A Voz de Shaumbra

O MATERIAL DE TOBIAS

Série do Professor:

SHOUD 7:  "A Voz de Shaumbra"

Apresentando Tobias canalizado por Geoffrey Hoppe 

Apresentado ao Círculo Carmesim
3 de Fevereiro de 2007

 
 
E assim é. (risadas) Querido Shaumbra, que eu, Tobias me junto a esta energia Shaumbra neste lindo dia.
 
Não necessariamente lindo por causa do tempo ou do ambiente em sua realidade material, mas lindo porque mais uma vez podemos nos reunir.  Mais uma vez, nós podemos estar nesse momento sagrado, nesse espaço sagrado.  Podemos unificar todas nossa energias e lembrar por um momento porque estamos aqui.
 
Podemos lembrar nosso passado, nossos dias mais recentes, ou aproveitar o momento pra relaxar – pra rejuvenescer.
 
Tenho feito isso com freqüência nos últimos meses. Kuthumi tem sentado nesta cadeira.  O belo, afável e poderoso Saint-Germain – me sinto tão honrado por estar sentado na mesma cadeira que ele sentou há um mês atrás! (risadas) Ele também esteve aqui.
 
A propósito, Shaumbra, humor é o lubrificante da consciência da nova era,  da consciência da Nova Energia.  De verdade.  É de verdade.  Essa tarefa que escolheram de ser Shaumbra e fazer o trabalho da nova consciência nem sempre é fácil. Há forças se opondo por toda sua volta, mesmo quando você não é a força opositora.  Elas vão continuar a sua volta.  Você tem que ser capaz de rir das coisas.
 
Primeiro comece a rir de si mesmo.  Considere-se com muito mais leveza do que tem feito. Mesmo que você esteja passando por um daqueles dias que vocês chamariam o dia do “meu cabelo está horroroso”, mesmo assim ria disso.  Ria do cabelo descabelado.  Ria da maneira como você às vezes se enterra nessas rotinas.  Você se oprime com o peso dos velhos sistemas de crenças.  Ria disso.
 
Mesmo quando lê notícias ruins, sim notícias brabas, tenha compaixão, mas também tem que rir, você sabe.  Você tem que rir.  São apenas humanos jogando jogos, e se você leva muito a sério vai ser sugado direto pelo jogo.
 
Alguns de vocês talvez não entendam isso.  Vocês dizem, “Mas Tobias há guerras pelo mundo. Há pessoas morrendo todo dia.  Há almas em dificuldades, almas perdidas. Tobias, eu não acho que consiga rir disso.”  Se você não pode – se não pode ver humor nessa benção que é a vida, se não pode ver o humor nisso, nesse teatro básico da vida, nesse jogo que está sendo jogado pelos humanos, você vai ser sugado por ele.
 
Vai ser levado direto pro drama. Ele vai se alimentar de você.  Vai revirar seu pensamento, e vai fazer você acreditar que é você.  Vai fazer você acreditar que as guerras são suas – que é você com a doença, você é a pessoa com sentimentos profundos, tenebrosos e depressivos.  E aí, como sabe, fica muito difícil sair fora.
 
Faça um favor a si mesmo nesse mês que entra.  E vai ser difícil para alguns de vocês. Para alguns de vocês vai contra a base das coisas que aprenderam, das coisas em que acreditam.  Mas pegue uma nova história, uma história difícil.  Encontre humor nela. Comece com algo fácil – política – esta é bem fácil, sempre se faz piadas sobre ela.  E depois entre em histórias mais difíceis – as que normalmente mexe com seu coração e normalmente te puxa direto. Encontre o humor nelas.
 
Agora, não estamos falando de humor negro. Não estamos falando aqui de você fazer piada ou diminuir outro humano.  Estamos falando da situação humorística da dualidade. Está aí.  É só que você não está vendo. Se estivesse num espaço de compaixão e entendendo que é isso o que as pessoas estão escolhendo – elas são realmente criadoras como você – então você será capaz de ver o humor em algumas situações muito duras.
 
Agora mesmo estou aqui me esforçando com o Cauldre porque ele está dizendo “como você pode dizer isso Tobias?  Como pode permitir que tais palavras saiam de minha boca – achar humor em algo como a guerra?  E no aquecimento global?”  Aquecimento global é um assunto para  muito humor e piadas em nosso lado do véu! (rindo)
 
É porque você não capta.  Você é tão sério.  As pessoas entram em seus dramas e ficam tão travados.  O humor é que Gaia sabe como limpar tudo.  Gaia sabe como cuidar do aquecimento.  Gaia vai continuar por muito tempo a apoiar a vida na Terra.  Não estamos dizendo que o aquecimento global não seja um tema, mas olhe o tema.  Olha para alguns componentes difíceis do assunto e depois veja o humor por trás.
 
Tantos humanos correndo por aí, bagunçando, segurando bandeiras e cartazes sobre o aquecimento global. Usando isso para perpetuar essa alimentação e mais drama ao invés de solucionar o problema.  Essa é a parte humorística.  Não é uma situação tão difícil. Ela pode vir a ser aclarada, querido Shaumbra, muito em breve.  Você está  ouvindo essas novas reportagens dizendo que vai levar séculos; talvez a humanidade seja aniquilada.  Talvez a Terra se queime toda.  Desculpe. Não vai acontecer.
 
Há um pequeno grupo de humanos na Terra que pode causar impacto sobre isso. Que pode ajudar a trazer um equilíbrio para apoiar as futuras gerações. E se não escolherem fazer isso, Gaia escolherá aclarar a situação por conta própria.  O engraçado é que vocês falam sobre aquecimento global e estão aqui sentados nesse grupo no “Cold” Canyon Creek (risadas).  Vocês estão congelando!  E, aqui de nosso lado achamos isso engraçado! (risadas)
 
Linda: Legal! (risadas)
 
Saint-Germain e Kuthumi estiveram aqui nos últimos meses.  Muito da minha atenção se dirigiu a meu eu biológico que já nasceu aqui na Terra.  E hoje vou revelar o nome da entidade e a localização.  Não! (muitas risadas)
 
Um pouquinho do humor Shaumbra.  Estamos movimentando energias aqui. (risadinha de Tobias) Estão dizendo que estou pra perder meu mensageiro.  Ele está tão sem graça pra mim hoje.  Praticamente podemos concluir esse Shoud agora mesmo, dizer que isso foi tudo, mas temos algumas coisas pra falar.
 
Muito da minha atenção se centrou no meu ser biológico. Como eu disse, Shaumbra, tenho um corpo-concha que nasceu em forma física aqui na Terra.  E um corpo que está começando a se desenvolver e crescer.  Agora alguns de vocês tinham suas teorias e conjecturas de que talvez eu esteja partindo em breve porque esse corpo-concha está começando a ocupar um bocado de meu tempo e atenção. Em parte é verdade.  Está ocupando meu tempo e atenção.  Estou aprendendo  verdadeiramente a combinar com esse corpo.
 
Eu em geral não costumava gostar muito de corpos.  Sempre era difícil encarnar e meus queridos Shaumbra, vocês têm tanto conforto agora.  Vocês têm aquecimento – você toca um botão – e tem aquecimento.  Em algumas de minhas vidas tínhamos que esfregar varinhas pra conseguir fogo.  Você pode ir a uma loja e comprar uma garrafa de vinho.  Eu tinha que macerar uvas por conta própria, e depois esperar pela semana seguinte para beber!(risadas)  Novidade,  É claro, novidade.
 
Shaumbra, você pode trocar energia tão fácil e rapidamente com alguns desses seus papéis.  Às vezes, basta uma transação eletrônica, e você tem roupas.  Pode conseguir uma refeição maravilhosa.
 
Estou sentindo agora uma alegria enorme em retornar a biologia.  Parte de minha energia está agora maravilhosamente embebida e fundida a este ser biológico.  A maior parte ainda está aqui, mas há algo de interessante porque sei que muitos de vocês têm falado disso.  Vocês estão pensando que agora estou tendo que colocar muito da minha energia neste corpo biológico, e ele está drenando minha energia de alma, minha energia espiritual.  De fato, não funciona assim.  Estou me sentindo mais revigorado que nunca porque o corpo-concha, o novo eu, é Nova Energia – Nova Energia completa.
 
Agora, tenho que falar de suas recaídas.  Meus pais não entendem. (risadas) Estão confusos. Às vezes, olham pra mim e eu tenho que rir.  Eu tenho um certo, o que vocês chamariam, quociente de energia nesse corpo-concha.  Vou chamá-lo agora de Sam.  Não é o nome real, é claro.  Em Sam há uma certa quantidade de energia que está agora muito bem embebida, e às vezes eu faço piadas com meus pais. 
 
É claro, eu permito que toda minha energia de Tobias se reúna no corpo biológico e aí quando eles olham em meus olhos, ficam muito chocados.  Porque não apenas estão olhando para meus olhos como vêem uma face diferente – uma face madura, sábia, profunda – é quando normalmente, numa base cotidiana, eles acham que há algo de muito errado e muito improvável com Sam – algo de muito errado nele. Sam não come como os outros.  Não precisa de muita comida pra se sustentar.  Sam não se interessa em todas aquelas coisas que uma criancinha se interessa.  Não brinca com brinquedos. Não gosta de computador,  mas ainda não está na idade o que faz muito sentido.  Mas há momentos quando pulo dentro de Sam e vou pro computador e entramos na Internet.
 
Que ferramenta incrível!  Não tínhamos isso nos meus dias de Tobias.  Uma ferramenta incrível pela qual posso ir a qualquer lugar do mundo e posso sentir as energias de qualquer coisa que eu escolha.  É incrível.  E, às vezes, papai e mamãe entram e vêem Sam brincando com o computador e... No momento ele é muito criança.  Ele não deveria mesmo saber como fazer coisas como digitar ou ler ou outras coisas como essas.  Então eles ficam assustados.  Nesse momento estão bem assustados.
 
Mas, Shaumbra a coisa é que isso é revigorante.  É minha criação.  É minha nova energia. É meu novo aprendizado e sabedoria.  Estou aprendendo a ser um humano de um jeito todo novo agora.  Não da mesma maneira como eu era antes.  Você vê, eu passei por uma vida atrás da outra.
 
Nós nos conhecemos em Atlântida. Nos conhecemos em muitos tempos diferentes, e  essa série ou progressão de vidas foi se construindo.  Mas Sam é diferente. É Nova Energia total.  Ele utiliza algumas das fontes de aspectos de minha vida passada quando necessário.  Utiliza as fontes de meu Eu maior, To-Bi-Wah, que também está aqui na sala hoje.
 
Sam não se alimenta da rede, do campo.  Não obtém energia de nenhum lugar dentro de si mesmo. Não olha para si e pensa o quanto é diferente e como ele precisa se ajustar para tentar se conformar.  Ele sabe que é diferente, e ao invés de tentar se parecer mais com os outros, ele simplesmente tenta fazer sua energia mais palatável e mais condizente para os demais.
 
A diferença é que ele não está tentando se tornar como os outros humanos ao seu redor. Ele tem encontrado outras criancinhas e, tenho que dizer que elas são da Velha Energia, e ele está lutando para entender totalmente o jeito delas.  E através de uma parte da experiência de minha passada, a coisa está chegando a ele.
 
Sam é uma criação.  Sam é um aspecto. Sam é parte de minha alma e ainda assim tem liberdade total.  Você vê, é assim que funciona.  Ele nasceu de um desejo que entrou em uma idéia e depois foi criado um foco e agora está manifestado.  Mas eu não possuo Sam.  Não sou o todo de Sam.  Ele é parte de mim; eu sou parte dele. Ainda assim ele tem sua própria liberdade.  Tem seus próprios olhos, sua própria mente, seu coração próprio, seu senso de identidade próprio – e isso – a propósito, é o que produz em mim a maior emoção – saber que ajudei a criar isso e ainda assim não tenho controle sobre ele. Eu o abençôo.  Eu trabalho com ele.  Eu o uso como um método de infundir minha energia, introduzindo-a agora na Terra, aprendendo cada vez mais sobre as coisas pelas quais vocês também estão passando.  Como é usar a Nova Energia?  É um conceito incrível, incrível.
 
Vocês todos tem seus próprios Sams de um jeito ou de outro.  Não estou falando sobre corpos biológicos.  Eles têm identidade; são energia.  Eles podem não ter um corpo físico, mas são criações.  A partir de hoje entram no mundo.  Ganham mais energia. Não tiram nada de ninguém.
 
Sua criação, Shaumbra, qualquer delas, é Sam também.  Suas criações são levadas a vida através desse processo que chamamos a progressão do desejo – um desejo da alma.  Uma alma que não tem necessidades ou quereres.  Ela deseja apenas expressar e criar.  Toda alma tem desejo. Falamos sobre isso recentemente na Escola 3 na ilha – a diferença entre uma necessidade da alma e um desejo da alma.  Todos vocês têm desejos da alma.
 
As coisas vão mais fundo do que a mente, mais fundo do que chamariam o coração – bem mais longe, bem mais fundo do que a necessidade humana.  De uma maneira que vocês poderiam dizer que um desejo da alma sequer entende coisas como necessidades humanas, e de certa maneira  tão pouco se interessa.  Ele não quer ficar bloqueado, não quer ficar sufocado.  É um desejo, uma paixão dentro de cada um e de todos vocês.  Não é o que pensam ser.  Não se relaciona a nada ao nível humano.  É apenas um desejo de expandir-se, expressar-se, descobrir.
 
O desejo da alma então entra na forma de uma idéia – uma idéia.  Como pegar cada conceito amplo como o desejo e começar a constituí-lo em algo.  É aí que uma idéia, ou o que chamariam sua criatividade entra em cena. Você pega a energia do desejo – o desejo de apenas fazer alguma coisa, só criar, e então as idéias começam a chegar.  Suas idéias.
 
Freqüentemente elas se baseiam em coisas que você aprendeu no passado.  Às vezes, são adaptações de outras coisas que você adquiriu ou desenvolveu na consciência de massa.  Mas as idéias se tornam unicamente suas.
 
Essa é uma parte linda do processo todo de ser humano e criar, tendo uma idéia.  Todos vocês tem tido muitas, muitas delas.  Muitos de vocês as suprimiram, mas dirigindo seu carro, você tem uma idéia; despertou de um sonho e teve uma idéia.  Está assistindo à televisão – uma idéia lhe vem.  Isso é pegar a energia do desejo da alma e começar a dar forma a ele, começar a dar forma a ele de um jeito muito parecido a um ceramista  dando forma à argila.
 
Muitos de você param aqui por causa de duas coisas – a idéia é uma linda energia, uma energia de paixão.  Você pode senti-la correndo por seu corpo.  Você tem uma idéia de inventar algo, criar algo, escrever algo, mas para aí porque não tem certeza de como levar a coisa ao próximo estágio.  E num certo sentido você gosta dessa energia da idéia tanto que quer apenas curti-la por um tempo – o que é bom.  Você quer apenas desvelar essa energia e entrar num estado sonhador, pensando sobre pegar essa sua idéia e implementá-la e ver os demais apreciando-a, e ter aquela sensação de sucesso e premiação, sabendo que você fez algo, sabendo finalmente que é um criador.
 
As pessoas falam sobre sucesso em relação a dinheiro ou notoriedade, fama.  Essas coisas são humanas e são temporárias.  Elas passam.  O sentimento real de prêmio e sucesso vem da idéia de saber que você criou algo.  Isso sobrepuja todo o dinheiro que poderia lhe ser pago.  Ultrapassa toda a fama.  Estas coisas – dinheiro, fama – se vão rapidamente.  O saber e o lembrete de que você é um criador excede tudo isso.
 
Muitos de vocês param aí, no estágio da idéia.  Parcialmente porque você quer apenas curtir essa energia, parcialmente porque tem medo de tomar o próximo passo. O medo vem de muitas coisas.  E se você for realmente um criador?  Ai, meu deus!
 
Se você realmente aprender como criar, o que fará de errado?  Que pensamento errado, que ação errada, que ato errado?  Tantos de vocês se seguram porque têm medo de sua parte criadora.  Shaumbra, já lhe disse antes, você não pode errar agora.  Mesmo que tentasse usar sua criação contra alguém, a coisa voltaria pra você antes.  Você estabeleceu a energia dessa maneira.  Realmente. Tente errar. Você não consegue.
 
Há uma dinâmica nesta Nova energia e no próprio Shaumbra que evita que isso aconteça.
Vocês planejaram assim. Não queriam que energias irresponsáveis saíssem por aí machucando os outros, especialmente de uma maneira intencional.  Então as energias retornam a você como um lembrete – seja um criador responsável. Crie amplamente, destemidamente, mas seja responsável.  É por isso que agora nenhum pode machucar o outro, então tire isso de sua lista de medos.
 
Alguns de vocês param no estágio da idéia porque tem medo de talvez não ser um criador.  Em outras palavras, você pode ter boas idéias, mas consegue introduzi-las na Terra,  consegue dar vida a elas, você pode lhes dar liberdade?
 
Então você para aí porque não quer falhar, não quer se desapontar. Shaumbra, tenho que lhe dizer agora mesmo que dando uma olhada em todas as pessoas em todos os ciclos de vida – de todos aqueles que tiveram sucesso e todos que falharam, são sobre eles que escreveram nos livros de história.  Todos eles falharam.
 
Eu uso freqüentemente o exemplo de Thomas Edison que testou milhares e mais milhares de filamentos antes de encontrar o que funcionou.  Alguns de vocês têm medo de cair, como dissemos recentemente a esse grupo, falhar é parte do processo todo e agora é hora de dar sumiço a este termo  ‘falhar’. Tem uma energia tão negativa contida nele.  Não é falhar.  É experiência... Experiência e experimentar, testar, descobrir.  Não há falha.  Você simplesmente não pode falhar.
 
Mais uma vez, Shaumbra eu lhe convido – alguns de vocês continuam sentados na Velha Energia vendo como pensam que será que pode ser na Nova e com medo de sair e tentar.  Tente falhar.
 
Este é um entre outros dos deveres de casa para este mês.  Tentar falhar.  Observem o que acontece. Você passa todo seu tempo tentando não falhar – todas as suas energias com medo disso.  Agora tente.  Veja o que acontece, e lembre, como Saint-Germain disse mês passado, a energia agora funciona diferente, então pedimos a você que comece a brincar com isso de diferentes maneiras.
 
Encontre humor nas situações trágicas – que é olhar para a energia de  uma maneira diferente. Tentando falhar – que é olhar para a energia de um jeito diferente.  Então estamos desafiando você a tentar diferente.  Tente de um ângulo diferente e observe o que acontece.
 
Então agora você está na fase da idéia e decide talvez que agora vai fazer uma tentativa.  Você vai ver se consegue manifestá-la. Neste ponto ainda é uma criação.  Tem uma certa força de vida por trás.  Tem um certo padrão de energia e uma dinâmica.  Vamos dizer que você está tentando criar um novo tipo de produto alimentício, já que falaremos disso em breve.
 
Você tem um desejo.  Você o imagina.  Agora você vai começar a introduzir um foco de energia nele.  Aqui você está atravessando um abismo.  Você está atravessando um abismo que vai da idéia para o foco.  Você vai estar introduzindo-a neste mundo. O abismo, às vezes é de difícil travessia.  Dê um salto.  Atravesse.
 
Enquanto está atravessando do abismo permita que as energias iniciais do desejo e da idéia iniciar uma transformação.  Comece a aplicar foco e energia no que está tentando criar.  Comece a fluir para dentro dessa criação tanto quanto eu faço com Sam agora. Você vai descobrir que isso não exaure.  Na verdade vai te rejuvenescer.
 
Você  também vai descobrir que quando começa a focar as energias começam a mudar. Agora alguns de vocês ficam deprimidos ou agitadíssimos nesse ponto por causa de sua idéia original – a idéia que bateu em você... Vou dar outro exemplo aqui que  remete a muitos de vocês – a idéia de um centro.
 
Muitos de vocês tiveram essa idéia 20, 30, 40 anos atrás.  Tiveram uma visão.  Uma profunda revelação, uma abertura que mostrou a vocês como seria, onde estava.  Era uma idéia. Que tem estado no estágio da idéia ou num estado de ser por um tempo.  É uma criação. Está viva.
 
Mas quando ela atravessou o abismo e você começou a aplicar energia nela, ela começou a mudar.  Por várias razões – a mundo muda, a energia muda e também uma idéia vai querer evoluir para uma ordem de coisas mais adaptável e elevada.  Então a idéia que você teve para um centro há 30 anos atrás agora tem paredes e um telhado.  Pode ser que esteja na Internet.  É um centro – um centro de energia.
 
Alguns de vocês estão muito tristes porque, vocês dizem, mas eu quero um centro e tenho tentado ter um centro e ele jamais acontece.  Porque você esqueceu de olhar como a sua idéia transmutou e transformou-se.  Ah, ainda está aí, mas ela quer se adaptar de uma nova maneira – muito parecido a Sam.  Meu Sam está de desenvolvendo, se relacionando às situações e ao meio-ambiente ao seu redor.  Eu não o controlo.  Não faço ele fazer coisas.  Eu sou ele, mas não todo ele, vocês percebem?
 
Então permitam as suas idéias, ao aplicarem o foco nelas, atravessar o abismo e depois observem como, ao introduzirem o foco, elas mudam.   Transformam-se.  Se você tenta se manter na idéia ou no pensamento original, ou conquista intelectual que tinha, você vai sufocar sua própria criação.
 
Eu tinha uma idéia do que queria que Sam fosse, onde ele iria viver, como se pareceria.  Algumas destas coisas aconteceram, mas muitas outras mudaram. Ele não se parece com nada do que eu necessariamente havia pensado que fosse ser.  A propósito, ele é muito bonito, muito bonito (risadas)... Mas não é bem o que pensei que seria.  Então, vejam, estou permitindo que Sam, a idéia a qual apliquei o foco, evolua, mude e se adapte por conta própria.  Isso é muito importante no trabalho de criação.
 
E então o estágio final de introduzir uma criação, é claro, é a manifestação onde ela se torna realidade.  Agora há vários passos para você dar.  Você vai passar por desafios, bloqueios.Haverá momentos em que vai ficar frustrado e pensar que não é um criador efetivo. Nestes momentos, pare.
 
Fique por trás da mureta.  Entenda que talvez você esteja tentando controlar sua criação devido a certas expectativas em relação a ela e as energias simplesmente não se unem.  Alguns dos criadores que você vai ouvir nos próximos meses, no que vocês chamam agora lançamento – alguns dos criadores com os quais irá falar no quadro de mensagens – descobriram que isso é bem real, descobriram que isso se manifesta de uma maneira freqüentemente diferente daquela que pensavam.  E há desafios ao longo do caminho.  Há desafios porque você vive na realidade tridimensional, desafios porque ainda há uma física energética que de uma certa maneira ainda tenta empurrar a Nova Energia, uma física energética que não está permitindo ou apoiando as novas idéias.
 
Falamos há muito tempo atrás sobre o conceito das quatro bolas de gude e como freqüentemente quando uma nova bola de divindade tentava entrar, as outras três tentavam tirá-la porque não sabiam como lidar com ela.  Elas não sabem como a introduzir no sistema que já estabeleceram, e têm um certo medo dela.  Então, sim você vai entrar em situações, desafios.  É o momento para gnost.
 
É o momento para uma solução criativa, como os criadores e Shaumbra estão começando a perceber.  É o momento de ficar atrás da mureta, deixar as energias se realinharem, e depois retornar a elas.  A propósito, você não precisa forçar o caminho através delas.  Às vezes, um treinamento anterior ensinou a você que, quando você passa por um desafio, tem que lutar, forçar, perseverar.  Não, hoje não vai haver uma canalização tipo Vince Lombardi porque isso é Velha Energia.  Uma energia atacando outra, lutando uma contra a outra.  Algumas das formas de motivação da Velha Energia  – atitude positiva, permanecer na luta – todas essas coisas... A torcida.  Elas não são Nova Energia.  São da Velha Energia.  São modos de lidar com a velha dualidade, e você agora está num novo estado de ser.
 
Uma das maiores coisas que você vai ver é a habilidade de ficar por trás da mureta.  Dar umas risadas sobre sua nova criação.  Inspirar profundamente e deixar a gnost entrar.
 
A solução vai estar aí.  Você não tem que lutar por ela.  Sim, você tem que fazer coisas, como os criadores sabem.  Quando você entra na manifestação, por exemplo, quando vai publicar um livro – sim, você tem que dar telefonemas.  Tem que enviar emails.  Tem que preencher alguns cheques, e a boa notícia é que você tem que pegar todos seus livros e carregá-los.  Há uma certa quantidade de movimentação física, mas esse conceito todo de lutar pela criação não se aplica na Nova Energia.
 
Você a permite entrar.  Uma vez que entrou, uma vez que algo como suas cartas criativas ou seus livros surge, você desliga os controles, as expectativas porque isso nada mais é do que limitação. Alguns de vocês acham que tem que controlar – tem que controlar estritamente o que acontece com sua criação.
 
A propósito, aqui controle tem muitas implicações.  Às vezes é só o seu controlar, seu medo.  Às vezes, é o medo de que outros tentem controlar.  Largue isso de mão intencionalmente.  Dê liberdade a sua criação para que se expanda.  Dê liberdade a sua criação para que ela encontre o caminho para quem verdadeiramente precise e queira ela.
 
Ultrapasse alguns dos velhos métodos tradicionais e canalizações de partilhar suas criações com outros.  Ultrapasse-os e vai ver resultados incríveis, incríveis.  Então você vai perceber pela primeira vez este ano – este ano – você vai perceber.  Putz, eu sou um criador.  Eu tive uma idéia, um projeto.  Tive uma experiência de aprendizado com ele, sem falhas, apenas aprendendo e ele se manifestou.  Não apenas aqui, porque o projeto não parou por aqui.  Ele continua.
 
Você vê um livro, por exemplo, não é apenas um livro.  É uma energia de potenciais, energia de sabedoria.  Enquanto você pode estar pensando em termos de reedição e distribuindo mais livros por aí, dê uma outra olhada criativa.  O que realmente está acontecendo é que está estabelecendo novos potenciais pra você – alguém que recebe seu livro, acha você brilhante e agora quer que você fale, quer que você venha falar com o grupo dele.  Alguém recebe seu livro e precisa de respostas e vem a você; alguém recebe o livro e diz que você é tão sábio que talvez devesse ajudar outras pessoas que também escrevem  livros.  É exponencial. A coisa cresce de uma maneira que você nem imagina.
 
Não é apenas um livro.  Não são apenas cartas criativas.  Não se trata só de um novo produto alimentício.  São os potenciais em todas essas coisas.
 
No Shoud do mês passado Saint-Germain entrou e falou com vocês sobre colisões – um ano de colisões.  E realmente, ele está correto.  Vai haver colisões por toda sua volta.  Ah, elas têm estado por aí – desde sempre; havendo a dualidade haverá colisões. As colisões este ano vão ser diferentes.
 
As colisões que ocorrerem este ano vão ser mais em prol de uma resolução e uma movimentação para a Nova Energia do que colisões em função de uma energia tentando dominar outra e se alimentar de outra.  As coisas que viram no passado – conflitos, batalhas, dualidade – elas eram basicamente uma tentativa de diferentes energias tentar se entender melhor.
 
Mas com freqüência quando as energias colidiam e lutavam, tentavam depois dominar e roubar energia uma da outra.  Isso durava um certo tempo e depois a Energia A, que tinha dominado a Energia B perdia sua força porque, pra começar, era artificial.  A Energia B fica forte, sai, luta com a Energia A e a domina.  Isso vem acontecendo por tanto tempo quanto os humanos estão na Terra.  Este ano é diferente.
 
Em relação às colisões não se trata só de controle ou alimentação ou dominação, é verdadeiramente sobre reintegração.  É sobre abrir-se, como disse Saint-Germain para novas dimensões de potenciais que estão agora disponíveis e que, infelizmente passam desapercebidos para maioria dos humanos.
 
Durante este ano, vou lembrar a vocês, vou lembrar a vocês mais tarde em suas próprias vidas – a retornar a lição um da Série do Criador.  Aceite todas as coisas como elas são, e na lição um o ponto importante era ficar por trás da mureta.
 
Quando as colisões se intensificarem, fique por trás da mureta. A mureta é o espaço seguro.  A mureta é colocar-se fora do drama cotidiano.  A mureta é se retirar um pouco.
 
Há muitas razões importantes para isso.  Você precisa rejuvenescer sua energia regularmente.  Muitos de vocês estão trabalhando dia e noite e estão se enfraquecendo. Entrando nessa coisa onde pensa que tem que trabalhar, trabalhar e trabalhar.  Bem, assim você jamais terá uma perspectiva.  Você nunca vai ao Pico do Anjo para dar uma respirada.
 
Quando você trabalha desse jeito e seu corpo físico fica cansado o que acontece é que sua mente assume o controle como nunca antes.  Quando você está muito, muito cansado sua mente entra em alerta.  É como esse status de alerta terrorista pelo mundo todo – porque o mundo está cansado.  Então você entra com a mente e fica menos eficiente.  Fica então fisicamente exausto e mentalmente limitado ou enrolado.  Essa situação não é boa.
 
Vá para trás da mureta.  Isso pode significar alguns dias consigo mesmo.  De vez em quando pode ter que dizer não para as necessidades dos outros, mesmo para sua família, amigos e esposo(a). Tire alguns dias para si mesmo.  Fazendo isso, não é pego no drama de todas as outras coisas acontecendo ao seu redor. Tome um tempo para si.  Uma semana fora e não quero ouvir você falando, “mas tenho que continuar trabalhando. Não tenho tempo para férias”.  Isso tudo é desculpa.  É tudo o que é. Uma vez que você tome a decisão de que vai fazer isso, os recursos entram para dar apoio.
 
Agora você precisa refrescar-se e rejuvenescer numa base regular.  É tempo de spa.  Tempo de spa espiritual com você mesmo.  Não digo isso literalmente a não ser que você curta isso, mas você precisa descansar por um tempo.
 
Sabemos que há uma tremenda quantidade de -, o que vocês chamariam - trabalho a fazer este ano, mas queremos fazê-lo de um jeito diferente. Não queremos o velho puxa e empurra, tentando derrubar paredes.  Queremos trabalhar com os Shaumbra, realizando o trabalho de uma maneira mais eficiente, mais fácil, como diriam.
 
Então neste ano, assegure-se de ter bastante tempo para si mesmo para ficar por trás da mureta.  Quando agir assim algo mais vai acontecer.
 
Nesse tempo por trás da mureta, tirando um tempo para si mesmo, seu corpo e sua mente têm chance de rejuvenescer.  Mas também é o momento em que a Nova Energia começa a entrar em sua realidade.
 
Para a Nova Energia é muito difícil entrar quando você está ocupado, quando está com raiva, quando se sente infeliz, quando explode em fúria, quando não tira um tempo.  A propósito, tenho que perguntar, por que você não tirou um tempo para si mesmo?
 
Provavelmente porque você não se ama ou não liga para si mesmo o suficiente.  É uma espécie de coisa de mártir espiritual.  Você acha que tem continuar trabalhando, lutando. É a primeira coisa a fazer de manhã, a última à noite.  Se você se acha nesta situação, é hora de uma folga.  Tire um tempo por trás da mureta.  É hora de fazer respiração.  É o momento então de deixar esse potencial da Nova Energia começar a entrar em sua realidade.
 
Você vê, é um desejo de alma.  É uma idéia.  Todos vocês tiveram a idéia – a linda idéia – da Nova Energia em suas vidas.  Você ama a idéia.  Alguns de vocês colocaram um pouco de foco ou atenção nisso.
 
Mas a maioria realmente não se permitiu começar a manifestá-la ou incorporá-la nesta realidade.  Tire um tempo pra você.  Isso é muito importante especialmente quando vê as colisões por toda sua volta ou em sua vida.  É essa a hora mais uma vez de ficar pra trás.
 
As colisões de que Saint-Germain falou... Não quero especular sobre como exatamente essas coisas vão ocorrer no mundo, mas elas vão ocorrer.  Não têm que ser ruim.  Podem ser vistas com senso de humor.
 
As colisões, nós temos que dizer, dê uma olhada do mês passado até hoje.  Do início do ano até hoje, dê uma olhada nas colisões que experimentou em sua vida.  Dê uma olhada até nas colisões dentro do próprio Shaumbra.
 
Agora, observe como essas colisões basicamente se tornam muito exageradas e saem a atuar no mundo real, no mundo não-Shaumbra, na consciência de massa.  Aquilo por que você passava não era sobre você.  Você as estava experimentando de uma maneira minúscula através de sua energia e da energia Shaumbra.  Estava tendo um gostinho do que se passa no mundo.  Você não causou as colisões, então não se responsabilize por elas. Você não as criou.  Você apenas pegou um pequeno exemplo, tirou um gostinho.
 
Agora não estamos falando literalmente, mas olhe como certas colisões ocorreram.  Você foi o observador ou o participante?  Você foi pego no drama ou viu o potencial do que ocorreu quando isso aconteceu?  Observe como coisas como argumentos, desacordos, tempo programado perdido – esse tipo de coisa – foram pequenas colisões em sua vida por trinta dias e agora estão indo proliferar pelo mundo afora.  Observe como esse pequeno exemplo do último mês se torna o grande exemplo ao redor do mundo.
 
Você se deu um gostinho do que está acontecendo, de uma certa maneira é como alguém que toma uma vacina pra gripe – para se inocular contra o grande vírus que está aí.
 
Este ano vai ser um ano com algum drama e trauma, mudanças e ajustamentos porque você se permitiu ter um gosto disso.  Você tomou a vacina da gripe.  Você não vai necessariamente ser pego em todos eles.  Será capaz de observar.  Não vai ser pego ou se enrolar nas energias.  Então Shaumbra, fique por trás da mureta e cuide de si mesmo.
 
Vamos respirar profundamente antes de prosseguir hoje com o próximo ponto.
 
(Pausa)
 
(Tobias respira.)
 
Vamos voltar a 1965.  Faremos juntos uma pequena jornada.  A maioria de vocês estava viva na Terra nessa época.  Se não estavam, juntem-se a nós de volta no tempo.
 
1965... Ao anoitecer, há uma linda menininha de joelhos ao lado da cama, rezando. 
 
Ela está rezando porque sua mãe está ao lado observando-a para ter certeza que ela vai fazer suas orações antes de ir pra cama – “Nosso pai que está no céu, abençoado seu nome...” Vamos chamar essa menininha – vamos chamá-la de Emma.  Emma é uma energia coletiva, muito real e muito um coletivo de todos os Shaumbra. Muitos de vocês tiveram essas experiências especificamente e alguns vão entender muito bem Emma.  Ela está rezando ao lado da cama e sua mãe a observa, mas ainda assim essa oração não ressoa em Emma.  Ela a rezou centenas, talvez milhares de vezes, e sempre parece muito vaga pra ela.  Ela nunca entendeu.  Memorizou as palavras, mas não entende realmente o que significam.
 
Mas ela sentiu a energia.  Na verdade sentiu medo quando fez essa oração, como se alguém a estivesse observando e julgando.  Ela não gostava de rezar, mas sua mãe a obrigava. Não era só por causa de ajoelhar.  Não era porque queria fazer alguma outra coisa.  Aquela oração sempre fez ela sentir medo – quaisquer das orações que sua mãe a fazia rezar.  Mas Emma as fazia para satisfazer sua mãe.  Emma as fazia talvez porque achasse que isso faria sua mãe se sentir melhor.
 
A vida tem sido difícil.  A mãe e o pai de Emma se divorciaram faz um ano.  As finanças não vão bem e Emma pode sentir em sua mãe uma preocupação e um medo que nunca sentira antes.  Sua mãe sempre estava sorrindo, rindo e cantando.  E agora há rugas no rosto da mãe de Emma.  A voz é contrita.  Não há mais cantigas.  A mãe de Emma tem que cuidar dela e de dois irmãos mais velhos. A propósito, eles não tinham mais que rezar.  A mãe de Emma estava tão cansada de discutir com eles sobre isso...  Agora dependia de Emma, ela pensou, carregar toda a responsabilidade desse ritual de oração para todos na família.
 
De manhã a mãe de Emma sentava-se à mesa e lia o jornal enquanto bebia café, e Emma também não gostava da sensação. Ela podia ver a preocupação de sua mãe sobre coisas como a guerra.  De vez em quando conversava com suas amigas sobre um ataque nuclear.  Falava sobre coisas como política e pessoas famosas e um líder sendo assassinado.  Emma sentia o peso e a tristeza dela e não sabia o que fazer.
 
Ela sentia como se fosse com ela própria, como se ela carregasse esse peso pelo mundo todo, mas o peso sendo dela mesmo.  Então assim que sua mãe lhe dava o beijo de boa noite, apagava a luz e fechava a porta, deixando-a alguns centímetros aberta – você vê, a porta tinha que estar meio aberta porque ela tinha medo do escuro, mas não só por isso, ela queria manter a sensação da energia de sua mãe porque estava preocupada com ela e com seus irmãos e o restante da família e também com o mundo –  será que o mundo estaria ali de manhã?
 
Então quando Emma foi pra cama naquela noite, ela deitou a cabeça, puxou sua boneca Raggedy Ann – que era sua companhia constante... Segurou sua boneca nos braços e fez suas orações de verdade.
 
Percebe, as outras eram as orações obrigatórias para fazer a mãe se sentir melhor, mas na sua oração de verdade ela disse, “Querido Deus, não sei quem você é, mas não acho que você seja a pessoa para quem acabei de rezar.  Não sei onde você está e não acho que esteja muito longe.  Querido Deus, assegure-se de tomar conta de meu cachorro, Skip, porque eu realmente o amo e não tenho sempre a certeza de saber cuidar dele, e querido Deus você podia também olhar meus irmãos porque eles são estúpidos – são adolescentes e me preocupo com eles.  Querido Deus, meu pai está indo embora.  Você podia cuidar dele também?  E mais do que tudo, você pode cuidar de mamãe porque não acho que ela esteja muito bem no momento.
 
Ela se preocupa comigo, mas eu estou realmente preocupada com ela.  Querido Deus, você pode cuidar do mundo porque também estou preocupada com o mundo. Ouço histórias e não parece que ele está muito bem no momento.  Eu me preocupo com um bocado de coisas, Deus, mas não posso falar com as outras pessoas sobre isso.  Tento conversar com a Raggedy Ann.  Ela fica ouvindo, mas não diz nada.  E eu tento falar com Skip, mas ele só quer saber de brincar.
 
Vou conversar com você.  Estou preocupada com esse mundo.  Não estou certa do que fazer.  Ajude-me a entender porque esta noite meu estômago está esquisito, não me sinto nada bem.  Parece que vou ficar doente.  Não sei bem o que está acontecendo comigo e se você me ouvir, deixa eu saber, tá bem?”
 
Neste momento, Emma começa a rolar em sua cama.  Seus olhos estão fechados e ela está segurando Raggedy Ann, mas ela sente a cama girar.  Ela não ousa abrir os olhos porque tem medo de que talvez haja um monstro embaixo de sua cama, girando a cama com seus pés enquanto espera para devorá-la.  Então ela não abre os olhos, mas pode sentir tudo girando cada vez mais rápido até o ponto que ela achou que vai vomitar e gritar ao mesmo tempo, o que não é uma boa idéia. (risadinhas) Ela inspira profundamente e diz, “Querido Deus, falei alguma coisa errada? Eu ofendi você? Querido Deus, pare esse giro porque acho que não agüento mais.”
 
E quando ela estava pra gritar por sua mãe, tudo parou de girar.  Ela sabia que ainda estava deitada na cama, mas se sentiu diferente.  Ela não ousou abrir os olhos porque alguma coisa havia mudado e ela não queira ver o que tinha acontecido com ela.
 
Ela se sentiu totalmente diferente.  Não sei sentiu mais como a Emma de 10 anos.  Não se sentiu necessariamente mais velha ou maior.  Ela sentiu algo a seu redor com um brilho caloroso.  Sentiu uma felicidade de que não se lembrava quando foi a última vez que a tinha sentido.  Sentiu uma espécie de alívio e em sua mente disse, “Onde estou?”
 
E uma voz veio e falou, “Querida Emma, você está comigo agora. Você está comigo”.
 
Emma se sentiu um pouco confusa com tudo isso.  Rapidinho tentou juntar as coisas em sua mente, pensando no que havia dito ou pedido.  Mas as palavras que saíram de sua boca foram as seguintes, “Agora estou com medo. Estou com medo e não sei o que fazer.”
 
E a voz disse, “Você está só sentindo coisas. Sentindo sua mãe. Sentindo outras pessoas ao seu redor, mas não são verdadeiramente coisas suas”.
 
Emma pensou nisso por um instante e novamente, não a Emma de 10 anos, mas uma Emma expandida.  Emma pensou nisso por um instante e depois disse para a voz, “O que é que tenho que fazer nesse instante?”
 
E a voz disse, “Exatamente o que está fazendo. Estar na Terra, ser uma garotinha, curtindo cada dia.”
 
Bem, Emma se sentiu mais preenchida porque a voz era de confiança.  Era confortante. Ela sabia que a tinha ouvido em algum lugar, mas não conseguia lembrar onde.
 
Ela disse para a voz, “Então o que é que tenho que fazer? O que vai acontecer comigo?”
 
E a voz disse, “Você vai crescer.  Você vai para a escola – para o 2º grau. Vai se formar com notas medianas, mas vai se formar.”
 
E Emma interrompeu e disse para a voz, “Por que é que as outras crianças parecem não gostar de mim? Parece que não combino. Por que é que me sinto tão diferente do resto delas?”
 
E a voz respirou profundamente e disse, “Porque você é diferente do resto. Você escolheu um caminho diferente.  Escolheu um jeito diferente.  Não é que elas não gostem de você, é que não a entendem.  Não é que você tenha ofendido alguém, mas elas mistificam você – até sua própria mãe se preocupa com você.”
 
Emma disse, “O que mais vai acontecer?”
 
E a voz disse, “Você vai se casar ainda jovem. Vai sair da universidade.  Depois de um ano de faculdade, você vai se casar. Vai dizer pra si mesma que vai retornar à universidade, mas ao invés disso vai ter um par de filhos e vai passar o tempo cuidando deles. E quando estiver no meio dos seus 30 anos, seu marido vai morrer num acidente de carro.”
 
Emma pensou sobre isso por um momento e disse, “É isso o que Deus quer que aconteça comigo?”
 
E a voz disse, “Não, não mesmo. Isso é o que você escolheu. Isso é o que você escolheu para si mesma.”
 
Emma disse, “E depois o que vai acontecer?”
 
E a voz disse, “Você fica desiludida. Fica deprimida. Muito só, com pensamentos suicidas.  Você passa por muito anos bem, bem difíceis em sua vida.”
 
Emma pensou sobre isso também, pensou sobre a estranha escolha que fez.  Ela disse, “Mas vai haver pessoas para me ajudar, não vai?”
 
A voz disse, “Não, não pessoas. Você vai estar nisso por conta própria.”
 
A voz disse, “Não pessoas, mas anjos. Serão aqueles  que não estão em forma humana. mas que irão amá-la e lhe dar apoio e estarão aí para você, mas um bocado disso tudo você vai passar por conta própria.”
 
Emma novamente respirou fundo e contemplou tudo isso... Disse, “Depois o que acontece?”
 
Então a voz disse, “Depois que você passar por esse tempo de trevas em sua vida, aí todas as partes e pedaços vão começar a se juntar. Você vai começar a lembrar em primeiro lugar por quê está aqui na Terra.  Vai começar a lembrar por que escolheu passar pelas experiências que passou.  Vai entender que trouxe essas experiências não como punição, mas para entendimento e compaixão.  Você vai entender que trouxe a sua vida todas  essas experiências, de uma certa maneira enquanto esperava – esperava pelo tempo certo, pelo lugar certo.”
 
Emma estava engolindo tudo isso.  Sem certeza se era bom ou ruim.  Depois disse à voz, “E depois?”
 
A voz disse, “Depois eu vou voltar até você. Vamos ter uma outra conversa como esta.  Vai acontecer por volta de 1998.  Algo vai acontecer em sua vida – algo que você ainda não escolheu.  Pode ser um livro que você leia.  Pode ser um amigo com quem conversou.  Pode ser uma situação tremendamente assustadora em sua vida. Talvez um acidente onde você termine num hospital.  Você ainda não decidiu como é que vai acontecer.  Mas quando acontecer, eu vou voltar e conversar com você.  Vamos dar umas risadas e derramar algumas lágrimas sobre sua vida e aí vamos começar a próxima fase.”
 
Emma disse, “Por que não começamos agora? Por que temos que esperar até 1998?”
 
E a voz disse, “Porque o mundo ainda não está pronto, porque há algo acontecendo com o jeito básico como a energia funciona na Terra – os caminhos básicos como os humanos introduzem energia em suas vidas. Isso ainda não está pronto. E, a propósito, talvez nem venha a acontecer. Talvez não venha a ser. Pode acontecer uma catástrofe na Terra, mas também acontecer todo esse próximo nível.”
 
Emma fez uma pausa e pensou sobre isso também... Disse, “O que acontece quando você voltar e conversar comigo em 1998?”
 
A voz disse, “Vou lembrar a você quem você realmente é, porque está aqui e vou lembrar a você de todos os potenciais no futuro.”
 
A voz disse, “Vou lembrar a você que você veio pra cá – você escolheu estar aqui na Terra - para ser uma criadora na Nova Energia. Você pode ser uma das primeiras a manifestá-la na Terra, a ir além do falar, ir além do pensar – ser um dos primeiros.  Você veio para a Terra para ser uma criadora na Nova Energia.  Você veio pra cá por amor e desejo pela humanidade e também por seu amor por si mesma para experimentar essa incrível abertura. Depois de 1998, você vai passar por uma série de experiências que irão treiná-la e ensiná-la como ser uma professora, como ser uma criadora, como viver na Terra e finalmente como se tornar um exemplo, uma líder e um padrão para outros humanos serem os primeiros.”
 
Emma pensou também sobre tudo isso e estava começando a se lembrar porque ela estava aqui em primeiro lugar.  Ela disse, “Quando você voltar pra mim em 1998 e quando eu passar para a próxima parte de minha vida, eu ainda vou estar sozinha?  Ainda vou estar sozinha como me sinto agora?”
 
E a voz disse pra ela, “Não, realmente não vai... Porque não falei apenas a você, falei com outros 144.000. Você não vai estar só. Você vai ter uma família – não uma família biológica, sequer uma família Angélica.  Você vai ter uma família chamada Shaumbra.  Eles vão passar por muito da mesma coisa que você está passando agora. Entre eles você vai encontrar apoio. Vocês vão unificar suas energias enquanto permanecem independentes e únicos.  Você vai unir sua energia a deles para ajudar a introduzir essa próxima era da humanidade, ajudar a anunciar o tempo da Nova Energia e os potenciais da Nova Energia – o potencial de ir além da dualidade, além da guerra, além do sofrimento, de ser capaz de curar seu corpo em um instante, de ser capaz de integrar sua divindade em sua realidade.  Então, não, minha querida Emma, você não vai estar sozinha.”
 
Emma mais uma vez respirou fundo e contemplou toda a coisa, pensou em tudo, sentiu tudo, lembrando de cada ponto.  Tudo estava se encaixando.
 
Finalmente Emma disse, “Obrigada por vir aqui essa noite. Você vai voltar amanhã pra gente conversar novamente?”
 
E a voz disse, “Não. Não vou voltar. Você tem que esperar até 1998 para eu voltar a você.  Você não vai se lembrar que conversamos esta noite. Quando voltar pra sua cama e acordar com Raggedy Ann em seus braços, você não vai se lembrar que conversamos.  Os anos serão longos e difíceis pra você, mas eu vou voltar. Vou voltar e lembrar a você dessa energia da família Shaumbra.”
 
E essa é a história de Emma. Sua história, Shaumbra.
 
A voz que Emma ouviu era a voz de Shaumbra ainda por nascer na Terra, a voz de Metatron, a minha voz de Tobias, esperando todos vocês crescerem. Era a voz da Nova Energia e do novo potencial.  Viemos a vocês, seja em 1998 ou 2002 ou qualquer que seja o ano.  Voltamos para lembrar a vocês quem são.  Voltamos para lembrar a você dessa família Shaumbra.
 
Shaumbra... Shaumbra não é uma família Angélica.  Shaumbra não é uma família biológica.  Shaumbra não é um culto ou uma religião ou quaisquer dessas coisas.  Shaumbra é um acordo – o acordo de que voltariam. Estariam entre os primeiros a entrar na Nova Energia.  Vocês vêm de diferentes famílias espirituais. É isso que é único em Shaumbra.  Alguns de vocês vêm da casa de Mikael, alguns de Rafael, alguns da casa de Gabriel, toda uma linhagem até aqui.  Alguns de vocês representam múltiplas casas de Arcanjos, e vocês vêm de diferentes famílias, de lugares diferentes e são de formação diferente. Mas uma coisa que é única e comum a cada um de vocês é que vocês concordaram em estar aqui.  Concordaram em passar por vidas bem difíceis anteriores a esta.  Concordaram em passar por um longo tempo de espera – dificuldades e dúvidas sobre si mesmos até chegar a este ponto.  Mas, Shaumbras nós estamos aqui agora.  Nós estamos aqui e voltamos para vocês – uma voz como a que Emma ouviu em 1998.  Uma voz que começou a falar com vocês em 1999, e que continua a falar.
 
Você é Shaumbra – sem perguntas, sem dúvida.  E como Shaumbra veio pra cá nesta vida.  Veio para expandir energia.  Quatro coisas você faz e a primeira é expandir.  Você vem expandindo energias desde o dia em que nasceu e é por isso que freqüentemente os outros não o entendem.  Você é um expansionista não um constritor.
 
Você veio a Terra também para ser um criador.  Muito poucos humanos são criadores.  Há os que seguem, há os que obedecem, há os que sobrevivem.  A maioria apenas sobrevive. Há os que apenas atuam em velhos e antigos jogos cármicos com eles próprios e com outros ao redor deles.  Mas você veio pra cá dizer eu vou criar.
 
Este é o propósito original, pois é isso que o criador faz, ele cria.  Alguns de vocês ficam bloqueados agora, mas estamos trabalhando com vocês.  Alguns de vocês não entendem o que é um criador.  Lutam com isso, mas estão aprendendo.  Vocês vão saber muito mais
a respeito disso.
 
Você veio aqui para viver neste tempo. Viver. Falamos sobre isso em nossa recente escola – a necessidade de ir além da sobrevivência para verdadeiramente viver, curtir na Terra nesse momento.  Você pode falar quanto quiser.  Pode filosofar o quanto quiser sobre Deus, sobre o espírito, sobre tudo isso, mas a não ser que esteja vivendo na Terra, incorporando o espírito no corpo e vivenciando-o e curtindo a vida, rindo com a vida e da vida, apreciando cada momento, você não está vivendo.  Está apenas sobrevivendo.  Você está sobrevivendo dez passos atrás na dualidade.
 
Você veio pra cá para viver e dar o exemplo para os outros de como viver.  É triste dizer, mas eu e vocês conhecemos tantos humanos que estão apenas sobrevivendo.  Não sabem porque estão aqui.  Eles estão apenas lidando com um dia, uma coisa de cada vez.  Você veio para mostrar como viver, como ter paixão.
 
E finalmente, Shaumbra, você veio ensinar.  É isso o que um Padrão faz.  O Padrão é um exemplo – um exemplo brilhante – e através de seu exemplo ele ensina aos outros.  O ensinamento pode ter lugar numa sala de aula.  O ensinamento pode acontecer apenas andando pela rua.  Ensinar... O padrão é o exemplo que estabelece o novo potencial para os outros.  Você, como Emma, está aqui nesta Nova Energia e não tem sido fácil.  Sabemos que tem sido uma coisa solitária.
 
Muitos de vocês estão pensando que não tem sido compensador.  Você ainda não entrou em sua paixão, mas neste ano de Nova Energia, neste ano de ser o criador, esta paixão começa a entrar.  É diferente do que você provavelmente pensou que seria em termos humanos.  É diferente, e começa a entrar.
 
Agora mesmo, cada um de vocês... Cada um de vocês está radiando sua própria energia e adicionando-a a toda a energia grupo de Shaumbra.  E a energia de Shaumbra está saindo para o mundo neste exato momento, é um novo potencial para aqueles que estão procurando por isso.
 
Para aqueles fazendo suas preces neste momento – não aquelas preces mecânicas, mas suas preces.  Os que estão pedindo e buscando ajuda e orientação.
 
Neste momento você está aprendendo como a energia funciona.  Vamos falar mais sobre isso nas próximas sessões – a nova física da energia – indo além da energia vibracional para a expansiva, introduzindo Nova Energia em sua vida agora.  Vamos conversar com você nos próximos Shouds especificamente sobre como essa Nova Energia entra e como você pode trabalhar com ela.
 
Hoje, Metatron, a voz de Shaumbra e as vozes dos arcanjos todos quiseram voltar de novo para  Emma e para você de maneira que você pudesse ouvir a voz mais uma vez.
 
E assim é.



Tradução para o Português:  Sonia Gentil     soniagentil@uol.com.br

Tobias do Conselho Carmesim é apresentado por Geoffrey Hoppe, com o pseudônimo de "Cauldre", Golden, Colorado. A história de Tobias, do bíblico Livro de Tobit, pode ser encontrada no web site do Círculo Carmesim: www.crimsoncircle.com. O Material do Tobias é oferecido gratuitamente aos Trabalhadores da Luz e Shaumbra de todo o mundo desde agosto de 1999, época em que Tobias disse que a humanidade tinha ultrapassado o potencial de destruição e entrado na Nova Energia.
O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e os desafios do status da ascensão, ajudam outros humanos em suas jornadas, compartilhando informações, atendendo e orientando. Mais de 50.000 visitantes vão ao web site do Círculo Carmesim todos os meses ler os últimos materiais e discutir suas próprias experiências.
Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Tobias apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Tobias declara que ele e os outros do Círculo Carmesim celestial estão, na verdade, canalizando os humanos. De acordo com Tobias, eles estão lendo nossas energias e traduzindo nossas próprias informações de volta para nós, de modo que possamos vê-las vindo de fora, enquanto as vivenciamos no nosso interior. O "Shoud" é uma parte da canalização em que Tobias fica de lado e a energia dos humanos é canalizada diretamente por Geoffrey Hoppe.
As reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público. O Círculo Carmesim sobrevive com o amor sincero e a doação dos Shaumbra de todo o mundo.
O objetivo dos que fazem parte do Círculo Carmesim é servir de guias humanos e professores àqueles que seguem o caminho do despertar espiritual interior. Não é uma missão evangélica. Pelo contrário, a luz interior é que guiará as pessoas até você para receberem compaixão e atenção. Você saberá o que fazer e o que ensinar nesse momento, quando vier até você o humano precioso e único, pronto para embarcar na jornada da Ponte de Espadas.
Se você estiver lendo isto e sentir a verdade e a conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia humano. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você agora e em todos os momentos que estão por vir. Você nunca está sozinho, porque a família está espalhada por todo o mundo e os anjos estão ao seu redor.
Por favor, distribua este texto livremente numa base não comercial e sem cobrar por ele. Por favor, inclua as informações na íntegra, inclusive com todo este pé de página. Todos os outros usos têm que ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Veja a pagina de contatos no website http://www.crimsoncircle.com/
 © Copyright 2007 Geoffrey Hoppe, P.O. Box 7328, Golden, CO 80403. Todos os direitos reservados.