A Filosofia Está Morta

O MATERIAL DE TOBIAS

Série do Professor:

SHOUD 5: "A Filosofia está Morta!" 

Apresentando Kuthumi lal Singh canalizado por Geoffrey Hoppe 

Apresentado ao Círculo Carmesim
16 de Dezembro de 2006


 
 
“Curry assando em um fogo de estrume de vaca, Kuthumi gritando em seus ouvidos!” (cantada por Kuthumi – Muitas risadas da audiência!) Namastê! (A audiência responde “Namastê”). Namastê! Sou eu Kuthumi, chegando para amá-los neste dia, chegando para celebrar esta época, o fim do ano. Celebrar meus novos livros que estão a ponto de chegar. Chego para me sentar com os Shaumbra neste lindo dia – o final de um ano e o inicio do ano final – os tempos finais – antes da Nova Energia. Eu fui convidado por Tobias e por aquele outro filho da mãe que vocês chamam de Saint- Germain (risadas estridentes!). Ele não é totalmente mau.

Eu tenho que fazê-los rir, Shaumbra, conseguir fazê-los rir. Há muita coisa acontecendo no mundo neste momento e nesta louca cabecinha de vocês. Eu tenho que fazer vocês rirem e é isso que Tobias me pediu para fazer com vocês hoje aqui. Mas eu quis vir apenas para amá-los. Amor puro, incondicional, nota A integro do meu coração Punjabi para vocês. Apenas para tomar um momento aqui nesta linda energia do agora, apenas para relaxar um pouco.

Este esforço humano em que estiveram por tanto tempo têm seu preço. Ele tira o humor e a vida de vocês evidentemente. Talvez possamos nos sentar aqui, juntos por estes próximos breves momentos. Deixem-me amá-los incondicionalmente. Deixem-me apenas absorver esta linda energia aqui com vocês por um instante. Sem preocupações. Sem aborrecimentos. Sem Tobias! 

Tobias esta dando um tempo. Ele na verdade esta decorando a sua arvore Hanukkak novamente no seu Chalé. Saint-Germainmeu querido amigo, eu tenho que dizer – nós trabalhamos juntos em muitas, muitas vidas. Saint-Germain ama esta época do ano. Ele pode tomar um dos seus papeis favoritos e canalizar através de múltiplos humanos por todos os lugares do mundo. Ele ama este papel de Papai Noel. Ele na verdade reivindica entre as muitas, muitas, muitas, muitas, muitas reivindicações que ele tem (algumas risadas), que ele ajudou a criar esta entidade chamada Papai Noel, porque esta temporada de alegria estava ficando um pouco seria demais, fazendo com que muitos se envolvessem em velhos rituais. Assim ele examinou a energia do Natal e considerou o que ele deveria ser. Deveria ser infantil. Deveria ser alegre. Assim ele ajudou a co-criar esta entidade chamada Papai Noel e ajudou a trazer isto para aqueles que estivessem mais abertos – as crianças. Uma maneira para que crianças trouxessem de volta para a sua imaginação – trouxessem de volta este elemento de amor – este elemento de magia – de volta às festas.

Assim Saint-Germain sai por todo o mundo agora mesmo onde eles têm estes Papais Noéis ajudando a estar com os Papais Noéis que se sentam com as crianças. Crianças que as vezes estão amedrontadas, crianças que se magoam as vezes, e ele ajuda a canalizar as energias dele através dos vários Papais Noéis e ao redor de todo mundo ajudando a trazer um pouco de alegria para suas vidas.

É difícil para mim, Kuthumi, representar o papel de Papai Noel. Meu registro não tem isso e não tenho a inclinação de ter muitas criancinhas a gritar, assim eu vim a este encontro Shaumbra. E, é claro que a querida Quan Yin está fora. Ela está com Norma – Andra – e Garret na terra do Kiwi neste momento (N.T. Nova Zelândia). Eles trabalham em algo muito, muito especial nesta terra, e em toda a sua viagem eles têm ajudado a introduzir um novo entendimento não somente de Quan Yin, mas da energia de Sophia. Entraremos nesta energia com vocês, e Tobias e Quan Yin falarão mais sobre isto. Mas vocês sabem que agora as energias do masculino/feminino estão de volta. Bem, por exemplo, olhem para mim. Integrado com o masculino e o feminino – Eu não sou um homem, não sou uma mulher, Eu sou o que eu sou. Eu sou os dois. Eu não sou nenhum. Eu me livrei deste costume a muito tempo atrás para que assim eu pudesse ser tudo o que eu sou. Mas Norma, Garret trabalham com Quan Yin e a energia de Sophia neste tempo de transição, neste tempo de fundir novamente todas as energias. Elas vão trazer isto aos Shaumbra como um todo.

Agora mesmo deixem-me apenas estar com vocês um momento. Tem sido um curto tempo. Sabem que tenho estado por perto de vocês. Tenho ficado em um segundo plano, por assim dizer. Eu tenho trabalhado com as energias do Circulo Carmesim e Shaumbra em seu novo escritório instalado no grande lago. Eu tenho ajudado a movimentar algumas energias – não somente daqueles que trabalham lá, mas as energias de todos os Shaumbra que foram convidados, solicitados a fazer isto por Tobias e Saint-Germain. Assim isso teve um efeito não somente naqueles que trabalham no escritório, mas em cada um de vocês todos. Houve a intenção de vocês, de limparem as velhas energias. Como Saint-Germaim diz, as energias que desejam persistir. Vocês sabem, cada pedacinho de consciência, cada pedacinho de energia tem sua própria forma de vida, tem sua identidade única. Cada pedacinho de consciência tem de certa forma um entendimento de si mesmo, e deseja resistir naquele ser. Não quer deixar ir. Considera isto uma morte em vez de uma transformação e evolução. Cada pedacinho de energia tenta persistir, entretanto como uma criancinha que sabe que é tempo de evoluir, é tempo de mudar, é tempo de crescer em algo muito mais grandioso, algo maior, mas ainda tende a resistir.

Sabem o que aquele pedacinho de energia deseja? Deseja que a energia do progenitor – a energia do criador – chegue ate ele e assegure que tudo vai dar certo. Aquela parte de vocês que é um tanto medrosa, não esta segura do que o amanhã vai trazer, não esta segura do que acontece quando vocês deixam ir seu trabalho com o qual não se importam mais, deixam ir um relacionamento que era um velho carma. Todas esta energias apenas desejam o eu progenitor, o eu criador, para vir e assegurar isso tudo. Como uma pequena criança, para pegá-la pela mão e dizer que é a hora. É a hora em que seguimos adiante. É a hora em que evoluímos. O passado nunca será esquecido. O passado nunca será enterrado. O passado pode ser transformado em renovação, o potencial do que vocês são.

Cada pequeno pensamento que vocês têm, tem a sua própria identidade. Cada pequeno medo que têm é na verdade como uma criança pequena. Cada parte de energia presa esta realmente querendo ser liberada. E vocês, meus queridos, podem guiar esta parte de si mesmos para dentro de sua própria nova energia. Vão e falem com ele - esse pequeno medo. Vamos dizer que vocês têm um medo de que haja algo errado com seu corpo – que talvez esteja desenvolvendo um pouco de alguma doença. Ela é somente uma parte de energia que esta presa. Isso é tudo que ela é. Uma parte de energia que esta se segurando na juventude. – no seu conceito de juventude. Vocês podem ir e falar a esta pequena parte de energia. Dizer a ela que chegou a hora de deixar ir. Ela não precisa se prender na juventude. 
Pode evoluir dentro de uma nova energia. Digam a ela que há uma vibrante energia de biologia, radiante, saudável, em algum lugar do seu corpo que é um padrão para ela. Que a energia enferma pode curar a si mesma, neste instante, sem muita pressão, sem um monte de disciplina mental, sem ter que se focar inclusive. Somente permitir. Assim entrem hoje se amando, tomem este momento aqui em nosso lindo grupo para amarem a si mesmos.

Assim tantas energias acontecem neste instante. A que eu vejo muito  predominante na consciência humana é a energia do “eles”. “Eles” dizem que o clima vai mudar. “Eles” dizem que há uma nova tendência da moda chegando. “Eles” dizem que a economia esta piorando. “Eles” dizem que o mundo esta chegando ao fim. É divertido aqui do nosso lado do véu ouvir o grande mal “Eles” pronunciado vezes e vezes repetidamente pelos humanos ao redor de todo o mundo. Não importa se for na Índia, não importa se for na Austrália. Em todos os lugares se trata de “eles”. “Eles” dizem isto. “Eles” vão fazer aquilo. Quem é “eles”? Eu procurei por todos os lugares. Tenho buscado em muitos paises por todo o mundo tentando encontrar “eles”. Eu procurei em todas suas listas telefônicas.  Eu não vejo o Sr. e Sra. Eles em lugar nenhum. Eu procurei em companhias. Não achei nenhuma companhia que seja “Incorporação Eles”. Eu não vejo um “eles” em nenhum lugar. 

Então o que é este grande “eles”, eu finalmente disse a mim mesmo. De onde ele vem? A quem pertence? E descobri que é apenas consciência – apenas consciência de massa. O “eles” não é nada mais a não ser a consciência humana, este grande reservatório ou depósito de pensamentos e idéias, problemas e preocupações. Mas ainda todos falam sobre “eles”. Quero que vocês dêem uma olhada em sua própria vida. Com que freqüência usam isso.  Com que freqüência acreditam nisto para si mesmos. “Eles”  querem que eu faça assim e assado. “Eles” querem que eu chegue até aqui. A outra coisa que eu ouço de muitos de vocês – eles, se referindo a algum grupo espiritual, alguma organização do nosso lado – “eles” me disseram que eu deveria mudar. Mas não há “eles”, então como poderiam eles dizer para que mudasse. “Eles me disseram que eu deveria sair e fazer certo tipo de trabalho de missão. Não existe “eles”, então em que na verdade vocês estão se conectando? Estão apenas se conectando com tudo o que os outros “ eles” que vêm de todos os outros humanos – que vêm de seus problemas e suas preocupações.

E este “eles” – este grande “eles” – alguma vez já pensaram sobre isto? Isto não tem nenhum senso de humor, em absoluto. Não há nenhuma lógica em especial com isto tampouco. É um grande nada. Mas ainda isto é uma força controladora e condutora para tantas vidas. Chega ao ponto onde “eles” os humanos na pratica acreditam “neles”, ao ponto onde “eles” na verdade impõe um tipo de identidade. “Eles” impõe um tipo de energia. Não podem achá-los em nenhum lugar mas “eles” se torna real de certa forma. “Eles” se torna o condutor do poder para muitos humanos. Mesmo quando eles passam para o nosso lado eles continuam a falar sobre “eles”. “Eles” querem que eu faça isto. Quem são eles? Houve humanos e anjos que têm procurado por todos os lugares por eles, e verdadeiramente não existem em lugar nenhum.

Eles – eles é um você que não tem tomado responsabilidade. Sem duvida. Humm Humm Humm ( Risadas) Oh, aquela pessoa esperta chega para falar com você. É um principio muito simples. Olhem como isso afeta você em sua vida. De alguma maneira você tem o seu – é como o sistema de orientação da consciência de massa guiando-o através de suas vidas, guiando-o através de seus pensamentos, mas verdadeiramente uma energia que não tem substancia, nenhuma profundidade, nada a ver com nada. Assim todo este tempo, vocês e os outros humanos tem seguido um grande nada, se esquecendo de seguir o magnífico algo especial que existe dentro de vocês.

Eu venho aqui hoje para compartilhar algumas coisas com vocês. Um pouco a respeito de mim mesmo – sobre minha história – a respeito do porque eu cheguei aqui. O Natal também tem um significado especial para mim. Eu encarnei na Terra muitas vezes antes, aceitando uma ampla variedade de disfarces e identidades, e tenho que fazer uma observação aqui para direcionar algumas das questões que têm surgido. Assim aqui estou eu, Kuthumi la Singh, exagerado, representado um tanto como um homem, mesmo que tenha dito que não sou mais um homem. Eu sou um homem e uma mulher juntos, mas em muitas, muitas vidas eu vim para viver como um homem. Em uma existência – em particular – como Baltazar – um dos três magos, verdadeiramente. De verdade. Fui eu, ajudando a entregar os presentes – um pouco de incenso, um pouco de mirra aqui e ali. Vocês sabem, honrar Yeshua. Ele vai ser famoso (algumas risadas).

Eu passei muitas, muitas vidas encarnado como um homem. A maior parte do tempo – quando escolhem encarnar na forma humana, vocês encarnam na direção da sua propensão de energia. Em outras palavras, se você tem uma energia feminina dominante nos reinos angélicos, geralmente você vem a Terra e encarna como uma fêmea e geralmente permanece na forma feminina. De vez em quando alternando, mas achando isso muito desconfortável, é claro que vocês mulheres sabem, estar no corpo de um homem, tomar a atitude de um homem, ter a mentalidade e temperamento de um homem é obvio. Eu, por outro lado, inicialmente cheguei não necessariamente por escolha consciente, mas particularmente por uma tendência em direção à energia masculina, embora dificilmente notariam isto agora.

Assim eu passei muitas existências na forma masculina. Em parte como uma lição para mim mesmo. Em parte para me ajudar a compreender a beleza do meu outro lado – enfrentando este papel em um corpo masculino. Se eu tivesse de retornar a Terra agora seria muito difícil fazer esta decisão consciente de como eu escolheria retornar. Sim eu de fato encarnei nesta existência há 2.000 anos atrás como Baltazar, ajudando a introduzir a energia semente de Cristo. Eu era um rei da Babilônia naquela época, mas eu sabia, exatamente como vocês sabiam que havia algo acontecendo na Terra. Eu não podia assinalar isso, não podia necessariamente identificar exatamente o que era apesar dos profetas falarem sobre o novo Messias que chegava. Mas quem imaginaria que o Messias chegaria da maneira que chegou. O que quero dizer com isto é não era apenas o bebe Yeshua. Não se tratava apenas de Maria e José. Era sobre o nascimento da semente Crística na Terra na época. Tratava-se não somente de Yeshua chegando a Terra, mas tratava-se de vocês chegando à Terra. A respeito de vocês encarnando.

Há algo muito comum com todos nós, à propósito. Não apenas o nosso passado da Atlântida, mas também a maioria de nós encarnou outra vez por volta de 500-600 anos a.C. Foi uma existência especial para vocês e para mim. Nós estávamos no meio de uma mudança de energia e em uma era de mudança na Terra. Estávamos no meio de observar nossos próprios eus começando a se desvelar. Saindo do peso da dualidade, do peso de estar em um corpo físico humano. Estávamos começando a sair da parte inferior do ciclo chamado de vida na Terra, chamado encarnações. Estávamos começando a movimentar a nossa energia novamente em torno de nós – vindo à tona – saindo e então poderíamos finalmente se soltar deste ciclo inteiro. Desta roda completa de encarnações.

Vocês estavam lá. Eu estava lá. Nós plantamos as sementes. E agora, mais de 2.000 anos depois, estamos aqui colhendo. Isto é o que estão aqui fazendo, colhendo esta energia da semente Crística. Esta semente Crística, que brotou em uma linda nova consciência. Esta linda nova consciência que vocês e eu ajudamos a começar se desenvolveu e prosperou. Ela se tornou forte e saudável. Mesmo apesar de todas as ervas daninhas da consciência crescendo a sua volta. Apesar da aridez – a aridez da consciência. Mesmo apesar das tempestades da consciência, esta nova consciência Crística cresceu, se desenvolveu. E agora com o advento da Nova Energia que esta pronta para a colheita, hoje nós vamos fazer uma pequena colheita aqui, se quiserem. Faremos isto juntos. Faremos uma infusão de Nova Energia bem aqui neste maravilhoso espaço sagrado. Mas, retornando a mim...

Eu tive muitas, muitas encarnações na Terra e uma das mais memoráveis que tive foi aproximadamente 500-600 AC. Eu era conhecido naqueles tempos como o filosofo chamado Pitágoras, um filósofo Grego. Foi uma vida muito interessante porque naqueles tempos nesta ilha da Grécia havia muita mudança em sua própria consciência. Uma nova civilização estava vindo à vida para preparar a era de Cristo da humanidade. Na Grécia existiam pensadores. Na Grécia existiam criadores. A Grécia estava se desenvolvendo em uma nova civilização e numa nova cultura e eu – eu estava exatamente no meio disto. Eu era um filosofo. Eu era um matemático. E achei isto fascinante porque eu tentava compreender o mundo – compreender a natureza, compreender o espírito – através da matemática e através da filosofia. Eu tive um grande amor e paixão por esta filosofia. Eu tive um amor por tentar compreender como os números funcionavam, como os números faziam lógica e sentido do Universo, das estrelas. Eu passaria meus dias, meus anos, jogando com a energia dos números.

Esta energia dos números ainda está aqui. Ainda podem jogar com isso e ainda podem usar isto. Podem alinhar os números. Podem jogar com a matemática para ajudá-los a compreender e colaborar em criar qualquer coisa que quiserem. Mas cheguei a compreender - não nesta existência, mas muito mais tarde – eu cheguei a compreender que os números não criam a realidade. A matemática não forma o Universo. Eles simplesmente estão em resposta a uma energia muito pessoal e muito intima chamada o ser de alma -  chamada você – o criador. À medida que vocês criam, enquanto tomam a energia pura, bruta e começam a criar com ela, então ela se transforma em equações matemáticas colocando esta energia pura e crua em um tipo de lógica. Mas a lógica em si mesma não contém a resposta. A lógica em si mesma – a lógica da matemática – não é a energia da fonte. A lógica, a matemática, não criou o Universo. Vocês criaram. Vocês são criadores. Vocês são imaginadores e sonhadores. Vocês são seres angélicos, que vieram a Terra, que fizeram todo este magnífico trabalho de baixar a sua energia. Vocês são os que criaram os potenciais e finalmente a realidade. E logo então podem compreender ou interpretar isso através dos números e da matemática.

Esta vida como Pitágoras então resultou em outra existência como Balth.... Nesta vida fui um nobre, mas eu continuei com meus estudos filosóficos. Continuei meus estudos de matemática. Mas algo novo foi introduzido agora. Foi toda esta área da espiritualidade. Foi a primeira vida que houve um foco renovado no aspecto espiritual. Foi por isso que fui tão entusiasticamente interessado em todo este nascimento de Yeshua, em toda esta energia da semente Crística chegando a Terra. Eu estudei as estrelas para compreender como e quando a energia do Messias se tornaria presente na Terra. Eu estudei os livros. Eu estudei outros filósofos e as religiões para compreender como começaríamos a criar algo novo e diferente neste incrível planeta Terra. Mas apesar disso eu tenho que dizer que inclusive nessa vida fiquei preso em meu próprio eu. Vocês percebem que eu era um buscador.  Tenho sido um buscador por todo tempo que consigo me lembrar.  Essa energia de ser o buscador foi transferida também para outras vidas, vidas onde continuei meu trabalho como um filósofo, como um matemático.

Em minha vida mais recente na Terra fui conhecido como Kuthumi lal Singh. Eu continuei essa paixão. Veja só, as paixões – o que estudam, o que faz o seu coração cantar, o que faz seu cérebro dar um clique – tendem a segui-los vida após vida. Assim retornei à Terra como Kuthumi nascido na terra da Caxemira na Índia. É interessante porque na mesma época em que eu fui Pitágoras, o filósofo, foi também a época em que Buda esteve encarnado na Terra, onde Buda estava iniciando a sua energia. Foi também mais ou menos no mesmo tempo onde Tobias esteve na Terra. Vejam, nós como humanos e como grupos desenvolvemos padrões e então seguimos estes padrões. Continuamos trabalhando com eles até que estes mesmos padrões estejam preparados para evoluir e se transformar. E depois transitamos da Velha Energia para dentro da Nova Energia.

Assim cheguei aqui como Kuthumi lal Singh e estudei desde muito cedo. Meus pais, eram cultos.  Meu pai em particular me animava a ler e a estudar. Mas de certa forma tudo o que ele estava fazendo era me animar a seguir o caminho que eu já tinha escolhido. Meus estudos me levaram a Londres. Nasci, a propósito, em 1829 e meus estudos logo me levaram para a região de Londres onde passei muito tempo estudando em Cambridge, muito tempo aprendendo tanto quanto pudesse. Imaginava-me novamente como um filósofo, como um estudioso e como um buscador da verdade. Estudei muito, muito duro dia e noite, não tinha nenhuma vida social. Mantinha-me confinado em meu quarto, confinado nas aulas. Estudei muito, muito duro por quatro anos. Ao final destes quatro anos, um dia enquanto caminhava pelo caminho ao longo da universidade, no instante em que finalmente prestava atenção nas coisas que sempre tinham estado lá – as árvores, o céu, os pássaros – de repente me dei conta de que não sabia nada. Tinha estudado – tinha trabalhado duro, mas não tinha aprendido nada sobre a vida. Aprendi tudo das filosofias. Tinha lido os grandes, aprendido tanto a respeito da ciência e matemática.  Mas neste dia em particular houve uma abertura, como uma porta se abrindo dentro da minha alma e olhei dentro e percebi que não tinha aprendido uma só coisa. Oh, eu era bom na minha mente. Era rápido. Podia memorizar coisas. Podia recitar coisas, mas apesar de tudo não tinha experienciado nada.

Isso fez com que um tremor percorresse completamente todo o meu ser. Pareceu como se cada parte de mim estivesse sendo rasgada e exposta. Isso finalmente provocou que eu tivesse o que vocês agora chamam de um colapso mental, bem ali naquele ponto, bem ali no campo da universidade, caindo no chão. É claro, eles vieram. Me tiraram de lá. De certa forma poderia dizer que quase me trancaram em um lugar seguro.  Não era uma instituição, mas me mantinham muito isolado, puseram-me dentro de uma das casas de um dos professores onde permaneci por vários anos. Mal podia me alimentar, mal podia escrever uma carta. Não queria pensar de maneira nenhuma, não queria fazer nada. Alguns de vocês sabem exatamente como é isso – um tipo de depressão, um tipo de vazio, nenhuma paixão por nada. Nada para sentir absolutamente.  Eu era realmente uma concha. Eu era realmente uma concha. Permaneci desta maneira por um longo tempo. A princípio eles estavam preocupados comigo e depois de certo tempo logo simplesmente começaram a esquecer de mim. Davam minha comida, tentavam falar comigo de vez em quando, mas eu estava bem incoerente.

Permaneci neste estado de ser, ou na verdade, de não ser, por vários anos e um dia, simplesmente um dia tão de repente como tive este colapso nervoso, um dia de repente me levantei, empacotei algumas coisas que tinha e sai. Deixei o mundo nesse ponto. Me afastei da universidade. Me afastei dos meus títulos. Me afastei da família e dos amigos e procurei por algo novo e diferente. Não queria mais pensar. Não queria mais ser um filósofo. Não queria tentar explicar o Universo porque finalmente compreendi que nunca poderia explicar o Universo.  Disse a mim mesmo que somente queria experienciar a vida e as pessoas – qualquer coisa. Queria beber nas experiências que nunca havia me permitido ter antes. Sempre pensava a respeito das experiências. Sempre analisava tudo a minha vida. Sempre olhava a lógica envolvida em tudo dentro de mim e fora de mim. Inclusive tentava aplicar lógica e filosofia ao espírito. Descobri que isso não pode ser feito. É como a água e o azeite. Não se misturam.   

Assim parti, sem deixar sequer um bilhete, e comecei minha próxima parte da viagem. Essa parte seguinte da viagem durou aproximadamente 40 anos e viajei por todas as partes da Europa. Viajei de volta às terras do meu lar na Índia e finalmente por último terminei no Tibet onde passei o resto de minha vida, não, já não mais estudando, mas escrevendo e compartilhando minhas experiências. Passei algum tempo com os que fundaram a Sociedade Teosófica. Passei muito tempo com a querida, aquela que podia pensar e sentir ao mesmo tempo. Ela foi uma inspiração para mim – Madame Blavatsky – uma mulher que estava preenchida de tanta paixão pela vida. No momento que a conheci soube o que precisava sentir dentro de mim mesmo. Ela era uma mulher - inteligente – extremamente inteligente. Uma das mais finas que já conheci, mas essa mulher podia sentir. Podia sentir a energia. Podia sentir a paixão. Podia sentir a vida em uma flor mais do que eu nunca pude sentir a vida em geral. Podia sentir a energia de qualquer um e ajudá-los a se reequilibrar. Não que ela fosse necessariamente uma curadora, mas era uma sensitiva.

Passei muito tempo com ela aprendendo a entender como me abrir ainda mais para experimentar. Para experienciar! Não para pensar. Estava tão cansado de pensar, e ao longo do caminho conheci muitas, muita pessoas comuns e queridas. Não tinha uma necessidade de ir falar com os grandes reis e a grande realeza e nobreza, embora tenha conhecido alguns. Eu estava mais interessado em trabalhar com as pessoas comuns e experienciar a vida com eles. Compartilhar a beleza da vida com eles. Quem sabe algumas vezes por um dia – às vezes por uma semana ou duas ou até mais.  Mas eu era tudo em relação à experiência.

Também aprendi algo muito, muito interessante em minhas jornadas nessa vida. Aprendi como rir. Quando era criança não ria. Rir era considerado não intelectual. E na minha família meu pai e mãe ambos muito, muito estudiosos, muito inteligentes. Mas também, tenho que compartilhar com vocês, muito infelizes. Muito infelizes. Aprendi com as pessoas ao longo de todas as terras como sorrir, como rir, como fazer humor. O humor tem a sua própria energia particular. Ele transforma a energia presa. Permite que você tire um pouco do peso da dualidade. Os humanos – eles podem rir. Podem fazer muita graça, muito melhor que os anjos. Inclusive do nosso lado do véu, os reinos não físicos, os que nunca estiveram em um corpo humano não têm idéia do que é o humor. Não é que sejam tão sérios, mas eles não passaram pelo que nós passamos. Vocês têm que passar por isto para divertir-se por conta disso, rir disso, compreender que isso não é tão sério apesar de tudo. Ser capaz de brincar um pouquinho, ser capaz de colocar um sorriso no rosto de alguém. 

Assim nessa vida como Kuthumi lal Singh aprendi a experimentar, aprendi a rir e aprendi a compartilhar. Aprendi a compartilhar. Agora, compartilhar é uma energia interessante. Não significa se dar aos outros e alimentá-los. Significa apreciar mutuamente o momento com eles. Não significa tentar consertá-los. Não significa dar a eles tudo o que você tem. Significa desfrutar desse momento. Estar juntos, compartilhando uma experiência. Sabem, quando compartilham uma experiência com outro humano, não importa o que seja, vai fica registrado. Vocês têm isso em comum daqui até a eternidade. Têm agora um vínculo maravilhoso, lindo entre vocês que nunca pode ser tirado, nunca pode ser enterrado ou destruído. É uma maneira de chegar a entender a si próprio ao compartilhar com os outros.

A maior coisa que aprendi nessa vida e a razão de porque vim para falar com  vocês hoje é que aprendi que a filosofia era realmente, como foi dito hoje mais cedo, realmente um monte de estrume. E venho aqui hoje para fazer o anúncio, o anúncio profundo, de que a filosofia está morta. A filosofia está morta a partir deste momento. Bom, vocês dizem, bom (aplausos da audiência). Agora bem, muitos de vocês, aplaudem, mas foram filósofos. Foram os estudantes. Foram os que olharam dentro da lógica das coisas tentando entender como elas funcionam, mas vocês sabem como eu sei, que estudaram filosofia durante muito tempo. E aonde isso os levou? Me levou a um colapso mental. Conduziu-os para dentro de armadilhas. Conduziu-os a descer por becos sem saída. Era uma coisa muito útil para se fazer. Entendam. Não estou dizendo que tudo isso era ruim, mas nesta era Nova Energia para dentro da qual se estão movimentando, a filosofia morre. A filosofia se afasta. É substituída pela criatividade. É substituída pela experiência. É substituída pela sabedoria, mas uma sabedoria que não tem suas raízes em todo este pensar. A filosofia se afasta conforme a criatividade retorna.

Agora, isto pode alarmar muita gente que diz que a filosofia é necessária para o avanço da cultura. A filosofia é necessária porque nos faz estudar a nós mesmos. Bom isso é verdade até certo ponto – até certo ponto.  Mas, quando alcançam um certo ponto em sua jornada em sua própria busca percebem em primeiro lugar, que não há nada que procurar. Você é simplesmente um buscador. Era seu trabalho, sua profissão, mas aonde isto os traz no final das contas. A filosofia transcende agora. Vai além da lógica e da mente e muitas pessoas ficam preocupadas porque para eles isso é tudo. Isso é tudo o que eles conhecem em sua mente. Mas, vocês sabem que isso requer uma boa saída da sua mente – um bom colapso mental – para realmente entender que há algo fora da mente. Isso exige a destruição da ilusão da mente, a total desintegração das bases da Velha Energia para se compreender a vida.  Quando saem da mente se dão conta que há algo muito mais precioso. Um pouco mais grandioso. Algo que não os leva a ficarem presos como a mente faz. É seu espírito. É seu Eu. É seu gnost. Bem isto também envolve a sua mente, mas aprendem que há algo bem maior – e isso é você. São vocês. Não são eles. São vocês. Vocês são o seu próprio guru. Como eles gostam de dizer, céus! você é você.  Não necessitam deles.

Assim, Shaumbra, a filosofia na Nova Energia morre. Vai embora. Não há necessidade de ponderar tudo. Não há necessidade de analisar tudo. Não há necessidade de ser filosófico a respeito de tudo. Agora trata-se de desfrutar da experiência e permitir que a criatividade seja a energia guia em sua vida.  Sair da mente, fora da filosofia, novamente isso faz soar as campainhas de alarme. Atrai as preocupações porque essa é a energia em que estiveram presos. É o que conhecem. É o que é familiar. Não conhecem outro sistema operacional. Mas confiem em mim pela minha própria experiência e aqueles que também passaram por ela, quando liberam a mente e deixam ir toda a filosofia além dela, há uma completa nova fronteira para vocês. Fora de seu alcance estão as respostas às perguntas que vocês refletiam por um longo tempo no velho sentido filosófico, mas para as quais nunca encontraram as respostas. Fora de seu alcance há novas fronteiras de consciência que a mente não podia possivelmente compreender. Além disso, há um novo significado para a vida que a filosofia em si mesma nunca pôde ajudar a explicar ou entender. Alem dela está a ausência de esforço, a ausência de conflito dentro de si mesmo.  É um estado divino de ser e está aqui agora mesmo. Não está em algum futuro remoto e longínquo. Não é somente um conceito, não somente uma filosofia, apenas está aqui agora mesmo. 

Esse é um presente que deram a si mesmos. É esta colheita da energia da semente Crística. É tempo de trazer isso para a sua realidade. Agora mesmo se escolherem. Eu disse a Tobias e a Saint-Germain que levaria vocês através de um pouco de infusão de Nova Energia. Vejam essa Nova Energia, essa colheita, está aqui, esperando por vocês agora mesmo. Lentamente encontra seu caminho a vocês, não importa o que. Esse é um princípio natural. A Nova Energia lentamente os transforma. Poderia levar muitas, muitas vidas, mas é simplesmente a evolução natural da energia. Com este grupo, hoje sentado aqui neste precioso espaço podemos de fato permitir mais dessa Nova Energia impregnar-se dentro de nossas vidas. Podem deixar que essa Nova Energia de si mesmos penetre neste instante.

Assim vamos a simplesmente fazer juntos alguma respiração. Este é um tempo maravilhoso para deixar ir. Soltem o que quer que seja que os esteja retendo. Isso faz surgir os medos, é obvio, porque se questionam o que acontecerá quando deixarem ir. Bem, desfrutem a experiência disso. Desfrutem a sensação disso. Não pensem a respeito disso. Deixem ir e experimentem. Comecemos com a respiração, porque a respiração precisamente inicia tudo.

Respirem profundamente, lentamente... Não tentem forçar nada... Não tentem pedir nada.

Este presente de Nova Energia o qual está além de descrição ou palavras neste momento. Este presente é a sua colheita. Retornando às suas vidas passadas quando ajudaram a plantar essas sementes.

Esta Nova Energia lentamente abre seu caminho para dentro da sua consciência, mas funciona diferente das outras energias que têm usado. Alguns de vocês podem sair de dentro de si mesmos procurando esta Nova Energia. Onde está? Como ela se parece e como funciona?  Porem, vocês vão para dentro procurando por ela com seu velho entendimento da energia, seu velho entendimento da consciência. Isto funciona totalmente diferente. Muito, muito diferente. Como diferente? Como funciona, vocês dizem. Poderia apenas lhes dizer que é para experimentar, para jogar com isso, para não tentar pensar tanto sobre isso. Podem simplesmente deixar-se experimentar agora? Deixem que a velha maneira de dirigir e usar a energia comece lentamente a se distanciar para dar espaço para esta Nova Energia. 

Esta Nova Energia não é sobre a dualidade. Esta Nova Energia não é linear.   Esta Nova Energia é verdadeiramente expansional em todos os sentidos. Assim quando ela vem visitá-los e vem para ficar com vocês em sua vida, ela funciona totalmente diferente. É por isso que Saint-Germain lhes disse na última reunião se estão preparados para uma mudança. A mudança é a Nova Energia. A mudança é como isso funciona. Estiveram acostumados a uma certa maneira de operar em sua vida cotidiana – certos padrões, maneiras de pensar muito bem nas coisas, maneiras de lidar com os problemas, maneiras de tentar responder às perguntas. Estão muito acostumados a estes velhos padrões. Na Nova Energia isso funciona totalmente diferente, totalmente diferente. Primeiro, é muito mais eficiente – muito mais eficiente que a Velha Energia.  A Nova Energia não precisa da dualidade. Não precisa de conflito e não precisa da sua imagem no espelho a maneira de entender a si mesma.  Esta Nova Energia que é você já sabe. 

Esta Nova Energia não pode ser controlada como vocês estão acostumados a fazer com a Velha Energia. Não pode ser manipulada porque era somente vocês manipulando ou controlando a si mesmos. Esta Nova Energia tem uma pureza nela. Esta Nova Energia é muito difícil de medir em quaisquer termos que estejam acostumados a medir a energia ou a consciência no passado.

Tomem uma respiração profunda e permitam esta infusão de Nova Energia aqui no final de seu ano calendário, porem, um fim de ciclo agora mesmo. Seu calendário diz que restam só alguns dias mais, mas o que é verdadeiramente importante ver é que estão no final de um ciclo. Um ciclo que continuou por milhares de anos especificamente, mas um ciclo ainda maior que tem continuado bem em torno de 100.000 anos. Vocês estão no final exato disso neste momento. Enquanto esse velho ciclo está lentamente, lentamente se dissolvendo, o novo ciclo – a Nova Energia – está lentamente estruturando o seu lugar. É por isso que estamos passando alguns momentos aqui hoje com esta infusão. Eu não estou fazendo isto. Não estou forçando isto. Ou melhor dizendo, os seres angélicos que estão no salão não estão fazendo assim. É você que está permitindo isto dentro de sua vida, dentro de sua realidade. É a mudança de que Saint-Germain falou. Uma transformação de energia mais de fato energia indo a um total novo nível.

Isso começa a se fazer conhecer em sua vida, em sua consciência, mas todo o tempo lembrem-se que é você. É simplesmente um você diferente, uma nova experiência de vocês. Começa abrindo seu caminho dentro de sua vida e a princípio pode parecer um pouco desajeitado para se trabalhar com isso. Não responde como as velhas energias respondiam, assim pode ser um pouco  frustrante no inicio. Mas conforme continuam a permitir que esta Nova Energia entre, começarão a notar pequenas coisas em sua vida. As sincronicidades começam a ocorrer mais freqüentemente. As coisas parecem simplesmente ficar um pouco mais fáceis. As velhas questões parecem se dissolver bem mais rápido. Inclusive até coisas simples como precisar de menos tempo para dormir, precisar de menos alimento para seu corpo. Tudo isto é parte da maneira em que a Nova Energia funciona. 

Na Nova Energia não há realmente nenhuma razão para a filosofia como a conheceram no passado, e de fato não há lugar para ela, porque a filosofia era a busca. A filosofia era a caçada. A filosofia era a maneira de tentar resolver basicamente através de formas de lógica um mundo muito ilógico e muito caótico. Enquanto a filosofia fazia muitos avanços e caminhava a grandes passos, no final das contas nunca resolvia os problemas do mundo, muito menos dos muitos indivíduos que participavam disso. Assim na Nova Energia verdadeiramente não há um lugar para a filosofia, mas há um lugar para  uma magnífica criatividade. E uma Nova Energia em que se permitem penetrar agora mesmo, se escolherem. Esta criatividade é como um novo combustível para vocês, uma nova paixão. A criatividade simplesmente precisa ser estimulada por vocês. Por vocês. O que escolhem fazer com ela? O que vocês escolhem – não o que eles escolhem. O que escolhem fazer com esta criatividade? Como querem experienciá-la em sua vida? Não tentem entender. Deixem-se experienciá-la.    

Esta é uma das coisas que faz bem 100 anos atrás, Madame Blavatsky e eu passávamos horas e horas discutindo, mas finalmente soubemos que tínhamos inclusive que parar a discussão. Era tempo de simplesmente sair e experienciar. Mas não pudemos experiência-la perto da extensão que vocês podem agora mesmo, porque a consciência e a energia eram diferentes. 

 Outra respiração profunda...  

(Pausa)

... e permitam-se a si mesmos colher esta Nova Energia. Oh, ela está aqui.   Não está lá fora. Não está mais alem. Está exatamente aqui, agora mesmo. Vocês a criaram. Vocês a plantaram. Agora podem trazê-la para dentro de sua vida.

Quando dizemos para trazê-la para dentro da sua vida, de novo lembramos que parecer diferente da Velha Energia. Assim, uma das coisas que aprendi na época em que tive este colapso foi soltar as expectativas. As expectativas são uma das causas principais de colapsos e depressões. Soltar o que esperam que as coisas se pareçam, permitindo que elas se expandam. Suas próprias criações deveriam ser livres. Não queiram pôr muita estrutura nelas. Não queiram trancar esta estrutura dentro de um lugar. A criação foi destinada a se expandir e ter seu próprio tipo de vida. Ter seu próprio tipo de identidade e significado, mesmo que a tenham criado. Dêem a ela liberdade. Deixam-na continuar evoluindo. É quando verdadeiramente chegam a entender com o que se parece a energia de criador. 

Assim Shaumbra, venho a vocês neste agradável dia, neste formoso lugar para  falar a vocês sobre a filosofia que está morta. Falar a respeito da Nova Energia que chega. Continuarei a estar perto dos Shaumbra, continuarei a trabalhar de perto com Tobias e Saint-Germain e Quan Yin. Eu venho hoje sem tentar fazê-los rir, mas sim, tentar fazê-los viver, tentar levá-los a experienciar a vida e agora experienciar como é ter esta Nova Energia fluindo, fluindo para dentro de sua vida. 

Namastê
 


Tradução para o Português:  Silvia Tognato Magini   silvia.tm@uol.com.br

Tobias do Conselho Carmesim é apresentado por Geoffrey Hoppe, com o pseudônimo de "Cauldre", Golden, Colorado. A história de Tobias, do bíblico Livro de Tobit, pode ser encontrada no web site do Círculo Carmesim: www.crimsoncircle.com. O Material do Tobias é oferecido gratuitamente aos Trabalhadores da Luz e Shaumbra de todo o mundo desde agosto de 1999, época em que Tobias disse que a humanidade tinha ultrapassado o potencial de destruição e entrado na Nova Energia.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e os desafios do status da ascensão, ajudam outros humanos em suas jornadas, compartilhando informações, atendendo e orientando. Mais de 50.000 visitantes vão ao web site do Círculo Carmesim todos os meses ler os últimos materiais e discutir suas próprias experiências.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Tobias apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Tobias declara que ele e os outros do Círculo Carmesim celestial estão, na verdade, canalizando os humanos. De acordo com Tobias, eles estão lendo nossas energias e traduzindo nossas próprias informações de volta para nós, de modo que possamos vê-las vindo de fora, enquanto as vivenciamos no nosso interior. O "Shoud" é uma parte da canalização em que Tobias fica de lado e a energia dos humanos é canalizada diretamente por Geoffrey Hoppe.

As reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público. O Círculo Carmesim sobrevive com o amor sincero e a doação dos Shaumbra de todo o mundo.

O objetivo dos que fazem parte do Círculo Carmesim é servir de guias humanos e professores àqueles que seguem o caminho do despertar espiritual interior. Não é uma missão evangélica. Pelo contrário, a luz interior é que guiará as pessoas até você para receberem compaixão e atenção. Você saberá o que fazer e o que ensinar nesse momento, quando vier até você o humano precioso e único, pronto para embarcar na jornada da Ponte de Espadas.

Se você estiver lendo isto e sentir a verdade e a conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia humano. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você agora e em todos os momentos que estão por vir. Você nunca está sozinho, porque a família está espalhada por todo o mundo e os anjos estão ao seu redor.

Por favor, distribua este texto livremente numa base não comercial e sem cobrar por ele. Por favor, inclua as informações na íntegra, inclusive com todo este pé de página. Todos os outros usos têm que ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Veja a pagina de contatos no website http://www.crimsoncircle.com/

 © Copyright 2006 Geoffrey Hoppe, P.O. Box 7328, Golden, CO 80403. Todos os direitos reservados.