Descoberta 6

OS MATERIAIS DO CÍRCULO CARMESIM

Série da Descoberta
SHOUD 6: “Descoberta 6”

Apresentando ADAMUS
Canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Círculo Carmesim
em 1 de fevereiro de 2014


Música de abertura:




Eu Sou o que Sou, Adamus of Sovereign Domain. Adamus, um Mestre entre Mestres.

Ahh! Esperei muito tempo pra dizer isso. Não sou mais o professor. Um orientador às vezes, um espelho de vez em quando, mas não mais um professor. Simplesmente, um Mestre entre Mestres.

Vamos respirar bem fundo.

Que tempo incrível, incrível. Ah, Cauldre está me dizendo pra não usar mais “incrível”, mas não existe palavra melhor neste momento.


O que É um Mestre?

Assim, isso leva à pergunta: O que é um Mestre? O que é um Mestre? Vocês têm muitas noções, conceitos e crenças. Vocês olham pra outros como se eles talvez fossem Mestres. Vocês têm exemplos do passado – de centenas, milhares de anos atrás – do que supostamente era ser Mestre. Mas o que é um Mestre?

Um Mestre é alguém que está consciente da sua consciência. Que tem percepção. É bem isso. Bem isso. Que tem percepção. Podem chamar de muitas outras coisas – de iluminado e tudo mais – mas é realmente quem tem percepção.

A maioria dos humanos sabe que vive. Mesmo que tentem desesperadamente ter algum sentimento na vida, vida em sua vida, as pessoas sabem que estão vivendo através do sofrimento, através da falta, através das coisas que elas não têm. Ah, sim, às vezes, através do romance, do amor e das realizações, mas, na maioria das vezes, elas não têm percepção de si mesmas. Não estão conscientes de sua consciência.

Na verdade, elas se levantam de manhã e entram em suas rotinas – rotinas que estão profundamente programadas dentro delas – mas nunca ou muito raramente elas param e dizem: “ah, eu existo. Eu Sou. Eu Sou”.

O Mestre... o Mestre sabe que é consciente, consciente de sua consciência. É simples assim. Uma percepção simples, simples: “Eu Sou. Eu existo. Aqui estou, nada mais importa. Nada que veio antes de mim, nada que aconteceu noutra existência, nada que aconteceu ontem. Não importa. Eu Sou neste momento.” Isso é um Mestre.

E como é bom tratar vocês como Mestres! E a primeira coisa que eu gostaria de fazer em nossa nova jornada adiante é liberar completamente qualquer conceito, noção, pensamento, crença que tenham sobre o que era um Mestre, porque tudo isso partiu da velha mente. Partiu das velhas energias arquetípicas, dos velhos exemplos, velhos mentores. Nada disso é o que vocês vão se tornar. Vocês não vão ser como Yeshua. Vocês não vão ser como nenhum outro Mestre. Vocês são os Mestres da Nova Energia.

E, mesmo que não sintam dessa forma no momento, mesmo que tenham dúvidas e questionem isso, mesmo que pensem: “bem, talvez eu chegue lá. Talvez eu tenha um pouquinho de Mestre. Talvez eu seja 42% Mestre no momento”, finjam ao contrário. Como eu disse, simplesmente atuem, porque há uma dinâmica energética associada à consciência que movimenta as energias, que alinha as energias pra vocês. Basta começarem a agir como Mestres. Vocês começam a agir com consciência e, então, assim é.

A primeira coisa que eu gostaria é de fazermos uma liberação de qualquer conceito prévio sobre o que vocês consideravam ser um Mestre, porque não será assim. Será muito, muito diferente pra todos vocês. Os seus conceitos de Mestre vieram de uma época mais antiga, de uma posição mental; vieram de uma posição de poder, vieram de tudo aquilo que vamos deixar pra trás.

Então, por favor, respirem fundo enquanto fazemos a liberação da mestria. Tudo que achavam que era um Mestre, vamos deixar pra trás. Cada imaginação e sonho que tiveram sobre o que era a mestria, cada conceito, cada pensamento sobre os Mestres... vamos limpar a lousa, limpar por completo agora mesmo. E não tentem preencher com algo além daquilo que vier naturalmente.

Respirem bem fundo e sintam isso.

Como vocês liberam aquilo que achavam que era um Mestre? Bem, simplesmente liberem. Chamo isso de simplesmente ir para o próximo ponto. “Yo Soy el Punto. Eu Sou o Ponto.” No minuto em que escolhem isso, vocês se tornam isso. “Yo Soy el Punto. Eu sou isso agora.” Vapt! Vocês não pensam em como vão chegar lá. Vocês não ficam se perguntando se chegaram lá. Vocês não questionam se merecem chegar lá. Vocês não ficam imaginando se têm capacidade ou talento pra isso. “Yo Soy el Punto. Eu Sou esse ponto. Eu me torno esse ponto.” Daí, nós acabamos fazendo a liberação. Fazemos isso, reduzindo as luzes e também ouvindo uma música. Música que vocês possam sentir, não apenas ouvir com os ouvidos, mas que possam sentir em cada parte de si

Ah, vamos começar. Uma liberação.

[Pausa bem longa enquanto toca a música Che, de MNO.]




Ótimo. Respirem bem fundo.

Eu gostaria que vocês se lembrassem de que esse é um exemplo clássico de pra onde estamos indo. Vocês escolhem algo – liberando todos os conceitos que tinham sobre ser um Mestre – e vão fazer alguma coisa por cinco minutos – escutar música, tomar uma xícara de café, um copo de vinho. Vocês saem da mente e permitem que a coisa aconteça – vapt! – assim.

LINDA: Quer café?

ADAMUS: É o que eu ia pedir em seguida. Sim. [Risadas] Com creme, por favor.

É simples assim. Se tornarem isso mais difícil, vocês realmente vão se infligir num sofrimento que não é necessário. Se pensarem sobre isso, vocês vão se frear. É simples assim: “Eu escolho liberar tudo que sabia ou achava sobre ser um Mestre, a fim de seguir em frente, de maneira limpa e clara.” Vão fazer alguma coisa por alguns minutos. Escutem música. Não precisa ser da nova era, como esta obviamente não foi. Não precisa ser clássica. Não precisa ser música de cura. Escutem alguma coisa que curtam.

Agora, enquanto a música tocar, estejam conscientes, como alguns estavam agora, dos pensamentos que estão passando pela mente. Basta ficarem conscientes. Sem julgá-los, sem tentar bloqueá-los, sem tentar mudá-los pra se tornarem bons, sem ficar zangados consigo mesmos por causa dos pensamentos que estão tendo. Mas simplesmente ficando conscientes, percebendo: “Ah, os pensamentos estão lá.”

Alguns ficaram: “Que m... está acontecendo aqui? Por que ele botou essa música? Tem algo programado secretamente na música? [Risadas] Essa voz na música é do Adamus? Será que ele está tentando dizer...?” Respirem fundo. Respirem fundo. Vocês já fizeram a escolha. Agora, permitam que ela se realize.

Nesses cinco minutos ou mais em que a música estava tocando, aconteceu uma tremenda limpeza das Velhas Energias relacionadas ao que era um Mestre, dando espaço agora para o que será o Mestre da Nova Energia. É simples assim. A música não era especial. Era apenas uma chance pra que as energias se realinhassem, uma chance pra que uma pequena descarga acontecesse em alguns velhos sistemas de crenças. É assim. Esse é o exemplo clássico.

Eu pedi que a música fosse tocada bem alto. Talvez alguns tenham achado que ela estava um pouco alta demais. Ahh, vai sacudir as coisas, fazê-las fluir. Mas é simples assim. [Adamus dá um gole no café.] Hum. Creme normal, não sabor baunilha. Hum, não, o normal.

LINDA: Ah, Deus o livre de gostar de açúcar.

ADAMUS: [rindo] Já é demais. Queimaria os circuitos.


Mestres Encarnados

Queridos Shaumbra, é por isso que vocês estão aqui. Vocês escolheram estar aqui nesta existência enquanto consciência encarnada. Consciência encarnada é isso. Percepção encarnada. Depois de muitas, muitas, muitas, muitas, muitas existências estando na mente, muitas existências estando no poder, vocês escolheram estar aqui enquanto consciência encarnada.

Vocês não precisam mais do poder. Ele estará em toda a volta. Vocês o sentirão às vezes, e parte de vocês ainda tentará de vez em quando voltar ao poder. Mas vocês não precisam dele.

Vocês descobrirão que existe algo bem maior do que a mente ou a inteligência. Chama-se saber (saber interior). Está sempre lá, mas encoberto. É pra onde estamos indo. A mente ainda funcionará. A mente ainda trabalhará, até certo ponto, mas vamos entrar no saber. Ele é bem mais eficiente e bem mais divertido do que a mente. É pra onde estamos indo, meus caros amigos.

Repararam nas últimas semanas os efeitos interessantes? Quando falaram com alguém, e estavam, eu diria, na Velha Energia, travando uma conversa ou numa discussão, nas últimas semanas, vocês esqueceram tudo. Ficaram só lá parados. Com a mente à parte. Esqueceram do próprio nome. Esqueceram por que estavam falando com a pessoa, e de repente nada importava. Tiveram momentos assim. Certamente.

Certo... [Linda traz outro café.] Oh, tenho que provar. [Ele dá um gole.] Hum. Certo... [Ele prova da outra caneca.] Oh, isso é aquela coisa que o Cauldre bebe.

Esperem mais e mais disso. Não tem nada de errado. É absolutamente apropriado, porque estamos indo além da mente. Estamos entrando no saber, que é muito claro e muito divertido, e que fará vocês olharem pra trás, pros dias mentais como tendo sido ridículos, tediosos, lentos, e todo esse jogo de inteligência, tentando saber tudo, aprender... Pra vocês, chega de aprender os fatos e os números da vida, porque, antes de tudo, vocês nunca conseguirão aprender tudo, e, depois, vocês descobrirão que nada disso se aplica no lugar pra onde vamos.

A lógica não funciona mesmo. Agora, por saberem sobre lógica e como usá-la, vocês ainda serão capazes de aplicá-la até certo ponto, até o ponto apropriado, ao trabalhar com os outros. Mas não haverá mais esses jogos de cabeça. Vocês sabem como alguns de vocês entram nessa coisa de negociação com os outros. Vocês acham que precisam manipular ou trabalhar o programa. Esses dias se foram. Acabaram. Era tudo mental e vocês só colocavam mental contra mental.

Vocês não têm mais que negociar. Tudo que precisam fazer é respirar fundo e estar no saber de que a coisa já se resolveu. Não importa o que a outra pessoa ou pessoas façam numa negociação – estejam negociando uma casa, um carro, um trabalho ou qualquer coisa assim. Vocês pensavam: “Tenho que ser esperto aqui porque vão vir pra cima de mim daquele jeito deles e eu vou ter que abordá-los...” Deixem pra trás esses dias. É tudo mental e envolve poder. Vocês são seres de consciência.

Ao trabalhar com os outros, vocês vão descobrir uma dinâmica muito interessante. Se permanecerem na Presença Eu Sou e mantiverem essa dinâmica na hora de pôr as cartas na mesa, por assim dizer, a negociação já está feita. Já acabou. Vocês já conseguiram o que queriam. E não fiquem com medo, porque vocês nunca vão pedir demais e nunca vão pedir nada que seja às custas de outros. Vocês verão que, literalmente e também metaforicamente, as cartas aparecerão na mesa e estarão lá pra servir vocês, uma vez que não estejam jogando o jogo do poder e da mente.

Repetindo, vocês dizem pra si mesmos, vão se perguntar por que tornavam tudo tão difícil, tão desafiador, uma verdadeira batalha. Não existem mais batalhas pra nenhum de vocês. Chega de batalhas. [O celular de alguém toca fazendo um som de grilo.] É um grilo que está nos visitando, sim, na cabeça dele. Vou esmagá-lo já, já. [Adamus ri enquanto o som de grilo continua e a mulher pede desculpas.] É só um grilo. Eu sei disso. [Algumas risadas]

Chega de batalhas. Até as minhas batalhas com os celulares. Não é um alívio? Sim. Sem problema. Nada mais de batalhas. Nada mais dessa luta que vocês travavam no passado.

Assim, vamos respirar fundo com isso, além do poder e além da mente. As duas maiores coisas que seguravam vocês e que, realmente, verdadeiramente, estão segurando o planeta no momento. Não há necessidade delas.

Viver uma vida sem poder é, pra vocês, uma dádiva linda e incrível – lá vem essa palavra de novo. Vocês não precisam do poder. Não há poder na consciência, nenhum. A única coisa na consciência é a percepção: “Eu existo.”

Não há poder na energia, de forma alguma. A energia é apenas algo que está aqui pra servir vocês. É consciência comprimida. São vocês. Está aí pra criar qualquer realidade que vocês escolham criar. A parte mais difícil vai ser que vocês ainda estão nesta esfera. Seria diferente se vocês estivessem fora no próprio domínio soberano em outro lugar. Mas, então, se estivessem, vocês estariam mortos.

Então, vocês vão... Um dos desafios é que vocês vão ver o poder e a mente em volta de vocês, e vocês vão chegar a se lembrar de quando os utilizavam. Não é que eles vão desaparecer nem evaporar. Simplesmente não serão mais um fator.

Vocês vão ver o poder, particularmente neste ano, no mundo em volta de vocês e as pessoas jogando esses jogos. Mas a melhor forma de lidar com o poder é não tendo nenhum, porque as pessoas que trabalham com o poder e que trabalham com a mente buscam outras que trabalham com o poder e que trabalham com a mente. Elas não verão vocês, a menos que vocês escolham isso, que seja o desejo de vocês pra suas criações, e então elas estarão lá pra servi-los.

É uma tarefa difícil. É algo com que muitos de vocês ainda não se sentem confortáveis. Mas se sentirão, quando seguirem em frente.

Vamos respirar fundo com isso.


Pontos Relativos aos Mestres da Nova Energia

Alguns pontos, alguns pontos muito importantes. Linda, no quadro, por favor. Alguns pontos básicos relativos aos Mestres – os Mestres da Nova Energia.


~ Número 1

A ferramenta número um, ou dica, como queiram chamar, é o melhor, ah, restaurador de si mesmos que vocês vão ter, porque ainda haverá períodos de grande intensidade. Mas o melhor restaurador de todos será algo muito simples. Permitir. Permitir.

Vou pedir que comecem a permitir. Agora, vocês não podem se forçar a permitir. Não podem permitir do modo como costumam fazer com a meditação ou alguns de vocês até com a respiração. Tornando a coisa uma disciplina. Vocês não podem realmente permitir como se isso fosse uma disciplina. Simplesmente acontece. Permitir é abrir mão da resistência, das barreiras, dos jogos mentais, dos pensamentos, dos sistemas e mecanismos de defesa que vocês colocam em volta de si, das cercas que vocês chegam a pôr em seu campo energético físico, mas também em seu campo energético mental.

Permitir é simplesmente isso. É respirar fundo sem nenhum “se”, “e” nem “mas” com relação a isso. Apenas permitir.

O que vocês vão permitir? O seu Eu. A sua divindade. O Eu Sou. Vocês não vão me permitir. Vocês não vão permitir Yeshua, Buda, nem nenhum desses outros seres. Vocês permitem a si mesmos.

Permitir não é algo que seja pensado. Simplesmente acontece. É esse “Yo Soy el Punto”: “Eu permito. Eu permito.”

E, ao fazer isso, sem tentar pensar nisso, vocês também permitem que as energias sirvam vocês. Vocês vão permitir que as limpezas aconteçam, porque há uma possibilidade, uma possibilidade muito grande, de que vocês acabem acumulando uma energia ruim de tempos em tempos. É permitir uma lavagem espiritual. Mas não do Espírito (Deus, lá), mas do espírito (vocês mesmos, aqui).

Vocês vão descobrir, enquanto Mestres, a grande mentira de Deus. Uma grande mentira. Era uma coisa mental, e era poder. Esse era o Deus que eles adoravam, que vocês adoravam e temiam numa época. A grande mentira. O verdadeiro Deus, que não ouso nem mesmo chamar de Deus, mas o verdadeiro Espírito, o Um Eterno está aqui e aí. Mas não é poder.

Por isso atrai tantos. Eles projetam um Deus fora. Rezam para um Deus. Rezam com poder. Rezam mentalmente. Nunca sentirão. Nunca vão sentir sua divindade, porque fazem isso esperando uma resposta de poder ou algo da mente.

O Espírito, o divino, sempre está aí, mas não quando a pessoa tenta buscá-lo ou encontrá-lo com poder. Está aí de um modo lindo, simples e elegante quando a pessoa para de procurá-lo com o poder.

Assim, vamos respirar fundo.

Permitir é a melhor ferramenta quando tiverem problemas, quando estiverem em tempestades, em águas turbulentas, qualquer que seja a metáfora que queiram usar. Quando, às vezes, vocês voltarem, tentarem recorrer à mente, respirem fundo e permitam. Tirem cinco minutos. Escutem música. Saiam pra caminhar, tomem banho, o que for. Permitam. Permitam.

Não pensem nisso. Não pensem também se estão permitindo direito. É simplesmente o que é. É muito simples. Toda noite, quando forem pra cama e deitarem a cabeça no travesseiro, em vez de passarem pela mente o filme do que aconteceu durante o dia e do que vai acontecer amanhã e de todos os projetos que vocês têm, respirem fundo e simplesmente permitam, o que leva ao espaço que eu chamaria de todas as coisas, mas que é de coisa alguma, esse espaço de simplesmente permitir.

Ah, sim, e vocês terão a tendência de dizer: “Será que estou fazendo direito?” Respirem fundo. Se precisam perguntar é porque, obviamente, não estão fazendo direito. Permitir é simplicidade.

Permitir é algo que vocês não fazem há um bom tempo, um bom, bom tempo. Brigar, lutar, batalhar, tentar entender as coisas, sim. Mas permitir, não. Permitir será uma de suas melhores ferramentas.

Respirem bem fundo no permitir.

Lembrem-se: vocês não estão permitindo nada que venha de fora de vocês. Vocês não estão permitindo o cosmos, o feminino divino nem nada disso. Vocês não estão permitindo nada além de vocês mesmos.

Vejam, o que isso quer dizer realmente é que vocês estão permitindo que vocês, enfim, sejam vocês mesmos. Só isso.


~ Número 2

Seguindo no quadro. O próximo item. Não coloquem... E será só uma palavra, mas vou dizer a frase primeiro. Não coloquem nenhuma causa à frente de si. Não coloquem nenhuma causa à frente de si. Então, fica escrito “causa”.

Não coloquem nenhuma causa à frente de si. Nada é mais importante nem melhor do que vocês. Ponto final. Nada. Nenhum Deus está à frente de vocês. O Deus interior, o Deus que Eu Sou, o verdadeiro Deus, o verdadeiro Espírito, jamais se colocaria à frente de vocês.

Assim, eu peço que não coloquem nenhuma causa à frente de si. Nenhuma causa para salvar o mundo. E vocês vão ficar tentados, especialmente neste ano ou no próximo. Vocês vão ficar tentados de ir lá fazer alguma coisa, realizar projetos, qualquer coisa. Por quê? Porque ocupa a mente. Faz com que vocês se sintam bem consigo mesmos. Vocês ficam achando que estão fazendo a coisa certa quando ajudam os outros. Vocês largaram esse papel quando deixaram de ser detentores da energia para o planeta, quando começaram verdadeiramente a despertar. E agora trata-se de vocês. Vocês são a causa pra si mesmos.

Soa um pouco duro. Alguns diriam egoísta. Mas é a maior dádiva de amor de todas. A maior.

Nenhuma causa está à frente de vocês. Não coloquem grupos, organizações, nem mesmo sua família, seus filhos, o serviço comunitário nem nada disso, não coloquem à frente de si. Não os considerem mais importantes, porque a melhor coisa que podem fazer por si mesmos é a integração consciente da sua divindade nesta existência. É a coisa mais importante. É a razão pela qual vocês vieram a este planeta.

Vocês não vieram a este planeta pra salvar as baleias e os golfinhos. Como eu disse, outros farão isso. Outros estão no ponto em que vocês estavam um tempo atrás. Eles querem vivenciar o que é estar em serviço. Vocês estão realmente além desse tipo de serviço.

Haverá momentos em que vocês vão se sentir compelidos a gastar uma extraordinária quantidade de tempo com, digamos, um programa social, um programa comunitário ou um programa de auxílio a vítimas de desastres. O que estou pedindo é que não coloquem essas causas à frente de vocês. Não estou dizendo pra não participarem delas, mas não as coloquem à frente de vocês.

É muito importante pra vocês agora perceberem que vocês são a causa. Vocês são a razão, e vai parecer muito, muito egoísmo – muito egoísmo às vezes – dar tanto pra si mesmos. Mas é isso que tem faltado. Vocês são a causa. Estão ouvindo isso? É.

É fácil se distrair com algo que vem de fora de vocês, com as pessoas, com outros programas. Ah, é muito fácil, e já vi muitos aspirantes a Mestres fazendo isso. Eles realmente acreditam – passam a acreditar por dizerem a si mesmos – que fazer todos esses trabalhos pros outros vai levá-los de alguma forma à ascensão ou à iluminação. Não. Um verdadeiro Mestre tem a iluminação quando se coloca acima de tudo.

Não parece estranho? Estranho, porque, por muito tempo, particularmente na Igreja Católica, mas também em outras religiões, sempre disseram: “Coloquem Deus em primeiro lugar, coloquem a família, a comunidade e tudo mais...” Mas não havia o “eu” na equação. Era tudo, menos eu.

E fico particularmente aborrecido quando Deus é colocado em primeiro lugar e ainda por cima é masculino, poderoso, mental – tudo que Deus, que o Espírito, verdadeiramente não é. Não coloquem outra causa à frente de vocês.

E, repito, vocês vão ficar tentados, ah, muito, muito tentados a fazerem isso. Não é pra não cuidarem dos filhos. Mas cuidem deles como Mestres, não como pais. Eles realmente não são seus filhos, assim como vocês não eram filhos de seus pais. Bem, talvez biologicamente, sim, mas eles não possuíam vocês. Só achavam que sim. [Algumas risadas]


~ Número 3

O próximo item da lista: Equação. Como falei no evento ProGnost, coloquem a consciência na equação. Vamos chamar de equação

LINDA: Quer que escreva “equação”?

ADAMUS: Equação. Coloquem a consciência na equação. E é muito simples, mas ainda assim as pessoas não fazem isso. Como falei no ProGnost, digamos que haja uma questão na sua vida, não importa qual – vocês não conseguem resolver a coisa, estão empacados – parem um instante. Apenas parem um instante. Fiu! Coloquem a consciência lá.

Agora, o que isso quer dizer? Bem, quer dizer apenas que é pra pararem um instante. Parem um instante, respirem fundo: “Eu existo, nada mais importa. Eu existo. Eu Sou o que Sou.”

Normalmente, vocês querem... Digamos que haja uma questão de saúde. Vocês dizem: “Oh! O que vou fazer agora? Tenho que ir ao médico, e tenho que... e depois vou tentar... Mesmo indo ao médico, vou procurar uma cura alternativa. Enquanto faço isso, vou tomar águas estranhas e medicamentos curativos...” Vocês conhecem o makyo.

Não. Parem um instante. Talvez vocês não saibam a resposta lá em cima [na cabeça], mas a resposta já está aqui [dentro] no que se refere a esse equilíbrio biológico. E pode significar que, durante o reequilíbrio, vocês se sintam mal por uns dias, ou talvez umas semanas, antes de se sentirem melhor, mas é uma transformação que está acontecendo.

E há muita, muita, muita energia de merda – vou usar a palavra “merda” – no seu sistema neste momento, e ela vai sair. E faremos isso da forma mais graciosa possível. Há muitas toxinas. Há muita energia presa. Há muitas coisas que não são de vocês. Mesmo que eu venha encorajando vocês a se livrarem delas, elas estão lá. E passaremos por esse “Yo Soy el Punto” pra nos livrarmos disso.

LINDA: Cadê o cavalo de madeira fazendo cocô? [Ela está se referindo ao slide que Geoff mostrou na abertura do dia, quando falou sobre 2014 ser o ano chinês do cavalo de madeira.]

ADAMUS: Se não... Está lá fora. [Linda ri.] Vai, vai – pode sair. Está lá. Pronto pra você.

Linda perguntou onde está o cavalo de madeira fazendo cocô bem no meio da minha profunda palestra. [Algumas risadas] Assim.

Coloquem a consciência na equação de tudo que fizerem. E não é uma disciplina. Não é uma coisa mental. Mas, se forem beber um café... [Ele dá um gole no dele.] Vejam, eu coloco a consciência nisso. “Eu existo enquanto bebo meu café. Estou consciente de que estou bebendo café. Estou consciente enquanto vivo.” É simples assim. Na consciência, enquanto vocês vivem.

Que parcela do dia é dedicada às atividades habituais, a repetir coisas indefinidamente, a se ajustar aos padrões? Não estou dizendo que tenham que, intencionalmente, forçosamente, tentar quebrar esse padrões, porque vocês tentaram isso antes e não deu muito certo. Não estou encarando você de propósito, Kerri. [Adamus ri e outros também.] Estou só admirando a beleza...

KERRI: Não, eu sei, eu senti...

ADAMUS: ... a beleza do seu rosto, veja bem.

KERRI: Não, eu...

ADAMUS: Ah, sim, eh. Então, vocês descobrirão, ou melhor, já descobriram, que, quando vocês testam seus programas, e dizem “Vou seguir este programa de dieta, ou programa de exercícios, ou qualquer que seja o programa”, tentando se tornar uma pessoa melhor, isso realmente não funciona muito bem, e vocês acabam se sentindo pior com relação a si mesmos, como você [Kerri] ia dizer e eu não deixei.

Então, chega de programas. Um Mestre não tem programas. Não está na minha lista [apontado pro quadro], mas talvez devesse estar. Um Mestre não tem programas. Vocês sabem, esse negócio de “Preciso tentar atingir esta meta. Tenho que fazer estas coisas.” Não tem. Vocês respiram fundo e permitem. Só isso. É só isso.

Isso coloca vocês na consciência. No momento em que vocês dão permissão, isso leva a consciência pra vida de vocês, pra sua comida, e vocês não precisam se preocupar com dietas, com o que comem e se bebem demais e fumam muito, nem nada disso. Vocês percebem que havia toda essa grande... Não estou olhando pra você, Kerri. [Algumas risadas] Vocês percebem que carregavam por aí toda essa carga de lixo, e imagino que vocês deviam estar se divertindo até agora, porque, bem, do contrário, não a estariam carregando.

Assim, juntem consciência à equação, em tudo que fazem. Não como uma disciplina, não como um programa, mas como uma coisa prazerosa. Vocês podem combinar uma respiração profunda, a permissão e a consciência: “Eu Sou, Eu existo.” Dane-se tudo mais. Realmente não importa. Digo, realmente não importa.

As camadas de hipnose e de programação são tão fortes... são cansativas, e elas se perpetuam. Ninguém possui esses programas, essa consciência de massa, esses programas hipnóticos que estão no que vocês chamariam de matriz. Ninguém os possui. Nenhum governo, nenhum deus, nenhum deus mestre. Não existem raças de deuses mestres, é sério. [Esses programas] Não pertencem a nenhuma conspiração.

Os governos e as conspirações não são espertos o suficiente pra sustentar qualquer programa que seja – bom ou ruim. Simplesmente não são, e não serão.

As conspirações existem para o drama, para o aproveitamento da energia e para o poder. É isso. Só isso. E aqueles que se envolverem em conspirações não devem se envolver no Círculo Carmesim. Ponto final. Não tem lugar, não tem espaço pra conspirações de qualquer tipo.

Existem pessoas fazendo coisas estúpidas? Coisas maliciosas? Coisas gananciosas? Com certeza. Vai afetar vocês? Claro que não. Não, seja o que for. Deixem que elas joguem seus joguinhos e deixem que elas façam suas vítimas – não existem mesmo vítimas de fato. Deixem que intimidem ou assustem os outros. Passem batidos.

Não existem conspirações eficazes, e não vou contar todas as minhas histórias agora, mas eu vejo elas surgirem e elas desaparecerem. E não tem governo neste planeta que seja inteligente o suficiente pra fazer algo além de cobrar impostos e criar novas leis. Eles são especialistas nisso, mas se limitam a isso, sem dúvida. Não conseguem liderar; não conseguem se movimentar; não conseguem fazer nada além de cobrar impostos.

Isso está embutido no tecido dessa matriz. Totalmente. Mesmo que os líderes e os trabalhadores do governo tenham boas esperanças e aspirações, está embutido no tecido. Sim, totalmente. Os impostos e as leis, é nisso que eles são bons, mas as leis não são pra vocês. E estou pisando em gelo fino aqui, mas os impostos não são pra vocês.

LINDA: Ohh!

ADAMUS: Mas vou explicar isso depois.

LINDA: Ohhhh!

ADAMUS: Eu explico depois.

LINDA: Ohhh!

ADAMUS: Explico como, de fato, existe uma brecha que é bem brilhante em todo sistema tributário.

LINDA: [dizendo muito alto] Oohhhhhh! [Algumas risadas]

ADAMUS: Não, é tão brilhante que vocês vão se perguntar por que não perceberam antes. Vou explicar isso e vou explicar... quando eu for explicar... eu vou explicar isso...

LINDA: Eghhhhh!

ADAMUS: ... daqui a pouco. [Adamus ri.] Não, é realmente brilhante.

Os que trabalham nessas leis e códigos tributários sem parar... essa brecha está bem no nariz deles, mas eles não veem. Eu explico depois. Será uma das coisas divertidas da mestria. Com certeza. Ah, não, [voltando-se pra Linda] você vai me beijar. Vai me adorar. Vai me trazer mais café. [Algumas risadas quando ele entrega a caneca pra ela.]

LINDA: Sim, senhor! Sim, senhor!

ADAMUS: Eh, Mestre, por favor.

Então, próximo item da lista. Ah, Linda, precisamos que escreva no quadro.

LINDA: Qual é a sua?

ADAMUS: Agora, preciso que você escreva no quadro. Mas também preciso de mais café. O que fazer? Entregue pra Sandra!

Próximo item da lista. Próximo da lista.

LINDA: Não está se queixando, está?

ADAMUS: Um Mestre nunca se queixa. Isso está ligado ao que eu ia dizer antes.

LINDA: Quer que eu ponha isso na lista?

ADAMUS: Vai colocar. Vai colocar.


~ Número 4

Um Mestre faz tudo por conta própria. [Alguém ri bem alto.] Um Mestre faz tudo por conta própria. Um Mestre faz tudo por conta própria.

Bom, parece meio estranho, e por que estou falando sobre isso no primeiro Shoud que verdadeiramente fala de mestria? Porque vocês tinham a tendência, o hábito, de mandar que os outros fizessem tudo. Ter alguém... Depender das pessoas pra fazer alguma coisa, contar com elas pra tornar sua vida melhor, contar com elas pra criar as coisas pra vocês, contar com elas pra ter felicidade, contar com elas pra travar as batalhas por vocês.

Um Mestre faz tudo por conta própria. Ele faz a própria vida. Não precisa que ninguém negocie por ele. Não manda ninguém travar suas batalhas. Não diz pra irmã ou pro amigo: “Fale com a mamãe, porque, bem, você se dá melhor com ela.” O Mestre faz tudo por conta própria.

Dessa forma, a energia é verdadeira. Dessa forma, vocês estão presentes na situação. Dessa forma, vocês não se envolvem na obscuridade e no atoleiro dos dramas das outras pessoas.

Sei que houve momentos no passado em que vocês queriam se esconder. Não queriam ser notados, então vocês pediam que os outros fizessem as coisas pra vocês. Mas agora é hora de aparecer e fazer tudo por conta própria. Certo?

Respirem bem fundo com isso.

Vocês dizem: “Bem, não acho que eu fazia isso.” Ah, sim, vocês faziam. [Adamus ri.] E vocês vão se lembrar disso nos próximos dias. Vocês terão oportunidades, muitas delas, pra fazer as coisas por conta própria.

O que acontece quando fazem por conta própria? Vocês ficam numa situação e pensam: “Ah, eu não gostaria de estar nessa situação. Quem será que pode fazer isso pra mim?” ou “Como posso desaparecer, como posso evitar isso?” Não. Vocês respiram bem fundo. Vocês estão bem no meio da coisa. Vocês estão diante de uma tempestade, metafórica ou literal; vocês estão diante dos desafios energéticos e jogos de poder de outra pessoa, e ficam: “Ahh, não queria estar aqui.”

Respirem fundo. Vocês dão permissão nesse momento, e permitem que a Presença Eu Sou surja onde não há poder e vocês não pensam nisso, e observem o que acontece. Observem.

Vocês vão ver que os outros ficarão surpresos no primeiro momento. Vão sentir algo e ficarão muito desconfortáveis com isso. Vão sentir... Vocês sabem como é. De repente, a energia numa sala simplesmente muda. Todos são... porque não estão conscientes da consciência deles. Estão mas não estão conscientes. Não dizem pra si mesmos: “Oh, a energia na sala acabou de mudar. Eu me pergunto por quê.” Mas, de repente, eles se veem reagindo de maneira diferente.

Então, vocês estarão numa situação em que saem do drama, do aproveitamento e do poder e entram na permissão. Basta respirar bem fundo. Lembrem-se da música – não cada nota dela, mas lembrem-se que começamos a limpeza – e vocês tiram cinco minutos. Vão fazer alguma outra coisa ou simplesmente respirem bem fundo na sua permissão. A energia mudará.

E, por não saberem o que aconteceu, eles vão reagir de maneira diferente agora, e será frustrante e confuso pra eles. É quando vocês realmente respiram fundo e permanecem na mestria. E, lembrem-se, não tem esse negócio de vidência aí. Se já fizeram PNL, descartem tudo agora mesmo. [Risadas] Estou falando sério. É sério. Era uma forma de juntar poder a mais poder. É tudo um bando de coisas mentais – não só a PNL, mas qualquer coisa desse tipo. É tudo um bando de porcaria mental e jogos de poder. E vocês não precisam deles. Um verdadeiro Mestre não precisa exercer manipulação de qualquer forma que seja.

Um Mestre está sempre em sua verdade. Pode falar a sua verdade abertamente, honestamente, claramente e sem medo. Nada de jogos de poder. Ah. Vai parecer estranho de início, meio bizarro, mas, depois, trará uma sensação de alívio enorme.

Assim, onde estávamos? Estávamos, ah, fazer por conta própria. Façam tudo por conta própria.


~ Número 5

O próximo item é: “Eu, não você.” “Eu” – vírgula – “não você”.

LINDA: A propósito, eu fico reclamando porque a pobre da Edith não pôde vir.

ADAMUS: Ah, ótimo, ótimo. Obrigado. Substituta da Edith. Faça por conta própria. [Eles riem.] Não espere pela Edith.

Seguindo, “Eu, não você”. É muito, muito importante que vocês reconheçam isso – muito importante – e é apenas uma mudança de perspectiva.

Então, vocês estão tendo uma discussão com um amigo, ou o que chamam de amigo. Estão discutindo, dizendo: “Você fez isso comigo! E você fez aquilo! E você sempre...” Vejam bem. E é assim que os humanos conversam. Esse é o nível deles de consciência e de realidade. “Você fez isso!” E vocês, a propósito, queridos Shaumbra, fazem isso.

Um Mestre fala apenas na primeira pessoa. “Eu gosto quando tudo está em paz. Eu gosto de casa, da minha casa; ela está do jeito que eu gosto. Eu gosto quando não tem aquela música alta estridente. Eu gosto de ir a restaurante.” E não: “Você nunca me leva pra jantar.” Vejam bem. Ou: “Você sempre faz isso e aquilo comigo.” O Mestre só fala na primeira pessoa. Não se trata do você. Não se trata de falar com os outros, porque no minuto que começam a fazer isso, vocês vão dizer: “Você nunca me escuta.”

LINDA: O quê!? [Adamus e a plateia riem.]

ADAMUS: “Você nunca faz o que eu digo. Você não se importa comigo. Você não me ama. Você sempre foi assim.” Estão entendendo? Estão vendo a energia disso? É poder e é projeção.

O Mestre usa o “eu”. “Eu gosto de ter uma lareira agradável e de me deitar num tapete de pele de urso, pelado, tomando vinho.” Estou canalizando um de vocês. Não sou eu. [Risadas]

Entendam, quer digam de fato as palavras, quer apenas sintam lá dentro – não precisam dizê-las realmente –, isso muda a dinâmica da situação. Primeiro, mantém vocês dentro de vocês, porque, assim que vocês começam a falar com a outra pessoa, “Bem, você fez isso” ou “você fez aquilo”, de repente vocês não estão mais no Eu Sou. Vocês estão no “ela é”. Quando vocês falam na primeira pessoa, o Eu Sou – “Eu não gosto de dirigir no trânsito. Eu gosto de passar as férias em Kauai” e não “você nunca me leva a lugar nenhum” –, isso muda totalmente a dinâmica.

Vocês vão começar a ficar conscientes da frequência com que vocês fazem essa coisa de “você” – projeção –, e, particularmente com as pessoas mais próximas de vocês, mas também no escritório. Expressem o que vocês desejam, o que vocês escolhem. Digam “eu”, não “você”.

Respirem bem fundo com isso. Sim.

Agora, vai ser meio estranho de início, porque há uma tendência pra agredir, pra jogar pro outro. Daí, vocês estão jogando com o poder. Daí, vocês não estão mais no Eu Sou.

Eu, eu gosto de estar aqui com vocês. Digo, realmente gosto. É verdade.


~ Número 6

Próximo item da lista. Um Mestre é... Vocês são capazes de alcançar sete níveis de consciência de uma vez só. Vocês atuam em dois ou três. Vocês estão conscientes, às vezes, de que estão sentados aqui ou acompanhando pela Internet. Vocês estão conscientes de que a sala está quente. Vocês estão conscientes do nível de barulho na sala, se for muito alto. E, de certa forma, vocês estão conscientes de que estou aqui de pé falando.

Os humanos, em sua maioria, estão realmente conscientes de um nível e meio, talvez dois, de cada vez, e é pra isso que eles foram programados.

Vocês, de agora em diante, podem estar conscientes de sete níveis. Agora, não estou falando de sete dimensões. Estou falando de que, em qualquer momento, vocês podem estar conscientes de sete coisas simultaneamente. Sem ter que mudar o foco de sua atenção de mim, pra Linda, pro barulho lá atrás da sala, pras luzes acima, pra lareira, vejam, porque isso é singular. Vocês acessam o redor apenas reenfocando as coisas.

Vocês podem estar conscientes de sete níveis num único momento. Como fazer isso? Permitindo. Certamente.

Se... [Ele fala com Linda.] Ah, apenas “Sete níveis de consciência”.

LINDA: Tudo isso? Sete níveis.

ADAMUS: Acho que tem mais papel atrás. [Risadas] Acho... sim, tem. [Adamus ri.]

Vocês podem estar conscientes de sete níveis em determinado momento. E, repito, vocês fazem isso apenas através da permissão. É, de fato, natural. Na verdade, vocês podem chegar a centenas, mas vamos deixar só em sete por enquanto.

A mente vai se sentir sobrecarregada de início, e é uma das razões pelas quais eu digo que vocês estão tendo esses episódios mentais de esquecimento, porque estão começando a sentir os níveis e a mente não aguenta. Mas ela vai captá-los. Uma coisa com relação à mente é que ela é muito adaptável. Ela se adapta rapidamente. Faz parte de seu instinto de sobrevivência. Faz parte da perpetuação de seu ego. Mas ela vai superar isso muito em breve.

Sete níveis diferentes. Vai ser meio confuso no princípio, porque vocês vão tentar assimilar por aqui [pela cabeça]. Vocês vão tentar estar conscientes de tudo com os olhos, os ouvidos, o nariz, o paladar, a pele – com os cinco sentidos humanos –, mas de repente vocês perceberão que estão captando tudo por aqui [pelo ser inteiro], e que tudo está vindo ao mesmo tempo. Não precisa ser filtrado ou processado através do sistema mental de vocês.

Vocês vão se tornar conscientes de... Digamos que estejam dirigindo, vocês vão ficar conscientes da experiência de dirigir; vão ficar conscientes da comunicação com seres – seres não físicos – ao mesmo tempo; vão ficar conscientes de como determinado padrão de energia de repente chega até vocês, porque vocês o atraíram; vão ficar conscientes de como o seu corpo de repente está liberando algumas energias; e muitas outras coisas, tudo ao mesmo tempo.

E, ao mesmo tempo, vocês vão ficar conscientes de como uma bolha de um potencial futuro vem na sua direção, tudo ao mesmo tempo. A mente não consegue compreender isso muito bem no momento, mas com a permissão vocês vão chegar lá.

Assim, entre hoje e nosso próximo encontro, repito, façam algumas respirações muito conscientes, permitindo isso. E, por favor, não façam essa coisa de ficar dizendo: “Agora vou me testar. Será que consigo estar consciente de sete coisas que estão acontecendo neste momento?” Porque, repito, isso é mental. De fato, é muito fácil. Bem, vamos fazer isso agora.

Respirem bem fundo e, sem ficarem pensando no que for... o que todos vocês acabaram de reforçar... [Adamus ri.] Bem, vamos fazer isso depois.

Acontece naturalmente, porque a verdadeira divindade, o verdadeiro vocês, não se limita a cinco sentidos, e não está limitado a um ou dois pensamentos ao mesmo tempo. Realmente não há limites. Essa falta de limites precisa basicamente quebrar as barreiras das crenças mentais: “bom, só consigo um ou dois níveis de cada vez”. Muitos de vocês participaram de diferentes tipos de aulas de controle da mente ou – não sei como chamam – aulas de criação ou de abundância – spit! [cuspindo] – onde ensinavam alguns exercícios mentais muito estranhos, e o que vocês aprenderam é que eles não funcionam ou vocês ficam achando que vocês falharam.

E, na verdade, isso acarretou sequelas do tipo: “ah, eu não fiz direito”. Não. Os cursos é que não eram direitos. Não eram certos pra vocês, porque vocês, mais cedo ou mais tarde, chegariam a uma posição, a um lugar bem além da mente.

Não há qualquer esforço nesses sete níveis de consciência. Não há disciplina vinculada a isso. É como se estivesse acontecendo agora mesmo, mas vocês não estivessem muito conscientes do que era. Tipo: “por que estou tendo essas sensações estranhas? Não sei o que são, e a minha mente não está mais funcionando direito, mas ainda assim eu sinto mais clareza do que antes”. E, então, vocês se livram disso.

O que está acontecendo é que vocês estão indo além da mente. Vocês estão chegando na consciência. É isso. Vocês não precisam de todos esses outros sistemas, programas, disciplinas nem nada disso, apenas da consciência. Só isso. Só isso. É tudo. Isso é o saber. É daí que vem tudo. Tudo emana da consciência. Tudo vem de lá. Todas as energias, tudo na sua vida.

A consciência – vamos colocar isso aí [falando com Linda]. Não estava na minha lista, mas consciência – deixem que a consciência seja a força orientadora da sua vida. E você pode, você pode usar [falando com Linda] outra folha de papel. Deixem a consciência ser essa força orientadora.

Não é que as energias, a vida e tudo mais orientem vocês e, a partir daí, vocês reagem. É deixar que a consciência seja a força orientadora em sua vida.

Certo, respirem fundo com isso. Ficamos um pouco mentais aqui. Fiu‼ Certo, liberem isso.

Vejam, o engraçado é que vocês vão chegar ao ponto – bem, vocês estão chegando nesse ponto – de não pensar mais nas coisas. Vocês não precisam levar tudo pro cérebro. Simplesmente parem. Lembrem-se sempre do exemplo que demos no início hoje. Vocês querem liberar os conceitos do que vocês achavam que era um Mestre? Respirem fundo e assim será. Coloquem uma música. Dancem um pouco, alguma coisa. Tomem café. E assim será, sem trabalhar pra que seja. Sem fazer nada. É incrível. Certo.

Próximo item da lista. Ahhh, acho que a lista está pronta.


Permitindo o Mestre

Seguindo com a lista. Vamos precisar de música pra isso, John. Pode ser uma música suave, tranquila. Tudo bem.

Falamos sobre ser um Mestre. Liberamos o conceito do que era um Mestre, porque, vejam, o verdadeiro Mestre, a verdadeira consciência da consciência tem estado esperando por isso. Sem poder, sem força, sem ter que fazer exercícios, só esperando. Então, nesta experiência agora, com uma música ao fundo, respirem fundo e deixem que o verdadeiro Mestre – vocês, e apenas vocês – venha até vocês.

[Uma música suave de harpa começa.]

Não é santo, nem guia espiritual nem aquele velho Deus perverso do passado.

O verdadeiro Mestre... Ah, essa música está muito suave. Ehhh, não, isso não é música de Shaumbra. [Risadas] Me desculpe, John, mas harpas?! Sabe, pode me acertar com uma – [suspirando] – com um flecha. Não, não, não, não. Vamos, vamos... Isso não é o estilo de Adamus... Isso não é o estilo dos Shaumbra. Estilo dos Shaumbra.

Vamos tentar de novo. John está brincando comigo.

[Uma música diferente começa: Close to You, de Aldo.]




Tudo bem. Lá vamos nós. Certo, agora. Certo.

Deixem que o verdadeiro Mestre venha até vocês sem forçar. Vejam, o que acontece com muita frequência é que vocês ficam pensando: “Tudo bem, agora, o que eu tenho que fazer?” E vocês ficam naquela expectativa, naquela espera. Ficam querendo que haja uma reação, esperando que algo venha pra vocês. Vocês querem uma alta explosão mental, uma liberação da química do cérebro que dê a vocês uma exaltação temporária. Isso não vai acontecer. Não é pra acontecer desse jeito.

Porque deixar que o verdadeiro Mestre venha até vocês não inclui as velhas dinâmicas. Isso não vai dar a vocês, oh, aquela rápida exaltação que vocês costumavam se dar. Eu sei que isso era importante, era muito legal, mas era meio que artificial. Agora, vocês simplesmente deixam que venha até vocês.

Não tem poder nem força, mas está lá. Vocês não podem pensar numa forma de chegar lá.

Não tem a ver com crenças. Crenças são, na verdade... Crenças são uma construção mental com uma cobertura de poder. Não tem a ver com crenças. Tem a ver apenas com permitir.

Esse verdadeiro Mestre... Lembrem-se, vamos liberar os velhos conceitos de Mestre, mas agora o verdadeiro Mestre... surge.

Eu digo “surge”, mas ele sempre esteve aí. Só não estava integrado. Por quê? Porque vocês estavam buscando esse Mestre/Deus/anjo dourado/ser grandioso e poderoso, e não conseguiam encontrá-lo, porque ele não é assim.

Vocês estavam procurando algo, ah, pode-se dizer, meio que para resgatá-los, algo que desse mais poder a vocês. Talvez vocês nunca tenham pensado dessa maneira, mas algo mais sublime. E o fato é que isso não tem a ver com divindade, nem Espírito nem condição Eu Sou, que não contêm nada disso.

Mas ainda assim aqueles que procuram pelo poder e por um Deus poderoso, anjos poderosos, eles vão buscar essa coisa, isso que acabei de falar, porque pensam que há poder nesses seres. Eles acham que esses seres darão a eles magnificência e grandeza. Acham que eles os resgatarão. Por isso, eles os buscam e não os encontrarão.

Mas vocês, nesse estado de permissão, nesse estado de Mestre, vocês deixam que ele venha a vocês.

[Pausa]

Antigamente, muitos de vocês diziam: “Ah, não sou muito bom em fazer isso porque nunca sinto nada.” Não há nada pra ser sentido nem nada vinculado ao que vocês definiriam como sentimento. Não há relâmpagos nem as coisas de repente vão se tornar uma espécie de nirvana. Não, porque isso é coisa velha, é coisa que lidava com a mente e com o poder.

Isto aqui – isto é real. É permitir o Mestre.

Respirem bem fundo.

E, repito, se disserem pra si mesmos, “Bem, não estou captando nada. Não estou sentindo nada”, ah, simplesmente respirem bem fundo, porque não será – não virá – da forma que vocês acham que viria. Mas está aí.

Certo. Chega de música agora. Obrigado.

Vamos respirar bem fundo.


Seguindo em Frente

Seguindo com a lista. Nós vamos a lugares interessantes, e não tem muito a ver com ensinamento, como eu disse; tem mais a ver com experiência. Deixar vocês começarem a vivenciar esse Mestre dentro de si.

Foram interessantes as últimas três semanas em particular. Alguns desistiram. Falavam sobre se tornarem Mestres, e deram muitas desculpas pra si mesmos e acabaram desistindo. E isso é ótimo. E qualquer um que esteja acompanhando agora, se não tiver certeza, se estiver se perguntando: “bem, não sei... O que vou conseguir com tudo isso e que espécie de poder vou ganhar?”. Tudo bem ir embora. É verdade, porque queremos manter as energias claras e limpas. Não queremos – eu não quero – muita bagagem excedente nessa jornada. Será mais fácil trabalhar com um grupo bem pequeno que esteja realmente comprometido com a condição Eu Sou do que um grupo grande que esteja jogando esses joguinhos, buscando algum poder ou apenas usando isto aqui como distração da vida cotidiana.

Assim, houve uma autosseleção. A coisa toda com o bóton, meus queridos, foi incrível. Incrível a comoção que causou por aí, a começar pela equipe. “O que fazemos com isso?! Adamus vai nos falir!”. Isso mesmo. Isso mesmo. [Algumas risadas] Era preciso sentir se era realmente o certo. Mentalmente, disseram: “Que diabos Adamus está fazendo?” ou “Lá vai Adamus de novo...”. Mas foi realmente pra ver se sentiam se era o certo a fazer. Não faz sentido?

E, é claro, a equipe do Círculo Carmesim, se prontificou a realizar tudo. Trabalho brilhante por parte do pessoal.

E, é claro, enquanto tudo isso acontecia, eles se perguntavam: “Como Adamus pôde fazer isso?”. Ainda mais numa época em que estavam pensando em criar uma espécie de estúdio, o que sairá caro, muito caro; criar um lugar pra que não seja preciso levar e montar equipamento toda a vez; criar um espaço onde possam fazer uma transmissão no calor do momento, sem ter que se preparar por semanas ou meses, mas, literalmente, quando resolvermos nos reunir, num piscar de olhos, o que faremos, o que precisaremos fazer de vez em quando.

Então, tudo isso, e agora eles se veem com um débito de, oh, 30.000 dólares, por causa dos bótons. [Adamus ri.] Trinta mil dólares pra comprar os bótons e enviá-los. Então, eles balançam a cabeça: “Por quê? Por que agora?”.

Por quê? Bem, primeiro, era a hora de descobrir quem realmente vai seguir em frente. Quer tenham um bóton ou não, isso realmente não é relevante, mas foi relevante perguntar: “Vocês estão prontos?”. O bóton, de certo modo, foi uma pequena distração, porque então vocês ficaram pensando em ter ou não ter o bóton e houve toda essa comoção. Foi uma pequena distração, mas também fez com que vocês se perguntassem: “Será que estou realmente pronto?”. Porque daqui pra frente vai ser diferente. Vai mudar a natureza dos relacionamentos, dos jogos, dos trabalhos, da abundância, da saúde e de todas as outras coisas.

E, mesmo que alguns de vocês digam que, bem, não gostam dessas coisas, não gostam de ficar sem dinheiro nem doentes, vocês gostam; do contrário, não ficariam. É simples assim. Então, quando vocês precisam fazer uma escolha consciente com relação à consciência e dizem “Sim, vou seguir em frente”, como no exemplo do bóton... quando vocês perguntam “Bom, será que estou pronto pra esse bóton?”, quer façam o pedido ou apenas o recebam energeticamente, vocês estão fazendo uma escolha. Trata-se de seguir em frente.

Então, agora, temos um grupo seguindo em frente como Mestres. Vamos falar como Mestres, brincar como Mestres e criar como Mestres.

É hora deste grupo, dos Shaumbra, enquanto grupo, terem um lar. Um lar. Nada de ficar vagando como ciganos de um lugar pra outro, mas terem um lar.

Já se falou antes, se questionou, sobre ter outros locais, outros centros, e nenhum foi apropriado até então. Daí, estamos aqui, início de ano, et cetera e tal.

Assim, meus caros amigos, estou pedindo aos Shaumbra, pedindo à equipe do Círculo Carmesim que criem isso. Deve ser uma criação relativamente simples. Não deve dar muito trabalho nem gastar muito tempo ou dinheiro. É só criar. Então, estou pedindo esse Centro.

Bem, acredito que estão chamando – a equipe está chamando – de Crimson Circle Connection Center (Centro de Conexão do Círculo Carmesim), um estúdio de vídeo/técnico, mas também um lugar de encontro – não gosto da palavra, mas um lugar de encontro. Um lugar em que haja mensagens, discussões e, ah, sim – segure seu pesar [falando com Linda] –, um lugar em que vocês venham dançar, se divertir e ficar juntos. Palavras minhas. Com certeza.

Assim, como exemplo deste Centro, temos um gráfico aqui apresentando o sonho do Centro e.... Só pra que vocês visualizem... [Ele fala com a equipe.] Apresentem. [Pausa; o slide está demorando pra carregar.] Aham. Apresentem. [Algumas risadas enquanto esperam e depois mais risadas quando a imagem aparece: um castelo de conto de fadas!] Oh, me desculpem. Isso é... Isso é... Me desculpem. Esse é o meu Centro! Essa é a minha casa. [Risadas e alguns aplausos] A casa de vocês se parecerá mais com... com... isso aí! [Aparece a foto do novo Centro.] Com isso aí. [A plateia faz “Oh!” e “Uau!”, e alguns aplaudem.]

Então, esse será um lugar... um lar. E essa é outra coisa com relação a um Mestre. Cada um de vocês precisa de um lar e deve ter um. Não significa que vocês precisem, necessariamente, comprar um, se não gostarem da ideia, mas um lugar que seja realmente de vocês. Alguns ainda estão... Alguns de vocês moram com os pais, aham. E alguns moram com um monte de outras pessoas com quem não têm a ver em termos de consciência. Alguns – tem um termo pra descrever isso – moram de favor. Outros acham que o banco de trás do carro é uma casa legal. Chega disso. Não vou tolerar Mestres que vivem no banco de trás do carro, a menos que seja um carro realmente grande, enorme. Mas aí vocês não poderiam dirigi-lo de tão grande; não caberia nas ruas. Não vou tolerar isso. E morar de favor, sem saber onde vão ficar depois... É hora de acabar com isso tudo, incluindo o Círculo Carmesim, esta organização. Vocês precisam de um espaço. Então, estamos zombando, mas é apenas um exemplo.

Então, o negócio é o seguinte, Mestres – é mais ou menos a primeira lição interessante de manifestação e abundância –, vai custar 44 dólares pra cada um de vocês.

Agora, se estiverem pensando “Lá vão eles quererem meu dinheiro”, saiam agora mesmo. Digam adeus já. Fora!

Pro restante, se por alguma razão não quiserem fazer isso, tudo bem. É uma escolha, sim ou não. Nada de conversa ou discussão. Se não é o momento pra vocês agora, se não parecer correto, não façam. Se acharem correto, façam. Quarenta e quatro dólares por Mestre daqui pra frente e não vamos deixar a equipe estressada com isso.

Agora, nós vamos criar esse Centro. Vamos dar andamento a ele imediatamente. A equipe estava, na verdade, falando sobre os planos de contingência: “E se não der certo?” E isso não deve nem ser cogitado. Não. Ele vai ser criado, e lá vamos nós.

Continuando. A primeira aula, uma aula regular online ensinada nesse Centro... E, a propósito, perguntas estão surgindo... Ah! Perguntas de todo lado. Estão chegando por e-mail. Estão por todo lado. Sim, pode ser mais de 44 dólares. Eu não me importo, mas são 44 dólares ou mais.

Outra coisa, os Crimson Circle Angels (Anjos do Círculo Carmesim, que são aqueles que fazem doações mensais), os que já são Anjos, estão perguntando: “Será que eu também preciso doar isso?” Não quero saber! Doem; não doem. A decisão é de vocês. É sim ou não.

A primeira aula ensinada nesse Centro, que se tornará o epicentro, o núcleo da consciência dos Mestres Shaumbra, e que a equipe vem me pedindo pra dar e eu vou adiando... vivem me perguntando quando vou dar a aula de... abundância!! [Alguns aplausos]

SART: Yesss!

ADAMUS: E vai ser aí e... [A plateia vibra e aplaude.] E vai ser de graça! É incrível. [Linda suspira.] Sim, por terem criado um Centro, agora, poderemos falar de abundância. É possível transpormos essa questão. Duas questões que quero trabalhar imediatamente. A abundância, a abundância de vocês.

E, vejam, se ficaram entalados com os 44 dólares, é sério, podem sair. Juro. Saiam. Do contrário, vou chamar Kuthumi e... [Algumas risadas; Alaya se levanta e dá o dinheiro pro Adamus.] Não dê pra mim... [Adamus ri; a plateia ri e aplaude.] Que tal pra Michelle‼ [Adamus ri.] Agora...

LINDA: Obrigada.

ADAMUS: ... vou estabelecer um cronograma pra isso: final de fevereiro. Fevereiro tem 28 dias, por favor, então, não esperem até o dia 30 de fevereiro. Se não quiserem fazer isso, não façam. Sejam Mestres. Tomem uma decisão. [Risadas] Tomem uma decisão! Parem de reclamar! Não façam se não quiserem fazer. Não se justifiquem com nenhuma desculpa esfarrapada, não digam que não têm ou, sabem como é: “Sempre pedem dinheiro.” Nem sempre eles pedem dinheiro. Deveriam pedir! Não pedem! O que tem de errado com eles? Agora eu estou pedindo. Muito simples.

A primeira aula – aula online além do Shoud –, ministrada aqui, será sobre abundância. Entenderam?! Faz sentido? Ótimo.

Vamos superar essa coisa. Minha outra questão é a biologia de vocês. Vamos trabalhar isso, e será nesse lugar. Chega desse bando de ciganos errantes, tentando achar quartos de hotel baratos. [Adamus ri.] Salões, salas de conferência em hotéis, é.

Assim, é hora de seguir em frente. Está na hora, certo?

Vamos respirar fundo com isso. Ótimo. Obrigado. [A plateia vibra e aplaude.]

E passemos ao próximo slide, por favor. E, se estiverem perguntando “Onde está isso? Como eu faço?” É uma colaboração. Não é uma doação. Eu cuspo pra doações e contribuições. Isso é uma colaboração! É uma energia. Vocês acharão no...

MICHELLE: ... no site do Crimson Circle.

ADAMUS: Dê o microfone pra ela, por favor, pra que ela possa explicar. Então, como fazer a colaboração?

MICHELLE: Se entrarem no site do Crimson Circle – www.crimsoncircle.com – ou forem até a loja – store.crimsoncircle.com –, encontrarão. Está em todas as páginas iniciais.

ADAMUS: Ótimo. Ótimo. Cliquem aí, sejam Mestres e façam acontecer. Certo. Ótimo. Obrigado. Obrigado. Obrigado. [A plateia vibra e aplaude mais.]

Certo, queridos Shaumbra, é isso por hoje. Continuaremos. Será que vocês conseguem – sem pensar nisso –, conseguem sentir como a energia mudou, se movimentou e deu pulos o dia todo? [A plateia diz que sim.] Ahh, sim! E, por favor, levem isso em consideração pra vocês também: um lugar pra vocês. Vou insistir nisso, que vocês tenham uma base domiciliar, algo que seja seu, algo que pareça correto. É muito importante neste trabalho.

A coisa da abundância, a coisa da biologia e ter uma base domiciliar são muito importantes.

Assim, vamos respirar fundo com isso enquanto Mestres.

E, repito, lembrem-se que o primeiro exercício de hoje é muito simples. Quando se trata de liberar qualquer coisa, sejam velhos conceitos sobre ser um Mestre, velhos conceitos sobre abundância ou qualquer outra coisa, o que vocês fazem? Yo Poy el Sunto.

LINDA: O quê?‼!

ADAMUS: [rindo] Yo Soy el Punto!

LINDA: O quê?‼!

ADAMUS: Ele teve um desses... [Risadas] Yo Soy el Punto. Yo Poy el Sunto? [Adamus ri.]

LINDA: Tenha cuidado.

ADAMUS: Vocês respiram fundo. Escutam música. Dançam um pouco. O que for. Saiam da mente. Simplesmente, permitam.

E, então, lembrem-se, não importa o que for...

ADAMUS E A PLATEIA: ... tudo está bem em toda a criação.

ADAMUS: Estou ansioso pra falar com vocês da reunião sobre abundância no novo Centro! Obrigado. [A plateia vibra e aplaude.]



(Veja mais abaixo as opções para salvar 
esta mensagem em pdf, compartilhá-la e/ou imprimi-la)


Tradução de Inês Fernandes – mariainesfernandes@globo.com

Os materiais do Círculo Carmesim com Tobias, Adamus Saint-Germain e Kuthumi lal Singh têm sido oferecidos gratuitamente desde agosto de 1999. 

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos, chamados de Shaumbra, que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e desafios da ascensão, tornam-se os Standards para os outros seres humanos em sua jornada de descobrir o Deus interior.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Adamus apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Essas reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público e todos são bem-vindos.

Se você estiver lendo isto e sentir um sentido da verdade e conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia para os humanos e os anjos também. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você neste momento e por todos os tempos que virão. Você nunca está sozinho, pois existe a família que está por todo o mundo e os anjos que estão ao seu redor.

Você pode distribuir livremente este texto em uma base não-comercial, sem nenhum custo. Por favor, inclua as informações na sua totalidade, incluindo as notas de rodapé. Todos os outros usos devem ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Ver contatos página no site: www.crimsoncircle.com

© Copyright 2010 Geoffrey Hoppe, Golden, CO 80403