato, vocês vão ser mais eficazes numa mudança de consciência potencial se não se envolverem no drama, se não se envolverem em todo o drama.
 
Assim, aqui foi mais uma. Apresentarei a terceira camiseta depois, antes de ir embora, mas, com isso, queridos Shaumbra... São quatro, sim, mas só vou apresentar três hoje. Vou guardar uma.
 
 
Perguntas e Respostas
 
Assim, queridos Shaumbra, teremos alguns minutos de perguntas e respostas. [A plateia se surpreende.] Seria um prazer pra mim escutá-las, mesmo porque nós já as escutamos, mas tem um ano e meio desde que realmente tivemos as perguntas e respostas aqui. Mas vocês têm muitas perguntas sobre o que está pra acontecer, então, terei prazer em escutá-las.
 
LINDA: Agora?
 
ADAMUS: Podemos esperar até meia-noite!
 
ALAYA: Obrigada.
 
ADAMUS: Sim.
 
ALAYA: Com todas as bolhas acontecendo, com todos os potenciais flutuando ao redor, como se sabe qual deles escolher? Como se sabe... digo, é que são tantos que, às vezes, fica confuso.
 
ADAMUS: É, e a resposta é? Eu disse que teríamos as perguntas e respostas. Eu não disse que eu ia respondê-las. [Muitas risadas] É, eu gostaria de saber a resposta pra isso.
 
ALAYA: Na verdade, eu sei, sim.
 
ADAMUS: Então, você tem todos esses potenciais...
 
ALAYA: Na verdade, a resposta me veio, porque...
 
ADAMUS: Isso! Não é incrível?
 
ALAYA: É. Bem, outros [potenciais] vão surgir e um vai se destacar.
 
ADAMUS: Isso.
 
ALAYA: E é assim que você anda pra frente.
 
ADAMUS: Exatamente, e...
 
ALAYA: Obrigada!
 
ADAMUS: Você pode escolher aquele que quiser. E, na verdade, eu encorajo você a variar. Em vez de dizer “Escolho o potencial que representa a maior oportunidade dourada”, tente todos. São mais de 31 sabores e o seu limite não é um só. Você pode, de fato, vivenciar múltiplos potenciais simultaneamente. Você não realiza, necessariamente, todos eles aqui nesta realidade física, mas você começa a vivenciá-los.
 
Você percebe, agora, que também está sonhando. Embora esteja em pé aqui bem acordada, existem também outras partes de você, em outras dimensões, que estão muito ativas. Através de você, elas também podem começar a vivenciar os potenciais.
 
ALAYA: E a máquina de fazer bolhas nunca para.
 
ADAMUS: A máquina de bolhas...
 
ALAYA: Sabe, é... e uma bolha...
 
ADAMUS: Você pode criar a ilusão de que a máquina fica cuspindo uma bolha de cada vez, a cada determinado tempo, mas ela, de fato, não para nunca.
 
ALAYA: E uma bolha pode levar você a outra.
 
ADAMUS: Certamente.
 
ALAYA: E expandir para outra.
 
ADAMUS: Claro.
 
ALAYA: E podem ter bolhas dentro de bolhas.
 
ADAMUS: Com certeza! Ah, brilhante! [Muitos aplausos da plateia] E essa é a alegria da vida!
 
ALAYA: Pode ser mesmo divertido.
 
ADAMUS: Essa é a alegria da vida. E nenhuma bolha pode machucar você, acredite ou não, porque você não liga a mínima. [Risadas] As coisas só podem ferir quando você se importa.
 
ALAYA: Excelente. Sim, é claro.
 
LINDA: [Adamus pega a bolsa, entrega um prêmio à Alaya e tenta colocá-la no ombro, mas fica todo enrolado.] Você não está se saindo muito bem.
 
ADAMUS: [Alaya pergunta se ele quer a echarpe que ela está usando pra compor o visual.] Está muito quente pra echarpe. Obrigado, mas está quente aqui.
 
ALAYA: Obrigada [pelo prêmio].
 
ADAMUS: É, está fazendo bastante calor.
 
ALAYA: É.
 
ADAMUS: Sim, então, quero experimentar o chapéu. [Ele pede o chapéu de Kathleen.] Sim, obrigado. Bom, não ficou muito bem. É, é, é. Ele (Cauldre) tem uma cabeça grande. É.
 
Assim, excelente. Excelente resposta. Obrigado.
 
ALAYA: Bem, obrigada, você, pela oportunidade que me deu.
 
ADAMUS: É.
 
LINDA: Próxima pergunta.
 
ADAMUS: A bolsa quebrou. [Ele não consegue fechá-la e devolve pra Linda.]
 
LINDA: Bom trabalho.
 
ADAMUS: Então, certo, próxima pergunta. Ótimo. Sim?
 
RAPAZ SHAUMBRA: Estou aqui, criando minha própria realidade – nossa própria realidade.
 
ADAMUS: Sim.
 
RAPAZ SHAUMBRA: Sabe, uma vez que temos nossos potenciais, decidimos qual queremos, então, as coisas não seguem realmente o caminho que pensávamos que seguiriam ou não acontecem do jeito que a gente queria.
 
ADAMUS: Certo.
 
RAPAZ SHAUMBRA: E ficamos sempre perguntando: “Bem, se não foi daquele jeito, talvez tenha sido isso que eu criei.”
 
ADAMUS: É.
 
RAPAZ SHAUMBRA: Mas outra parte de nós diz...
 
ADAMUS: É a que você controlou.
 
RAPAZ SHAUMBRA: É, sabe, um lado diz: “Bem, se não tomou aquele rumo, talvez, eu tenha criado isso.” O outro lado diz: “Não, mas eu realmente queria ir nessa direção.”
 
ADAMUS: Certo.
 
RAPAZ SHAUMBRA: Dessa forma, há sempre uma luta constante e... uau!
 
ADAMUS: É. É, e essa é uma excelente, excelente observação. E a resposta?
 
HOMEM SHAUMBRA: E a resposta é, provavelmente, que não precisamos dar a mínima com relação a coisa alguma. [Muitas risadas e aplausos]
 
ADAMUS: De certo modo, sim. De modo maravilhoso, será que realmente importa – pra alguma coisa além do seu aspecto humano? Será que realmente importa, quando vocês criam algo, importa que rumo isso tome? Não, mesmo. No fim das contas, não. É a alegria da expressão e da criação.
 
O desapontamento vem quando o aspecto humano agrega um valor ou uma expectativa e diz: “Tem que acontecer assim.” Que tal experimentar uma criação aberta, livre, sem expectativas, porque “eu não ligo a mínima. Eu me divirto criando e deixando que se abra e expanda, deixando que siga seu próprio caminho.”
 
Agora, vocês terão uma oportunidade interessante, depois, quando virem como essa criação, com o seu sopro de vida dentro dela, começar a seguir a própria vida, que é parte da sua vida, ter seu próprio fluxo e padrões. Não precisa ser padronizada de acordo com a mente ou as expectativas humanas. É, de certa forma, muito maior, muito mais ampla do que a mente pode imaginar. Este, eu diria, será um de nossos maiores desafios este ano, ir além do que tem ficado limitado na mente, é claro, ir com o Corpo de Consciência inteiro, mas para expandir. Obrigado.
 
Então, tentem isso, particularmente com as energias tão altas e tão fortes do momento. Tentem isso – uma criação – e, depois, deixem que ela se abra e expanda, sem controlá-la. Apenas deixem que ela vá. É como pegar um barquinho de brinquedo e colocá-lo no lago. Em vez de dizer “Você precisa ir pro outro lado” ou “Você tem que ir para aquela ilha”, e tentar forçá-lo fazendo telepatia, PES (percepção extra-sensorial), diga apenas: “É a minha criação. Pra onde estamos indo?” E, depois, fique olhando e entenda que ela sempre vai tomar o rumo perfeito, seguir a jornada perfeita. Uma jornada que pode levá-la a ter experiências, que pode levá-la por águas caudalosas ou até uma praia, ou, Deus impeça, a ser atingida por um raio ou fazer pássaros caírem do céu. Mas faz parte da beleza e da sabedoria de sua alma assistir a como tudo se desenrola sem se preocupar com coisas ruins ou sei lá o quê, ou que alguém vá prejudicá-la. Vocês nunca mais precisam se preocupar com isso de novo. É verdade. Então, ótimo, próxima pergunta. Andrah?
 
LINDA: Ninguém pediu pra levantar a mão. [Risadas; a imagem não foi captada pela câmera, mas deduz-se que Andrah, na verdade, não estava querendo fazer uma pergunta.] Alguém?
 
JEAN: Oi, Adamus. Que influência você teve na recente publicação da autobiografia não condensada de Mark Twain?
 
ADAMUS: Sim. E a resposta é?
 
JEAN: Tudo? [Alguém diz: “Ele é que escreveu!”]
 
ADAMUS: [rindo] Vou responder desta vez. Na verdade, eu não precisei influenciar nada, porque eu realmente não me importo. Mas os potenciais encontram a energia no momento e lugar apropriados. Então, quando for a hora, acontece.
 
Na verdade, é uma ótima observação, porque muitas coisas vão ser desenterradas, literalmente, este ano. Essa... vocês falam da WikiLeaks (N. da T.: WikiLeaks é um site que publica notícias, geralmente delicadas, de fontes anônimas, que acabaram por “vazar” – leak, em inglês.), não importa o que achem dela, mas é apenas um veículo pra que as coisas venham à tona. Coisas que estavam escondidas – enganações, mentiras – precisam aparecer. Elas têm que vir à tona. Vocês vão ver muito disso este ano. Parte será um pouco chocante, pra vocês enquanto humanos, mas será chocante para as organizações que forem expostas. Vai causar ainda mais conflito e controvérsia. Vai jogar lenha na fogueira em prol de toda essa transição para a nova consciência, uma consciência do Eu Sou. Portanto, excelente. Ótima pergunta, obrigado, Jean. Boa resposta.
 
TRISH: Olá. Estou tendo dificuldade pra identificar o que é minha emoção, ou melhor, que energia que eu sinto é minha mesmo e qual eu estou apanhando de outra pessoa. Como diferencio isso?
 
ADAMUS: Sim. E a resposta é?
 
TRISH: Eu não sei. Por isso, estou perguntando.
 
ADAMUS: Não, você tem que saber.
 
TRISH: Tenho?
 
ADAMUS: É claro que sim. Por isso, você pegou o microfone. Porque você já sabe.
 
TRISH: Eu acho que não sei.
 
ADAMUS: Então, vou perguntar pra você. Vou fingir que sou você. Eu sou Trish e você é Adamus, e eu chego pra você e digo: “Eu não sei. O que eu devo fazer?”
 
TRISH: Bom, eu não sei!
 
ADAMUS: Sim. Como você sabe o que pertence a você? Estou fazendo a pergunta.
 
TRISH: Estou entendendo.
 
ADAMUS: Eu não sei o que pertence a mim e o que é da consciência de massa. São tantos pensamentos surgindo. Os pensamentos estão aqui na sala agora. Têm pensamentos vindo de várias cidades e estão no ar e em todo lugar. Não faço mais ideia do que pertence a mim.
 
TRISH: É assim que eu me sinto. [Risadas]
 
ADAMUS: Não, supostamente, você é Adamus – sábio e inteligente. [Risadas] E é você o cara espertalhão que diz as coisas. É. Você deve dizer: “Eu não ligo a mínima.”
 
TRISH: Eu não ligo a mínima! [Risadas]
 
ADAMUS: Ótimo! Eu não ligo a mínima e... vou usar esta também: não importa. Na verdade, os únicos pensamentos que são seus são aqueles que você escolhe. O restante não é seu, incluindo as coisas de seus aspectos, de suas vidas passadas, de seus antepassados, todo o resto do fluxo – a cidade, os aeroportos, o governo, a política, os alienígenas e os anjos maus. Não são seus. Você está sendo bombardeada com eles no momento, e eu também. Você é bombardeada com todas essas energias. Os únicos pensamentos que são seus são aqueles que você escolhe.
 
Existem manipuladores psíquicos em todo lugar, ataques psíquicos deliberados que tentarão fazer com que você pense que está tendo pensamentos ruins. Não importa, mas, às vezes, é divertido se importar. Alguns grupos estão, literalmente, atacando a consciência humana com energias.
 
Esse grupo do qual eu estava falando antes se considera realmente um grupo espiritualizado, e também trabalha seguindo os moldes do paraíso –  moldes tamanho GG, às vezes. Mas, filosoficamente, eles não pensam que os humanos sejam sábios ou inteligentes o suficiente pra lidarem com a própria soberania. Não pensam que os humanos possam ser Deus. Acham que os humanos ainda precisam aprender as coisas. Acham que há algo falho inerente aos humanos e que, portanto, precisam de controle, estrutura, organização, liderança e hipnose. Eles estão enviando, deliberadamente, sinais constantes, e vocês os estão captando. Mas... Hummmm mmmm mmmm. [Risadas quando ele tem um ímpeto e abraça com força e beija uma mulher que está sentada na plateia.] Mas por quê? Mas por quê?
 
Bom, vocês recebem esses sinais de que vocês não têm valor, de que vocês não estão prontos, de que há algo falho na natureza humana, de que vocês cometeram erros no passado, e ficam carregando essas coisas por aí. Esse grupo se considera altamente espiritual. Eles falam o tempo inteiro sobre a matriz. A matriz é falha, vocês são parte dela e eles vão salvá-los. [Adamus faz que cospe.] Foi no tapete, Suzy, não no chão.
 
Então, voltando à sua pergunta. As únicas coisas que são suas é o que você escolhe, o que você escolhe. E você pode escolher o que quiser. Você pode escolher ter pensamentos malucos, estranhos ou o que for, mas as únicas coisas suas são as suas.
 

Mais Camisetas

Bem, tendo dito isso, apresentarei a terceira camiseta agora, e outra depois, porque ela leva a essa questão.
 
Terceira camiseta. Pronto, Sart?
 
SART: Estou pronto.
 
ADAMUS: Você não é o proprietário delas, você só está...
 
SART: Só estou...
 
ADAMUS: ... ajudando a divulgá-las.
 
SART: ... ajudando... todo mundo.
 
ADAMUS: Pra 2011... Os dizeres desta camiseta são altamente espirituais. [Ele escreve.] Seja Esperto... [Risadas quando ele tapa o que está escrevendo.] Seja Esperto, Minimize.
 
LINDA: O inferno vai congelar por minha causa.
 
ADAMUS: Vai, sim. [Muitas risadas] Ah, vai. E, depois, você vai voltar dizendo: “Adamus, o inferno congelou. O que eu faço?” E o que eu vou dizer pra você, querida?
 
LINDA: [numa voz sarcástica] “Você devia ter escutado o Geoffrey.”
 
ADAMUS: Eu nunca diria isso. Você devia me escutar! O que vou dizer é: “Você fez o inferno congelar; você pode fazê-lo derreter.” Eu me coloquei no meu cristal, minha prisão; eu mesmo me tirei de lá. É isso que eu vou dizer.
 
Seja esperto, minimize. Vocês estão carregando por aí pensamentos extras que não são de vocês. Realmente não são. Tem esse jogo acontecendo na mente e que diz: “Devo ser eu.” É um jogo de aspectos, não é, Aandrah? É um jogo de aspectos. É a consciência de massa. É a hipnose. É toda essa porcaria, que não pertence a vocês. Não é de vocês. Por isso, eu desafio e irrito vocês, assim espero, pra dar cabo de alguns sistemas de crenças. É tudo makyo, é tudo excesso de bagagem.
 
Este ano será muito intenso – e fantástico, mas bem intenso, este ano. Toda essa bagagem excedente vai... bom, ou vocês se desfazem dela ou ela vai ser destruída – por vocês, mas não pelo lado consciente, pelo lado esperto de vocês.
 
Portanto, sejam espertos, minimizem este ano e no próximo, em particular, porque existem todas essas energias que querem chegar e servir vocês, que estão prontas pra servir você, minha querida [Ele toca em Linda.] Elas não conseguem encontrar o caminho, se vocês ficam levando esse entulho, esse lixo, pra todo lado – lixo físico, entulho emocional.
 
Alguns de vocês... bem, não você, Elizabeth, você não, mas alguns têm velhas feridas e se prendem a elas como se elas fossem medalhas de honra, essas cicatrizes, cicatrizes emocionais. Livrem-se delas. Elas não pertencem mais a vocês. Joguem elas no fogo pra transmutá-las. Precisamos de mais lenha aí [falando da lareira]. Nosso fogo de transmutação está minguando. Precisamos fazer um fogo grande para a alquimia, para espantar os fantasmas. Nããoo, nãããooo! [Risadas]
 
Então, vou pedir que vocês deem uma olhada primeiro na questão física... nos elementos à sua volta. Quantos utensílios de cozinha vocês realmente usam? De quantos quebra-nozes vocês realmente precisam? Não suas peças de coleção [dirigindo-se à Linda], mas... [Risadas]
 
De quantos fatiadores de ovos vocês realmente precisam? Só deem uma olhada. Olhem o que vocês têm acumulado. Olhem as roupas nos armários. Olhem na garagem. Este é... sim, sinto muito, não devíamos ter levantado essa questão... mas este é o momento em que vocês vão querer se livrar dessas coisas. Livrem-se delas, porque energias suficientes estarão se movimentando este ano. E, também, quando vocês têm esse acúmulo de lixo emocional, físico, energético, as coisas novas não conseguem chegar muito bem. Elas esperam. Esperam, pacientemente, até que tenha espaço pra elas. Daí, elas ficam lá longe. Procurem minimizar as coisas, este ano.
 
Minimizem o que vocês chamariam de sua lógica, de seu modo de pensar. Vocês têm padrões muito antigos no modo como analisam as situações e como pensam. É como se fosse um labirinto. A mente gosta de tornar as coisas complexas. Por quê? Bem, assim ela tem uma razão pra estar aí. Por isso ela cria a complexidade de propósito. Simplifiquem. Existe um método mais simples de se pensar. Sempre que um problema surgir em sua vida, particularmente neste próximo mês, parem um instante. Não voltem para as velhas maneiras de pensar sobre ele. Sintam o caminho a ser seguido. O modo velho é muito confuso, ineficaz, energeticamente, e consome uma tremenda quantidade de energia, deixando vocês esgotados. E, quando estão esgotados, às vezes, vocês ainda têm a tendência de sair e roubar a energia de outras pessoas. E vocês não precisam disso, porque está tudo em seu interior. Está tudo aí.
 
Mais duas perguntas e, depois, apresentaremos nossa quarta camiseta.
 
LINDA: Alguém?
 
MULHER SHAUMBRA: Acho que estão com medo.
 
LINDA: Estão com medo de perguntar. Olhe o que você fez!
 
ADAMUS: Não, não, não. Veja lá atrás.
 
JOE: Como você sabe que sou eu que estou falando com você e não um aspecto maluco perdido, um alienígena ou o Marc?
 
ADAMUS: Certo. Tudo bem. Certo.
 
JOE: Ou o Sart?
 
ADAMUS: Se tiver um sotaque suíço, deve ser o Marc. [Risadas] E sua resposta é?
 
JOE: Humm... Eu não dou a mínima?
 
ADAMUS: [rindo] Ah, não, outra. Sua resposta é? Como saber se um ser que está em volta...
 
JOE: É isso.
 
ADAMUS: ... é um Mestre Ascenso ou um imbecil – um morto imbecil? Como você sabe se sou eu ou Linda?
 
JOE: Acho que tem a ver com o que eu digo pra mim mesmo na hora, e acho que, às vezes, eu fico meio perdido num labirinto.
 
ADAMUS: E por que acontece essa combinação?
 
JOE: De onde vem essa maluquice, você entende o que quero dizer, os pensamentos loucos? Ou...
 
ADAMUS: Certo. Vamos voltar pro básico. Você é Deus. Você é soberano.
 
JOE: Claro.
 
ADAMUS: Então, você é aquele que escolhe, o que decide. É a mesma coisa. Então, você é aquele que escolhe, e eis que uma coisa interessante acontece. A mente prega peças: “Não sei com quem estou falando. Não sei se é com Adamus. Não sei se... talvez seja Kuthumi.” Talvez seja este o caso hoje. Aqui está realmente Kuthumi fingindo que eu sou Adamus. Não, eu teria dito: “Namastê.” Teria me entregado. Não tinha saída. [Risadas]
 
HOMEM SHAUMBRA: Você acabou de arranjar uma.
 
ADAMUS: Exatamente.
 
Então, como você sabe? Porque, no estado de ahmyo, você tem total confiança. Quando você escolhe, é exatamente isso que você vai ter. É o que vai ter. Se escolher ficar confuso... como muitas pessoas realmente estão... “Eu não sei. Eu não sei a resposta. Estou confuso. Não sei o que fazer.” Bem, é assim que vai ser. Você vai ficar realmente confuso e não vai saber quem está falando ou o que está acontecendo. Não vai nem saber mais em que acreditar.
 
Quando você escolhe... Com quem você escolhe se conectar, ter uma conversa? Com o Marc? [Marc está fazendo que sim com a cabeça.] Então, vocês dois podem ir lá atrás...
 
JOE: Bem, é, você fala inglês quando conversa comigo? Ou...
 
ADAMUS: É claro que não.
 
JOE: Eu já imaginava.
 
ADAMUS: Francês.
 
JOE: Então, sou eu dizendo pra mim mesmo o que acho que é você... eu estou interpretando o que você... [Risadas]
 
ADAMUS: Quando eu falo com você – não quando Cauldre está junto, mas só você e eu –, nós não usamos palavras, nem você, nem eu. Os anjos não falam inglês, nem francês, nem nada disso – alguns falam francês, mas não o suficiente. [Algumas risadas] Nós falamos usando emoção e energia. Não há necessidade de palavras. Na verdade, as palavras realmente distorcem, limitam a mensagem.
 
Eu falo com você [voltando-se agora para Trish] através do coração, sem dizer palavras, algo muito lindo. Mas, depois, tenho que passar pra palavras, suponho, pra que sua mente possa entender. Mas só envio pra você uma mensagem muito _____ . E, se você se permitir recebê-la, saberá qual foi. Mas a mente se mete e diz: “Bem, não tenho certeza se ele realmente disse que me admira.” Mas eu disse. De uma forma muito linda, respeitosa, do tipo Namastê. [Adamus ri.]
 
Assim queridos Shaumbra, chegou a hora. Teremos mais uma pergunta, muito rapidamente, pois é hora da nossa quarta camiseta.
 
LINDA: Alguém levantou a mão ali.
 
ADAMUS: E foi só você, meu filho.
 
CHRIS: Bom...
 
LINDA: Espere, espere, espere. [Ela leva o microfone.]
 
ADAMUS: Pergunte, e você vai responder.
 
CHRIS: [de pé] Eu sou... Eu vou fazer o que eu quiser, isso sim. Mas estou um pouco preocupado com o que estou escutando. Talvez eu esteja interpretando as coisas de maneira errada, mas eu lhe dou as boas-vindas aqui, com boa intenção. E, se você for bom, eu mantenho essa saudação.
 
ADAMUS: Eu nem sou bom nem sou mau, devo declarar.
 
CHRIS: Tem a ver com o que é verdade.
 
ADAMUS: Sua pergunta seria?
 
CHRIS: Tem a ver com o que é verdade. Se você é bom, eu lhe dou as boas-vindas. Se não é, você não é bem-vindo aqui.
 
ADAMUS: Adamus... ou Tobias...
 
CHRIS: Adamus. E o Gregory precisa de mais liberdade para ser ele mesmo. Ou seja lá qual é seu nome, Geoffrey, Gregory? Essa é a nossa opinião e, então, você sabe, nós respeitamos os seres humanos verdadeiros.
 
ADAMUS: Sei.
 
CHRIS: E a pergunta não é bem uma pergunta pra você. O que você vai fazer se for verdade que você é maléfico e eu ligar pra isso? Entende o que estou dizendo?
 
ADAMUS: Ha-hamm.
 
CHRIS: Se for verdade que você é bom, e estou sendo amigável aqui, e você, de fato, sugerir que as pessoas se preocupem com os pássaros e os peixes desta criação, então, seria um indicativo de que você é bom. Mas não levando em consideração essas coisas?
 
ADAMUS: Maléfico.
 
CHRIS: Pra mim.
 
ADAMUS: Sim.
 
CHRIS: Com base em tudo que você está transmitindo.
 
ADAMUS: Sim. E deixe-me... Eu vou responder à sua pergunta. Temos dois minutos.
 
CHRIS: Não é uma pergunta; é mais como um convite.
 
ADAMUS: Quando... É... Cauldre, Gregory [fazendo careta], Geoffrey está me pedindo pra compartilhar isto... Quando Tobias se apresentou pela primeira vez a Cauldre, anos atrás, em 1997, quando ele veio pela primeira vez até Cauldre, que não era, claro, um canalizador, não era necessariamente um ser espiritual naquela época... mas, de repente, Tobias se mostrou a Gregory – Geoffrey, Cauldre, como quiser –, num avião. Tornou sua presença bem conhecida. Imediatamente, Geoffrey perguntou: “Você pertence à luz ou à escuridão?” E a resposta de Tobias, que acho que poderia se tornar outra camiseta, foi: “Você tem que decidir.”
 
Se eu lhe disser que sou da luz, como você vai saber se não estou mentindo? Se eu lhe disser que sou da escuridão, vou deixá-lo assustado até a alma. Então, vocês decidem. Você decide. Eu sou a luz ou a escuridão?
 
EDITH: Ele está lhe dando uma escolha.
 
ADAMUS: Eu sou maléfico? Eu sou bom? Será que isso importa? Esse é um velho jogo da dualidade que os humanos continuam jogando – separação, divisão, luz, escuridão. No fundo de todas as coisas, meu caro amigo, meu filho querido – eu enfatizo a palavra filho, se é que você me entende – não existe nem luz nem escuridão. [Chris começa a falar alguma coisa.] Pronto. Não existe nem luz nem escuridão.
 
A quarta camiseta se encaixa perfeitamente. A quarta camiseta, você está pronto, Sart?
 
SART: Estou!
 
ADAMUS: Tudo Está Bem em Toda a Criação, Portanto, Vamos Celebrar. [Aplausos da plateia]
 
E Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain. Adios, amigos!
                           

Tradução de Inês Fernandes     mariainesfernandes@globo.com
 


O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e os desafios do status da ascensão, ajudam outros humanos em suas jornadas, compartilhando informações, atendendo e orientando. Mais de 50.000 visitantes vão ao web site do Círculo Carmesim todos os meses ler os últimos materiais e discutir suas próprias experiências.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde apresentam as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Tobias declara que ele e os outros do Círculo Carmesim celestial estão, na verdade, canalizando os humanos. Eles estão lendo nossas energias e traduzindo nossas próprias informações de volta para nós, de modo que possamos vê-las vindo de fora, enquanto as vivenciamos no nosso interior. O "Shoud" é uma parte da canalização em que Tobias fica de lado e a energia dos humanos é canalizada diretamente por Geoffrey Hoppe.
 
As reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público. O Círculo Carmesim sobrevive com o amor sincero e a doação dos Shaumbra de todo o mundo.

O objetivo dos que fazem parte do Círculo Carmesim é servir de guias humanos e professores àqueles que seguem o caminho do despertar espiritual interior. Não é uma missão evangélica. Pelo contrário, a luz interior é que guiará as pessoas até você para receberem compaixão e atenção. Você saberá o que fazer e o que ensinar nesse momento, quando vier até você o humano precioso e único, pronto para embarcar na jornada da Ponte de Espadas.

Se você estiver lendo isto e sentir a verdade e a conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia humano. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você agora e em todos os momentos que estão por vir. Você nunca está sozinho, porque a família está espalhada por todo o mundo e os anjos estão ao seu redor.

Por favor, distribua este texto livremente numa base não comercial e sem cobrar por ele. Por favor, inclua as informações na íntegra, inclusive com todo este pé de página. Todos os outros usos têm que ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Veja a pagina de contatos no website http://www.crimsoncircle.com/

 © Copyright 2011 Geoffrey Hoppe, P.O. Box 7328, Golden, CO 80403. Todos os direitos reservados.