A Formatura: Último Shoud de Tobias

OS MATERIAIS DE TOBIAS

A Série do Retorno:
SHOUD 11: “A Formatura: Último Shoud de Tobias” 

Apresentando Tobias

Canalizado por Geoffrey Hoppe

Apresentado ao Crimson Circle
6 de Junho, 2009
 
 

E assim foi... [risos] um acordo feito há centenas de milhares de anos com a beleza, a serenidade e a família dos Templos de Tien. Foi profetizado há mais de 2000 anos que este grupo voltaria a se reunir na Terra ao mesmo tempo, tendo aqueles dos reinos angélicos ajudando com orientação, apoio e amor. Foi profetizado que este grupo se reuniria no mais incrível e monumental tempo de mudança para toda a humanidade e toda a criação. E aqui estamos hoje.

Dia de formatura. Dia de formatura, queridos Shaumbra, e que alegria é para mim, Tobias, ser aquele que se senta aqui com vocês. Não porque estou partindo. Não porque estou voltando para a Terra. Por que as lágrimas, Cauldre? Por que tanta comoção, Shaumbra? Não é por causa de mim. Eu mesmo, Tobias, Adamus, Kuthumi e todos os anjos do outro lado estamos derramando algumas lágrimas em nossa própria celebração hoje. É por causa de vocês, da formatura de vocês.


Nossa Jornada

Quando começamos a trabalhar juntos, quando o chamado literal do Arcanjo Gabriel se propagou pelo universo, pelas dimensões, e conclamou um grupo de humanos para estar na Terra neste momento de mudança e transformação, neste momento da Nova Energia, a fim de superar o impasse ou a desaceleração de todas as velhas energias, quando esse chamado se propagou, vocês o atenderam. Vocês vieram para a Terra e, ah, têm havido lutas, desafios e dificuldades... Como vocês nos disseram tantas vezes, não é tão fácil como falamos e sabemos disso. Sabíamos disso desde o início. Mas, Shaumbra, tínhamos que continuar encorajando e lembrando vocês. Tínhamos que continuar dizendo que vocês já chegaram lá. Tínhamos que lembrá-los de se apaixonarem profundamente por si mesmos, dia após dia, quando tudo mais parecia estar trabalhando contra vocês.

Então, vocês vieram aqui para a Terra. Vocês atenderam o chamado, e nós não sabíamos, em 21 de agosto de 1999, não sabíamos por quanto tempo ficaríamos trabalhando com vocês. Fizemos algumas apostas deste lado, literalmente. [Risadas] Aqueles... e preciso lhes dizer num instante que os que têm trabalhado com vocês mais de perto são aqueles que estiveram na Terra antes, que tiveram um corpo humano, que usaram suas sandálias, derramaram as mesmas lágrimas e deram as mesmas risadas. Os mais próximos de vocês no Conselho Carmesim sabem como é. Assim, quando fizeram suas apostas quanto ao tempo que levaria esse processo, disseram, em geral, cerca de três existências. Eu fui mais otimista; apostei que ele levaria apenas duas existências. [Risadas] E eu estava totalmente preparado para ficar com vocês esse tempo inteiro. Quem diria que seria menos tempo... quem diria que seriam apenas dez anos.

Não profetizamos a data; só profetizamos o evento. Sabíamos que aconteceria, mas não sabíamos pelo que vocês teriam que passar. E aqui estamos nós, no que parece um momento do passado, o tempo em que tudo começou. Aqui estamos hoje – um dia de formatura, um ponto de separação. Chegou a hora de liberarmos vocês. Estamos liberando vocês para que possamos reajustar nossas energias e voltar a trabalhar com vocês de uma forma diferente.

Lembram-se do primeiro Shoud oficial, como ficou conhecido? 21 de agosto de 1999 – A Partida dos Guias. Ah, muitos não gostaram e deixaram o Círculo Carmesim de imediato. Mas outros tantos se juntaram a nós, lembraram do acordo que fizemos nos Templos de Tien, lembraram que estivemos juntos nos tempos de Yeshua.

Foi o tempo da partida dos guias, dez anos atrás, tempo de tirar aquelas rodinhas laterais da bicicleta espiritual. E, ah, queridos, às vezes, bem agora, vocês acham que estão tendo dificuldades neste momento do Agora. Lá atrás é que foi realmente difícil o que vocês viveram. Foi a verdadeira noite escura da alma. Quando vocês liberaram os seres angélicos que estavam com vocês por tanto tempo – seus amigos mais chegados, mais próximos –, eles se sentiam como uma parte de vocês. Vocês sentiam que eles eram vocês. Eram os seres angélicos que estavam ao seu lado ajudando a manter todas as energias entre sua humanidade e sua divindade, entre vocês aqui nesta existência e suas famílias espirituais – suas famílias angélicas – para ajudar a equilibrar, com as energias de todas as outras dimensões, a energia deste ambiente 3D tão cruel. E eles partiram. Eles se foram.

Vocês passaram – voltando para 1999 e 2000 – vocês passaram por períodos mais escuros do que a escuridão, se sentindo muito sozinhos, se sentindo, de fato, traídos, sentindo que as coisas mais próximas de vocês estavam saindo de sua vida. Eu me lembro das incontáveis noites longas que passei com vocês, confortando-os, tentando explicar-lhes que isso era parte do seu plano. Dizendo que vocês não tinham feito nada de errado. Por que é assim, quando existe mudança e evolução,  por que os humanos acham que fizeram algo errado? Talvez porque, às vezes, seja doloroso? Sim, é realmente. Talvez porque seja assustador? Com certeza. Mas era parte de seu plano liberar os próprios guias para que vocês pudessem aceitar toda a responsabilidade e a totalidade do Eu Sou de vocês.

Os guias espirituais, os seres angélicos, para alguns, tinham se tornado como muletas, uma desculpa. Muitos se entregaram a eles e diziam: “Eles estão me dizendo pra fazer isso, eles estão me dizendo pra fazer aquilo.” E, quando ouvimos essas palavras vindo de vocês, também tivemos que partir. Tivemos que honrar seu pedido para partir quando chegou a esse ponto em que vocês não estavam falando com a própria voz, com o próprio eu, com o próprio espírito.

Foi apenas há dez anos. Um piscar de olhos. Nem mesmo um sopro desde o tempo em que começamos a nos reunir assim. E se vocês se juntaram ao Círculo Carmesim ou começaram a ler os Shouds um ano ou cinco anos atrás, vocês estavam, energeticamente, conectados desde o início.

E chegou o dia da formatura. Vocês passaram pelos processos. Vocês passaram pelas liberações, pelas transformações e pela compreensão. Vocês abraçaram a si mesmos. Vocês entenderam a compaixão e o amor. Não apenas como palavras bonitas, mas como parte de si, como parte do modo como vocês vivem. Vocês passaram por uma transformação monumental num período muito curto de tempo – e nem todos passaram. Estou falando agora àqueles que estão se reunindo e se preparando para a pequena celebração que planejamos pra vocês hoje, àqueles que estavam na forma humana – Monica, Christina e tantos outros nomes – e que partiram antes desta data. Não partiram porque estava muito difícil na Terra, mas partiram porque amavam tanto vocês que queriam estar deste lado acrescentando seu apoio de anjo humano ao que vocês faziam do seu lado. Eles estão reunidos aqui hoje junto com todos os convidados que tivemos nestes dez anos. Cada convidado está reunido aqui para a formatura de vocês.


Ponto de Separação

É o momento para se amarem. É um ponto de separação diferente de todos que vivenciamos juntos. Vocês sentiram isso nestas últimas semanas, nas noites passadas, alguns de vocês sonharam com uma cerimônia de formatura e, queridos amigos, não se preocupem. Eu sei que alguns sonharam que não conseguiam chegar na hora para sua formatura, que estavam atrasados e havia essa cerimônia acontecendo. Vocês acharam que estavam sonhando com a formatura dos tempos do nível médio ou da faculdade. Não estavam. Era esta formatura.

Alguns de vocês não conseguiam encontrar as chaves do carro pra ir à formatura. Outros se distraíram pelo caminho tentando ajudar uma pessoa. Mas quero que saibam agora que vocês conseguiram. Vocês estão aqui. Esses sonhos representaram apenas seus próprios medos, suas preocupações e, como falaremos daqui a pouco, uma espécie de sabotagem acerca dos presentes e das experiências que vocês realmente merecem ter, que vocês prepararam para si.

Alguns de vocês têm pensado, bem profundamente e com muita emoção, nestas últimas semanas, sobre partir, sobre não sentir que vocês têm as respostas, não sentir que podem dar um passo adiante. Mas quero lembrar a cada um de vocês, quer partam ou não, e alguns de vocês partirão na semana que vem ou mais à frente – não se preocupem, vocês já sabem quem vocês são; nós não estamos tomando essa decisão –, mas alguns de vocês partirão e voltarão para o nosso lado, alguns que são muito, muito próximos e queridos.

Mas quero lhes dizer agora, vocês conseguiram chegar neste marco. Vocês conseguiram chegar na celebração da formatura. Agora, vocês podem simplesmente deixar ir. Vocês estão aqui. Vocês permitiram a transformação de si mesmos, a integração de sua alma. Vocês conseguiram. E, se escolherem voltar para o nosso lado, nós os receberemos de braços abertos e com amor. Vocês não estão tomando uma decisão ruim ou errada. Vocês estão fazendo uma escolha. Essa é a coisa mais importante. Parem de ser tão duros consigo mesmos.

Ou vocês podem fazer a escolha de permanecer na Terra e assistir ao que acontecerá em seguida – assistir aonde os Shaumbra irão, assistir ao que acontecerá quando Adamus chegar e começar a trabalhar com vocês na Nova Energia, assistir ao que acontecerá quando vocês assinarem sua própria declaração de que assumem total responsabilidade por si mesmos enquanto criadores – assistir ao que acontecerá.

Foi difícil para alguns de vocês porque vocês passaram por um intenso processo de liberação, uma intensa transformação de seu eu humano e seu eu espírito, o que deveria ter levado três existências. E aqui estamos nós reunidos agora em nosso dia de formatura. Um dia de celebração.

Houve um tempo, não tão distante – e muitos de vocês se lembrarão das existências, incluindo talvez esta –, em que o nome de Yahweh não podia ser proferido em voz alta, tinha que ser encoberto, precisavam ser usadas as iniciais YHWH. Não se podia nem mesmo dizer a palavra Deus, não porque Deus ficasse zangado e atirasse raios, não porque fosse considerado um mistério. Mas houve um tempo, não tão distante, que o eu humano não conseguia nem mesmo reconhecer e dizer a palavra “Deus”. Tiveram que pensar em todas essas outras palavras. Não se podia dizer a palavra “Espírito”. Não se podia dizer “Ser Eterno”.

E, agora, aqui está um grupo de humanos que não precisa se esconder por trás de quatro letras que representam uma capa ou um disfarce, que não precisa usar a palavra Yahweh. Agora estamos no ponto em que vocês podem dizer: “Eu sou Deus também. Eu sou Deus de Verdade. Eu Sou o que Eu Sou.”

Assim, vocês se perguntam o porquê da formatura. Vocês se perguntam do que estamos falando. Simplesmente essa realização de que vocês são Deus também; vivendo e andando no que chamam de ilusão humana ou realidade humana, mas o fato de que vocês podem dizer isso agora, em voz alta, para si e para quem quer que seja, é significante. Representa um marco.

Vamos respirar fundo, sem ter mais que se esconder, sem ter mais que usar termos evasivos para dizer: “Eu Sou o que Eu Sou, Deus também.”


Uma Última Visita Juntos

Assim, queridos Shaumbra, hoje temos uma cerimônia especial pela sua formatura. Vou pedir a todos vocês que respirem fundo e permitam-se expandirem. Vamos para meu chalé uma última vez em grupo. Respirem profundamente e deem permissão para se abrirem e expandirem até o chalé. Ah, nós preparamos isso pra vocês por dez anos. Nós nos preparamos para este dia.

Agora, “como se chega lá?”, vocês dizem. Com sua imaginação. Sua imaginação é um dos maiores presentes que vocês, enquanto Deus, se deram. Sua imaginação criou os universos físicos. Sua imaginação criou as dimensões. Não há diferença entre imaginação e realidade. Elas apenas se manifestam de maneiras diferentes, algumas vezes.

Alguns dizem que é “apenas imaginação” porque não se manifesta na forma 3D, mas ainda assim é tão real quanto qualquer coisa que se manifesta aqui. E enquanto vocês avançam na Nova Energia, vão descobrir que não há mais limite entre o que vocês chamam de realidade física e o que vocês imaginam. É tudo a mesma coisa.

De fato, dizem que o que é criado nas esferas não físicas através da imaginação é mais real do que o que acaba aqui na realidade física. Aqueles que seguirão com o Círculo Carmesim, aqueles que seguirão como Shaumbra, vão aprender que, realmente, não há diferença nenhuma. É tudo a mesma coisa. É uma questão de como, quando e onde vocês querem que as coisas se manifestem.

Vocês já estão trabalhando nessas outras esferas – nas esferas de sua imaginação. Vocês estão trabalhando na Nova Terra e ela é real e vocês sabem disso. Agora, trabalhando com a Nova Energia e com Adamus, vocês vão aprender a trazer tudo isso para esta realidade quando quiserem.

Então, como vocês chegam ao chalé de Tobias, onde temos uma festa maravilhosa esperando por vocês? Basta imaginar. Imaginem com o coração. Vocês imaginam isso respirando. Então, vamos todos para lá agora mesmo.

Vocês estiveram lá muitas vezes antes.

Mas antes de entrar – vocês veem alguns anjos, na porta, impedindo vocês de entrar –, vamos nos juntar do lado de fora.

É lindo. Entendam, o que tem de lindo no meu chalé é que vocês podem criar com a imaginação como querem que ele se pareça. Vejo que hoje, de minha perspectiva, é um lindo dia.

Vamos pegar este grupo inteiro de Shaumbra do mundo todo e nos juntar no gramado em frente ao chalé. Ah, ele é enorme, por sinal. É muito grande. E está um dia lindo, assim como aqui em Coal Creek Canyon e em tantos outros lugares do mundo.

Inspirem as energias daqui por um instante. Eu imaginei isso pra vocês, pra esta formatura. Imaginei flores se abrindo, belas árvores – algumas que vocês encontram na Terra e outras que vocês nunca viram em lugar nenhum antes. Mas elas estão aqui hoje, plantadas e crescendo em sua honra.

Respirem fundo... inspirem as energias.

[Pausa]

Ah, tem pássaros voando no ar porque adoro pássaros. Realmente amo. Eles são uma expressão de liberdade. Teve um pássaro que zombou de mim na minha última existência na Terra, pousava no peitoril da minha janela todas as manhãs, cantava a sua liberdade, zombando da minha prisão. Eu odiava aquele maldito passarinho! [Risadas] Faminto como eu estava, eu queria que ele fosse meu jantar. Mas aprendi que aquele pássaro era um mensageiro. Arcanjo Miguel estava me contando sobre a reunião de um grupo chamado Shaumbra, me contando que as energias de Cristo – as sementes de Cristo – viriam para a Terra em menos de 50 anos de minha última existência. E um grupo de mensageiros de todo o universo – de famílias espirituais de todo tipo – estaria encarnando. Esse pássaro do Arcanjo Miguel contou que era minha hora de voltar ao não físico para que eu pudesse estar aqui numa parte muito importante da jornada, com vocês.

Por isso, eu adoro pássaros. E enchi o céu de pássaros, que estão cantando as músicas da sua formatura no dia de hoje.

Apenas sintam agora. Ah, coloquei algumas colinas na paisagem. É quase uma pintura de Norman Rockwell. Tudo perfeito como quero que seja, e vocês podem sentir as energias também.

E, aqui, reunidos para este dia de formatura, estão todos os convidados que tivemos nos últimos dez anos: Tesla, Jung, Arcanjo Rafael, Arcanjo Miguel, as energias de Ísis e de Adão, as energias dos  novatos – as Crianças Cristal – que estão vindo para a Terra, as energias de Sam, dos terroristas do 11 de Setembro que fizeram parte de um de nossos encontros alguns anos atrás. Que transformação eles sofreram. Aqueles que partiram de sua vida – pais e filhos que fizeram a passagem, que foram os convidados sem nome de tantos de nossos encontros –, eles estão aqui hoje também. Estão aqui para celebrar o que, talvez, vocês ainda não entendam, celebrar o que vocês podem apenas aceitar como verdadeiro, mas nós não, de maneira nenhuma.

Nós lhes dissemos, um tempo atrás, que esta era a existência. Que também talvez seria a mais difícil e mais desafiadora de todas as existências que vocês tiveram. A grande diferença é que vocês estão conscientes nesta existência. Ah, em dez existências atrás, vocês viviam como um aspecto de si mesmos e de sua alma, mas não estavam tão conscientes de seu eu espiritual. Havia uma distinção entre vocês e o Espírito, entre vocês mesmos e sua alma.

Esta existência foi difícil e desafiadora porque vocês estão conscientes. Às vezes, vocês fingem que não estão, mas estão conscientes. Vocês conhecem as respostas. Às vezes, vocês fingem que não estão, e talvez isso cause parte da dor. Vocês sabem que conhecem as respostas, mas parte do jogo é fingir que não conhecem, fingir que não conseguem manifestar as coisas, fingir que não são criadores, fingir que ainda são apenas humanos. E uma das partes mais dolorosas é que vocês estão conscientes de que não são só humanos. Vocês não são vítimas; são criadores. Vocês não são estudantes; são professores. Desse modo, todos nós reconhecemos vocês pelo que fizeram, e acrescento que, quer compreendam ou não, vocês foram os pioneiros da nova consciência.

A consciência, bem agora, é algo difícil, pois é considerada uma coisa não tangível – nas esferas de vocês, não nas nossas. Porque vocês não podem medi-la, não podem analisá-la; ela parece ser muito inconstante. Quase sempre é dispensada. Os humanos aprenderam a medir a inteligência ou, pelo menos, acham que aprenderam, mas, por não conseguirem quantificar a consciência – o quociente de consciência não é quantificável até então –, tendem a dispensá-la.

Então, quando lhes falamos sobre serem pioneiros da consciência, isso, às vezes, passa direto por vocês. Vocês não captam o que estamos realmente dizendo. Mas um pioneiro da consciência é alguém que trabalha com energias de maneira deliberada, consciente e aberta; alguém que se aprofunda nas formas e nos domínios da consciência; alguém que não fica só trabalhando com as mesmas velhas equações e fatores, mas se aprofunda no novo.

Mas vocês sabem onde estão os novos domínios da consciência? Não no espaço exterior. Não escondidos em algum acelerador de partículas na Suíça. Não em uma fórmula matemática. As novas fronteiras da consciência estão bem dentro de vocês.

À medida que vocês se abrem para novos níveis de consciência, isso destranca a porta do potencial para as demais pessoas. Elas não são forçadas a entrar nem abrir a própria porta. A consciência humana não é forçada a evoluir num ritmo mais rápido, mais suave, mais simples, mas o potencial fica estabelecido e é isso que vocês têm feito.

E para aqueles que estão escolhendo partir, voltar para nosso lado nas próximas semanas – e ficam se perguntando o que realizaram nesta existência, vocês realizaram o que poucos, poucos fizeram. Ao longo dos éons em que a humanidade está na Terra, vocês trouxeram os novos potenciais. E sim, sim, sim, vocês tiveram problemas, às vezes, em aplicá-los na própria vida. Vocês acham mais fácil aplicá-los quando estão ensinando na Nova Terra. Vocês acham mais fácil aplicá-los quando estão ajudando outra pessoa. Vocês acham mais fácil quando estão ensinando e curando as pessoas, quando estão trabalhando com os problemas delas e se esquecem de fazer isso por vocês. E essa é a última fronteira, a fronteira definitiva: a consciência aplicada ao eu, a si mesmo.

Vou falar daqui a pouco sobre o motivo pelo qual vocês vêm se sabotando, mas quero aproveitar este momento em que estamos juntos do lado de fora do meu chalé... a propósito, ele é um lugar bem real. Não é um lugar intangível, volátil, invisível, que desaparece. É bastante real. É tão real que aqueles que estão aprendendo a abrir os sentidos serão capazes de realmente saboreá-lo, tocá-lo, ouvi-lo, cheirá-lo. Serão capazes de abrir cada sentido humano e, por fim, vê-lo como realmente é.

Agora, reunidos aqui, neste espaço sagrado e seguro, quero que vocês saibam que são bem-vindos aqui em qualquer momento. Nós não vamos mais nos reunir aqui como um grupo assim, mas vocês são bem-vindos a qualquer hora. A porta está sempre aberta para qualquer um que se considere Shaumbra. Mesmo eu voltando para a Terra como Sam, a essência de Tobias permanece para sempre.

Em breve, queridos, vocês vão descobrir o equivalente a seu próprio Tobias dentro de vocês. Vocês vão entender que não são apenas esta encarnação humana, que existe essa parte de vocês que eu chamo de “Meu Tobias”. Vocês vão fazer essa conexão, assim como Sam vai fazer a conexão com Tobias e To Bi Wah.

Agora, vamos entrar. Como podem observar, enquanto prosseguimos lentamente, há filas com todos os anjos, todos os convidados e entes queridos do lado de fora da porta. Eles não vão entrar hoje, porque há algo especial só para vocês. Nenhum outro convidado vai entrar comigo, Tobias, somente este grupo de Shaumbra. Mas enquanto entramos no chalé, permitam que eles formem esse corredor. Permitam que eles deem tapinhas em suas costas, que eles os saúdem e agradeçam por tudo que vocês fizeram.

Vamos respirar profundamente...

[Pausa]

... enquanto entramos.

Agora, vamos trazer nossas energias – aqui estamos do lado de dentro. Leva um instante para os ajustes. Leva um instante para suas energias se ajustarem, mas logo vocês vão começar a sentir, perceber e ver que, bem, primeiro, é muito maior do lado de dentro do que parece do lado de fora. É enorme do lado de dentro! Vocês pensavam que era só um chalezinho esquisito no meio do campo, com um riacho e algumas trilhas. Ah, é bem grande aqui dentro.


A Galeria dos Shaumbra

E, como podem ver, se permitirem, penduramos fotos nas paredes. Vou deixar vocês perambularem por aí enquanto falo um pouco, mas quero que observem que essas fotos remontam a Atlântida, quando nos reunimos pela primeira vez. Enquanto circulam, fiquem à vontade para entrar em quaisquer cômodos. Fiquem à vontade para ir a qualquer lugar. Está tudo iluminado. Não importa aonde vocês vão, a luz aparece – e esta é uma declaração importante. Eu não uso nenhuma dessas lâmpadas. Não preciso delas aqui, porque, quando um anjo torna sua presença conhecida, a sala se ilumina.

Então, andem um pouco mais e examinem os quadros nas paredes. Deem permissão, queridos, para estar em sua imaginação, para se sentirem nesses retratos, percebê-los.

Os retratos são todos dinâmicos. Eles se mexem, têm vida, são adoráveis. Permitam-se ver alguns retratos dos Templos de Tien, em Atlântida. Sim, há fotos em grupo, por assim dizer. Não tínhamos câmeras fotográficas, mas elas são energéticas – ou, talvez, melhor dizendo –, são fotos da consciência nas paredes. Ah, algumas estão na mesa, no piano e espalhadas por todo lugar. Nós nos preparamos por dez anos.

Enquanto circulam por aí, vejam as fotografias de quando estivemos juntos, dos lugares onde nos reuníamos, dos tempos de Yeshua. Por que é mesmo que, em todas estas fotos, os humanos colocam sempre os braços ao redor uns dos outros, sempre fazendo pose e sorrindo?

Há também outras fotos. Fotos dos trabalhos que vocês fizeram; fotos das reuniões em que vocês se chamavam de Shaumbra, 2000 anos atrás; fotos de quando vocês eram essênios; fotos de vocês com suas famílias daquela época; fotos de vocês quando muitos viviam abaixo da superfície da Terra; de quando a superfície da Terra era muito violenta, após o temporal que inundou Atlântida, onde vocês viviam sob a Terra. Ah, sintam isso novamente. Tempos incríveis.

Retratos nas paredes, queridos Shaumbra, dos tempos do Velho Egito, de muitos de vocês nas terras da Índia, algumas existências atrás. Fiquem à vontade para olhar por aí. Esta é a galeria dos Shaumbra. Está viva com suas energias.

Fotos de vocês nas grandes cortes da realeza européia, 500, 300, 200 anos atrás. Ah, sim, vocês sempre souberam disso. Por que negar? Por que negar isso?

Fotos de vocês nas caravelas rumando para uma nova terra. Ah, sim, temos fotos de vocês em combate, lutando nas guerras. Grande parte desta galeria tem fotos de vocês como filósofos e curadores.

Existem fotos de vocês, queridos, até entre as existências. Vocês normalmente se perguntam: “O que eu fiz entre minhas vidas?” Bem, olhem. As fotos entre as existências estão aí.

Vocês podem ver, sala após sala, fotos da consciência, fotos vivas, coloridas e que incluem sentimentos, fotos do nosso encontro em 21 de agosto de 1999, na tenda. Ah, por que vocês estão vendo vocês na foto lá? Vocês não estavam lá. Ah, sim, vocês estavam. Ah, sim, estavam. Não estavam fisicamente, mas a razão pela qual vocês se veem lá na foto é que sua energia estava lá, ajudando a trazer de volta este grupo de Shaumbra nesta era.

Há fotos do pessoal Shaumbra que estava lá física ou energeticamente em nosso primeiro workshop em Mineápolis, fotos do grupo que foi para a Inglaterra na época do 11 de Setembro de 2001. Sim, vejam. Bem ali. Vocês não sabiam que nós estávamos tirando fotos esse tempo todo. Bem, claro que estávamos. Temos compilado a história dos Shaumbra, não só para que vocês possam voltar a visitar esses tempos, mas para ficar num álbum que vai para a biblioteca da Nova Terra, que é mostrado a cada anjo cristal preparando seu caminho para a Terra. É mostrado aos anjos de suas famílias espirituais que querem saber como vocês estão fazendo as coisas. É mostrado a qualquer um de vocês que queira relembrar esses tempos.

Existem fotos dos workshops no Japão, na Coreia. Muitas fotos. Ah, simplesmente vasculhem por aí. Vou ficar aqui só falando enquanto vocês olham tudo. Em Kauai – ah, como lembramos desse primeiro ano tão bem... Vejam que também fico um pouco emocionado. Andei vendo essas fotos nos últimos dias, me preparando. Tenho que dizer que isso me deixa com lágrimas nos olhos.

Ah, vocês estão notando numa musiquinha de fundo. Bem, é claro. Essa é a música dos Shaumbra. São todas as canções que foram tocadas em todos os workshops e em todos os Shouds. Têm fotos dos Shouds de anos atrás, quando vocês se reuniam em outro local chamado Mile High Church, fotos de antigos Shouds em que, ah, queridos, os banheiros estavam interditados aqui em Coal Creek Canyon, fotos daquele tempo maravilhoso que passamos juntos em Santa Fé, quando os Anazasis estavam partindo. Circulem um pouco mais por aí.

Ah, as salas estão repletas... vocês podem visitar isso aqui em qualquer momento ou podem olhar esse álbum da consciência na Nova Terra, mas vejam que juntamos tudo aqui pra vocês hoje. Tem uns salgadinhos por aí também. O quê? Vocês pensam que os anjos não gostam de salgadinhos? Claro que gostamos. Todo anjo que já foi humano imagina e cria as coisas que mais adora da Terra. Tem salgadinhos por todo lado. Sirvam-se.

Tem fotos do tempo que passamos juntos na Alemanha, no Canadá e no Brasil, na Finlândia e na Noruega, nas vezes que estivemos na Holanda, muitas vezes na Romênia, nos encontros da Hungria. Ao redor do mundo, Shaumbra, onde vocês se encontraram, onde vocês falaram em nome do Espírito, nós estávamos lá com vocês.

Cada um desses encontros não se tratava de um workshop ou da aprendizagem de alguma coisa nova. Tinha a ver com tirar um tempo para si mesmos, lembrar por que vocês estão aqui e abrir potenciais para a humanidade. Era disso que se tratava.


A Sala dos Shaumbra

Então, vocês podem se reunir aqui a qualquer hora, mas quero chamar todo mundo para a Sala dos Shaumbra. Tem uma placa acima da imensa porta – “Sala dos Shaumbra”. Venham por aqui, se quiserem. É uma sala imensa. Ah, não é um anfiteatro nem uma sala de conferências como tantos lugares em que vocês se reúnem. A Sala dos Shaumbra tem almofadas no chão, luz natural. Arranjamos um belo tipo de janela energética. Tem som de água – sim, água – pingando, mas vocês não conseguem realmente dizer de onde ela vem, conseguem? Tem música suave. Cores. Preparamos isso pra vocês.

Entrem, neste dia, e encontrem um local confortável – deitem-se, pendurem-se de cabeça pra baixo, não importa. Sentem-se numa cadeira. Se não acharem uma, simplesmente a criem. Imaginem uma, queridos. Simplesmente imaginem o que quiserem e estará lá.

Vamos nos reunir para uma conversinha. Teremos oportunidade, na saída, de ver as fotos novamente, mas vocês podem ver que são milhões e milhões de fotos, todas em sua honra.

Assim, vamos respirar profundamente e encontrar uma posição confortável...

[Pausa]

Tem sido uma jornada incrível. Parte dela está chegando ao fim, sem dúvida. Ponto de separação. Dia de formatura.

Não vou mais ficar conversando tanto dessa forma com vocês. Temos mais algumas sessões juntos, mas este é nosso último Shoud regular. Esta é a última vez que eu venho lembrá-los do que vocês já sabem.

Assim, quero falar por um instante sobre como... Como vocês se sentem neste momento? Estamos no limite de realmente nos permitir ser anjos humanos na Terra. É dia de formatura. Muitos de vocês estão dizendo: “E agora?”

Vou lembrar a alguns de vocês... Lembrem-se: Como foi quando vocês se formaram no ensino médio ou na faculdade? Vocês estavam bastante contentes por terminar com essa etapa porque tinha sido difícil. Estavam bem felizes por ter liberdade, mas também carregavam a energia ou a consciência de uma incerteza sobre o que vinha pela frente, de medo e da perda do lugar de conforto. Grande parte de vocês estava festejando a formatura, outra parte estava temendo o que vinha em seguida. E é aí em que muitos de vocês estão bem agora. Ah, incluindo a mim. Incluindo a mim. Tenho minhas próprias ansiedades – estou me tornando mais humano a cada dia – e vocês se perguntam o que vem em seguida...

Esta parte da jornada acabou. Os contratos terminaram. Não há mais contrato espiritual agora. Terminaram. Então, vocês perguntam: “E agora?” E uma coisa interessante acontece. Surge uma espécie de sabotagem, uma espécie de lacuna. Isso não é natural de vocês, mas é uma parte adquirida, altamente treinada e desenvolvida para puxar o tapete, embaixo de seus pés, exatamente quando vocês estão se formando, exatamente quando estão prestes a manifestar o que vocês criam nas outras esferas. Exatamente quando vocês estão prestes a ter sucesso, vem o fracasso.

Por que isso? Por que isso, Shaumbra? Será que é porque vocês são pessoas ruins? Só alguns de vocês. [Risadas] É porque não são merecedores? Não. Será porque talvez vocês tenham excedido os limites? Talvez vocês tenham ido muito longe no limbo? Essa é uma das desculpas. Por que acontece isso bem às vésperas do que vocês chamam de ter sucesso ou do que chamamos de fechar o círculo? Por que será que tudo desmorona? Quem está fazendo isso com vocês?

Será que são aqueles envolvidos nessas grandes conspirações? Acho que não. Será que é a sua alma? Eu acho que não. Será que é o maldito cônjuge ou parceiro de vocês? Bem, sim! [Muitas risadas] Porque vocês permitem que esse indivíduo faça isso, vocês deixam. Então, não é realmente ele, são vocês. Mas vocês vivem, indiretamente, como dizer, através dos olhos dos amigos e da família, e vocês permitem que eles imponham limites sobre vocês.


Por que a Sabotagem?


Por que isso? Neste ponto, no momento de fechar o círculo nesta existência na Terra, quando vocês estão fechando o círculo – esta é a existência, este é o ponto de separação, este é o momento de ser o criador/manifestador – por que será que essa energia aparece? Por que surge essa energia escura, fria, sem vida, enganadora, traiçoeira, detestável? Por que, num momento como este, alguns de vocês estão ansiosos e tensos? Por que, num momento como este, alguns de vocês querem correr e se esconder? Por que vocês colocam uma expectativa tão grande em cima de vocês de que não consigam talvez realizar a própria expectativa? Essa manifestação significa que vocês devem ser capazes de, instantaneamente, curar e transformar seu corpo e, então, vocês duvidam se podem fazer isso? Vocês acham que ainda são muito humanos? Por que será que vocês chegam tão perto do verdadeiro amor, da verdadeira abundância, da saúde e de todas as coisas que seu coração quer criar, mas isso não acontece? Por que será que os humanos se sabotam?

Isso por si só dá um livro. Não há uma resposta única, mas vou oferecer-lhes algumas perspectivas minhas, hoje, nesta cerimônia de entrega de diplomas que estou conduzindo. Eu acho que uma das coisas que humanos e anjos temem igualmente é a completude. Completude.

A razão pela qual temem a completude... porque, uma vez que completem alguma coisa, especialmente se essa coisa forem todas as existências que vocês venham a ter... o que sobra? Uma vez completado isso, não há mais paixão. Não há mais o que vocês chamam de drama. Não há mais cenoura na frente pra impeli-los a andar. Então, vocês sabem o que costuma acontecer? Se a vida é como um grande círculo, bem quando vocês estão chegando ao ponto de completá-lo, vocês quebram o círculo. Vocês quebram o que, de fato, criaram, de modo que vocês não tenham que completar o círculo.

Existe um medo, mesmo entre os anjos, de que, quando tudo isso for completado, vocês se tornem nada, vocês deixem de existir. Os humanos acreditam que vão para o céu ou para o inferno; os anjos têm medo da não existência. Humanos e anjos temem que, se não houver algo para consertar, emendar ou corrigir, não houver metas a aspirar nem planos para seguir, não houver montanhas para subir nem oceanos para cruzar, vocês saiam da existência. E isso é profundo em todos vocês.

Eu posso lhes dizer, e Adamus lhes dirá, que não é verdade. Mas, por outro lado, e incluindo Kuthumi, nós lhes diremos algo que descobrimos ser verdade. Vocês param de existir como costumavam existir. Então, de fato, parte desse medo ou dessa preocupação tem fundamento. É verdade. Vocês nunca mais existirão como antes. A existência se torna algo diferente. Ela se torna o momento, o Eu Sou. Vem sem metas, sem tentativas de consertar as coisas, sem tentativas de consertar o mundo. E alguns de vocês, anjos aqui, sentados na Sala dos Shaumbra, em meu chalé, têm dificuldade com isso.

Vocês baseiam seu valor nas tarefas que recaem sobre vocês, trabalhando com vocês mesmos ou com outras pessoas. Vocês baseiam seus amanhãs nas listas de coisas que precisam ser feitas que vocês escrevem hoje. Vocês baseiam seu valor – quer seja aos olhos de outros humanos da Terra ou aos olhos dos anjos de sua família espiritual ou do Conselho Carmesim – no que vocês estão realizando e no que estão fazendo. Vocês baseiam sua identidade, sua consciência de si mesmos, em quanto mais vocês precisam consertar em vez de no quanto foi realizado.

Desse modo, vocês se sabotam. Eu sei... muitos aqui, hoje, sentados nesta sala – não estou apenas falando desta sala física, estou falando da Sala dos Shaumbra –, eu sei quem vocês são. Eu vi o que vocês fizeram e vi que vocês partiram, existências atrás, e foram para seu próprio Terceiro Círculo, foram para a experiência de sua ascensão, em vez de falar de sua ascensão. Vocês podiam ter sido ricos, vocês podiam ter tido fama – nada disso é ruim.

Vocês podiam ter tido qualquer coisa, mas temiam que isso completasse um círculo, um círculo que começou a ser traçado éons de tempos atrás. Vocês temiam passar pela ascensão por medo de ela não ser nada, de não haver nada lá, ninguém lá, nada pra fazer, nenhum verdadeiro entendimento de si mesmo nem valor.

Por que vocês se sabotam? Não porque sejam ruins, não porque haja coisas que precisem consertar ou fazer, não porque não mereçam. Vejam bem, o engraçado é que qualquer humano – qualquer humano, em qualquer ponto – pode dizer: “Chega.” Não quero saber se esse humano está numa prisão carregando o pior dos fardos; não quero saber se é um pobre-coitado, sem-teto; não quero saber se está no topo da lista dos pecadores mais procurados. Mas, queridos Shaumbra, no momento em que um anjo humano diz “já chega”, tudo começa a mudar. Tudo começa a clarear e surge o vislumbre da ascensão.

Eu vejo vocês, que estão se formando hoje, depois dessa experiência de dez anos que tivemos juntos, se preparando para ingressar numa parte inteiramente nova de sua vida, trabalhando com Adamus para a manifestação real de suas criações, trabalhando com a Nova Energia, sendo os verdadeiros cientistas da nova consciência – e eu não digo isso superficialmente. Vocês vão ser os físicos, os cientistas e os exploradores. Vocês vão ser aqueles que ajudam a definir o indefinível, os professores da Nova Energia. Vocês vão ser aqueles que criam os negócios da Nova Energia, as modalidades de cura.

Vocês vão ser aqueles que estarão aí para os outros humanos, mostrando o caminho, mas hoje vocês receberam algo em que devem prestar atenção, imediatamente. Sabotagem. Medo da completude. E eu sei, em suas mentes, eu posso ouvir alguns de vocês mentalmente me dizendo agora mesmo: “Ah, não, Tobias, eu realmente quero a completude.” Vão para o coração e para a alma. Vão para a parte mais profunda de seu eu.

[Pausa]

Completude significa que vocês nunca precisam de outro objetivo, vocês nunca precisam fazer algo novamente, vocês nunca têm que consertar ninguém, vocês nunca têm que se consertar. Completude significa que vocês podem transcender o corpo humano, vocês podem transcender a mente humana. Completude significa que vocês não têm necessidades nem desejos de bens materiais, mas vocês têm tudo que querem. Completude significa estar absolutamente apaixonado por si e não ter que ler mais livros nem dizer a si frases engraçadinhas como as que vocês dizem quando se olham no espelho, mas realmente se odiar toda vez que fizerem isso. [Algumas risadas] Completude, queridos, significa ser real e verdadeiro consigo mesmo, e possivelmente deixar a existência do modo que vocês a conhecem até então.

Por que vocês têm se sabotado? Por que vocês constroem esse castelo para, depois, o demolirem? Por que vocês caminham a passos largos no que se refere à consciência – dão saltos na consciência – para ir mais longe do que outros humanos que já vimos e, então, vocês se permitem cair no abismo da escuridão? Por quê?

Não posso lhes dar a resposta. Posso apenas apontar-lhes o que vejo vocês fazendo. Não posso fazer promessas nem dar garantias a vocês de como será quando vocês se completarem em seu círculo, mas posso lhes dizer que aí começa o próximo círculo de evolução.

Vejam bem, quando o círculo é completado, ele é mais como uma espiral. Agora ele se expande. Agora ele cresce. Agora ele continua. Não da mesma forma que vocês o vivenciaram até então, ele muda.

Queridos Shaumbra, de agora a setembro, quero que vocês realmente prestem atenção se estão se sabotando e por quê. Não há ninguém fazendo isso com vocês. Essa energia escura, fria, que rouba energia e que surge na véspera de seus triunfos é sua. Vocês a atraíram há muito tempo, e assim como a atraíram, vocês também podem afastá-la. Assim como a criaram, vocês podem destruí-la. Essa é a beleza da física espiritual: Qualquer coisa que criem pode ser destruída.


A Palavra Mais Importante

Eu gostaria de deixá-los com apenas quatro observações – é claro. Apenas quatro observações neste último Shoud.

Muito simples, a palavra mais importante do mundo e de toda a criação de vocês – eu. Eu, no sentido de “si mesmo” (em inglês, self). Os humanos, principalmente, e é bem estranho, os humanos altamente evoluídos têm dificuldade com o eu. Se analisarem todos os Shouds, em todos os dez anos de workshops, as palavras mais usadas foram “vocês” e “si mesmos”. Quero que fiquem cheios de si. Quero que considerem a si mesmos em primeiro lugar. Ah, vocês foram treinados para achar isso errado, mas, entendam, aqueles que os treinaram a pensar assim estão vivendo o próprio inferno bem agora! [Risadas]

Quando vocês cuidam de si mesmos e quando se amam, quando se apaixonam intimamente, profundamente por si mesmos, sem ter vergonha, é algo mágico, e tem mais de um efeito... Cauldre não gosta do que vou dizer, mas, vocês sabem, é meu último Shoud, então, vou dizer. [Tobias dá uma gargalhada e algumas pessoas aplaudem.]

Quando vocês pensam em si mesmos primeiro, causam mais impacto na Terra do que mil Madres Teresa. E isso é verdade. Ah, Madre Teresa foi um ícone maravilhoso para os que gostam de sofrer [risadas] e os que – sinto muito, Cauldre, mas – para os que gostam de conquistar o mérito de ir para o céu através do sofrimento.

Shaumbra, a Nova Energia tem a ver com amar a si mesmo, pois como vocês podem dizer às pessoas de que modo curar, transformar, integrar seu espírito sem que tenham aprendido primeiro? O mais importante é o eu.

Vocês se levam em consideração. Depois, vocês chegam a um entendimento sobre uma coisa que iludiu muitos de vocês: o significado por trás do Eu Sou o que Eu Sou. Alguns de vocês repetem as palavras, mas não têm idéia do que estão dizendo, e tudo bem. Saint-Germain vai trabalhar com vocês. Ele está planejando um curso especial chamado “Consciência Remediada do Eu”. [Risadas]

A palavra mais importante: Eu – vocês. Vocês. Trata-se de aceitar a si mesmos. Trata-se de compaixão. A compaixão tem que ser para vocês primeiro, do contrário, não tem sentido neste mundo. O amor tem que ser para vocês primeiro, do contrário, não tem sentido. E, de fato, a palavra amor é... na verdade, se vocês derem uma olhada no quociente de consciência da palavra amor, ela não é mais uma palavra tão boa assim. Em termos energéticos humanos, amor está ligado a decepção, roubo de energia e falsidade.

Quando vocês se amam sinceramente, quando vocês aceitam tudo a respeito de si mesmos – sem essas listas de coisas que vocês têm que fazer para serem pessoas corretas. Estou cansado disso, Shaumbra. Quero que vocês joguem fora todos os seus objetivos, todas as coisas em que estão trabalhando, todos os planejamentos e tudo mais, porque isso só significa que vocês não conseguem completar seu círculo. Cada objetivo, cada planejamento, tudo que vocês dizem que vão fazer – perder peso, ser mais esperto, ter uma aparência melhor, fazer todas essas coisas – tudo isso abre, cada vez mais, aquela lacuna, o espaço entre onde estão e o fechamento, a completude do eu. Vocês não podem retroceder, mas podem tornar essa lacuna bem maior.

Assim, queridos Shaumbra, a palavra mais importante: Eu.


O Lembrete Mais Importante

O lembrete mais importante que qualquer um de nós pode dar a vocês é para que confiem. Confiem em si mesmos. Em mais ninguém, até vocês confiarem em si mesmos. Está aí. Está tudo aí – qualquer cura do corpo, tudo de que precisam, todas as respostas – se vocês simplesmente confiarem em si mesmos. Ainda existe a tendência de colocar a confiança em outro lugar, em outra pessoa, de correr pra cartomantes – tsk tsk tsk [risadas] – ou curadores, mas aqueles em quem vocês conferem o poder. Facilitadores, sim. Às vezes, é bom ter alguém pra facilitar as coisas enquanto vocês pegam no volante, ficam na posição principal, assumem a responsabilidade. Então, esse auxílio pode facilitar um pouco as coisas ou, pelo menos, torná-las mais divertidas. [Risadas] E vocês ainda os ajudam na profissão de ganhar a vida como facilitadores.

Vocês concebem a confiança... ah, queridos, vocês lutam pra confiar em si mesmos. Vocês se revestem, como dizem, de falhas humanas, equívocos e todo o resto. É como uma grande capa em cima de vocês. Confiem em si mesmos, sempre. Voltem para a forma mais simples de confiança. Pois confiar com a mente não traz nenhum bem. Quando surgirem coisas na vida, coisas meio assustadoras, que causem ansiedade, que façam as mãos suarem, confiem em si mesmos.

Ah, sim, vocês podem sentir medo. Não estou dizendo que vocês vão apagar essa coisa chamada medo. O medo é, na verdade, uma energia maravilhosa, desde que transmutada e aplicada a uma manifestação criativa.

Confiem – sem restrição, confiem – em si mesmos. É uma coisa difícil de fazer.

Vocês confiam um pouco. Vocês confiam em si mesmos com base naquilo que aprenderam, a partir de experiências passadas, que não deixa vocês se enganarem de novo. Mas estou falando de confiar em si no que diz respeito à saúde. O corpo não é um objeto estranho. É sua manifestação na Terra. Confiem nele. Confiem em vocês. Confiem em vocês, inclusive se surgirem nuvens escuras de tempestade. Confiem que essas nuvens de tempestade não são, necessariamente, o que vocês acham que são. E, às vezes, uma boa tempestade torna mais clara muita energia. Confiem que está aí. Parem de fugir disso.

Muitos de vocês ficam jogando esse negócio de, como se diz, ser positivo. Ou esse jogo de ficar repetindo pra si mesmos que tudo vai ficar bem, mas sem realmente acreditar nisso. Alguns brincam de fugir – fugir, fugir. Parem um instante. Não importa o que seja, mesmo que estejam enfrentando a morte. Não importa o que seja. Quando vocês se permitem confiar em si mesmos e em ninguém mais – confiar em si mesmos –, vocês iniciam, vocês acionam todos os sistemas que já estão dentro de vocês para trabalhar em seu favor. Quando vocês deixam de correr pra outros lugares em busca de confiança, em busca de proteção, quando deixam de ter um falso otimismo e permitem tudo – a escuridão, a luz, o bom, o ruim – e absolutamente confiam em si mesmos, vocês encontram milagres. Milagres, da maneira mais simples. Por favor, confiem em si mesmos. Ah, alguns de vocês... eu preciso gritar com alguns, preciso argumentar, tenho que ameaçar alguns de vocês! Confiem em si mesmos.

Agora, como vocês sabem que não estão confiando em si mesmos? Porque sua mente entra e começa... vocês começam aquela conversa mental e ficam acordados até tarde da noite preocupados, e se esquecem de confiar. Vocês criaram o que estiver acontecendo. E isso é perfeito, está baseado na perfeição em si – não na perfeição de Deus, não na perfeição de um Deus que está em outro lugar – na perfeição de vocês. Vocês criaram isso. Confiem nisso agora. Confiem em cada parte de si mesmos.

[Tobias suspira] Entendam, às vezes, só parece que vocês estão desmoronando. Às vezes, só parece que as coisas estão desmoronando. Mas, na verdadeira energia da confiança, vocês vão entender que criaram algo na perfeição. Não está desmoronando, está se reorganizando. Queridos Shaumbra, confiem em si mesmos.

Aquilo com a Qual Vocês Podem Contar

Observação número três: aquilo com a qual vocês, com certeza, podem contar, aquilo com que podem contar mais do que qualquer outra coisa, é a evolução ou mudança. Vocês já ouviram isso antes – a coisa que é certa é a mudança. Tudo mais é incerto ou se torna apenas uma experiência do passado. Sua vida vai mudar ou, diremos, evoluir. Sua vida vai evoluir, portanto, fique bem com ela.

Evoluir significa, sim, que, algumas vezes, vocês vão mudar para um local diferente. Vocês vão mudar as pessoas que fazem parte de sua vida. Mudar significa que, às vezes, vocês vão perder o emprego para que encontrem a verdadeira paixão. Mas aguardem mudanças. Vocês vieram num momento de mudanças e sabiam disso. Vocês pediram mudança em sua vida, mas, então, vocês ficam surpresos quando ela acontece.

Queridos Shaumbra, o mundo está mudando e muitos vão ter dificuldade de lidar com isso mental, física e espiritualmente. Vocês estão, de fato, em melhor posição de lidar com a mudança do que, simplesmente, qualquer outro grupo que conhecemos, mas ainda assim vocês resistem a ela. Que tal respirar, inspirar mudança? Que tal permitir que a mudança aconteça? Se vocês entendem que foram vocês que promoveram essa mudança – só seria assustador se a mudança viesse de outro lugar, mas vocês a configuraram... Vocês possibilitaram as mudanças em sua vida, as mudanças que estão se propagando pelo mundo neste momento. Respirem e se impregnem dessa mudança.

Bem agora... Ela vai acontecer, mas, bem agora, vocês estão resistindo a ela, o que cria um atrito na consciência, gerando desconforto no corpo e um desconforto por, simplesmente, estar no planeta. No momento em que vocês abraçam a mudança, bem, vocês vão entender uma coisa... eu não vou falar agora. Adamus falará disso, mas mudança não é, de modo algum, o que vocês acham que é.


O Melhor Presente para Si Mesmos

E uma última coisa, além dos meus quatro assuntos de hoje. O presente para vocês darem a si mesmos – e vocês já sabem disso, alguns estão cansados de ouvir, mas... o presente para vocês se darem é respirar. Respirar confirma que vocês estão vivos e que estão escolhendo estar aqui. E quantos – não levantem as mãos, vão se entregar, mas... quantos de vocês não sabem realmente se querem estar aqui? Quantos de vocês estão no que chamam de zona neutra ou em cima do muro, indecisos, há anos? Ficar ou partir? Ficar ou partir?

Bem, respirem. Ou será pela última vez [risadas] ou, queridos Shaumbra, vai revigorar cada parte de vocês.

Respirar tira vocês da mente e os coloca em sua paixão, sua alma e seu espírito. Respirar faz essa coisa incrível, permitindo que a energia do espírito entre nesta realidade, nesta existência. Respirar move as energias. Respirar é o modo como vocês trazem a Nova Energia da outra esfera. Respirar é um presente que vocês dão para si. Respirar faz com que se lembrem de como é simples. Quando vocês saírem em busca de todas essas outras práticas e metodologias complexas, voltem para a respiração porque é aí que vocês estarão. Respirar traz o momento do Agora.

Respirar proporciona flexibilidade à consciência, de modo que ela possa expandir para uma nova consciência e novas esferas. Respirar abre todos os sentidos, de modo que vocês voltem a ser um humano sensitivo, não apenas uma pessoa comum. Respirar abre vocês, de modo que vocês possam sentir novamente. É real. É a prescrição mais fácil do mundo – respirar. Respirar e, depois, respirar. Vocês querem que a gente mostre algo novo e diferente, algo mais interessante, mas, queridos Shaumbra, o segredo está na respiração. Está na respiração.


Adão e Ísis

E antes de sairmos da sala aqui, quero deixá-los com mais um pensamento relacionado a essa sabotagem de si. É uma das outras coisas que captamos na tela do radar Shaumbra, uma das outras razões pelas quais vocês se sabotam, o que quer dizer que vocês não se permitem alcançar a completude, a realização e o sucesso.

Vou falar metaforicamente aqui, mas, na verdade, há muito da realidade. Falamos antes sobre como vocês têm diversas energias diferentes em vocês – a luz, a escuridão; o yin, o yang; o masculino, o feminino. Vamos voltar, neste caso, à história de Ísis e Adão, que é, basicamente, o masculino e o feminino dentro de vocês. Mas também quero usar essa história para falar de outro conceito de dualidade, e que foram as expressões do interior e do exterior de sua alma.

Há muito tempo, quando vocês deixaram o Tudo que Foi, quando vocês atravessaram a Muralha de Fogo em sua jornada que os trouxe para a Terra, vocês criaram a separação original, o que gerou o espírito da visão interior, que agora vocês chamam de alma, seu lado divino, e sua expressão externa, a parte de vocês que faria a jornada para o vácuo e criaria a realidade. É a expressão externa que, por fim, faz o caminho, através da Ordem do Arco, até este planeta Terra, para a completude e realização.

Usando os conceitos de dualidade, a metáfora, falaremos de Ísis e Adão, mas entendam que essa metáfora está relacionada ao interior e ao exterior do eu – a luz e a escuridão, cada dualidade em oposição.

Quando a energia de Adão deixou Ísis, isso criou uma dor tremenda, pois as duas energias são, essencialmente, a mesma. Sempre se supôs que ficariam juntas. Sempre se amariam. Então, quando a separação aconteceu entre Ísis e Adão, vocês podem imaginar a dor que isso causou. Vocês também podem imaginar a raiva gerada, uma vez que uma parte de vocês saía numa jornada e deixava a outra dentro de si, causando a dor do amor e da separação, mas também, pode-se dizer, uma espécie de raiva – “Por que está partindo? Por que está permitindo a separação?”

Desse modo, a energia do masculino, de Adão, ou a energia da expressão externa do eu, foi embora, sabendo – ambas as partes de vocês sabiam – que vocês se juntariam de novo, no momento certo e no lugar certo. Esta parte de vocês – vamos chamá-la de energia de Adão... Adão saiu em busca das coisas. Adão saiu à procura de novas soluções, ah, como resultado do amor absoluto por Ísis. Queria criar um lugar que fosse tão perfeito que Ísis iria querer ficar com ele de novo.

Então, Adão começou, pode-se dizer, a criar ou construir o castelo perfeito, o lar perfeito, o espaço perfeito. E, enquanto construía, através da imaginação e da expressão criativa, ele continuava se perguntando se Ísis realmente iria gostar – será que ela vai gostar das cores, do estilo? – e começou a duvidar tremendamente de si mesmo. Ficava se perguntando se Ísis se sentiria confortável lá. Ficava se perguntando se só estava fazendo isso por ele ou se seria realmente apropriado para Ísis.

Ele continuava se perguntando se Ísis realmente sentia falta dele e o amava. Continuava se perguntando se, talvez, esse não era o plano de Ísis para se livrar dele. Ele se perguntava, às vezes, se Ísis estava fazendo isso, de propósito, para acabar com ele, para escravizá-lo, para torná-lo insignificante. E podia-se ver a miríade de energias opostas fluindo de Adão todas as vezes que ele trabalhava na construção desse castelo dos sonhos perfeito para Ísis.

É claro que o castelo nunca ficou bom o suficiente. Ah, é espetacular, na minha opinião, mas Adão ainda está trabalhando nele. É um castelo que nunca fica completo porque, queridos Shaumbra, no coração um tanto desequilibrado de Adão, ele teme convidar Ísis e ela não aceitar o convite.

O que significa ela não aceitá-lo. Significa nada de reunião. Significa não seguir em frente. Então, se ele continua construindo e modificando o castelo e duvidando de si mesmo, ele continua jogando o jogo, nunca precisa enfrentar a questão: Ele é merecedor do retorno de Ísis? Ele é digno?

E, Ísis, o tempo inteiro, fica se perguntando: “O que aconteceu com Adão? Por que ele não ligou? Talvez ele não me ame mais. Talvez tenha encontrado outra. Talvez tenha me traído. Talvez esteja tentando assumir o poder e acumular mais. Talvez esteja tentando me destruir totalmente. Talvez eu não seja bonita o bastante pra ele. Talvez tenha descoberto algo dentro dele com qualidades superiores às que tenho. Talvez eu nem mereça receber o amor de Adão. Talvez eu lhe dê as costas. Vou esconder minhas lágrimas pra que nunca tenha que enfrentar a questão: Será que Adão está me chamando? Será que ele me aceita de volta? Então, vou me distrair, fazer qualquer coisa, menos procurar isso.”

Queridos Shaumbra, esta é a história de Ísis e Adão. É também sua história. Uma história da expressão interior e da expressão exterior. É a história do eu humano e do divino. Talvez vocês não achem que sejam merecedores, que tenham construído uma casa boa o suficiente para o divino se juntar a vocês aqui, então, vocês continuando tentando construir essa casa. E talvez seu lado divino, bem neste momento, esteja se perguntando: “Como ainda não recebi um telefonema? Como ainda não fui convidado para esse lugar sagrado chamado existência?” Talvez o divino esteja pensando que vocês o traíram.

Então, o jogo continua. A decepção continua e a separação continua, porque, e se, apenas, e se o humano não gostar do divino? E se ficou desapontado com a parte mais íntima de si mesmo? E se teve tantas experiências e tantos amores em todas as existências que não o quer mais? E se...?

Vocês enfrentam, agora, uma das questões mais importantes de sua existência. Vocês enfrentam as questões da completude e da aceitação. A grande energia escura chega neste momento e diz: “E se o divino não gostar de mim? E se ele achar que eu construí uma casa impura? Que não sou digno? E se o divino vier e me disser que tenho, pelo menos, mais uma dúzia de existências antes de sequer cogitar uma hipótese qualquer?” E isso é a sabotagem. É artificial, e nós, que estamos em nosso próprio Terceiro Círculo podemos lhes dizer que essa é a maior desilusão e decepção que vocês podem conferir a si mesmos. Mas é também o maior presente.


Um Retrato de Vocês

Assim, queridos Shaumbra, vamos respirar fundo. É hora de deixarmos a Sala dos Shaumbra. Vocês são bem-vindos aqui sempre. Vocês são bem-vindos aqui toda vez que quiserem vasculhar por aí, olhar as fotos. Enquanto saímos da Sala dos Shaumbra, e voltamos para a área da galeria... preparamos algo muito especial pra vocês.

Respirem profundamente...

Nós penduramos um retrato de cada um de vocês. Ninguém mais está na foto, somente vocês. É um retrato que foi sendo preparado ao longo de éons de tempo. É dinâmico. Tem profundidade e dimensão. É o rosto desta encarnação humana e de cada encarnação que vocês tiveram. É o rosto e a energia de vocês de muito tempo antes de virem para a Terra.

Tem uma placa abaixo, e a placa não está escrita com palavras que os olhos humanos possam ver, mas a placa é uma expressão de energia. É a sua vibração. É a sua ressonância. É a sua música nessa placa.

E, quando saírem hoje, nós vamos pendurar cada um destes retratos – o seu retrato – no corredor principal, um corredor pelo qual todos os seres que vierem aqui terão que passar. Eles vão ver sua fotografia e ela ficará pendurada aqui pela eternidade.

Ficará pendurada aqui como um exemplo do humano que deixou o Lar, que deixou suas famílias espirituais, que veio para a Terra, que vivenciou contentamento e dor, mas que se formou. Ficará aqui para verem que pode ser feito, que vocês são os Padrões. Assim, nós o chamaremos de Hall dos Padrões. E, se vocês estiverem lendo ou ouvindo estas palavras, seu retrato está aqui.

Vamos para o lado de fora agora. Todos os convidados do passado estão aqui fora esperando, celebrando. Festejando vocês; não tem a ver com a minha partida. Trata-se da sua formatura. Eles estão festejando.

Mas antes de liberarmos a energia deste dia, vamos, por um momento, ah, sentir a beleza – a luz do sol e o... bem, com certeza, tem arco-íris e está chovendo, tudo ao mesmo tempo. É assim que pode ser. Tirem uma foto energética desta família que chamamos de Shaumbra, de todos os convidados que estiveram aqui, dos animais e das plantas da natureza, da beleza primitiva, do meu chalé, do tapete de boas-vindas a tudo isso.


Para Onde Vocês Vão?

E eu tenho uma pergunta antes de irmos embora. Para onde vocês vão? Onde é o seu lugar? Onde é o seu espaço? Eu tenho este chalé que eu criei. Eu adoro isso aqui e é propriedade minha. Quando vocês estão nos seus momentos de desespero, quando estão com medo e ansiosos, quando precisam escapar de alguma coisa, pra onde vão? Eu sei pra onde vocês vão, e nem sempre é para um lugar bonito.

Alguns de vocês vão para dentro... vocês imaginam uma caverna escura. Outros vão para o nada – e é esse o seu chalé? É essa a sua casa do Eu Sou? Alguns não se conseguem imaginar num lugar de beleza que seja seu, e vão para o chalé de alguém, para a dimensão de outra pessoa.

Para onde vocês vão quando está difícil? Aonde vocês vão para relaxar, rejuvenescer? Por que vocês se dão um casebre, uma masmorra? Por que vocês não têm lugar algum, queridos Shaumbra? Será que não são dignos de ter um chalé como este, que possui toda a beleza e todo o amor do meu espírito?

Eu sei que, às vezes, vocês fazem um esforço mental pra criar um lugar bonito, mas ficam cansados depois de 30 segundos. Não estou falando de fazer com a mente. Façam com o coração. Aonde vocês vão à noite? Infelizmente, muitos de vocês ainda estão, espiritualmente, sem lar. Vocês não têm lugar aonde ir.

Vocês têm todas as ferramentas e todos os recursos, não precisam comprar um espaço, não precisam de financiamento, ele não consome energia, não precisam roubar de outro lugar; então, queridos Shaumbra, de agora em diante, eu peço que vocês criem seu próprio espaço de lar perfeito.

Esse espaço para vocês, para seu espírito, para sua alma, para seu ser. Criem com absoluta alegria e absoluto amor, e parem de se preocupar se ele está perfeito. Parem de destruir o que construíram. Vocês são dignos dele. Não copiem o meu chalé, porque, dessa maneira, não será realmente seu lugar. Façam com o coração. Criem esse espaço. É seu lar de agora em diante. Pode ser o que vocês quiserem.


Adeus

Com isso, queridos Shaumbra, é hora de vocês deixarem meu espaço, meu chalé. Preciso fazer meus preparativos. Tenho algumas malas pra fazer, vocês sabem. Eu tenho uma jornada e tanto pela frente.

Ah... [emotivo] Vou sentir falta destes tempos, em que ríamos, em que ficávamos nos provocando,  em que ficávamos nos perguntando se era verdade ou não, em que explorávamos a nova consciência. Como vou sentir falta disso!

Ficarei por aqui pra falar com todos vocês, não mais através dessas canalizações, mas bem no fundo de vocês, um a um, cada um de vocês e eu.

Com isso, voltaremos daqui a pouco para suas últimas perguntas – graças a Deus por isso! [Risadas]

E assim é.


Tradução para o Português:  Inês Fernandes        mariainesfernandes@globo.com


Tobias do Conselho Carmesim é apresentado por Geoffrey Hoppe, com o pseudônimo de "Cauldre", Golden, Colorado. A história de Tobias, do bíblico Livro de Tobit, pode ser encontrada no web site do Círculo Carmesim: www.crimsoncircle.com. O Material do Tobias é oferecido gratuitamente aos Trabalhadores da Luz e Shaumbra de todo o mundo desde agosto de 1999, época em que Tobias disse que a humanidade tinha ultrapassado o potencial de destruição e entrado na Nova Energia.

O Círculo Carmesim representa uma rede mundial de anjos humanos que estão entre os primeiros a fazer a transição para a Nova Energia. Enquanto eles vivenciam as alegrias e os desafios do status da ascensão, ajudam outros humanos em suas jornadas, compartilhando informações, atendendo e orientando. Mais de 50.000 visitantes vão ao web site do Círculo Carmesim todos os meses ler os últimos materiais e discutir suas próprias experiências.

Os encontros do Círculo Carmesim acontecem mensalmente em Denver, Colorado, onde Tobias apresenta as informações mais recentes através de Geoffrey Hoppe. Tobias declara que ele e os outros do Círculo Carmesim celestial estão, na verdade, canalizando os humanos. De acordo com Tobias, eles estão lendo nossas energias e traduzindo nossas próprias informações de volta para nós, de modo que possamos vê-las vindo de fora, enquanto as vivenciamos no nosso interior. O "Shoud" é uma parte da canalização em que Tobias fica de lado e a energia dos humanos é canalizada diretamente por Geoffrey Hoppe.
 
As reuniões do Círculo Carmesim estão abertas ao público. O Círculo Carmesim sobrevive com o amor sincero e a doação dos Shaumbra de todo o mundo.

O objetivo dos que fazem parte do Círculo Carmesim é servir de guias humanos e professores àqueles que seguem o caminho do despertar espiritual interior. Não é uma missão evangélica. Pelo contrário, a luz interior é que guiará as pessoas até você para receberem compaixão e atenção. Você saberá o que fazer e o que ensinar nesse momento, quando vier até você o humano precioso e único, pronto para embarcar na jornada da Ponte de Espadas.

Se você estiver lendo isto e sentir a verdade e a conexão, você é realmente um Shaumbra. Você é um professor e um guia humano. Permita que a semente da divindade cresça dentro de você agora e em todos os momentos que estão por vir. Você nunca está sozinho, porque a família está espalhada por todo o mundo e os anjos estão ao seu redor.

Por favor, distribua este texto livremente numa base não comercial e sem cobrar por ele. Por favor, inclua as informações na íntegra, inclusive com todo este pé de página. Todos os outros usos têm que ser aprovados por escrito por Geoffrey Hoppe, Golden, Colorado. Veja a pagina de contatos no website http://www.crimsoncircle.com/

 © Copyright 2009 Geoffrey Hoppe, P.O. Box 7328, Golden, CO 80403. Todos os direitos reservados.